Francisco Fadul: Duas propostas para a Guiné-Bissau (Força Lusófona de Manutenção de Paz e um Tribunal Internacional da CPLP)

Francisco Fadul (ultimahora.publico.clix.pt)

Francisco Fadul (ultimahora.publico.clix.pt)

Agora que se sabe que será Malan Bacai Sanhá, do PAIGC, o novo presidente da Guiné-Bissau, talvez seja oportuno recordar as declarações que o ex-primeiro ministro desse país lusófono, Francisco Fadul, produziu na 2a Conferência MIL no passado mês de junho de 2009,”A mudança será pouca. Para os eleitores, estas eleições são um dilema”. E efetivamente, a taxa de participação no escrutínio foi baixíssima, especialmente nos meios urbanos, mais informados e em contacto mais direto com a cedência do Estado e do Exército ao poder dos narcotraficantes.

Sanhá declarou durante as eleições que iria manter as chefias militares, negando assim fazer a necessária limpeza de elementos ligados ao narcotráfico que a Guiné-Bissau tão desesperadamente precisa. Se assim nada mudar, criam-se as condições para que a comunidade internacional perante este sequestro do Estado às mãos das máfias colombianas e de oficiais corruptos decida agir e a suspensão das ajudas – de quem dependem os guineenses para sobreviver – são praticamente certas e mesmo sanções não estarão fora de equação…

Fadul, na Conferência MIL, acrescentou ainda que acreditava que a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) teria neste problema guineense um papel cada vez mais ativo. Fadul acredita que a CPLP terá no futuro um papel crescente na resolução dos problemas internos dos seus membros e que a organização poderia ter “mecanismos que estimulem boa governação, democracia, cidadania e desenvolvimento e penalizem as posturas contrárias por parte dos estados-membros”.

Muitas estruturas de apoio à boa Governança podem ser criados na CPLP. A curto prazo existe uma urgência para dois em particular que o dramático caso guineense torna particularmente agudo: uma Força Lusófona de Manutenção de Paz (como aquela defendida por ESTA petição do MIL) e um Tribunal Internacional da CPLP, com capacidade para julgar casos onde se cruzem Direitos, Liberdades e Garantias dos países-membros mas que seja também capaz, e sobretudo, de realizar julgamentos e condenações em países membros onde a Justiça não esteja a funcionar. Como é manifestamente o caso da Guiné-Bissau, nas palavras da própria ministra da Justiça guineense (anterior governo). Mas poderá esta estrutura judicial funcionar sozinha, sem uma “mão” operativa e local que possa investigar, deter e fazer cumprir ordens judiciais? Não parece razoável pensar que a debilitada polícia guineense, sem meios (os seus poucos veículos da estão imobilizados por falta de combustível), sem ordenados em dia e quase completamente corrupta possa servir de assistente local a um tal tribunal internacional. Importa assim complementar estas duas estruturas: a Força Militar Lusófona do MIL e o Tribunal Internacional da CPLP, idealizado por Francisco Fadul, com uma polícia de Investigação Lusófona, uma espécie de Interpol com poderes alargados e capaz de agir livremente em todo o espaço lusófono.

Fonte:
http://aeiou.expresso.pt/guine-bissau-ex-ministro-francisco-fadul-diz-que-eleitores-estao-perante-um-dilema=f524483

Categories: Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Portugal | Etiquetas: , | 4 comentários

Navegação de artigos

4 thoughts on “Francisco Fadul: Duas propostas para a Guiné-Bissau (Força Lusófona de Manutenção de Paz e um Tribunal Internacional da CPLP)

  1. Todo é qualquer Organismo “legal”, aprovado pela instituição maior , a ONU; é mt bem vinda…tem mt criminosos soltos por aíh. Vamos dar o exemplo.

  2. neste caso, pela CPLP, que tem muito mais proximidade com a questão, do que a distante e burocrática ONU…

  3. Fenix

    Eu sou a favor de alto tribunal lusofuno de ultima instancia onde o direito de cada pais menbros fosse respeitado mas não na uniformizaçao das leis.Assim como acho que para bem da propria justiça um defensor judicial deve ele proprio ser institucional e acabar como quem tem mais denheiro tem melhores defensores logo nãp á igualdade de meios não á igualdade de justiça. Se tirar da justiça do negocio do lucor a qualquer preço teremos uma justiça mais justa,igualitaria e rapida.

  4. é sem dúvida a proposta mais importa de fadul. Espero que seja ouvido! O MIL certamente tudo fará para ecoar esta proposta!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: