A Isthmus Engineering e o modelo de gestão de “Cooperativa de Trabalhadores”

O último documentário de Michael Moore: “Capitalism, a Love Story” depois de se concentrar nas (numerosas) maleitas de que padece e nos faz padecer o sistema Capitalista passa de uma forma mais ou menos superficial a questão dos métodos empresariais alternativos de gestão. Moore concentra-se no modelo das “Cooperativas de Trabalhadores” abordando vários exemplos de sucesso em atividade nos EUA.

Usando o exemplo concreto de uma destas “Cooperativas de Trabalhadores”, a Isthmus, que se dedica à área de conceber e fabricar robots e sistemas de automação, vamos deitar nas próximas linhas uma visão sumária sobre este tipo de organizações:

1. A empresa é detida pelos próprios trabalhadores e o seu sucesso – que deriva necessariamente do desempenho de toda a equipa – é igualmente repartido
por todos que nele efetivamente participam.
2. A empresa é organizada sob o modelo de uma cooperativa, uma organização desenhada para agregar os recursos representados pelos indivíduos que a compõem de forma a alcançar um objetivo comum. Existem vários tipos de cooperativas: de Produção, de Consumidores e de Trabalhadores. A “Isthmus Engineering” escolheu o modelo de “Cooperativa industrial de Trabalhadores”.
3. Uma “Cooperativa de Trabalhadores” é um tipo de cooperativa onde os cooperantes são os mesmos que nela trabalham. As decisões de gestão são sempre tomadas de forma democrática em que cada membro tem um voto, na melhor aplicação do princípio fundamental das democracias: “um Homem, um Voto”.
4. Existe uma distribuição equitativa dos lucros da cooperativa entre todos os seus membros, independentemente das funções que desempenham na organização.
5. As Cooperativas de Trabalhadores têm um enfoque muito forte nas áreas de formação e na educação dos seus cooperantes.
6. Este tipo de organizações também mantêm laços de solidariedade entre os seus membros e as suas famílias, assim como preocupações de responsabilidade social para com a comunidade em que estão inseridos.

Acreditamos que a melhor forma de gerar riqueza e emprego não reside nas empresas públicas ou estatais, mas no empreendedorismo particular, na livre iniciativa em suma no Capitalismo. Mas um Capitalismo de pequena ou média escala e de âmbito local e não multinacional, de Empresas Locais, feitas para e a partir da Comunidade e das pessoas que a compõem e não de e para “conselhos de Administração” egóticos, babilonicamente remunerados e completamente irresponsáveis no que concerne aos efeitos das suas más decisões. Este modelo de gestão privado, apresentado pelas “cooperativas de trabalhadores” é uma opção que hoje nos é apresentado como possível pelo sucesso vincado das empresas que nos EUA e em outros países o escolheram. E sendo um modelo de gestão plenamente democrático é também melhor garantia contra os desmandos e loucuras de gestão a que os “gestores modernos” nos habituaram e porque exige empresas de pequena ou média escala e sempre de âmbito local, muito adequado ao paradigma das “Economias Locais” do economista alemão E. F. Schumacher que por aqui temos vindo a defender.

Fonte:
http://isthmuseng.com/aboutus/workerownedcoop/workerownedcoop.aspx

Anúncios
Categories: Economia, Política Internacional, Sociedade | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: