A China diz que vai alterar o seu polémico “sistema de doação de órgãos”

A China diz agora que o seu polémico sistema – único no mundo – de “doação” de órgãos vai ser alterado. Atualmente, a principal fonte de órgãos humanos – 90% segundo a OMS – são os prisioneiros executados por pena capital, uma fonte abundante, se tivermos em conta que a China é o país que mais pessoas executa por ano, tendo sido mortas em 2008, 1718 segundo a Amnistia Internacional.

Apesar desta fonte regular, na China 4 em 5 pacientes morrem esperando órgãos vitais e as doações regulares sempre estiveram fora das tradições populares. Ora apesar desta carestia, a existência de autenticas “excursões de turismo de saúde” até clínicas operadas pelo Exército no sul da China e na ilha de Hainan é conhecida, sendo sabido que ricos empresários japoneses fluem a estas paragens em busca de órgãos todos os anos…

Agora, perante a multiplicação das queixas internacionais Pequim quer reformular o seu sistema de “doações civis e voluntárias” e instalar em todos os hospitais “escritórios de doações” que as patrocinem e divulguem. Infelizmente, a China onde tradições absurdas são ainda muito poderosas: o consumo de partes de animais tem contribuído para a extinção de elefantes (marfim), rinocerontes (cornos), tubarões e a inefável “medicina chinesa” tem até devorado (literalmente) múmias egípcias com uma insaciável avidez por causa das suas supostas capacidades curativas. Entre estas superstições há também crenças de que o corpo do falecido pertence aos seus pais e que doar parte dele é um de profundo desrespeito. O peso desta crença é tremendo e explica porque é que em 2008 num país com mais de 1,3 biliões de habitantes apenas houve 36 doações voluntárias, e este ano apenas se registaram ainda 10!

Na China, as execuções são feitas com uma bala na nuca, de forma a minimizar os danos em órgãos “comercialmente”, mas nos últimos anos as autoridades locais estão crescentemente a usar injeções letais, porque mantêm também os órgãos internos, mas permitem uma melhor preservação.

Só em 2007 é que a China lançou leis que proíbem o pagamento por órgãos e o “turismo dos transplantes” e atualmente os nacionais chineses têm prioridade. Apesar disso é sabido que membros do partido conseguem prioridade e que continua a haver um mercado negro onde um rim custa 55 mil euros e um fígado mais de 130 mil euros. De facto, o problema continuará a existir enquanto a China não for uma democracia em que o povo possa repelir pela via do voto governantes corruptos. Educação cívica, assim como um combate contra a corrupção e o enriquecimento ilícito, a todo o custo, terão também que fazer parte da solução para esta situação incrível que degrade a imagem da China.

Fonte:
http://www.irishtimes.com/newspaper/health/2009/0929/1224255431878.html

Categories: China, Saúde, Sociedade | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “A China diz que vai alterar o seu polémico “sistema de doação de órgãos”

  1. Caro Quintus,

    Não aconselho a leitura e a visualização do artigo que envio a pessoas com tendências depressivas, mas é preciso que se conheça este lado da sociedade chinesa dos dias de hoje:

    http://oglobo.globo.com/blogs/gilberto/post.asp?t=a-incrivel-historia-da-sopa-de-feto&cod_Post=127911&a

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: