Destaque no Notícias Lusófonas: “O Movimento Internacional Lusófono e as eleições portuguesas”

«A governação de um país, qualquer que ele seja, deve obedecer sempre a uma visão estratégica. Na perspectiva do MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO, conforme resulta da nossa “Declaração de Princípios e Objectivos”, bem como de outros documentos que temos emitido, essa visão estratégica para Portugal passa por uma progressiva convergência entre todos os países lusófonos, para benefício de todos eles, de todos nós.»

«Após o estudo dos programas eleitorais dos partidos concorrentes às próximas eleições legislativas, bem como das respostas ao inquérito que realizámos aos mesmos, constatamos que nenhum deles assume essa convergência lusófona como o eixo da sua visão estratégica para Portugal. Há apenas algumas medidas avulsas, como, por exemplo, no Programa do Partido Socialista, a criação do Estatuto de Cidadão da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), que vai, em parte, ao encontro da petição do MIL que defende o “Passaporte Lusófono” (http://www.gopetition.com/online/20337.html).

Dizemo-lo, note-se, sem com isso querermos entrar no jogo partidário. Do mesmo modo que nos assumimos como trans-nacionalistas, em prol dessa convergência lusófona, assim também nos assumimos como trans-partidários, na premissa de que essa visão estratégica para o país deverá ser assumida, ainda que de forma diversa, por todos os partidos. Difundir essa visão estratégica, eis, tão-só, o que o MIL pretende.»

Fonte:

http://www.noticiaslusofonas.com/view.php?load=arcview&article=23948&catogory=Comunicados

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Nacional, Portugal | 14 comentários

Navegação de artigos

14 thoughts on “Destaque no Notícias Lusófonas: “O Movimento Internacional Lusófono e as eleições portuguesas”

  1. Nuno Santos

    Eu penso que esta linha não passe apenas de promesas do dito partido.Como é que partido que defende audivelmente o tratado de lisboa pode por outro lado defender tal promesa?!Sei que feijão frade é tipico de Portugal e da terra do dito primeiro “Castelo Branco” e conhecido pelas suas duas caras propria das politicas mentirosas desse partido. Porque a verdade não dá votos. Também conhecido por feijão carrapato na beira baixa. Estes carrapatos politicos que agarram ao poder como o dito bicho e sugão a nossa paciencia.Não tem ideias proprias nem ligam á palavra que para eles fica ao vento. Temos graves problemas.O primeiro é que foi um erro termos entramos na união europeia mas ninguém fala nisso.A globalização dos mercados destruio postos de trabalho baixa o comsumo e os ordenado mas ninguem fala nisso.Falam da crise finaceira americana so que é uma gota de água para aquelas que estão para ai vir.

  2. Nuno Santos

    Falam em ajudas micro medias empresas sofucadas pelos impostos quando não se taxar as grandes e banca incorrencias politicas assim como partidos de direita como PS;PPD e PP são os partidos do trabalhadores essa é para rir de cair para chão.Sejamos claro o PP defende a pseunobreza,clero milinario PPD PS defende brugesia abastada e a esquerda o povo aqueles que vivem dos ordenados.

  3. do “centrão” é melhor nem falar… se alguém é responsável pelo estado a que chegámos, são eles…
    das extremas… falam apenas porque não podem governar e se podem… tentam não poder!
    que resta?…
    voto em Branco?
    os pequenos partidos?
    ainda não me decidi…

  4. Nuno Santos

    Vou voltar na CDU “nos verdes” pois acabo de ouvir um euro deputado do bloco a dizer mal dos euro ceticos tiveram a passo de levar o meu voto.

  5. Afoito

    o maior erro de qualquer país é a perda de soberania.

    Passaporte Lusófono é um perigo para a soberania de Portugal.

    a realidade de países lusófonos

    analfabetismo dos países lusófonos

    Guiné-Bissau, a taxa é de 63% da população

    Angola, 58%

    Moçambique, 52%

    Timor Leste, 40%

    Cabo Verde, 25%

    São Tomé e Príncipe, 20%

    Brasil é de 10,2% da população com 15 anos ou mais

    http://www.nosrevista.com.br/2008/08/31/taxas-de-analfabetismo-entre-paises-de-lingua-portuguesa-vao-de-102-a-63/

    a conseqüência de uma população analfabeta de imigrantes em Portugal:

    “In the space of one year 69 percent of the immigrant population in Portugal has been affected by unemployment, while within the Portuguese population the figure is 30 percent.”

    “In Portugal unemployment has most affected African and Portuguese-speaking immigrants, including Brazilians, while the number of Eastern Europeans without a job has actually decreased.”
    http://www.the-news.net/cgi-bin/google.pl?id=1027-22

    as estatísticas não são uma provocação, mas uma realidade para todos.

  6. é uma opinião que respeito, mas da qual discordo frontalmente.

  7. Nuno Santos

    Mas que soberania?Portugal vendeu a sua soberania a esta europa mas ai já não se fala perda de soberania.O passaporte lusofuno é uma afirmação multicultural unica entre pessoas que falam a mesma lingua e não tem fronteiras nacionais.Um passo muito importante para uma união lusofona.Os analfabetos são tão cidadaos Portugueses como qualquer doctor é o que diz a contituição Portuguesa por outras palavras. Acho que á certos nichos na sociedade Portuguesa que tem problemas em se indentificar com o que lhe é mais proximo aqueles que falam a mesma lingua por acharem inferior ser lusofono a ser europeu.

  8. Afoito

    Estou plenamente consciente de analfabetismo em Portugal.

    E é uma questão muito séria em relação com uma democracia e para o bem estar dos seus cidadãos em Portugal ou qualquer outra nação especificamente, lusofonia.mas a minha preocupação aqui é Portugal.

    Por isso, é lógico que o lusofuno passaporte irá criar ainda mais problemas em Portugal.especialmente por causa da luta contra o analfabetismo em Portugal.

    Os problemas da lusofonia não é problema de Portugal.Cada nação da lusofonia e os seus cidadãos devem ser responsáveis por seu país.Portugal só pode fazer para a lusofonia é liderada pelo bom exemplo.

    O maior problema que tem a lusofonia e corrupção:

    Percepção da Corrupção http://report.globalintegrity.org

    Percepção da Corrupção (IPC) – O mapa interativo do mundo
    http://edutube.org/interactive/corruption-perception-index-cpi-interactive-world-map

    Se você tomar o tempo e ler as estatísticas,você vai ver que a lusofonia para além de Portugal situa-se o pior.Depois de muitos anos de ditadura em Portugal, embora lento está a fazer progressos.
    E esta é a melhor maneira em que Portugal pode oferecer lusofonia

    Voltar à corrupção para um pouco, olhar para o caso de Angola:

    Em 2002, o Fundo Monetário Internacional encontrou o governo angolano não poderia ser responsável por mais de E.U. $ 900 milhões em 2006 devido a “corrupção generalizada”. Amianto de Almeida, porta-voz do Ministério das Finanças, negou qualquer inconsistência financeira existiu. [7] (Transparência Internacional TI) Percepção da Corrupção (IPC) para 2003, encontrou os governos de Angola e Zimbábue, o mais corrupto da África Austral. Em uma escala de 0 a 10, com 0 o mais corrupto e 10 o mais transparente, TI avaliado Angola 1,8 e 2,3 Zimbabué, alguns dos melhores índices de corrupção no mundo. [8] Em 2004, a Human Rights Watch descobriu que o governo não poderia conta para E.U. 4 bilião dólar gasto entre 1997 e 2002 [9]. Transparência Internacional classificou Angola 142 de 163 países no Índice de Percepção da Corrupção apenas depois da Venezuela e antes de a República do Congo, com um rating de 2,2 [10]. The Heritage Foundation deu 47,1% uma “classificação” livre “em seu Índice de Liberdade Econômica, em 2008 [11].

    Negócios são corruptos em Angola [12].

    http://en.wikipedia.org/wiki/Corruption_in_Angola

    O Movimento Lusofono deve fazer e tem que fazer é organizar-se para informar e comunicar que são conhecidos por terem baixos índices de prática da democracia, a corrupção e combate analfabetismo é claro que isso deve ser feito de análise de dados e não ideologia.

    A questão real e moral para a Lusofonia não é um passaporte lusofuno “, mas a qualidade de vida dos cidadãos de qualquer país da lusofonia.e isso só é combatida por não ajudar, mas de ensino.

    “O comércio, paz, amizade e honesto com todas as nações – enredar alianças com ninguém”. ~ Thomas Jefferson

    P.S Você pode discordar, mas as estatísticas não mentem.

  9. a corrupção em Angola (e sobretudo nas mais altas camadas da política local) é bem conhecida.
    Ela resulta – em primeiro lugar – da baixa Educação e da nula educação cívica da população. Colmatando um, o outro problema iria… quem viotaria nesses corruptos que voam em torno e na familia Dos Santos, sabendo o que eles efetivamente são?
    Portugal É a Lusofonia.
    Não é Europa, nem OTAN, nada disso.

  10. Nuno Santos

    Nessas estatisticas não deve estar os numeros dos autores desta crise mundial que eu saiba foi nos estados unidos da america. isso também não é corrupeção?!E que eu saiba não era analfabeto nem quem lá pos o dinheiro.À curropeção em todo mundo e quanto maior for o poder das empresas e ouver mais riqueza maior corrupeção havera e maior dificuldades teram em dectetala e mais imune fica á justiça . Por isso os numeros baixos nos paises ocidentais.Estas estatiscas juntam tudo no mesmo saco a baixa corrupeção propria da pobreza e a alta corrupeção propria dos estados das empresas e poder local esta ultima movimenta 3000% mais em dinheiro do que baixa corrupeção mas so cerca 1% a nivel mundial é dectetado.

  11. a corrupção é muito mais que um ato de violação de uma Lei… é uma atitude e uma expressão da formação cívica de cada povo.
    por isso ela é tão baixa nos países escandinavos e tão alta nos mediterrânicos…

  12. Afoito

    Nuno Santos, não distrair o tópico em que estamos a falar.e estamos a falar da responsabilidade de cada nação na lusofonia.Parece que sua resposta foi feita emocionalmente do que o raciocínio com o diálogo.

    Clavis Prophetarum,

    Portugal é Portugal

    a responsabilidade de Portugal está a ter uma elevada qualidade de vida para todos os seus cidadãos, não importa se eles são ou não ética português,obviamente ..

    Os países que falam português não são da responsabilidade de Portugal mais a responsabilidade da nação individuais e os seus cidadãos.

    o “Passaporte Lusófono” irá causar mais problemas em Portugal por causa de pessoas que entram em Portugal especificamente por causa analfabetismo e analfabetismo funcional de lusofonia.É lógico que Portugal deve fazer mais para combater as suas próprias problemas dos cidadãos com o analfabetismo e analfabetismo funcional.

    Eu esqueci de mencionar sobre analfabetismo funcional de lusofonia que ainda é estatisticamente superior ao analfabetismo em toda lusofonia.

    é claro que Portugal é uma nação muito mais estável do que o resto da lusofonia esta incluído o Brasil.
    Portanto, não é de admirar que país seria mais afectadas por este passaporte.

    Digo isso não por arrogância ou provaction mas a partir de dados e estatísticas:

    Índice de Qualidade de Vida
    http://en.wikipedia.org/wiki/Quality-of-Life_Index

    Índice de Desenvolvimento Humano
    http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dndice_de_Desenvolvimento_Humano

    (mas ainda assim Portugal tem muito mais trabalho a fazer)

    Eu vou repetir-me novamente a maior ajuda que Movimento Lusofono pode fazer é apresentar um relatório sobre os três grandes problemas da Lusofonia e que é a corrupção, analfabetismo e liberdade, especialmente quando se trata de lusa África.

  13. Nuno Santos

    O passaporte da lusofunia tem que ter regras circulação,nisso tou de acordo não pode ser como livre circulação europeia em relação ou trabalho .Portugal não tem capacidade para tal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: