Daily Archives: 2009/09/09

Ram Bahadur Bomjan, o novo Buda nepalês?

O Nome

No decurso do breve artigo que publicámos em Ram Bahadur Bomjan, o novo Buda nepalês? gostaria de regressar aquele que é um dos mais interessantes personagens da atualidade e que poderá bem ser a reencarnação do “Buda dos Tempos Futuros” antecipado pelas profecias orientais… Trata-se de “Ram Bahadur Bomjon” um nome que aparece também em fontes mais ligadas diretamente aos seus seguidores como “Palden Dorje”, já que esse é o seu nome budista propriamente dito.

Biografia

Ram Bomjan terá nascido a 9 de abril de 1990, no Nepal, mais concretamente na cidade de Ratanapuri, situada no distrito de Bara, no sul do Nepal. Ram Bomjan seria um membro da família dos Tamang, um descendente direto dos lamas Tamang que – conta a lenda – conseguiam voar, e cometer prodígios tão espantosos como falar com os animais, árvores e pássaros. Esta descendência vir-lhe-ía por via materna.

Os pais de Ram Bomjan eram agricultores. A sua mãe chama-se Maya Devi e casou aos 12 anos, uma idade comum neste região e teve desse casamento 5 filhas e outros 3 filhos, além de Ram Bomjan, que foi o seu terceiro filho. O primeiro fenómeno estranho na biografia de Ram Bomjan ocorreu ainda antes do seu nascimento, quando a sua mãe alegadamente pára de conseguir ingerir alimentos, sem que fique muito doente, algo que acontecia especialmente quando a mãe consumia alimentos à base de carne.

Já após o seu nascimento, nos primeiros anos de vida, Ram Bomjan desaparecia por longos períodos de tempo, sem que ninguém soubesse do seu paradeiro. Nessa idade, Bomjan exprimia grande contentamento quando encontrava um monge e tentava imitar a sua conduta. Frequentes vezes, parecia distante e pensativo, respondendo a perguntas com um simples sorriso.

Na escola, foi sempre um bom aluno, ainda que brincasse muito pouco com as outras crianças, estando absolutamente só durante longos períodos. Preferia estar a ler escrituras budistas, em meditação e parecendo adorar uma árvore que se encontra nas imediações da sua escola. Foi observando esta atitude de devoção intensa que levou o seu pai a levá-lo até ao guru Samden Lama, estudando então o budismo a partir das escrituras do Lama Chhyoi. Esta formação religiosa inicial foi decisiva para que Ram Bomjan escolhesse seguir uma vida religiosa, que começou como discípulo de Som Bahadur Lama, na cidade de Sudha.

O seu mestre Som Bahadur relatou que foi um aluno muito obediente, muito amigável e sociável e que recebeu o grau de iniciação “Panchasheel”, cumprindo os cinco votos desta iniciação:
1. Não é possível matar animais (logo, recomenda um regime vegetariano)
2. Não roubar
3. Não mentir
4. Não alimentar pensamentos negativos sobre os outros
5. Não ingerir alimentos intoxicantes (álcool, drogas, café, etc)

Ram Bomjan recebeu a “Panchasheel” juntamente com outros oito discípulos, contudo, ao contrário destes, optou por não cortar o cabelo. Foi no fim desta iniciação que passou a ser conhecido como “Palden Dorje”. Como os demais discípulos, passou um mês numa gruta, em meditação. Depois de um processo que treino que durou dois anos, todo o grupo terminou o seu trabalho com Som Bahadur e partiu para o local de nascimento de Buda, Lumbini, mas Ram Bomjan hesitou a partir, acabando por fazê-lo mais tarde. Quando todo o grupo chegou a Lumbini, após alguns dias, Ram Bomjan recusaria em regressar, partindo para a cidade de Dehradun para prosseguir aqui a sua educação religiosa junto de mestres budistas locais. Algum tempo depois, partiria para a cidade de Pokhasa, de novo em busca de novos mestres.

Teria sido em Pokhasa que adoeceria, parecendo paralisado. Os seus mestres ordenaram-lhe que regressasse a casa, até recuperar, o que fez. No seu regresso a casa, instou a sua família para que se abstivesse de matar qualquer animal e que eliminasse completamente o consumo de álcool, em cumprimento dos ensinamentos recebidos em Sudha. Após algum tempo, recuperaria, mas apenas para desaparecer de casa, sem que se conhecesse o seu paradeiro, a 16 de maio de 2005.

Historial

O período de meditação do jovem começou a 16 de maio de 2005, mas desapareceria a 11 de março do ano seguinte, reaparecendo longe de Ratanapuri a 26 de dezembro de 2006. Ram Bomjan tornaria a desaparecer em 8 de março de 2008, até que um grupo de policias nepaleses o encontraria meditando junto a uma árvore em 26 de março de 2007, não muito longe de Ratanapuri.

Relatos locais dão como certo que Ram Bomjan terá conseguido sobreviver a períodos de vários meses sem ter consumido nem qualquer alimento, nem sequer qualquer tipo de líquidos, como água. Um documentário do “Discovery Channel” mostrou Bomjan meditando entre as raízes de uma árvore durante cinco dias seguidos. Só por si, isso é um feito notável já que embora existam relatos de pessoas que sobreviveram semanas ou até mesmo meses sem qualquer alimento, suportar mais do que 24 horas sem água é praticamente impossível. É certo que se trataria de um “estado meditativo”, não de um que exigisse um elevado nível de atividade física. Nestes casos, 3/4 de um litros são indispensáveis. Para manter um padrão de atividade física mais baixo, estima-se que meio litro baste, mas este valor garante apenas níveis de sobrevivência sem exposição solar. Ram Bomjan esteve durante estes cinco dias à sombra de uma árvore, logo livre da ação dos raios solares e numa região húmida, o que contribuiria para a admissão de alguma humidade por via respiratória. Há assim vários elementos: o baixo metabolismo do estado de transe, a humidade do ar, a não exposição à luz solar contribuem para explicar parcialmente a sobrevivência de Ram Bomjan. Mas não totalmente… Ram Bomjan, no final desse período devia estar severamente desidratado, o coração devia estar em mau estado devido ao engrossamento do sangue e o cérebro estaria severamente afectado e, sobretudo, as baixas temperaturas noturnas deviam ter anulado qualquer uma das vantagens listadas. Ora Ram Bomjan não só não aparentava nenhum sintoma físico dessa grandeza como nem sequer tinha a pele ressequida.

A 19 de janeiro de 2006, quando estava em plena meditação, algumas testemunhas observaram que as roupas de Bomjan terão começado a arder. Contudo, quando este fogo cessou – espontaneamente e ao fim de alguns minutos não havia traços de queimaduras na sua pele. Este estranho acontecimento foi registado em vídeo e terá tido lugar nos arredores da localidade de Bara.

Em março de 2007 o inspetor de polícia Rameshwor Yadav de Nijgadh encontrou Bonjam meditando num edifício subterrâneo com apenas 3 metros quadrados. O edifício, parcialmente soterrado, não tinha portas nem janela e apenas um telhado de colmo. Aparentemente tinha sido construído por um devoto antigo professor, Indra Lama, e que afirmava que o edifício tinha sido construído a pedido de Ram Bonjam

Não muito depois, a 2 de agosto de 2007, Bonjam faria um raríssimo discurso público a uma multidão de 3 mil pessoas reunidas na selva de Hallori, no distrito de Bara. A reunião foi preparada pelo comité de apoio aos peregrinos “Namo Buddha Tapoban”, sendo este o seu conteúdo segundo uma testemunha, que o terá ouvido num telemóvel ligado no local por um amigo:

“O assassínio, a violência, a ambição, a raiva e a tentação fizeram deste mundo um lugar de desespero. Uma terrível tempestade caiu sobre o mundo do Homem, e isto está a levar o mundo para a destruição. Existe apenas uma forma de salvar o mundo e esta é através do Dharma. Se não percorrermos o caminho correto da prática espiritual, este mundo desesperado será com certeza destruído. Assim, sigam o caminho da espiritualidade e espalhar esta mensagem a todos os que conhecem. Nunca coloquem obstáculos, fúria ou descrença no caminho da minha missão de meditação. Eu estou apenas mostrando-vos o Caminho; vocês devem procurar seguir o vosso próprio Caminho. O que sou, o que farei, nos próximos dias vai relevar isso mesmo. A salvação do Homem, a salvação de todos os seres vivos e a paz no mundo são o meu objetivo e o meu caminho. Namo Buddha sangaya, Namo Buddha sangaya, namo sangaya. Eu contemplo a libertação deste mundo caótico do oceano da emoção, na nossa libertação da fúria e da tentação, sem me afastar do caminho por um só momento, eu renuncio à minha própria ligação à minha vida e à minha casa, para sempre, eu estou a trabalhar para salvar todos os seres vivos. Mas neste mundo indisciplinado, a prática da minha vida é reduzida a um simples entretenimento.”

“A prática e a devoção de muitos Budas foi dirigida à melhoria do mundo e à felicidade. É essencial, mas muito difícil compreender essa prática e devoção. Mas através dela é fácil sair da existência ignorante, os seres humanos não compreendem que um dia teremos que abandonar este mundo incerto e encontrar o Senhor da Morte. As nossas longas ligações com amigos e família irão dissolver-se no nada. Teremos que deixar para trás a saúde e a propriedade que acumulámos. Este é o uso da minha felicidade, quando aqueles que me amaram desde o princípio, a minha mãe, o meu pai, irmãos e parentes estiverem todos infelizes. Assim, para salvar todos os seres sencientes, eu tenho que ter uma mente como a do Buda e emergir da minha caverna subterrânea para realizar uma meditação Vajra. Para a fazer tenho que compreender o caminho correto e o conhecimento, de forma a não perturbar a minha prática. A minha prática liberta-me do meu corpo, da minha alma e da minha existência. Nesta situação existe 72 deusas Kali. Deuses diferentes estarão presentes, ao lado dos sons do trovão e do “tangur”, e todos os deuses celestiais e deusas estarão a fazer “puja” (adoração). Assim eu enviei uma mensagem, para que não venham aqui, e para que por favor expliquem isto aos outros. Espalhem o conhecimento espiritual e as mensagens espirituais aos outros. Espalhem a mensagem da paz mundial a todos. Procurem um caminho correto e a sabedoria será vossa.”

Depois deste discurso, em 19 de março de 2008, um grupo dos seus seguidores encontrou-o a cerca de 3 km do seu último local de meditação conhecido, tendo falado com ele durante perto de meia hora tendo Bonjam dito nessa ocasião que “não havia paz aqui” e se afastaria durante seis anos, ou seja, até 2012. Ano em que regressaria ao Mundo.

Suspeitas

A polícia nepalesa seguiu o caso praticamente desde o começo. Num dado momento realizou mesmo várias investigações sobre se seria uma pura e simples fraude, descartando essa hipótese. Suspeitou também de Lavagem de Dinheiro, congelando uma conta bancária da organização de apoio aos peregrinos a Ram Bonjam, mas também aqui descartaria qualquer suspeita.

Há alguns anos Bonjam pediu aos seus seguidores para vigiarem abusos com as doações. Mas apesar disso, sempre que Bonjam é localizado meditando em algum lugar, logo se reúnem vendedores ambulantes que o cercam a curta distância vendendo filmes, DVDs e fotografias. Bonjam parece ignorar esta turba.

Em dezembro de 2006, alguns aldeões do distrito de Bara encontraram Bomjan na floresta. Na altura levava consigo uma catana, estranhando a visão, perguntaram-lhe porque levava consigo a arma ao que ele terá respondido “mesmo Gautama Buda tinha que se proteger a si próprio”, na altura disse que tinha comido apenas ervas nos últimos meses. O facto de ter sido visto com uma arma e de ter admitido que esta era a função da catana é intrigante: um budista não tira a vida a nada, nem (sobretudo) para se defender… E uma das “provas” mais referidas para o seu estado de Iluminação é a sua ausência de necessidade para comer, porque então teria tido que comer “ervas” (medicinais, nalguns relatos)?

É certo que em 8 de novembro de 2005, Bonjam negaria ser Buda: “digam ao povo para não me chamar um Buda. Eu não tenho a energia de um Buda. Estou no nível de um Rimpoche”. Ou seja, ao nível de um mero professor. A negação é aliás consistente com as crenças do Budismo Theravada, em que foi educado, o qual acredita que quem alcança a Budeicidade cessa o ciclo de Renascimentos (Samsara) e ascende a um estado transcendente e inumano.

Há também quem suspeite da sua capacidade para meditar imóvel, em silêncio e sem ingerir alimentos ou água durante longos dias. De facto, pôde aproximar-se de Bonjam quando está em meditação e entre as 5 da tarde e as 5 da manhã, ninguém o pode ver, tendo sido coberto com um pano, o que adensa as suspeitas… Terá comido e bebido água nesse período?

Em dezembro de 2005, um comité do governo nepalês investigou Bonjam e vigiou-o durante 48 horas. Na altura não o viram ser coberto nem comer, nem beber água. E isso confere também com a reportagem da BBC acima referida que o filmou continuamente durante 96 horas (http://news.bbc.co.uk/2/hi/south_asia/4797064.st)

O lama Bahadur do Nagarjuna Instituto de Katmandu, no Nepal afirmou que os sacerdotes budistas do seu instituto não podiam confirmar o estatuto de Bonjam porque “não tinham podido investigar completamente o rapaz”.

E o mesmo dizemos nós… Ram Bonjam não parece ter qualquer interesse em retirar qualquer proveito próprio de toda esta atenção que o rodeia. A sua conduta – com excepções intrigantes como a catana e as ervas – parece a de um perfeito budista e há varias indicações de que consegue realizar facilmente feitos inumanos. Não será a próxima reencarnação de Buda (Maytreia, o Buda dos Tempos Futuros), segundo ele próprio admite, mas que é uma personagem muito intrigante… Isso ninguém o pode negar. E talvez o seu regresso ao mundo, antecipado pelo próprio para 2012, traga algumas respostas a este enigma vivo chamado:

Ram Bonjam.

Fontes:
http://www.independent.co.uk/news/world/asia/buddha-boy-reappears-after-year-in-jungle-1011713.html
http://abcnews.go.com/International/wireStory?id=6227385
http://www.terra.com.br/istoe/1900/internacional/1900_pequeno_buda_sumiu.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Ram_Bahadur_Bomjon
http://irregular.gaia.com/blog/2006/12/ram_bomjon_reappears_and_establishes_new_shrine
http://www.survivaltopics.com/survival/how-long-can-you-survive-without-water/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ram_Bahadur_Bomjon
http://www.paldendorje.com/
http://www.newkerala.com/news2.php?action=fullnews&id=25558
http://news.bbc.co.uk/2/hi/south_asia/4824530.stm
http://news.yahoo.com/s/nm/20061225/od_uk_nm/oukoe_uk_nepal_boy
http://news.yahoo.com/s/nm/20061225/wl_nm/nepal_boy_dc_1
http://news.bbc.co.uk/2/hi/south_asia/6209613.stm
http://www.atimes.com/atimes/South_Asia/JK15Df04.html
http://www.discoverychannel.com.au/ontv/boy_with_divine_powers/index.shtml
http://www.reuters.com/article/worldNews/idUSTRE4AA0XP20081111
http://www.gulfnews.com/world/Nepal/10258766.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Ram_Bahadur_Bomjon

Anúncios
Categories: Budismo, Sociedade | Etiquetas: | 14 comentários

Quids S16: O que é isto? (nome exato)

ssss12a

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 30 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S16 | 10 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade