Sobre os (falsos) números do Desemprego em Portugal

Não há dúvida que os números do Desemprego em Portugal são uma treta. Não contemplam todos aqueles que estão em efetiva situação de Desemprego e segundo um artigo recente do Correio da Manhã, haveria pelo menos 125 mil desempregados fora dos números oficiais. Se todas estas pessoas fossem contabilizadas – como deveriam ser – então a taxa de Desemprego seria não estes artificiais 9,1% mas 11,2%…

O Correio da Manhã cita um trabalho do economista Eugénio Rosa que prova que quer o INE, quer o IEFP, subavaliam os números do Desemprego… Com esta reavaliação teremos assim em Portugal já, o esmagador número de 635 mil desempregados!

É preciso parar com esta palhaçada ridícula que são estas contabilidades falsas dos números do Desemprego, martelados para apresentar números falsos e adulterados à população. O INE acha que basta trabalhar uma hora num mês, para zás: estar empregado e no IEFP contam-se apenas os inscritos nos centros de Emprego, apagando todos os demais, num número que se estima superior a 300 mil pessoas!

Como resolver o problema número um da sociedade e da economia portuguesa: o Desemprego, se insistem em não reconhecer a verdadeira escala da sua gravidade?

Fonte:
http://dn.sapo.pt/bolsa/interior.aspx?content_id=1350793

Categories: Economia, Política Nacional, Portugal | 9 comentários

Navegação de artigos

9 thoughts on “Sobre os (falsos) números do Desemprego em Portugal

  1. Lusitan

    Os números não enganam só para um lado. Do outro lado temos gente com emprego que declara ser desempregada para poder receber todo o tipo de subsídios.

  2. Pedro Alves

    Efectivamente, a informação aqui divulgada por este senhor está totalmente certa. Cada vez mais milhares e milhares de portugueses entram todos os dias no desemprego. Um situação que se agravou ainda mais com a actual situação de crise à escala global. Mas meus senhores, o governo actual, mais concretamente nestes ultimos 4 anos desempenhou um papel extremamente activo no combate às desigualdades sociais, ao apoio ás familias mais carenciadas, apoio a um elevado numero de estudantes e além demais criou novos apoios sociais que permitiram às classes mais necessitadas uma nova perspectiva de vida. Podemos afirmar que é pouco, que em nada resultou, no entanto as tentativas foram feitas e as medidas foram aplicadas. È então preciso nao esquecer que cabe a cada familia a sua propria gestão que por vezes nao é a mais adequada, bem como o Lusitan afirmou ” temos muita gente com emprego que declara ser desempregada para poder receber todo o tipo de subsidios”. Responde-me agora o senhor que entao o importante é haver uma maior fiscalização. E eu digolhe que tem toda a razao… mas nao se esqueça do seguinte… todos se queixam do actual governo, todos criticam, mas as pessoas não têm a minima consciência nem vivem uma cidadania responsavel capaz de perceber que os subsidios que recebem estando empregadas é dinheiro que sai do Estado, apoio social. Logo aqui se verifica uma injustiça social, se umas recebem injustamente, muitas não recebem. Por isso, nao basta apenas criticar e deitar abaixo quando está aos olhos de todos que vivemos num pais em que todos falam de politicos corruptos mas nao se lembram da corrupção que fazem em relaçao ao que declaram no centro de emprego. saudações camaradas.

  3. há maroscas, claro. O português não é infelizmente conheido pelo seu alto padrão médio de civismo e responsabilidade social… é muito generoso e humanista, mas pouco dado a respeitar a Res Publica e a Civitate…
    Isto contudo não descarta algo: os números são falso e a esmagadora maioria destas pessoas não recebe um tostão de subsídios. Sei do que falo em direta pessoa. Tenho um caso exatamente assim aqui em casa.

  4. Fenix

    Para não taxarem os ricos e a banca e as grandes empresas andamos nos o povo a viver na miseria.Eu tinha dito noutro post que desenmprego iria subir e que muitos dos numeros estava debaixo do tapete. E agora digo que este codigo de trabalho foi premeditado e que havia gente importante a saber que a crise mundial a ai vinha o que torna complices desta meseria.Espero que arrage depressa trabalho boa sorte.

  5. carloto

    o governo tem muitas culpas no cartório temos o exemplo dos 130 despedimentos do casino estoril em que a inspecção do trabalho detectou irregularidades e o governo nada faz será por atilio forte estar no casino estoril e ser do ps.

  6. quem sabe?… ou por pura incompetência, que é o mais provável…

  7. silva

    Aonde está a justiça o juiz do tribunal de cascais decide sobre a providencia cautelar do despedimento colectivo de 112 familias do casino estoril no dia 22 – 06 -2010
    Este sr. juiz o mesmo da primeira providencia cautelar disse que estas providencias cautelares entraram atrasadas o juiz que da primeira disse que entrou cedo demais isto é a justiça que temos e bem diz o bastonário dos advogados não há justiça em portugal caro AMIGO.
    Ministério do trabalho não quer saber , Fiscais do trabalho viram as ilegalidades no terreno mesmo dentro do casino estoril e nada fazem , Juiz que contra-diz as suas sentenças por fim
    Politicos de todas as partes em portugal que tapam os ouvidos fecham os olhos e nada fazem sobre o desemprego em portugal e em concreto sobre o despedimento colectivo e selvagem o de 112 familias do casino estoril .
    A minha unica razão de viver neste país é que esta podridão de governo e compadrio tambem morrem não ficam eternamente sobre a terra .
    ISTO NÃO SE FAZ EM PAISES CIVILIZADOS.

  8. não se faz, mas faz.
    um dos grandes problemas de Portugal são os Juízes… apressadamente formados, em muitos casos!

  9. joao dias

    E por falar em juizes , é uma vergonha que num pais como portugal , um trablhador que participa activamente na produção de riqueza ( operario fabril , operario agricula , operario dos sectores da pesca etc etc…) , tragam ordenados de quatrocentos e cinquenta euros todos os meses para suas casas , só tenham reformas aos 65 anos , e pelo contrário , os juizes , que não participam activamente na produção de riqueza para portugal , tenham salários de três mil a sete mil euros mensais , é uma vergonha , mas nestes tachos ninguem fala , estes senhores são intocaveis , mas pelo contrário corta-se subsideos de desemprego a quem sempre trabalhou e participou activamente na riqueza do pais , é uma vergonha !!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: