Daily Archives: 2009/12/06

O regresso do Trabant (Trabant nT) agora… elétrico

Lembram-se do velho (e obsoleto) Trabant, o veículo emblemático da antiga República Democrática Alemã (RDA)? Bem, ele está de volta, com roupagem idêntica, mas radicalmente diferente lá dentro… O novo Trabant tem agora um motor totalmente elétrico e foi alvo de especial atenção no último Salão Automóvel de Frankfurt.

O Trabant nT, ou newTrabi, tem agora um motor de 47 kW e é capaz de alcançar uma velocidade máxima de 130 km/h. Este motor é alimentado por uma bateria de iões de lítio capaz de carregar na totalidade em menos de oito horas e que oferece ao Trabant nT um total de 160 km de autonomia. O veículo – fabricado pela Herpa – deverá estar à venda antes do final de 2012.

Fonte:
Science & Vie, novembro de 2009

Categories: Ciência e Tecnologia, Ecologia | 2 comentários

A Questão de Olivença é uma “Questão Lusófona”?

É certo que Olivença está hoje tornada numa cidade de fala castelhana. Como se diz, existe ali apenas uma mão-cheia de idosos que ainda compreendem o português e um escasso grupo de neofalantes.

A estratégia de Madrid de menorizar e combater a utilização da língua nos três concelhos oliventinos conseguiu efetivamente fazê-la desaparecer numa parcela de território que à luz do Direito Internacional e dos Tratados Internacionais assinados por Portugal e Espanha é, ainda, portuguesa.

Mas a colonização (via corrente migratória) ou aculturação (via despromoção do uso do português) não é fonte de direito. Devemos então nós, portugueses, lusófonos e membros do MIL, deixar esquecer a Questão Oliventina e abrir mão para Espanha dessa parcela do nosso território?

Não defendo – naturalmente – uma “invasão” militar ou pacífica (tipo “Marcha Verde”) para Olivença, mas uma recuperação do tema nos fóruns internacionais que resolva de vez esta questão:

1. Reconhecendo a soberania de Espanha no território, em troca de concessões como o ensino obrigatório da língua e história portuguesas (cumprindo determinações recentes do Conselho da Europa);

ou

2. Reservando ao território um estatuto especial de “co-soberania”, atribuindo a Portugal e Espanha direitos iguais, mas administração efetiva a Espanha.

ou

3. Atribuindo ao território um estatuto de “Cidade Livre”, semi-independente, com soberania partilhada, no modelo andorrino.

O que Portugal e os Lusófonos não devem fazer é deixar cair a questão. Se não formos capazes de manter viva esta questão, como poderemos realizar algum esforço consistente e produtivo na defesa da Língua Portuguesa da Galiza contra as tentativas de assimilação que agora Madrid e os Espanholistas lançam sobre ela e que são ua reedição do processo de Substituição Linguística que Madrid realizou com tanto sucesso na década de 50, em Olivença?

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono | Etiquetas: | 12 comentários

Fotografias do Debate Público: O Futuro da Galiza no Espaço Lusófono (5 de dezembro de 2009)

Uma sala bem composta…

José Manuel Barbosa, Renato Epifânio (moderador) e Alexandre Banhos

José Manuel Barbosa, Renato Epifânio (moderador) e Alexandre Banhos

Alexandre Banhos

José Manuel Barbosa, Renato Epifânio (moderador) e Alexandre Banhos

J. Carlos M. Fortunato, presidente da Ajuda Amiga, tomando notas…

Cuidando da parte técnica…

José Manuel Barbosa, Renato Epifânio (moderador) e Alexandre Banhos

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono | Etiquetas: | Deixe um comentário

José Eduardo dos Santos fez uma crítica violenta à… Corrupção no seu país

O Presidente angolano disse que encontrara “timidez” no combate à corrupção. E alegou que havia gente “irresponsável” e de “má fé” nas hostes do MPLA. Eduardo dos Santos acrescentou ainda que a “tolerância à corrupção” seria a prioridade para a 15ª sessão do comité central do MPLA.

A corrupção é de facto endémica em Angola e está confortavelmente instalada em praticamente todos os escalões da Administração Publica, das empresas privadas e (sobretudo) do MPLA. Em resultado, Angola é um dos países mais desiguais do mundo e montantes crescentes resultantes do petróleo desaparecem sem deixar rasto. Estes montantes e a impunidade instalada explicam porque é que hoje Angola é tida como um dos países mais corruptos do mundo, um fenómeno a que a multiplicação de interesses e empresas chinesas em Angola, não é alheia…

A corrupção em Angola é de longe o maior obstáculo ao desenvolvimento deste país lusófono e enquanto existir aqui uma plutocracia muito abastada (liderada desde logo por Eduardo dos Santos e pela sua filha Isabel) este tipo de discursos sofrerá sempre de falta de credibilidade. Outro golpe na credibilidade do regime de Dos Santos é o anúncio esperado de novo adiamento das presidenciais, desta feita, para 2012. Não que se espera grande justeza numas eleições num país onde o governo controla todos os meios de comunicação, claro…

Enfim, até ver nada de novo, naquele que é o terceiro maior país lusófono e um dos poucos que, a prazo, tem condições para melhorar radicalmente o nível de vida dos seus cidadãos. Supondo que a cleptocracia que o rege não aumenta ainda mais a sua voracidade, camuflando-a com desejos pífios de “combate à corrupção”.

Fonte:
http://www.publico.clix.pt/Mundo/angola-presidente-quer-tolerancia-zero-do-mpla-contra-a-corrupcao_1410874?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PublicoRSS+%28Publico.pt%29&utm_content=Google+Reader

Categories: Lusofonia, Política Internacional | Etiquetas: | 25 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy