Sobre a indústria israelita de lançamento de satélites e os satélites Eros, Ofek e Amos

Lançamento do satélite israelita Ofek-7 em www.mfa.gov.il

Lançamento do satélite israelita Ofek-7 em http://www.mfa.gov.il

Uma das mais dinâmicas e eficientes indústrias de construção de satélites do mundo é a de um dos mais pequenos países do Médio Oriente: Israel.

Atualmente, o país possui três famílias de satélites: a Eros, a Ofek e a Amos. Os satélites Eros são plataformas de observação da Terra em que a Defesa do Estado hebraico é a principal missão, mas também podem vender as suas imagens a clientes privados. Os Eros A1 são capazes de captar fotografias com resoluções de até um metro. Os Ofek são também satélites de reconhecimento fotográfico, mas em que a Defesa é o cliente exclusivo. Atualmente há apenas um Ofek em órbita, (lançado em 2002) já que o Ofek 6 foi destruído no falhanço do lançamento com um foguetão de origem israelita Shavit em 2004. O Ofek 7 deverá estar prestes a ser lançado, tendo como primeiro objetivo vigiar o programa de mísseis e as centrais nucleares iranianas.

Supõe-se que Israel está a trabalhar em câmaras para satélite com resoluções de até 10 cm.

Um satélite militar de comunicações, o Amos 2, foi lançado em 2003. O Amos HP, mais poderoso deveria ter sido lançado no ano seguinte, mas os israelitas parecem ter desistido de o lançar pelo Shavit, já que embora inicialmente este parecesse capaz de transportar o Amos HP, como este ficou demasiado pesado, agora Israel está a procurar um lançador de um país terceiro par colocar em órbita o seu lançador.

Israel foca a sua atividade espacial em pequenos satélites de finalidade essencialmente militar. Isto torna-o muito competitivo na promissora área dos microsatélites com pesos entre os dez e os cem quilogramas, havendo planos para os lançar a partir de aviões F-15I da Força Aérea israelita. A ideia é alterar um míssil Black Sparrow instalando um motor mais potente e colocando um microsatélite no seu nariz. Segundo os planos iniciais, o primeiro teste deveria ter tido lugar em 2008, mas algo atrasou o programa (falta de financiamento, presume-se). Esta abordagem não é nova… No passado recente, na Rússia, pensou-se fazer o mesmo com MiG-31 e neste momento a construtora britânica de pequenos satélites (que construiu o kit do PoSat-1 português) Surrey mantêm planos idênticos para lançar microsatélites de algumas dezenas de quilogramas a partir de aviões Tornado e Typhoon que voando à sua altitude máxima, fazem um voo vertical, lançando assim um míssil modificado com o satélite. Obviamente, um tal sistema será limitado a altitudes de 400 ou 500 km e logo, de uso reduzido (fotográfico e militar, essencialmente) mas cada lançamento feito assim, por um caça convencional deveria ficar em menos de 5 milhões de dólares por cada satélite de entre 60 a 80 quilogramas, o que é um preço muito inferior ao dos lançamentos convencionais.

Fonte:
http://www.secureworldfoundation.org/index.php?id=120&page=Israel_Military

Anúncios
Categories: DefenseNewsPt, SpaceNewsPt | Etiquetas: | 5 comentários

Navegação de artigos

5 thoughts on “Sobre a indústria israelita de lançamento de satélites e os satélites Eros, Ofek e Amos

  1. o satelite não pode ser lanado na diagonal por causa da densidade e pode perder a força e cair.
    Então tem que ser lançado na diagonal pois ira cortar o vento e a densidade

  2. Cleyde

    Qual o objetivo do lançamento do primeiro satélite EROS?

  3. joão dias

    Os judeus ultra ortodoxos poderão num futuro muito proximo ditar o enfraquecimento do estado de israel , leiam esta materia , deveras muito preocupante :

    http://hebreu.blogspot.com/2010/08/judeus-ultraortodoxos-sao-maioria-em.html

  4. Odin

    Am Israel Chai!
    עַם יִשְרָאֵל חַי,

  5. joão dias

    Am Israel chai

    Shema Israel Adonai …..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: