Daily Archives: 2009/10/26

Hoax (?): “Eu não tomaria a vacina H1N1 pelo simples risco do síndroma GBS”

Esta mensagem anda a circular pela Internet portuguesa, sob o título: “Eu não tomaria a vacina H1N1 pelo simples risco do síndroma GBS”

“– Neurologista Britânico
Um dos possíveis efeitos secundários da vacina H1N1 é o síndroma de Guillian-Barre, o síndroma que matou e incapacitou centenas da Americanos na campanha de vacinação H1N1 em 1979 com 500 casos confirmados deste síndroma, a vacina foi retirada do mercado 10 dias depois após vacinarem 48 milhões de pessoas, tendo feito mais vitimas que o vírus H1N1.
Este síndroma ataca directamente o sistema nervoso causando problemas de respiração, paralisia e até a morte.

Esta gripe é comparada à gripe Espanhola de 1919 que matou mais de 20 milhões de pessoas. A gripe Espanhola é falada referindo o numero de mortes e não o numero de contaminados. A percentagem de morte foi de 2,5% o que significa que 97,5% dos contaminados recuperaram. A actual gripe A tem uma mortalidade de 0,05, o que significa que 99,95% dos contaminados recuperam. Isto significa que não há necessidade de arriscar os efeitos secundários de uma vacinação.

Sabiam que a gripe Espanhola apareceu nos EUA após um programa de vacinação e que os únicos países não afectados foram os que não usaram essa vacina (info)?

Sabiam que o primeiro efeito da vacina da gripe sazonal é apanhar uma ligeira gripe? Qual será o efeito da nova vacina H1N1?

Sabiam que a primeira vacina há 150 anos para combater o Sarampo, desencadeou uma epidemia de Sarampo que matou centenas de milhares de pessoas?

Sabiam que a organização mundial de saúde pode depor governos de 194 países do mundo por forma a impor uma vacinação pela força em caso de recusa popular?
Os testes da vacina H1N1 já começaram nos EUA, mas não são testes em laboratórios, são testes em humanos onde as crianças estão a ser vacinas em casos específicos:
1- Com conhecimento dos pais: Quando os pais dão os filhos como voluntários para vacinação.
2- Sem o conhecimento dos pais: Quando autorizam a entrada dos filhos em desportos escolares, assinando autorizações sem as ler. Essas autorizações referem a vacinação teste como obrigatória.
Inglaterra recebeu já 200,000 doses para começarem a testar na população e nos humanos não há sociedades que nos protejam de testes médicos, como fazem aos animais.
Apesar de a gripe Suína em Inglaterra ter morto unicamente 5% em relação às que morrem de gripe normal, a vacina contra a gripe suína será obrigatória, a vacina normal não!
Ora se fosse para nos ajudar, tornariam a vacina normal obrigatória e não a Suína.
Nos EUA a loucura começou… Em alguns estados como Maryland, a vacina é obrigatória a todas as crianças, qualquer criança não vacinada não poderá frequentar a escola. Qualquer pai que se recuse a vacinar os seus filho, poderá ser preso por atentado contra a saúde pública. Mas em Massachusetts, quem recusar a vacina irá ser multado até 1.000 dólares por dia e em desobediência continuada será detido por 30 dias e vacinado compulsivamente.
Vocês podem recusar a vacina, mesmo que o estado a torne obrigatória. O Estado tal como a policia existem e actuam por consentimento, a população tem de consentir por forma a dar-lhe o poder. Não consintam, pacificamente digam NÃO se acham que o devem dizer.

Não há perigo, hoje afirmo-o. Se houvesse perigo da mistura entre o vírus da gripe suína e o vírus da gripe normal, teriam morrido milhões no hemisfério sul, sim pois o inverno está a acabar lá. Liguem a TV, alguém fala disso? Alguém vos diz que não existiram mortes fora do normal? No hemisfério sul nada aconteceu, tal como nada acontecerá aqui, mas a vacina tem efeitos secundários que podem até matar.
O inverno deles tem os mesmos efeitos que o nosso e os dados vindos de lá, apontam para um numero normal de mortes quer da gripe sazonal quer da gripe suína.

Vale a pena arriscar a saúde e a vida por causa de 0,05% de chances de contaminação mortal por H1N1?
Façam as vossas contas!”

Análise:

1. Existe mesmo um síndrome de Guillain-Barré ou polirradiculoneurite aguda. A doença é caraterizada por uma inflamação aguda com perda de mielina, um componente das membranas que permitem a transmissão do estímulo nervoso no sistema nervoso periférico. Este síndrome afeta em particular as transmissões nervosas na cabeça, pescoço e vísceras. A designação vem do nome de dois médicos franceses que em 1916 identificaram a doença. Nos anos seguintes, recolheram-se mais informações sobre a doença, e estabeleceu-se que problemas com os músculos dos membros e até a respiração, a deglutição, o trato urinário, o coração e os olhos, eram sintomas do ataque desta enfermidade. O síndrome tem um carácter auto-imune, em que o corpo do paciente acaba a fabricar anticorpos que atacam a sua própria mielina. Esta, é assim reduzida, e os nervos que a perdem deixam de poder transmitir sinais nervosos com a devida eficácia. Um outro sintoma correlacionado é a perda de sensibilidade na pele, quer de dor, quer de calor e frio, já que a perda de mielina reduz também a transmissão de sinais entre as extremidades nervosas e o sistema nervoso central. A incidência deste síndroma é relativamente elevada havendo entre 2 a 4 casos por cada cem mil habitantes, isto em condições normais. Mas nos finais de 1976, e no decurso de uma campanha de vacinação contra a gripe comum (Influenza), o programa foi interrompido e as autoridades sanitárias norte-americanas deram início a um “programa de vigilância” contra o síndroma de Guillian-Barre (GBS). A vigilância cobriu 1098 doentes com GBS e durou até 1977 tendo sido constatado que 532 destes doentes tinham efetivamente recebido a vacinação contra a estirpe A/New Jersey e 391 que não tinham recebido de todo qualquer vacinação. Dados epidemiológicos então recolhidos concluíram pela existência de uma relação entre a vacina e o GBS sendo esta relação especialmente notória entre a população adulta e masculina vacinada contra a gripe. Na época concluiu-se que haveria um ratio de 1 caso em 100 mil, havendo uma concentração deste risco nas cinco semanas imediatamente subsequentes à vacinação. Em suma, oficialmente não foi demonstrada uma relação entre o GBS e a vacinação. Na época, de mais de 12,5 milhões de doses de vacinas então administradas e a taxa de incidência foi muito inferior aos 0,05% de hipóteses referidas na mensagem…

2. A campanha de vacinação de 1976 foi efetivamente interrompida, mas em dezembro desse ano, não em 1979, conforme afirma a mensagem.

3. “mais vitimas que o vírus H1N1″ significa exatamente o quê? Mais vítimas mortais que a Gripe Sazonal nesse ano, nos EUA? Se assim é (e presumindo que este mail é uma tradução quase literal de uma mensagem originalmente elaborada nos EUA), nos EUA, todos os anos, e em média entre 5% a 20% da população apanha a Gripe sazonal, destes, mais de 200 mil são hospitalizados e 36 mil chegam a falecer, por complicações decorrentes da Gripe Sazonal! Só nos EUA! O síndrome de Guillain-Barré provocou a morte a pouco mais de mil doentes, nos EUA, logo não é mais perigoso que a própria vacina sazonal.

4. “Esta gripe é comparada à gripe Espanhola de 1919 que matou mais de 20 milhões de pessoas. A gripe Espanhola é falada referindo o numero de mortes e não o numero de contaminados. A percentagem de morte foi de 2,5% o que significa que 97,5% dos contaminados recuperaram. A actual gripe A tem uma mortalidade de 0,05, o que significa que 99,95% dos contaminados recuperam. Isto significa que não há necessidade de arriscar os efeitos secundários de uma vacinação. Sabiam que a gripe Espanhola apareceu nos EUA após um programa de vacinação e que os únicos países não afectados foram os que não usaram essa vacina (info)?”
A Gripe Espanhola foi de facto uma epidemia de Gripe que partindo de uma estirpe invulgarmente violenta e letal do H1N1 se propagou pela maior parte do globo. Este vírus exercia o seu poder assassino através de uma autêntica “tempestade de citocina“, ou seja, através de uma reação imunitária exagerada do corpo o que explicaria o facto da maior parte das vítimas mortais serem adultos, onde o sistema imunitário estaria já plenamente desenvolvido. A sua origem é ainda essencialmente desconhecida, pelo que não está de todo estabelecida a sua ligação com uma campanha de vacinação então ensaiado, ao contrário do que alega esta mensagem…  Se aqui já é duvidoso que a mensagem se mantinha nos limites da credibilidade, então, quando declara que “os únicos países não afectados foram os que não usaram essa vacina” então penetra totalmente no rumo do delírio absoluto. A Gripe Espanhola penetrou, por exemplo, no Ártico e até nas mais remotas ilhas do Pacífico Sul, paragens que então, não se encontravam tão facilmente acessíveis como o são hoje! No total, estima-se que a Gripe Espanhola causou a morte a entre 50 a 100 milhões de pessoas, em todo o globo, contaminando mais de 500 milhões de pessoas, ou seja, um espantoso (e temível) terço de uma população mundial que então rondava os 1,6 biliões de almas. Ou seja, até no campo do alarmismo a mensagem é errada… A Gripe Espanhola não matou 20 milhões de pessoas, mas mais de o dobro, ou até talvez o triplo desse número! A este propósito, um dos rumores que corre é que o vírus da Gripe A é o produto de uma experimentação a partir de tecidos congelados de vítimas da Gripe Espanhola…

5. “Sabiam que a primeira vacina há 150 anos para combater o Sarampo, desencadeou uma epidemia de Sarampo que matou centenas de milhares de pessoas?” A primeira vacinação contra o Sarampo,ocorreu em 1963. Isso não é exatamente, 150 anos… E não houve tal “morte de centenas de milhares de pessoas”. Simplesmente. Esse mito tem a sua fonte numa corrente anti-vacinas, de fundo na “medicina homeopática” e que ainda que tenha alguma relevância no contexto de uma vacina contra a Gripe A que efetivamente não passou por um processo de ensaios clínicos antes de ser injetada em milhões de pessoas (com a alegação que era muito semelhante à vacina contra a Gripe Sazonal) a verdade é que esta alegação quanto à primeira vacinação do Sarampo é pura e simplesmente falsa.

6. “Sabiam que a organização mundial de saúde pode depor governos de 194 países do mundo por forma a impor uma vacinação pela força em caso de recusa popular?”
De novo, estamos perante uma recomposição de uma mensagem e de uma alegação que corre na Internet pelo menos desde 2005. A teoria alega que a OMS (“World Health Organization”) tem desde 2005 que o poder para dissolver qualquer governo do mundo e assumir a governação em caso de “pandemia”. Estes países têm que ser membros da OMS. A alegação aparece profusamente em sites norte-americanos de extrema direita e de combate contra o “serviço nacional de saúde” de Obama.
O documento onde surgiria esta informação estaria aqui: http://www.scribd.com/doc/17484016/WHO-Checklist-For-Influenza-Pandemic-Preparedness-Planning?autodown=pdf com o título “WHO Checklist For Influenza Pandemic Preparedness Planning” que não refere nada semelhante, mas que pode ter estado na base deste mito/hoax, mas na página 15 aparece a frase:
“Durante uma pandemia, pode ser necessário ultrapassar as legislações existentes ou os direitos humanos (individuais). Exemplos são a aplicação de quarentena (sobrepondo-se à liberdade individual de movimentos), o uso de hospitais privados, a licença de drogas não licenciadas, a vacinação compulsiva ou a implementação de turnos em serviços de emergência.” A frase é grave, mas quem faz esta “ultrapassagem pela Direita” não é a OMS, mas os governos democráticos e eleitos e a frase consta num documento de “checklist” com recomendações da OMS para estes governos. Compreende-se a confusão, mas há aqui alguma má fé nesta interpretação…

7. “Os testes da vacina H1N1 já começaram nos EUA, mas não são testes em laboratórios, são testes em humanos onde as crianças estão a ser vacinas em casos específicos”
Isso não é exato… A vacina está a ser dada a crianças nos EUA (como no resto do mundo) porque estas fazem parte de um grupo de risco. Há uma parcela de verdade nesta frase, como de resto em todo este mail, mas apenas isso… De facto, como não houve um processo formal de testes clínicos, as crianças que recebem agora esta vacina estão a ser cobaias, mas daí a dizer-se que “estão a testar a vacina em crianças”, como daqui se quer inferir… Vai um grande salto. A vacina está a ser testada efetivamente em todos os que a tomam, havendo a convicção nas entidades oficiais que o risco é baixo porque a vacina é (diz-se) muito semelhante à da Gripe Sazonal e os efeitos secundários e os seus riscos são bem conhecidos, logo, esta vacina pode dispensar esse processo lento e cuidadoso de testes clínicos.

8. “Em alguns estados como Maryland, a vacina é obrigatória a todas as crianças, qualquer criança não vacinada não poderá frequentar a escola.”
Falso… Como se pode ver aqui. Isto não quer dizer que não possa ser assim num futuro próximo, mas atualmente não é verdade. E se se fala de Maryland aqui é porque este foi o primeiro Estado dos EUA a receber duas mil doses, a serem administradas nas escolas públicas de Baltimore City, Baltimore County e Harford County. Mas deixando aos pais o direito de recusarem a vacinação e sem penalizações em caso de recusa. Estas crianças são prioritárias nesta primeira vacinação, mas não são algo obrigatório…

9. “Se houvesse perigo da mistura entre o vírus da gripe suína e o vírus da gripe normal, teriam morrido milhões no hemisfério sul, sim pois o inverno está a acabar lá. Liguem a TV, alguém fala disso? Alguém vos diz que não existiram mortes fora do normal? No hemisfério sul nada aconteceu, tal como nada acontecerá aqui, mas a vacina tem efeitos secundários que podem até matar.”
Aqui a mensagem é completamente verdadeira… O Inverno Austral já terminou e de facto, não houve mais mortes aqui por Gripe A do que por Gripe Sazonal. Na Argentina, terão morrido um pouco menos de 500 pessoas, e na Austrália e Nova Zelândia esse número não chegou às duas centenas. Menos, de facto, do que as que morreram por sintomas relacionados com casos de Gripe Sazonal!

10. “Vale a pena arriscar a saúde e a vida por causa de 0,05% de chances de contaminação mortal por H1N1?”
Essa é que é a verdadeira questão… A própria OMS admite no seu mais recente “update” sobre a Pandemia que “até 17 de outubro de 2009, em todo o mundo houve mais de 414 mil casos confirmados laboratorialmente e perto de cinco mil mortos”. Ou seja… O tom da frase desta mensagem confirma-se, ainda que possa haver alguma divergência quanto à mortalidade percentual da Gripe A. Dos infetados, no mundo, 0,7% vêm a falecer de complicações decorrentes, com extremos estatísticos como o Brasil (mais de 4%) e Reino Unido (menos de 0,02%), variações que se prendem sobretudo com a qualidade da prevenção, o Inverno Austral e a eficácia dos sistemas públicos de Saúde. Ou seja, o tom continua correto, mas… A taxa de mortalidade pós-infeção é de facto superior ao afirmado.

Em Suma:
O tom da mensagem é alarmista, incorre em diversas inverdades intencionais e no geral, não merece grande crédito.

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Timeline_of_vaccines
http://en.wikipedia.org/wiki/1918_flu_pandemic
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/463869
http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Guillain-Barr%C3%A9
http://www.cdc.gov/flu/keyfacts.htm
http://www.examiner.com/x-17574-Harford-County-Education-Headlines-Examiner~y2009m10d25-Prioritize-H1N1-vaccine-to-young-children-and-pregnant-women
http://dhmh.maryland.gov/swineflu/getVaccinated.html
http://www.healthyscepticism.org/global/news/extra/hsin2009-10pt
http://www.who.int/csr/don/2009_10_23/en/index.html

Anúncios
Categories: Ciência e Tecnologia, Saúde, Sociedade | Etiquetas: , | 326 comentários

Quids S16: Que sonda era esta?

aass2222

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 30 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S16 | 13 comentários

O telescópio espacial Herschel começou a enviar imagens para a Terra

O Telescópio Espacial Herschel (http://www.stfc.ac.uk)

O Telescópio Espacial Herschel (http://www.stfc.ac.uk)

O telescópio espacial Herschel começou a enviar imagens para a Terra. Entre estas encontram-se imagens da Via Láctea na banda dos infravermelhos.

O Herschel é uma missão europeia, da ESA, com a colaboração da NASA que tem como objetivo observar o firmamento na banda dos infravermelhos. O satélite tem dois instrumentos que captam imagens em dois comprimentos de onda infravermelhos distintos, em simultâneo.

O Herschel é capaz de detetar o calor mesmo dos objetos mais frios que se podem observar a partir da Terra. E os cientistas começaram por o apontar para o gigantesco núcleo da nossa galáxia, o local onde nascem novas estrelas… Nos telescópios normais, é difícil captar imagens nítidas dessa região, devido à saturação de luminosidade, mas o Herschel consegue dar aqui um grau de detalhe inédito e já permitiu apurar que esta região é morfologicamente muito mais rica e diversa do que se pensava. E o telescópio está apenas a começar a sua vida útil, acabando de sair da fase de testes e calibrações que se seguiu ao seu lançamento há meses atrás! Muito mais revelações nos irá oferecer, certamente…

Fonte:
http://www.space.com/scienceastronomy/091002-herschel-galaxy.html

Categories: Ciência e Tecnologia, SpaceNewsPt | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade