Os Testes de Rorschach

Todos já devemos ter passado pelo menos mais do que uma vez pelo teste Rorschach… O teste foi criado pelo alemão Hermann Rorschach em 1921.

O teste permite (supostamente) avaliar pacientes psiquiátricos e avaliar a história de vida do analisado. Com efeito, é possível que duas pessoas apresentem o mesmo resultado no teste, mas que tenham personalidades radicalmente diferentes, pelo que o psicólogo terá necessariamente que interpretar os resultados cruzando-os com a história pessoal do paciente.

Datam de 1857, as primeiras utilizações de manchas de tinta simétricas pelo médico alemão Justin Kerner. Mais tarde, outros fizeram o mesmo. Mas só com Rorschach é que os testes deste tipo revelaram alguma eficácia. O médico começou por usar centenas de borrões de tinta nos pacientes do hospital psiquiátrico onde trabalhava e nos seus colegas médicos e enfermeiros. Comparando os resultados, pode produzir resultados padrão, reutilizáveis em novos pacientes que são ainda hoje a base teórica e prática destes testes. Foi nesta época, que o médico selecionou 15 imagens, de entre estas centenas, porque eram neles que as diferenças entre doentes e sãos eram mais visíveis. Em 1918, o teste recebeu a designação de “Teste Psicodiagnóstico”.

Os seus críticos têm-lhe apontado a subjetividade da interpretação que depende excessivamente do julgamento do terapeuta. O teste é considerado como “projetivo”, porque deverá expor a personalidade do paciente, através da interpretação proposta. As manchas não têm um significado “certo” e na sua seleção deve à flexibilidade de interpretação como um factor fundamental.

Na interpretação, o terapeuta não deve nunca referir o borrão de tinta, devendo decorrer como se o profissional estivesse a analisar um sonho.

Na interpretação propriamente dita, se o paciente focar a sua leitura apenas numa pequena parte do borrão isso indica uma “personalidade obsessiva”, se descortinar figuras metade humanas, metade animais, isso indicará esquizofrenia, pelo menos segundo alguns psiquiatras, não havendo contudo absoluta concordância quanto a estas leituras… Em suma, não devemos considerar que este teste tem um valor absoluto, ou dogmático. As duas interpretações acima exemplificadas são relativamente aceites na comunidade cientifica, mas não não sinais certos (e isolados) de esquizofrenia ou de obsessão, dependem de um quadro mais geral e devem sempre seguir o principio de que os Testes de Roschard são sobretudo guias de interpretação, uma espécie de “sonhar acordado”, executado na presença do terapeuta e logo, possibilitando-lhe um alto grau de observação, impossível de igualar nas experiências oníricas convencionais.

Fontes:
http://brazil.skepdic.com/rorschach.html
http://www.psychologicalscience.org/newsresearch/publications/journals/sa1_2.pdf

Categories: Psicologia, Saúde | Etiquetas: | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: