O Teletrabalho pode poupar até uma hora e um quarto por dia

Desde há muito que sou um fervoroso adepto das virtudes do Teletrabalho. Segundo um estudo da empresa de comunicações Avaya, o teletrabalho poupa até uma hora e um quarto por dia, tempo recuperado a partir da poupança média em viagens de ida e volta para o emprego e para casa. Naturalmente, alguns dos trabalhadores – quer por pressão do Empregador, quer por vontade do próprio – optaram por passar esse tempo extra com a família, outros a trabalharem ainda mais horas e outros simplesmente, em tempos de lazer…

A adopção generalizada de métodos de teletrabalho poderia aumentar significativamente a produtividade da economia portuguesa. Não pela via “bruta” do simples aumento aritmético do número de horas trabalhadas, mas porque havendo maior qualidade de vida, menor cansaço criado por horas dentro de transportes sobrelotados e automóveis em “pára-arranca”, os trabalhadores estariam em melhores condições psicológicas para cumprirem com eficiência e qualidade as suas tarefas. A adopção do Teletrabalho iria também reduzir a crónica fatura energética do país, ao reduzir os gastos em combustíveis e energia de forma muito significativa…

Atualmente, segundo o inquérito internacional “Flexible Working 2009”, que congrega 3500 respostas de trabalhadores dos EUA, França, Alemanha, Itália, Rússia e Reino Unido, 19% destes trabalhadores exercem a sua atividade laboral fora do seu escritório, durante 5 dias por semana, e outros 16% fazem-no de forma mais variável, consoante com as necessidades das suas organizações. Em Portugal, empresas multinacionais como a HP e a Microsoft já mantêm uma parte da sua força de trabalho em regime de teletrabalho.

Falta ainda o enquadramento legal que permita que as empresas invistam de forma mais sistemática no teletrabalho. Neste contexto, a Gripe A poderá dar o devido impulso, já que muitas empresas elaboraram planos de contingência em que os trabalhadores em quarentena, trabalham a partir de casa, com portáteis e ligações seguras por Redes Privadas (VPN). Se tal necessidade levar à activação destes planos e se estes se revelarem bem sucedidos ao manterem em funcionamento empresas que de outro modo ficariam imobilizadas, então terá sido dado pela via do exemplo, um impulso decisivo à disseminação do teletrabalho entre nós: com benefícios para as empresas (mais horas de trabalho e maior produtividade), para os trabalhadores (mais horas para descanso e lazer) e até para o clima e para o déficite da Balança Comercial de Pagamentos (menos importações de combustíveis). Tudo parece positivo… Mas há que acautelar que nem todas as pessoas e nem todos os tipos de trabalho se adequam ao teletrabalho…

Fonte:
http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1396744

Categories: Economia | 4 comentários

Navegação de artigos

4 thoughts on “O Teletrabalho pode poupar até uma hora e um quarto por dia

  1. Nuno Santos

    Não proprimente a minha ideia de trabalho…espero que não fumem e que tenham a janela aberta ao longo desse tempo porque senão mais vale emigrar para china e trabalhar numa empresa chinesa as condições são as mesmas.

  2. mas o local de trabalho será a nossa própria casa… ou uma divisão dela, melhor dizendo.
    as vantagens são tremendas… não importará tanto as horas que se trabalham, mas o que efetivamente se faz e a qualidade com que se faz.
    podemos trabalhar melhor e… menos.
    com muito menos custos, para todos.
    aqueles a quem este modelo se pode aplicar, que não são todos, infelizmente.

  3. Nuno Santos

    Contimuo pensar que melhor é nem trabalhamos;Mas ninguem me ouve.O trabalho em casa claro que tem as suas virtudes claro que também tem os seu defeitos so espero que daqui a uns tempos não leiamos nas noticias que mãe esqueceu de criança na maquina de lavar no meio de uma renião de trabalho virtual.Ou que os vizinhos reclamem com barulho do computador tantas horas ligado.São modas que vou continuar a feneficiar os mesmo…aparte ecologica na economia de combustives fossis é algo posssitivo mas ainda é muito pouco e isso so lá vai com mudanças radicas, de politicas economicas e sociologicas na maneira de nos sere humanos vermos o mundo.Mas eles ainda estão muito cegos pelo capitalislo.

  4. ah sim… o sonho e Agostinho da “via gratuita”… viável, mas só após uma radical reestruturação da sociedade e economia… com a automatização plena da produção, com a contenção restrita da demografia, e provavelmente apenas possivel… com uma expansão do Homem ate ao Espaço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: