Daily Archives: 2009/06/03

4 de Junho de 2009 – 20º Aniversário do massacre de Tiananmen

O Governo Chinês tem-se recusado a levar a cabo um inquérito aberto, independente e imparcial aos acontecimentos dos dias 3-4 de Junho, apesar dos apelos dos governos estrangeiros. Mas é necessário que a justiça acabe por prevalecer e que as vítimas não sejam esquecidas. Nesse sentido a Amnistia Internacional – Secção Portuguesa promove várias acções públicas no próximo dia 4 de Junho, 5ª feira, à qual várias estruturas já demonstraram interesse em se associar:
Acção em Lisboa:

Pretende-se alertar o público em geral e a Embaixada da China em Portugal para a necessidade de fazer justiça às vítimas do 4 de Junho de 1989 e para que acabem as perseguições a todos aqueles que têm tentado lembrá-las, dentro da China. Também se pretende fazer uma homenagem às Mães de Tiananmen, cujos filhos foram mortos durante aqueles acontecimentos e que durante anos e anos tiveram de esconder a sua dor.

A acção a levar a cabo pelo CoGrupo da China, com início às 18h 30mn do dia 4 de Junho, no Rossio, consiste em tentar reproduzir a ocupação da Praça de Tiananmen pelas tropas e consequente brutal repressão:

Voluntários envergando camisolas brancas com dizeres em chinês e em português exigindo “Nunca Esqueçam”, o “Contem a Verdade”, “Faça-se Justiça”, e com uma faixa branca atada na cabeça surgem em uma Praça de Lisboa (talvez o Rossio) e logo se seguem outros voluntários que simulam soldados, com camisolas pretas com uma estrela vermelha, segurando uma espingarda AK 47 (fabricada em polipropileno alveolar e com a imagem da espingarda colada dos 2 lados) e um cartaz com um tanque de guerra desenhado que simulam descargas de balas. Os estudantes caem no chão e a seguir, perto mas não junto a eles., voluntárias depositaram no chão, 6 rosas brancas e 4 vermelhas. Estas flores são o símbolo das Mães de Tiananmen. As rosas brancas representam a pureza do coração dos mortos em Tiananmen e as vermelhas a sua paixão. O número 6 por ser relativo ao mês 6 – Junho e 4 ao dia do mês.



MIL: MOVIMENTO INTERNACIONAL LUSÓFONO (www.movimentolusofono.org)
Blogue associado: NOVA ÁGUIA: O BLOGUE DA LUSOFONIA (novaaguia.blogspot.com)
SEDE: ASSOCIAÇÃO AGOSTINHO DA SILVA (Rua do Jasmim, 11, 2º – 1200-228 Lisboa; E-Mail: AgostinhodaSilva@mail.pt; Tel.: 21 3422783 / 96 7044286; http: www.agostinhodasilva.pt; NIF: 503488488; NIB: 0033 0000 2238 0019 8497 2)

Categories: China, Movimento Internacional Lusófono | 4 comentários

A Marinha Portuguesa recebe a primeira fragata Karel Doorman

Fragata Karel Doorman

Fragata Karel Doorman

Nos finais do mês de maio, na Holanda, decorreu a cerimónia de transferência da fragata Van Nees para a Marinha portuguesa. O navio foi construído em 1994 e era um de uma classe que chegou a alinhar com oito navios, tendo nome de Van Nees. A data indica que estamos perante navios relativamente modernos, com características idênticos às fragatas Meko 200 PN da classe Vasco da Gama que formam hoje o mais do que o cerne da Marinha, mas os únicos navios combatentes da atualidade… Triste situação em que a partidocracia parlamentar deixou um país marítimo como Portugal.

A primeira fragata recebeu o nome de “Bartolomeu Dias” e juntamente com os outro navio (o futuro Dom Francisco de Almeida) adquirido por Portugal vão desempenhar as mesmas missões cumpridas pelas quatro fragatas João Belo, de origem francesa e dos quais duas foram vendidas ao Uruguai (por 6 milhões de euros), após modernização. Ambos os navios estarão ainda a operar na marinha em 2009.

O reforço de meios de 3 para 5 navios de guerra transporta a Marinha para um padrão que perdera desde a retirada das João Belo. Isto permite a reaparição de Portugal nos cenários OTAN e de Paz onde estava ausente (com exceção da Somália) mas coloca de novo o mesmo problema a que já antes aludimos: compramos meios relativamente modernos, como os Pandur II, os Leopard, os F-16, etc. Ficarão paradas nos portos por falta de meios para serem usadas e corretamente mantidas?

A Holanda conseguiu vender seis das oito fragatas Karel Doorman (2 ao Chile e 2 à Bélgica), o que mostra bem como se tratou de uma boa e inteligente aquisição. A venda destas fragatas irá permitir à Holanda construir numa classe de pequenas, mas muito modernas corvetas, construídas localmente e que além de permitirem manter a indústria de construção naval holandesa ativa. Estas corvetas irão enquadrar uma das marinhas de guerra mais modernas da Europa, que recebeu recentemente quatro ultra modernas fragatas Zeven Provincien, também construídas localmente.

Fonte:
http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?NrNot=721

Categories: DefenseNewsPt, Defesa Nacional, Portugal | 6 comentários

Quids S16: Em que dia exato foi tirada esta fotografia?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 30 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S16 | 38 comentários

4 de Junho – Rossio – 18.30 – Tiananmen: 20 anos depois

Acções no dia 4 de Junho de 2009

O Governo Chinês tem-se recusado a levar a cabo um inquérito aberto, independente e imparcial aos acontecimentos dos dias 3-4 de Junho, apesar dos apelos dos governos estrangeiros. Mas é necessário que a justiça acabe por prevalecer e que as vítimas não sejam esquecidas. Nesse sentido a Amnistia Internacional – Secção Portuguesa promove várias acções públicas no próximo dia 4 de Junho, 5ª feira, à qual várias estruturas já demonstraram interesse em se associar:
Acção em Lisboa:
Pretende-se alertar o público em geral e a Embaixada da China em Portugal para a necessidade de fazer justiça às vítimas do 4 de Junho de 1989 e para que acabem as perseguições a todos aqueles que têm tentado lembrá-las, dentro da China. Também se pretende fazer uma homenagem às Mães de Tiananmen, cujos filhos foram mortos durante aqueles acontecimentos e que durante anos e anos tiveram de esconder a sua dor.
A acção a levar a cabo pelo CoGrupo da China, com início às 18h 30mn do dia 4 de Junho, no Rossio, consiste em tentar reproduzir a ocupação da Praça de Tiananmen pelas tropas e consequente brutal repressão:
Voluntários envergando camisolas brancas com dizeres em chinês e em português exigindo “Nunca Esqueçam”, o “Contem a Verdade”, “Faça-se Justiça”, e com uma faixa branca atada na cabeça surgem em uma Praça de Lisboa (talvez o Rossio) e logo se seguem outros voluntários que simulam soldados, com camisolas pretas com uma estrela vermelha, segurando uma espingarda AK 47 (fabricada em polipropileno alveolar e com a imagem da espingarda colada dos 2 lados) e um cartaz com um tanque de guerra desenhado que simulam descargas de balas. Os estudantes caem no chão e a seguir, perto mas não junto a eles., voluntárias depositaram no chão, 6 rosas brancas e 4 vermelhas. Estas flores são o símbolo das Mães de Tiananmen. As rosas brancas representam a pureza do coração dos mortos em Tiananmen e as vermelhas a sua paixão. O número 6 por ser relativo ao mês 6 – Junho e 4 ao dia do mês.

Categories: China | Deixe um comentário

Lost S05E16/17: “The Incident”: Comentários

1. Este episódio começa com uma das cenas mais reveladoras de toda a série: algures, no século XIX, encontramos a primeira visão direta e clara de Jacob. O misterioso líder supremo dos Outros aparece numa sala situada no interior da base das ruínas da estátua de quatro dedos (e aposto que é o mesmo número de dedos dos pés de Jacob) fiando uma tapeçaria semelhante aquela que veste. Esta tapeçaria tem frases em grego que alguém reconheceu como sendo segmentos da Odisseia: “possam os deuses conceder-lhe o que o seu coração deseja” e “possam os deuses dar-te felicidade”. Ou estes “deuses” são os antigos habitantes da Ilha, de que Jacob seria o último sobrevivente ou… São “aqueles que estão a chegar” do final da temporada…

A sala apresenta antigos motivos decorativos pseudo-egipcios e uma fogueira central assim como diverso mobiliário semelhante ao encontrado no túmulo de Tutankamon. Se Jacob vive neste local tão especial da Ilha fá-lo por uma razão e essa só pode ser a de que ele se identifica com os construtores de uma forma que não concede a nenhum dos Outros, nem aos mais fiéis. Nem mesmo Richard parece ser um Outro “original”, já que é tratado por “Ricardus”, um nome latino que pode representar a sua origem romana (um antigo legionário?) ou um marinheiro medieval (o registo de versões latinas dos antropónimos era comum durante a Idade Média). Jacob – como Richard – não envelhece, tendo ensinado ou passado essa característica para o seu “Conselheiro” e logo, pode ser tão antigo como a estátua, sendo o último sobrevivente da civilização (Mu?) que deixou tantas ruínas na Ilha.

2. Jacob, após preparar um peixe, olha para o horizonte para o navio Black Rock que surgiu na primeira temporada da série, o que automaticamente data a cena no século XIX que indicámos no primeiro comentário. Jacob não esta sozinho e a cena mostra-o com a chegada de um homem, vestido também uma camisa feita à mão, mas negra… Cor relevante. Este homem de preto pergunta a Jacob como é que o Black Rock encontrou a Ilha e logo depois acusa-o de ser responsável pelo evento dizendo que “acaba sempre na mesma” referindo-se certamente a outros naufrágios – ocorridos no passado – como aquele que pode ter levado Richard/Ricardus à Ilha. Aparentemente os dois personagens, Obama e o homem de negro já estão juntos na Ilha à muito tempo e têm visões muito diferentes sobre a sua missão aqui. O homem de negro diz que os novos chegados à Ilha trarão destruição e corrupção, enquanto que a Jacob alegar que isso é apenas “progresso”. Ora esta visão do homem de negro, conservacionista e tradicionalista não é aquela que esperaríamos de Cerberus, aka “o monstro de fumo”, o tal “mecanismo de segurança” que defende a Ilha? Ou seja, o homem de negro é, nada mais nada menos, que o Monstro…

3. Na cena de confronto do homem de negro e Jacob, este deixa bem claro que quer matar Jacob. Alega que um dia encontrará uma “fraqueza” em Jacob. É impossível ser mais claro: como a temporada encerra precisamente com a morte de Jacob às mãos de Bem sob as ordens de Jack-Monstro de Fumo cumprindo esta ameaça fica bem claro que este homem de negro é uma forma do Monstro.

4. Quando o homem de negro de afasta, a estátua que na atualidade apenas tem um pé de quatro dedos, é mostrada completamente e em maior detalhe revelando ser não o Anubis (deus da morte) que aparece noutros grafismos em ruínas presentes na Ilha mas Tawaret, a deusa egípcia da fertilidade. Esta deusa é importante, já que não nos podemos esquecer da obsessão dos Outros em resolver o misterioso problema que leva todas as mulheres que engravidam na Ilha, a abortar… Podemos lançar aqui a hipótese: será que foi precisamente por terem deixado de ter filhos que os habitantes da Ilha (Mu?) se extinguiram, deixando para trás apenas ruínas e… Jacob, o último muano?…

5. Aparecem neste episódio varias cenas em que Jacob acompanha a vida dos sobreviventes do Oceanic 815, mesmo muitos anos antes do acidente. No mesmo episódio, Bem reconhece que fora Jacob que elaborara a lista de sobreviventes a recolher pelos Outros (um dos mistérios de , agora resolvido). Assim se explica: fora Jacob que selecionará muito criteriosamente (mas sob que critérios?) os sobreviventes que haveriam de seguir nesse voo.

6. Se ainda dúvidas havia, deixaram de haver… Ilana aparece gravemente ferida num decrépito hospital russo e recebe a visita de Jacob. Logo, é uma Outra, mas que faz parte do núcleo exterior à Ilha.

7. Quando Jacob ajuda Jack e lhe entrega uma barra de chocolate Apollo (uma marca que só existe em Lost) acrescenta que: “Talvez tudo o que precisasse fosse um pequeno empurrão”. Esta indireta é uma referencia clara à estratégia de Jacob de introduzir na Ilha elementos externos (terá sido ele também o promotor da presença da Dharma Initiative).

8. Juliet cai pelo poço da escavação da Cisne e detona a bomba de hidrogénio com uma pedra até que esta explode numa luz branca. Este será assim o “Incidente” a que Alude o filme de treino de “Orientação” da Estação Cisne: a explosão da bomba e o efeito desta na bolsa magnética no subsolo da Cisne. De novo… Fica claro que as viagens no tempo em Lost ocorrem numa única timeline.

9. Frank Lapidus é promovido à condição de “candidato” a Outro pelo grupo chefiado por Ilana, que transporta uma misteriosa caixa metálica que se revela ser o caixão do… Verdadeiro John Locke. Porque o selecionaram, se não fazia parte de nenhuma das “listas” de Jacob?

10. Quando Ilana pergunta a Richard/Ricardus usa a frase reconhecimento “o que está na sombra da estátua?” a que este responde: “Ille qui nos omnes servabit”, o que em latim significa algo como “aquele que nos salvará a todos”. Jacob, portanto… A frase é uma afirmação do poder de Jacob sobre os Outros e o quanto dependem da sua vontade, mais do que de qualquer outra coisa.

11. Pouco antes morrer, às mãos de um vingativo Bem, Jacob diz “eles estão a chegar”. Quem? Não há dados sobre a identidade destes “eles”, mas será que Jacob se referia aos “eles” que estiveram ausentes nesta temporada de Lost, isto é, o grupo de sobreviventes que viajou no tempo até 1977?

12. Jacob quando vê entrar “Locke” percebe imediatamente que se trata do “homem de negro” que o ameaçara de morte, aquele que nos associamos ao “monstro de fumo”.

13. Sayid anda às costas com uma bomba de fissão nuclear “portátil” que estaria dentro da bomba de fusão “Jughead”. O problema é que na data em que essa bomba teria sido construída (1954) nenhuma dessas bombas de fissão “detonadoras” seria tão pequena ao ponto de poder ser transportada às costas por alguém…

Categories: LOST (Perdidos) | Etiquetas: | 23 comentários

MESSIANISMO ALENTEJANO

Categories: Humor | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade