Saab Gripen NG: o vencedor do F-X2?

Saab Gripen: o vencedor do F-X2? em http://www.aviationnews.eu

Saab Gripen: o vencedor do F-X2? em http://www.aviationnews.eu

Segundo a Bloomber, a construtora aeronáutica sueca Saab teria declarado que estava pronta a colocar no Brasil um centro de construção para o Saab Gripen, um dos finalistas do F-X2. Ou seja, não seria apenas um centro de montagem, subcontratado a uma empresa brasileira, como a Embraer, mas uma unidade de construção própria. Esta decisão da Saab demonstra o elevado grau de empenho que os suecos estão a colocar neste concurso e ainda que a prazo possa representar para as empresas brasileiras que esperavam receber contratos de montagem de aparelhos, representa para o Brasil uma oportunidade notável e coloca – confirmando-se – o Saab Gripen NG como o provável vencedor do F-X2.

A construtora sueca estaria pronta a transferir até 50% de toda a produção futura do Gripen para o Brasil, expandindo e reforçando ainda mais a possibilidade de vencer, já que o aparelho (ao contrário do seu adversário Dassault Rafale) tem demonstrado uma apetência exportadora notável. Este movimento dos suecos, é uma resposta direta à atitude agressiva da Boeing norte-americana que ofereceu à Embraer o trabalho final de montagem dos aviões a partir de kits fabricados nos EUA. A opção sueca, é do ponto de vista industrial, de Emprego e de transferência de know-how muito mais interessante, ainda que essa possa não ser a opinião da Embraer…

Sabe-se que nos começos de agosto deste ano, a Força Aérea Brasileira estará entregando a sua recomendação entre os três finalistas (Super Hornet, Rafale e Gripen) ao ministro da Defesa que deixará a decisão final ao presidente Lula da Silva.

A Saab parece disposta a transferir mais tecnologia para o Brasil do que qualquer outro dos concorrentes, o seu avião é o mais económico dos três e oferece custos de manutenção inferiores (em 1/3 do Super Hornet, alega a Saab). É certo que ainda que tenham exportado já mais de 40 aparelhos, a Saabprecisa de aumentar este número para continuar a desenvolver a plataforma até ao NG, aumentando as possibilidade do tipo de avião ser exportado para o mercado sul-americano, onde o Brasil é muito influente e onde existem vários países que estão a procurar renovar os seus meios. Assim, estabelecendo fábricas no Brasil, a Saab poderia mais facilmente exportar para países como a Argentna, o Equador, o Peru, a Colômbia ou até o México. O modelo de contrução partilhada entre a Suécia e o Brasil não é novo… Sendo uma variante da oferta idêntica dada aos indianos (via Hindustan Aeronautics Ltd) para a construção de Gripens localmente, para reforçar as hipóteses de vitória da Saab no concurso local para até 300 caças.

Obrigado ao nosso amigo Cordeiro pelo alerta e parabéns ao Fred, que vê assim as hipóteses de vitória do seu “querido” Gripen subirem em flecha… Na exata proporção em que as do “meu” Rafale vão pelo cano. É claro que americanos e suecos já jogaram (forte)… Será que os franceses não vão agora subir também eles a parada?

Quem diria que 36 aviões dariam num concurso tão disputado?

Fonte:
http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601087&sid=aWeivx.yP_Fw

Anúncios
Categories: Brasil, DefenseNewsPt | Etiquetas: | 56 comentários

Navegação de artigos

56 thoughts on “Saab Gripen NG: o vencedor do F-X2?

  1. Revoltado

    Caro Quintus,

    Os 36 são, se acreditarmos nas promessas “dos homens”, somente o começo. A intenção anunciada é de se chegar às 120 unidades.
    Mas confesso que estou completamento perdido em relação a este processo.
    Nunca vi tanta desinformação em torno de uma concorrência militar como neste caso.
    Pak-fa, parceria estratégica francesa, promessas da Boeing de liberação de códigos-fonte e outras tecnologias que o congresso americano veta até para aliados OTAN/NATO.
    O resultado será uma completa surpresa para mim.
    Talvez isso seja positivo e abone em favor da FAB, afinal, manter os concorrentes em tal estado de nervosismo pode ser fundamental para se conseguir a melhor oferta possível. Mas isso é somente uma especulação. Pode ser que o Brasil acabe totalmente iludido como é comum no mundo dos off-sets das compras militares.
    Quem me dera que o Brasil tenha aprendido a jogar o jogo de Metternich. Veremos em breve.

    Um abraço.

  2. Eu acredito que o fato da Boeing ter baixado o preço da proposta ( http://moraisvinna.blogspot.com/2009/06/fx-2-pa-de-cal-no-rafale-boeing-reduziu.html )é um indicativo que a concorrencia esta acirradissima… Se a IAI sair da parceria com a SAAB (como fez na licitação da India) por pressão do governo americano ai sim fica claro o favoritismo da proposta Sueca ( http://moraisvinna.blogspot.com/2009/07/de-olho-na-revogacao-da-exportacao-do-f.html )

  3. Fred

    Clavis, você sempre cortez, educado e letrado

    por acaso sabe onde anda ministro da defesa tão assoberbado?

    quem dera estivesse ele em LOST, na ilha!

    Não! Ele foi comemorar a queda da bastilha

    sendo sucinto e sem demora

    do vento francês chegou a hora

    E tudo porque pode no barquinho pousar

    infelizmente o grifinho não sabe nadar! 🙂

  4. este processo parece muito mais turbulento que os concursos (muito mais importantes, no que respeita ao número de aviões) indianos, e isso espanta-me! porquê?
    Fred, até dá para a poesia!
    E sim, sem querer apostar diria que hoje (amanhã pode ser tudo diferente) as hipóteses são:

    Gripen 8 em 10
    Rafale 6 em 10
    SH 7 em 10

    mas é só um palpite…

  5. Fred

    A compra será do Ministério, apesar da técnica e operação ser da FAB, sendo bem sincero, qualquer um dos três está de bom tamanho!!! 🙂

    Os com uso embarcado levam sim vantagem ( e grande), infelizmente!

    Creio que esteja assim:

    Rafale com 1/2 corpo de vantagem (com fornecimento de F1 para a MB)
    Vespão em segundo correndo por dentro (com vespinha para a MB)

    e correndo por fora o azarão Gripinho (apostando na ToTs e na fabricação parcial no Brasil)

    Se for para apostar mesmo, aposto na trifeta 🙂 ou no placê Ventão e Vespão 🙂

  6. Pegasus

    F/A-18 não vai ter nenhuma transferencia de tecnologia sensivel e controle absoluto sobre o uso dos mesmos; o Gripen, agora, se mostra muito sensivel a boicote, americano pra variar, e deixando somente o Rafale, com seu preço absurdo e manutenção idem.

    Se escolhido, vai ser um prato cheio para, no campo da politica, ser criticado quanto ao mar de dinheiro necessario para sua aquisição, sem falar que se fizerem alarde de que o governo escolheu o mais caro, duvido que o povo vá entender que foi escolhido para independencia de sistemas americanos controladores.

    O FX-2 tem que ser cancelado, o programa foi encurralado, sem possibilidades de uma escolha acertada, podem me chamar de viúva do Flanker, mas não estou pensando em um avião que voa “bonitinho”, penso em todo o leque de opções na area de cooperação militar e até aeroespacial.

    O Brasil é o unico país do BRIC que tem uma força militar ridícula com relação ao papel que quer assumir frente ao mundo.

  7. Fred

    Viúva do Flanker, adorei a expressão Pegasus! 🙂

    Até entendo sua colocação, só não concordo.

    Se fosse assim o KC390 estaria acabado, pois o nível de componentes americanos nele será até maior que do gripen, sem falar nos componentes do supertucano e dos E145 R99 e E99, etc…

    E embargo mesmo só no governo Bush para venda de supertucano ao chapolin colorado 🙂 certo?

    se houver qualquer ação americana neste sentido será durante a concorrência, como foi agora no fx indiano com os israelenses.

    Sobre cancelar o fx, sem nenhuma chance, cancelar isso seria um grande tiro no pé. E sobre a política, não tem escolha, se não comprar os caças, vai haver uma mobilização nacional pelo descaso com a segurança do Brasil, se compra, seja russo, vietnamita, coreano, sueco, franco ou venezuelano, sem importar o preço que seja pago, os mesmos autores da mobilização nacional contra o descaso com a segurança nacional iriam migrar para a mobilização nacional contra o despedício de dinheiro público comprando aviões sem necessidade e a preços exorbitantes. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come! que dilema não? 😉

    Por acaso você já viu a propaganda (no sentido nazifacista) da desocupação brasileira do Haiti? “ter dentes brancos não siginifica ser seu amigo” Um verdadeiroa absurdo ainda mais vindo de brasileiros. Pelo menos na minha opinião de leigo 😦

  8. Pegasus

    Bom Fred, só acho que “o que começa mau, termina mau”, e se tudo tiver que ter algo americano, em breve, 10 ou 20 anos, vamos ver a falência da maioria da empresas produtoras de aviãos de combate, e sobrando os americanos, com grande dominio e controle;união de paises europeus, para uma certa independencia e quem sabe ainda exista a Sukhoi e talvez, só talvez, a China esteja entrando no jogo, receita para uma nova guerra fria? Só o tempo dira.
    Quanto ao que voce falou sobre o Brasil no Haiti, como em outros “movimentos sociais”, sabem criticar, mas dar soluções que é bom,nada.

  9. sim, o Rafale continua com a granda vantagem de poder ser embarcado, é verdade (derradeira esperança!)
    os americanos – francamente – parecem dispostos a deixarem de lado todos os seus pudores de transferência de tecnologia e os suecos muitos dispostos a tudo para vencerem um concurso que definem como “estratégico” para a sobrevivência da Saab, a prazo, neste mercado…
    Sim… é complicado tecer previsões!

  10. Td pela minha independência…q venha os caros rafales…

  11. Fred

    A maior vantagem é ter células passiveis de exportação (os F1) o AESA e os sistemas embarcados e sensores do Vento francês são um significativo diferencial!!!

    o Gripen promente mais por estar em desenvolvimento, mas já falamos muito nisso! chega por enquanto!:)

    Pegasus, sobre tudo ter algo americano, infelizmente tudo tem algo de americano, salvo seus amados flanker, mas fora isso tudo o mais tem! Porém sofrem da impáfia russa.

    Até os rafales começaram com motores americanos! :O

    Sabe o flanker é sim um excelente vetor, porém,e sempre tem um porém, depende de fornecimento de peças russas que podem faltar, vide Peru!:)

    Claro os americanos tb faltam, dai a tentativa da FAB com os hinds, vai que dá pra contornar né!

    Sabe, é que nem a transformação dos panteras do EB para modalidae ataque, ninguém lembra que se forem adaptados serão mantenidos por brasileiros, por indústria brasileira e terão algumas peças, pelo menos, brasileiras. Isso faz uma diferença no custo operacinal inacreditável. Pergunte ao nossos irmãos portugueses e seus merlins qual estrago faz um mal contrato (ou falta dele)de manutenção.

    Torço verdadeiramente pelo gripen por permitir um novo patamar para a indústria brasileira, entendo, na minha hermenéutica, que qualquer um dos três finalistas vai suprir a contento os anseios da FAB, mas acredito que só o NG vai trazer ganos significativos em ToTs para o nos.

    bem esse é meu ponto de vista, posso estar redondamente enganado! não é! 🙂

  12. Fred

    ganos não, por gentileza leia ganhos! 🙂

  13. bem é isso mesmo, já falámos tanto deste tema que…
    até espanta como é que está ainda tudo basicamente na mesma.
    sei que os prazos estão a ser cumpridos, mas se depois disto tudo o F-X2 é cancelado…
    isso é que seria um flop!

  14. Pegasus

    Fred…quanto ao fornecimento de peças pelos russos, voce mesmo deu a resposta, um bom contrato, baseado que o numero de aeronaves poderia chegar a 120, por baixo, e ainda assim seria menos do que precisariamos, nada impede que, dentre esses acordos, haja a fabricação de peças no Brasil, e esta ai tambem uma chance do Brasil aprender a fazer turbinas,mas…falecido é falecido e estou disposto a pagar mais caro pelo Rafale.

  15. É isso aí , sr Pegasus…a EMBRAER poserá mt bem produzir as peças p/ SU 35….e ponto final…

  16. Lobe

    Publicado em 09/07/09 no site http://www.claudiohumberto.com.br.

    Lula diz a Sarkozy que comprará caças Rafale
    O presidente Lula deu ao colega francês Nicolas Sarkozy a informação privilegiada, pela qual muitos lobistas se matariam: anunciará em setembro a decisão de fazer o Brasil adquirir os caças Rafale para reequipar a Força Aérea Brasileira. Lula observou que o Rafale “transfere tecnologia”. É um negócio de cerca de R$ 12 bilhões. A confidência do presidente brasileiro foi vazada pelo governo francês ao jornal La Tribune.

  17. Hum.
    Rafale. Fico mais animado… ainda que a proposta sueca, de construção de uma fábrica e de 50% de todos os Gripens no mundo, não seja ainda batida por ninguém, e muito menos pela França…

  18. Pegasus

    As vezes me pergunto se não é possivel unir o melhor de dois mundos, se fosse possivel ao Brasil fazer um acordo com SAAB e Dassault, deixando o Gripen como esta para um caça tatico e o Rafale como caça estrategico, poderia se unir o util ao agradavel, não nos esqueçamos que a encomenda do Brasil pode chegar a 120 aeronaves e não ha nada que impeça isso, a não ser a vontade.
    Com o tamanho do Brasil, mas com limitações orçamentarias poderia ser a melhor saida, ja que o custo de manutenção do Gripen é bem menor e pode cobrir as fronteiras que não sejam tomadas por selva e o Rafale como caça da amazonia e caça embarcado e do litoral, sem falar que poderiamos ficar um pouco mais imunes a boicotes de armamentos e peças.

  19. Dois caças sairia mt caro…ainsa + em época de contenção de despesas., + é uma boa ótica..teriamos duas tecnológia …vale pensar no assuinto, eu ñ ; “eles”…os chefetes.

  20. seria mais caro, do q ter um só aparelho, mas se a ideia é manter um vetor marítimo… único, o único q serve nos 2 cenários é o Rafale…

  21. gaitero

    Não adianta tentar adivinhar, o F-X2 não tem favorito.

    Como bem sabemos todos os Três tem suas chançes e fim de popo…

  22. eu sei lá… ontem houve noticias tornando a apontar para o rafale… já não sei o que pensar.
    e o pior é que acho que o governo Lula, também não faz ainda a mínima de quem vai ganhar…

  23. gaitero

    Na verdade sabe-se apenas que politicamente o Gripen já esta eliminado da disputa, porém técnicamente ele é o favorito.

    Neste caso, poder-se-ia dizer que o Gripen deve vencer na FAB, mas será barrado no MD, assim a disputa ficaria com o F/A-18 e o Rafale, sendo que o primeiro teria a preferência da FAB, mas não atenderia as pretenções do MD. Por este motivo, entre o rafale e o F/A-18, a menos que os EUA ofereçam vantágens antes inimaginaveis, o que é porvável, a decisão deve recair ao Rafale, porém, como os EUA são fortes em se tratando de política e influência, não é de se espantar que o F/A-18 seja o vencedor.

    Agora se por força maior o governo for convencido pela FAB e/ou eventualmente por empresários do Brasil que podem lucrar com a produção do Gripen, então pode ser que o Gripen acabe sendo o vencedor…

    Diria que técnicamente o Gripen vence, seguido pelo F/A-18 e por fim o Rafale, sendo que como o Rafale tem versão naval, e a MB quer ele no A-12, então, ele ganha força com o apoio da MB, assim ele toma a frente do F/A-18.

    Porém Políticamente e será a este que caberá a decisão final, o Rafale é sem dúvida o favorito, seguido do F/A-18.

    Ufa, tentar adivinhar é sem dúvida bastante complexo…

  24. gaitero

    Devo ainda confirmar a informação, porém ao que tudo indica ao FAB já enviou seu laudo sobre a concorrência ào Ministério da Defesa e este seria um bimotor….

  25. Já deu rafale…é só rafale, só q p 2014 em diante..isso eu ñ sei explicar o pq, alguém sabe..?

  26. obrigado, Gaitero pela informação e pela brilhante (como sempre) condensação.
    Rafale, hem?… nem mesmo a oferta de fabricação dos 50% de todos os novos Gripen venceu…
    bem, ainda creio que era o melhor avião… e o que tinha mais garantias de independência tecnológica, logo… estou contente (e ainda duvidoso do desfecho, claro!)

  27. gaitero

    Calma Clavis.

    Ha de entender que estamos falando de política para decidir o vencedor.

    Como bem sabe, cá no Brasil não é diferente de lá Portugal, então já deves imaginar que tudo pode mudar.

    Porém ficou claro que a França e os EUA estão jogando mais com a parte estratégica/política/diplomática, do que com compensações técnicas, como a SAAB.

    E por este motivo é que o Gripen, por não ter muita influência política tem poucas chances de vencer em um cenário agora político.

    Porém, temos que dizer aqui que de fato o Rafale é o melhor caça da disputa, e deve ser o único a ser utilizado pelo seu país como principal vetor durante anos, sendo assim, sua escolha seria a mais interessante até mesmo para a FAB.

    Espero que esta novela acabe logo, meus neurônios fritam cada vez que eu tento enchergar o vencedor… ^^

  28. Edmar

    Caros Amigos.:

    Vencendo o “Dassault Rafale F-3” ou o “Saab Gripen NG” para mim está muito bom. São 2 aéronaves que passam de 2100Km por hora, tem uma excepcional gama de armas e são modernos.

    Já não gosto do “Boeing F/A-18 E/F Super Hornet” pois atinge apenas 1910Km por hora e é de origem americana, pois eles são sistemáticos e não sei se daria certo.

    Abraço a todos.

  29. Essa novela vai longe , meus prezados amigos…dizem q acaba agr em agôsto/09…é q o rafale será o vencedor pelas contras partidas à oferecer…Tomara .Sds.

  30. Daniel

    Os fãs sonhadores perderam a aposta? Nada de Rafale…o país precisa de transferência de tecnologia… não precisamos de “águias” no céu e sim de uma “revoada de andorinhas”. Em caso de guerra não é um avião bonitinho, e sim tática. Parem de brincar de War, o que interessa é a política externa, não somos um paíse que se envolve em guerra. O necessário é apenas atualizar as forças armadas para qualquer eventualidade. Esses aviões de “luxo” só iriam gastar mais recurso. A Gripen ganhou, é oficial.

  31. Talvez ,ainda ñ saiu em edital ,logo ñ foi públicado no Diário Oficial…ainda ñ; e vai dar RAFELLE, pode anotar.

  32. é isso… ainda está tudo na banda do rumor…

  33. Já vimos de tudo neste FX-2: Propostas, voos de demonstrações, especificações técnicas de cada concorrente, muita opinião voltada para questões pessoais e uma decisão indefinida e cheia de “maracutaias”.
    Passando a limpo, seria muito bom a soma dos benefícios no geral e não uma posisão política de estratégia localizada, e destinada ao “propinoduto”. O povo Brasileiro já está cansado de ser roubado e traido pelos seus “legítimos representantes”.
    Mas, esperar é tudo o que nos resta.

  34. O que esperar de um governo corrúpto, cheio de leis complementares, emendas que acabam aprovando o improvável. Neste programa FX-2 seria diferente? – Esqueçamos as necessidades individuais de cada grupamento, e a arrogância de cada um. Vamos torcer para que o propinoduto não decida o que comprar. Enfim, vamos respeitar cada contribuinte deste grande País, e fazer dele uma grata esperança no futuro.

    Francisco Lutkenhaus

  35. bem, eu já escrevi aqui que o F-X2 ía dar SU-30, Gripen, Rafale e até talvez SH!
    Já não escrevo mais nada sobre isto! 🙂
    Até haver notícias mais substanciais…

  36. gaitero

    Eu já disse que o seu Rafale venceu…

    Agora espera o anuncio pô… ^^

  37. eu espero, eu espero…
    especialmente agora, depois da coisada da descida de 40%…
    http://uk.reuters.com/article/idUKL067193620091106
    (notícia depois negada)

  38. E v vença a dassault….se bemnindo rafale…a FAB merece.

  39. gaitero

    Na verdade…

    Isto é complexo de comentar, mas… Como algo que já estava mais barato do que a oferta inicial, poderia ter seu preço reduzido em 40%?

    Estima-se que o preço foi reduzido em 10%. Ou seja cada um interpreta o que lê de uma maneira diferente, assim como também existem jornais que escrevem o que escutam de maneira diferente…

    Só um ultimo ponto, o jornal que publicou é da oposição…

  40. ahah!
    isso diz tudo…
    a noticia fartou-se de ser desmentida, de facto, aliás na net, há mais notícias sobre o desmentido, do que sobre a redução propriamente dita…

  41. Tentando adivinhar é o que todos fazemos (apesar de termos, cada um, o seu vencedor favorito).
    Até onde entendemos de defesa aérea logística é que fica no ar. Na verdade somos meros comentaristas, cheios de atração pela matéria repleta de argumentos e de dispositivos de ponta.
    Confesso timidamente que nunca entrei em um avião, mesmo morando toda a vida a um quarteirão do Aeroporto de Carlos Prates ( o que não me tira o mérito de gostar muito de aviões, pricipalmente jatinhos de luxo e militares mais modernos. Os antigos nem tanto). Tenho minha opinião muito definida pelo SAAB GRIPEN NG. Posso estar enganado ou iludido, mas quem não está?
    Mesmo custando mais barato, tendo sua manutenção mais barata, e sua hora de voo idem em relação aos outros concorrentes. Sendo multi-função e contando com grande flexibilidade no emprêgo de armas e a promessa de transferência de tecnologia e outras vantagens sobre os outros. Mesmo assim quem pode garantir que ele vencerá?
    Se valer a minha torcida, ótimo, caso contrário seja o que Deus quiser (o dinheiro público foi feito para ser roubado mesmo!).

  42. Creio não haver no mundo atua um único caça capaz de preencher todos os quesitos (inclusive prêço, que pesa bastante)e faça uma única opinião em torno do mesmo. por isso mesmo cada um na sua. Eu vou de SAAB GRIPEN NG, e não me interessa Ofertas NOrte Americanas nem Francesas.

  43. o Gripen é um caça fantástico para um pequeno país… (o NG ainda não existe), mas terá o raio de alcance, a capacidade de ser embarcado e a independência de tecnologia made in usa do Rafale?
    Nope.
    Por isso, voto Rafale, mas note-se que no princípio preferia o SU-30 e que quando este saiu, preferi o Gripen. Só o factor porta-aviões é que me fez finalmente inclinar de vez para o Rafale.

  44. Pais que tem políticos, como o nosso,sempre corre o risco de ter desisões sobre o que não lhes compete (por falta de competência e abuso de autoridade).
    Neste caso vale muito mais o que rola por baixo dos panos do que a segurança da defesa aérea e outros pontos estratégicos da Nação.Tenho muito mêdo que eles façam algo bastante prejudicial ao dinheiro pùblico (que pode e deve ser respeitado).

  45. Senhor Presidente, O Sr. Não é Deus, e creio, não sabe nem o que é melhor para si ( a menos que se trate de viagens maravilhosas, incluindo sua família,e a boa vida que leva).
    Por favor não tente argumentar contra o óbvio. Não cabe ao Sr.a desisão sobre o que melhor compete para equipar a nossa fraquíssima defesa aérea.
    Sinceramente esperamos que não embouse as propinas que lhe serão oferecidas Pelos Norte Americanos e Franceses. Seja pelo menos um pouco Patriota de verdade, e respeite a opinião pública e a técnica a respeito desse assunto (para o bem de todos seja discreto e moderado, já que humilde, com certeza, não é).
    Permita que o Brasil seja grande também para o povo (não apenas para os políticos). Há como ser um “mané” simpático, esqueça um pouco sua arrogância e negligência. Seja Presidente de verdade para o povo, e não apenas para si.

  46. Pode ser que tenhamos um Gripen NG à bordo do Nosso porta aviões. – Alguem sabe quantas vezes por ano o porta aviões solta suas amarras em direção ao alto-mar?
    Eu não acredito que seja mais importante ter uma defesa aérea baseada em porta aviões do que em quatro ou cinco pontos estratégicos do nosso Pais. Sem esquecer a importância da defesa do nosso mar territorial.
    Se a Suécia está nos oferecendo o NG pela metade do preço dos seus concorrentes, poderímos sim tê-los à bordo e em bases terrestres estratégicas.
    A proposta da SAAB é a que mais apresenta vantagens para o Brasil. E creio muito mais na seriedade e compromisso dos Suecos que nas conversas atravessadas de Norte Americanos e Franceses.
    Outra coisa bem distinta é a mala prêta que anda influenciando a compra de gato por lebre. Tomara que isto não venha a acontecer (para o bem do Brasil e de todos nós).

  47. Só q o rafale já existe, o gripen além de ter mt aviônicoa ianks, é um projeto..;realmente os suecos ~sao + sérios + no momento os franceses , por estúpidez dos ianks q nos empurrarão p o lado dos mesmos, são nossos vizinhos , guiana,e latinos…vamos ver.Faremos acordo de tranferência total em mt áreas.Quem viver verá.

  48. jose relsi

    Meu favorito dos 3 e o f-18 pela historia que tem mas admito que o melhor pa fab e o gripen se pelo menos o americanos transferice tecnologia.

  49. notícias recentes dão conta da vantagem do Rafale…:
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u657119.shtml

  50. ..ñ o rafale é sem dúvidas o melhor dos tres : O f18 e velho e vai estar fora de linha, 2=o gripen NG ainda está no papel, 3= o Rafale e fato e existe, sem contar no acordo de transferência, e um dos mais abrangentes q o BRASIL já fez em td a sua história…estamos queimando etapas da implementação do mesmo…e como associado aos francos, podendo vender o caça produzidos por nós , derivado do rafale…então vamos ver, quem viver verá.Sds.

  51. o carlos é cá dos meus…
    Rafale!

    e palpita-me que vamos ganhar…

  52. .. e corre um boato q serão + de 36; uns 72 rafales…temos + e q tornar realidade essa tranferência de tecnológia, é a queima de etapas…quem viver verá.Sds.

  53. esse já será um número mais razoável, tendo em conta a extensão geográfica de que estamos a falar…
    36, sempre me pareceu um número demasiado curto.

  54. Márcio - São Paulo/SP

    O Comando da FAB optou em seu “relatório técnico” pelo Gripen por ser o caça mais barato para comprar e principalmente para manter. A FAB sabe (pois já sentiu na própria carne) que no Brasil não existe política de defesa. Descontinuidades (outro governo em breve pode estar no poder e depois de quatro anos, um outro governo diferente com novas prioridades) e cortes ou remanejamento orçamentário para as Forças Armadas são comuns e frequentes – e quase inevitavelmente, são previsíveis. Quem garante que os novos e ainda não comprados caças (seja o Gripen, o Rafale ou o Hornet) não ficarão em breve no chão por falta de recursos orçamentários para a FAB (como aliás, está ocorrendo com os velhos AF1 da Marinha)???? Assim, os oficiais da FAB estão pensando de forma pragmática: o Gripen é mais barato e portanto “mais garantido”, então pronto. Comparado com o F-18 Supre Hornet ou com o Rafale, o Gripem é realmente mais barato para a compra e também para manter. O caça suéco é realmente uma boa opção, mas para países que não tem uma área tão grande como o Brasil (mais de 8,5 milhões de quilômetros quadrados).
    Como um caça de tão baixa autonomia (como é o Gripen) poderia oferecer condições minimamente adequadas de defesa do vasto espaço aéreo brasileiro???? Seria necessário a compra de muitas unidades (uma centena, duas centenas, não sei) e colocá-los espalhados em diferentes grupos e bases pelo país afora para a defesa aérea minimamente eficaz. O custo de tal opção é altíssimo. O Gripen é inviável para um país do tamanho do Brasil em virtude de sua baixíssima autonomia. Como o “relatório técnico” da FAB não considerou este ponto crítico que é a baixa autonomia, portanto o pequeno raio de alcance do Gripen???? Só vejo uma resposta: a FAB não pretende garantir a defesa aérea efetiva com o Gripen em uma ampla área do espaço aéreo brasileiro – aliás, coisa que a FAB (não por culpa dela) nunca conseguiu fazer mesmo.
    Outro ponto fraco do Gripen: ele, assim como o Hornet, também tem aviônicos e sistema de armas norte-americanos. Se os yankes não fornecem equipamentos e armas modernas para os F-5 modernizados da FAB (modernizados com tecnologia israelense) por qual motivo forneceriam tais sistemas de armas e aviônicos modernos e avançados para os Gripen ou Hornet que a FAB venha adquirir???? É uma doce ilusão pensar que os norte-americanos fornecerão equipamentos de ponta para a FAB ou qualquer força aérea da América Latina.
    O Rafale apresenta problemas também: não é um sucesso de vendas (o Brasil comprando seria o primeiro além da própria França), é muito caro e tecnicamente complicado. Mas é mais sofisticado que os concorrentes Gripen e Hornet. A Dassault Aviation (fabricante) também é uma empresa que muitas vezes largou a FAB na mão com os antigos Mirage III. Os norte-americanos simplesmente são mais previsíveis que os franceses: já avisam antes que não fornecerão determinados equipamentos para o Gripen ou o Hornet e pronto. Mas os franceses são menos previsíveis e sua política externa é menos clara. Se o Brasil optar pelo Rafale quem garante que a França não fará o mesmo que fez com Israel nos anos 1970: suspender a venda de caças Mirage já pagos e interromper a transferência de tecnologia???? Este comportamento imprevisto e mesmo “pouco confiável” dos franceses, apesar de pouco provável (devido o quase desespero francês por não conseguir vender o Rafale a algum país) é possível. Durante a Guerra das Malvinas eles não entregaram aos britânicos os códigos fonte dos mísseis exocet argentinos???? Não só entregaram como também se não fosse a capacidade de alguns técnicos argentinos em decodoficar e desbloquear tais códigos, a Argentina não teria se quer conseguido lançar um único exocet contra os britânicos.
    Mas diante das opções oferecidas ao Brasil (F-18 Hornet, Gripen e Rafale), creio que o Rafale, apesar de ser uma aposta alta e incerta, é a melhor opção. Apostar no Gripen NG pode parecer mais prudente e confiável. Mas tal caça (Saab Gripen) não teria grande utilidade para um país com o espaço aéreo imenso como tem o Brasil.
    Outro ponto importante: tanto o Gripen como o Rafale como o F-18 em pouco tempo estarão definitivamente superados pelo F-22 Raptor norte-americano. É apenas uma questão de alguns poucos anos para o F-22 se torar totalmente operacional e equipar alguns esquadrões de caça da USAF.
    De qualquer forma o Brasil ainda estará um degrau abaixo. Mas acredito que o Rafale, diante das propostas oferecidas, seja a melhor opção, pois caso a parceria Brasil-França dê certo na área da transferência tecnológica para a construção do Rafale pela Embraer e mesmo no caso dos submarinos, o Brasil ganharia adquirindo novas tecnologias militares para a FAB e Marinha, além de também, para a indústria nacional. O Brasil poderia também ganhar um importante apoio francês em suas metas na política externa. A compra do Rafale poderia aproximar e estreitar as relações Brasil/França em um patamar nunca alcançado antes. Mas o risco é grande, a incerteza é maior e a aposta é alta. Com os norte-americanos e seus “sócios” suécos já sabemos o que não teremos. Com os franceses, não sabemos muito bem o que teremos.

  55. alex

    os estados unidos ja possuem 180 f22 em operacao e a producao do mesmo ja esta encerrada,o que nao muda muito a situacao ja que em testes realizados pelos autralianos foi constatado que o f22 tambem nao e o bicho papao que se pensava,obviamente ele e muito melhor que qualquer caca hoje em operacao,mas pode ser vencido com algumas estrategias como mostrou o teste,o gripen que esta concorrendo no fx2 e o NG ou JAS39E,essa versao tem um raio de combate de 1200 KM,muito proximo aos melhores avioes como o SU 35 com seus 1500 KM,portanto o torna uma aviao bastante atrativo para o brasil,muitos paises ricos estao diminuindo suas frotas e adotando solucoes mais economicas pois a operacao de cacas modernos se tornou demasiadamente cara,chegando nos absurdos 38 mil dolares por hora de voo do F35,avioes da classe do SU 35 ou RAFALE dificilmente iriam voar muito por aqui,correriamos o risco de ter muitos pilotos de “flight simulator” o que eu tenho minhas duvidas sobre a eficiencia,treinamento sempre tem feito a diferenca vide a forca aerea de israel que e uma das mais treinadas e puseram fora de acao inimigos muito superiores em numero,os estados unidos nao venderiam o F22 pra nos com 99,9% de certeza,este com certeza o melhor aviao,o segundo nao tenho duvidas (hoje operacional) e o eurofighter typhoon,mas o custo nao e baixo e foi desclassificado pela FAB (imagino por causa do preco,tanto de compra quanto de operacao),o Gripen NG com certeza nao chega a tanto,mas chega muito perto a um custo muito razoavel tanto de compra como operacao e com uma vantagem que eu considero primordial:um pais (suecia) que nao vai sair entregando codigos por ai (a suecia e um pais nao alinhado com nenhum polo de influencia,tanto que eles mesmos desenvolvem e usam suas proprias armas durante anos),e uma pena que a seriedade nao e uma das qualidades dos governantes por aqui,no mesmo tempo em que as autoridades ficam enrolando e empurrando com a barriga o chile ja comprou e tem operacional 10 F16 block 50 e tem mais outro tanto de F16 MLU,com certeza ja nao sao os mais modernos mas o chile esta defendido,com as portas fechadas para qualquer pais aventureiro,nao acho que o Brasil corra risco de invasao,mas um bom numero de avioes modernos (prefiro Gripen NG nao nego)com certeza iria por menos vontade em qualquer cobica no que e do Brasil especialmente as recem descobertas reservas de petroleo no fundo do mar.So pra constar achei a compra de submarinos scorpene um desperdicio de dinheiro,nao precisamos mais submarinos que os 5 que ja temos,sao armas caras muito complicadas de se manter e nao podem fazer nada mais que afundar alguns navios,com o dinheiro desses scorpene teriamos mais uns 100 Gripen NG,pena.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: