Nos EUA, aperta-se a malha contra o dumping chinês e… defesa do neoproteccionismo

Já se sabia: um dos segredos para o sucesso comercial da China é o dumping. Muitos países escolheram não encarar esse problema de frente, preferindo ceder aos interesses dogmáticos do Neoliberalismo. Mas demais é demais, e muitos começam a perder a paciência para com as manobras de Pequim. Até nos EUA – os campeões do Neoliberalismo – se começam a suceder as nova tarifas alfandegárias. Agora, são as tarifas contra a importação de tubagens petrolíferas chineses, acusadas de estarem a ser exportadas a preços inferiores aos de produção, apenas com a intenção de destruir a indústria local de fabricação de componentes para poços de petróleo: uma indústria estratégica na atualidade e ainda mais nos tempos futuros.

Segundo fontes do Departamento do Comércio dos EUA, a China estaria a exportar estes tubos a apenas 99,14% do seu preço de custo! A China respondeu alegando “abuso de proteccionismo”, ameaçando – bem ao estilo chinês – com retaliações… E dizendo que tomaria “medidas para proteger os interesses da sua indústria”, impondo tarifas, já que este golpe de dumping terá falhado.

Recordemo-nos de que além das tubagens petrolíferas, há outras disputas semelhantes entre os EUA e a China, sempre em torno de dumping de preços… E que algo de semelhante também ocorre na Europa. A China tem conseguido fazer assentar a sua prosperidade em vários tipos de dumping, desde o dumping laboral (falta de direitos laborais e humanos), ao dumping ecológico (ausência de leis do ambiente) até ao clássico dumping comercial (vender a preços inferiores ao do custo). Estas manhas desleais estão na base do monstruoso excedente comercial chinês e a vagas crescentes de desemprego e desindustrialização no mundo. Só a reinstauração de um neoproteccionismo que reponhas taxas alfandegárias quando o país exportador não tenha regras ambientais, de emissões de carbono nem de direitos humanos e laborais, então esses desvios têm que ser compensados de forma a não destruir os equilíbrios exigidos pela sã concorrência – o elemento vital para a Economia. A isso chamamos de “neoproteccionismo”: não uma reinstauração cega e sem critérios de barreiras alfandegárias, mas uma rede de mecanismos de correcção de disfunções que reponha a verdade nas relações comerciais entre os povos, sem as prejudicar, já que é das trocas justas e saudáveis entre os povos que brota a prosperidade saudável e duradoura.

Fonte:
http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1408624

Categories: China, Economia, Política Internacional | 4 comentários

Navegação de artigos

4 thoughts on “Nos EUA, aperta-se a malha contra o dumping chinês e… defesa do neoproteccionismo

  1. joão dias

    ” DUMPING ” em todos os paises se pratica o dumping , até mesmo na europa , querem um exemplo ? Olhem para a politica de emigração actual , olhem para os estados europeus , a emigração e os emigrantes estão tambem a fazer Dumping , sim , pois vejemos , um trabalhador europeu não quer trabalhar oito ou nove horas por dia numa panificação ou num restaurante a troco de uns meros quinhentos euros por mês , ou até mesmo 750 euros por mês , é muito pouco dinheiro , é estar a trabalhar para aquecer , MAS , pelo o contrário , um trabalhador que venha da america latina , pais africanos ,asia , já não se importa de fazer este mesmo trabalho em troca destes mesmos quinhentos euros , ou até menos, mas ai já o patronáto ou a extrema esquerda , e restante classe politica que (des)governa e (des)comanda toda a europa , bem como assossiações emigrantes , já não denunciam esse dumping que está a contribuir tambem para o crescimento da pobreza na europa , desemprego dos europeus e conflitos sociais , tal como já está a acontecer !!!
    Como vêem todos fazem dumping , todos !!!

  2. Fenix

    So estão acordar agora porque está a ir ao bolso dos grande.A china e outros caso da india mas também o brasil e a russia num mercado livre sem regras podem por em causa todo o mundo finaceiro.

  3. João:
    Experimente fazer vida em Portugal com 500 euros mensais e depois tornamos a conversar.
    Um imigrante consegue viver assim? Vivendo num quarto com outros imigrantes e enviando o máximo para a família que ficou na sua origem, onde o custo de vida é inferior
    Ninguém consegue sustentar uma casa, com 2 ou 3 bocas com 500 euros.

  4. Fenix

    CONCORDO COM CLAVIS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: