Daily Archives: 2009/11/05

Consolidam-se os sinais de retoma nos EUA. Mas, serão sólidos ou inquinados pela base?

Nos EUA, pela primeira vez desde que começou a presente recessão mundial, em meados de 2008, foi registado um crescimento do Produto Interno Bruto de 3,5% no último trimestre.

Já havia sinais e previsões que em meados de 2009 antecipavam a retomada da maior economia do mundo, mas agora estes 3,5% vêm confirmá-los. Aparentemente esta retomada assenta novamente no estafado (e perigoso) rumo do aumento do consumo privado (em particular no setor automóvel) e no investimento (transitório) do Estado no setor da construção. Ora estes dois pilares são extremamente frágeis porque se baseiam ambos num aumento de endividamento que parte já de patamares extraordinariamente altos e insustentáveis a curto prazo. É este ciclo vicioso consumo-endividamento que há que quebrar e que existe apenas para sustentar níveis sempre crescentes de consumo em sociedades onde os rendimentos do Trabalho estagnaram desde a década de 60. Os rendimentos do Trabalho devem acompanhar os crescimentos da produtividade, devem de servir de fundamento para o consumo das famílias e o endividamento deve ser de investimento, não e consumo, porque só este é verdadeiramente virtuoso, isto é, multiplicador e criador de valor.

As sociedades modernas estão doentiamente dependentes do endividamento das famílias e de uma “coisificação consumista” perniciosa para o Ambiente e insuportável a prazo num planeta de recursos necessariamente finitos. A fonte dos recursos familiares não deve ser a dívida, mas o trabalho e o setor financeiro deve ser expulso do papel central e quase totalitário que ocupa hoje nas economias, colocando-o no seu verdadeiro lugar de assistente e colaborador na geração de Valor… Não é contudo isso que está a acontecer nesta “retoma”. Tudo permanece basicamente na mesma e apesar de toda a verborreia dos políticos, o setor financeiro, a armadilha incompreensivelmente complexa dos mercados financeiros persiste e com ela… A ameaça latente da fragilidade de uma retoma que tem lugar sem que nada de essencial tenha ainda mudado no sistema económico.

Fonte:
http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1405190

Anúncios
Categories: Economia, Política Internacional | Etiquetas: | 4 comentários

Quids S17: Que projeto de carro é este?

asa1112

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos.

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S17 | 6 comentários

QuidExtra! Dez perguntas sobre Economia

Como prometido nas novas regras…

Cá vai um QUID EXTRA !

Ainda meio experimental, pelo que peço que sejam condescentes com eventuais anomalias mas…

valendo já os 3 pontos da regra!

NOTA: Usem os vossos nicknames habituais neste QuidExtra!

Regras:

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 21:00 e as 24:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30) ou mais cedo, se possível. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 20 pontos.

6. A qualquer momento, poderão sair “QuidsExtra” de texto ou de imagens, com as mesmas regras dos demais, mas sem limite de dia ou de hora. Estes quids valerão sempre 3 pontos e correrão até que um nickname novo, num IP novo, chegue aos 100%

7. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S17 | 13 comentários

Espanha está a secar os rios portugueses. Impunemente. De novo.

Depois de décadas em que os governos portugueses se têm limitado a ecoar um gritante silêncio perante sistemáticas violações por parte de Madrid de todos os acordos e tratados internacionais, finalmente aparece um governo (e ainda por cima minoritário) que lá ensaia um leve arrufo e faz saber que “Espanha não cumpriu o acordo das águas e reteve 200 milhões de metros cúbicos do Tejo.”

Este primeiro vago suspiro de protesto ocorre no momento em que os níveis de água do Tejo alcançam valores recorde. Zonas do rio há muito submersas, são expostas pelo baixo caudal e pragas de algar verdes estendem-se por dezenas de quilómetros.

A continuação da redução dos caudais dos rios internacionais – que nascem em Espanha – está já a colocar em risco os ecosistemas que grande parte do nosso território e se estes colapsarem, é a ruína para o que resta da economia do interior de Portugal. Orlando Borges do Instituto da Água admite que só nos primeiros dias de outubro, os espanhóis só deixaram passar 2500 milhões de metros cúbicos de água, menos 200 milhões do que se tinham comprometido no Tratado. E isto mesmo sem que os Espanhóis tenham os novos transvases do Tejo que estão agora a planear no seio da Junta da Extremadura para “salvar” o parque natural de “Tangas” (perdão: “Tablas”) de Daimiel. De facto, os espanhóis tencionam é desviar ainda mais água do Tejo para alimentar a sua agricultura industrializada, sacrificando o Tejo a um tal ponto que irá comprometer a própria existência de qualquer caudal significativo que chegue a Portugal.

Espanha, através de uma agricultura intensiva e industrial tão destrutiva e desregrada que levou Bruxelas a lançar um processo contra Madrid por “catástrofe ecológica”.

Se estes perniciosos planos espanhóis se concretizarem, Portugal tem o direito de apelar a Bruxelas, mas em negociação, pode prescindir de o fazer assim como – por exemplo – prescindiu de fazer valer os seus direitos quanto a Olivença… Espanha gosta de partilhar com Portugal tudo o que lhe dá benefícios, como o TGV (fundos de Bruxelas e empreitadas para empresas espanholas), um Mundial de Futebol (onde os estádios espanhóis terão muito mais espectadores), Mercados “ibéricos” da Energia e do Retalho onde as empresas espanholas exportam para Portugal e blindam a sua economia contra as nossas exportações. E agora querem tirar ao Tejo a água que lhe resta. A questão é: irão os nossos governantes persistir na sua docilidade canina aos interesses de Madrid, mesmo à custa do assassinato do maior rio português?

Fonte:
http://aeiou.expresso.pt/espanha-tira-agua-a-portugal=f544175

Categories: Política Internacional, Portugal | Etiquetas: | 11 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade