A Zâmbia vai adotar a língua portuguesa no seu Ensino Básico

(http://www.amblusaka.um.dk)

Depois de notícias que davam conta da expansão da língua portuguesa no Uruguai a partir de 2010 (ver AQUI), da possibilidade da utilização do português na Guiné Equatorial (ver AQUI) a notícia de que a língua de Camões passaria a ser ensinada, também, em escolas zambianas indica que a expansão da Lusofonia no mundo não só está para ficar, como que a sua força propulsora já não é a pátria-mãe da língua, Portugal, mas os próprios países que a adoptaram como sua língua oficial. No caso uruguaio, tal adopção decorre da influência brasileira, no caso zambiano, da influência angolana e no caso (mais polémico) da Guiné Equatorial da proximidade da Guiné-Bissau. Segundo o ministro zambiano da Educação, Ronald Mukuna, a introdução do português nos currículos escolares do Ensino Básico, poderia ocorrer já a breve prazo e permitiria estreitar ainda mais os laços económicos e culturais que unem estes dois países do Sul de África.

Fonte:
http://groups.google.com/group/observatorio-lp/browse_thread/thread/0ceed42f7e0767a4/0c8242fdbe5b0178?show_docid=0c8242fdbe5b0178&pli=1

Categories: Educação, Lusofonia, Movimento Internacional Lusófono, Nova Águia, Portugal | Etiquetas: | 8 comentários

Navegação de artigos

8 thoughts on “A Zâmbia vai adotar a língua portuguesa no seu Ensino Básico

  1. Fred

    Clavis, pela indicação o meu muito obrigado!:), ultimamente não tenho conseguido atualizar o Aurora, tenho alguns textos já parcialmente escritos, mas nenhum concluído. 😦

    Agora em meados de junho já acredito ter condições de voltar a públicar.

    Sobre o tema, o Brasil tem investido muito na África, principalmente no intercâmbio tecnológico e no agronegócio.
    A Namibia, com a ajuda na criação de sua marinha.

    A Embrapa ajuda no agronegócio e na produção de alimentos em Serra Leoa, Gana, Moçambique e Angola.

  2. já tinha reparado!… mas vou sempre passando por lá, de quando em vez…
    Tenho seguido essas noticias, assim como a missão militar para a Guiné (causa que me é muito cara) lamentando que estas movimentações estejam a ser unilaterais e não no âmbito da CPLP…

  3. Pingback: Língua portuguesa « ACHETUDO

  4. Anita Gomes

    Desculpem, mas há um erro no texto ao afirmar que a Guiné-Equatorial adotou o português em virtude da proximidade com a Guiné-Bissau, pois ambas ficam em regiões distintas da África, separadas por mais de mil quilômetros. Sendo assim, o interesse da Guiné-Equatorial no português se deve mais a fatores econômicos e talvez à proximidade com São Tomé e Príncipe.

    Sugiro a correção dessa informação no texto.

  5. proximidade relativa… nunca disse que tinham fronteiras comuns, mas ambos os países estão no Golfo da Guiné, ainda que em extremos opostos.

  6. João

    Anita, tens toda a razão. O Clavis enganou-se mas tem dificuldade para reconhecê-lo. No golfo da Guiné estão a Guiné.Equatorial e S.Tomé e Principe. Outro facto é o passado português de algumas ilhas da Guiné-Equatorial (Ano Bom, etc.). A influência da Guiné-Bissau na Guiné-Equatorial é mais ou menos a mesma que a influência da Papua-Nova Guiné…
    No entanto, parabéns Clavis e obrigado pela informação geral.

  7. Rui

    Ainda bem que tem gente acordada! Quando li “no caso (mais polémico) da Guiné Equatorial da proximidade da Guiné-Bissau” fiquei de boca aberta.

  8. Dishnet Offers Numerous Entertainment Programs

Deixe uma Resposta para João Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: