O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) declara que quem vive com o ordenado mínimo em Portugal deve ser expulso

“Deram-me 20 dias para deixar o país. Incrédula com a ordem de expulsão do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras recebida no inicio do ano pelo correio (…) Disseram que não tinha como me manter em Portugal (…) Apesar de ganhar apenas um pouco mais do que o salário mínimo (450 euros), a brasileira contesta a alegação de que esse valor é insuficiente para viver: se acham que não dá para viver com isso, porque não aumentam o salário mínimo?”

Esta história – confirmada no essencial pelo SEF – levanta uma serie de questões:

1. Onde está a substância, o fundamento e a base legal para este comportamento e atitude arbitraria e desumana do SEF? Um órgão de polícia não devia pautar o seu comportamento pela adesão à mais estrita das legalidades?

2. Se o Estado considera que o ordenado mínimo não é suficiente para sustentar alguém, em Portugal, porque não mantém a coerência e decreta a expulsão do milhão de portugueses que conseguem o feito inédito de sobreviver com este ordenado mensal? (aparentemente, ninguém no SEF ganha tão pouco)

3. Esta é a atitude que devemos ter para com um país que na História recente acolheu tantas centenas de milhares de portugueses que emigraram com bem menos condições do que um “salário mínimo” e refizeram no Brasil a sua vida, enviando sempre remessas de volta para Portugal?

Fonte:
Jornal Sol, 9 de maio de 2009

Anúncios
Categories: Economia, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 33 comentários

Navegação de artigos

33 thoughts on “O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) declara que quem vive com o ordenado mínimo em Portugal deve ser expulso

  1. Xenofobia com justificativa? se a onda pegar ..

  2. ou melhor, justificar a xenofobia …

  3. À espanha agora portugal está precisando de retaliações do BRASIL , estão com atitudes extremamente antiBRASILeira.portugal ñ cumpre um acordo q só trará beneficios quanto a lingua , e tampoucoa espanha. Vamos aguardar os próximos passos e atos do itamarati..é a hora de mostrar força.

  4. não passam (SEF) de imbecis, inebriados pelo poder a arbitrariedade. nada mais. minoritários (e muito) em Portugal. Provavelmente na mesma proporção de imbecis que também há por aí… ou não viéssemos todos da mesma matriz…

    (nota esta atitude do SEF foi contra uma brasileira, mas não duvido que também o está a fazer contra outras nacionalidades)

  5. Sei..+ logo de BRASILeiros?ér mt estranho, é por causa de sálario mínimo local?O que verdadeiramente está por trás desta ação? Auto afirmação contra o acordo linguístico? Sobre o quê? É mtperigosa está atitude…basta a espanha, retaliações viram , estão esquecendo acordos firmados.

  6. não.. o SEF diz que há muito imigrantes com rendimentos não-declarados e quer levá-los a declará-los, dizem.
    O problema é que são os empregadores que não querem declarar esse ordenados!

  7. pedronunesnomundo

    CP: nestes comments encontro o sal que sabia existir – ainda que não evidente – no post: esta NÃO É uma questão contra BRASILEIROS

    quando o ARGUS embarca na da “xenofobia” só ajuda – como sempre alguém ajuda – a deitar gasolina para a fogueira do disparate

    estamos a falar de pouco mais de casos isolados de imigrantes que se viram nesta situação e de nenhum aluimento de terras que deitasse todos os brasileiros em bloco ao oceano numa espécie de “progrom” de parvos…
    afirmo – e se eu sou crítico da idiota forma de gerir este Estado! – que serem brasileiros ou etíopes, para além de arbitrário, é totalmente aliatório

    o que é verdade, tristemente, é que nesta terra ninguém sabe às quantas anda

    não se sabe porque se limita
    não se sabe quem se limita
    não se sabe como se o faz
    porque também não se sabe como integrar quem não se rejeita
    porque também não se rejeita ninguém

    portanto, Argus: quais “retaliações”? deixa-te estar quieto que o nosso castigo já é grande por natureza

  8. sim, também acho que sim.
    não há no SEF uma atitude (aqui) anti-brasileira.
    Há uma arrogância que resulta da ignorância e do abuso de poder “apenas” isso.
    o carlos refere-se às hesitações lusas quanto à adopção do Acordo de 1990. Muitos há no Brasil que acham que Portugal não está a honrar os compromissos assinados em 1990 (é verdade) e que devia ser sancionado por tal…

  9. + meu caro, é sempre nos BRASUCAS as vítimas em portugal, até com o famoso”Fora BRASILEIROS ” , a tempos atrás foram os dentistas, quem + do BRASIL? É as retaliações é chamar o embaixador p/ o BRASIL,vamos conversar…em OFF.Tem de ter reciprocidade , ainda + entre países irmãos, at´re a relutância em cumprir um reles acordo ortográfico..Dá o que pensar.

  10. A questão aqui, passa por o SEF achar que quem ganha pouco não terá dinheiro para lhe pagar. No momento em que o Estado viu nos imigrantes uma fonte de lucro, não tardou a aproveitar a “mama” e a explorá-los, tal com já faz com os indigenas.

    Acho vergonhoso que se queira expulsar pessoas que trabalham honestamente, sendo muitas vezes exploradas e se deixe por aí à solta e à vontade gente criminosa. Mas no fundo, ao invés de ser um filtro, o SEF é mais uma máquina de dinheiro. Desde que paguem as eevadas taxas, tudo bem…

  11. joão alves

    Meus amigos,não sou racista,não tenho nenhum tipo de preconceito,mas tambem acho que qualquer cidadão estrangeiro que esteja em portugal a ganhar o salário minimo deverá ser expulso do pais.Com a actual crise que afecta o nosso pais não pode haver encentivos á mão de obra baráta,estes emigrantes que procuram portugal e que desempenham qualquer trabalho a troco de 450 euros é porque alem de desempenharem trabalhos não qualificados,a maioria tambem é mão de obra não qualificada ( com a excepção de alguns cidadãos ucranianos ou russos),o nosso pais precisa de mão de obra altamente qualificada,gente que venha para o nosso pais trazer algo de novo,que traga enovação,que nos ajude a sair do lamaçal em que nos encontramos.Estes emigrantes que ganham 450 euros só vem para portugal engrossar a lista da miséria e dos subsideo dependentes,estes emigrantes só contribuem para o ” DUMPING” social.Já sei que me vão dizer que temos mais de cinco milhões de portugueses espahados pelo mundo,e a maioria é mão de obra não qualificada,eu tambem sei disso,mas se os outros paises quiserem repatriar esses portugueses pela mesma razão,pois bem,só temos que aceitar as decisões de um pais sobrano.Portugal tem que parar de importar miséria,chega de demagogias,andamos com esta politica de emigração á mais de trinta anos,os resultados estão á vista,somos o pais mais pobre da europa ocidental.Não quero receber os brasileiros das favelas analfabetos,quero antes receber os grandes medicos,os grandes engenheiros que o brasil tem,não quero receber os pobres coitados dos palop´s,quero receber os cidadãos destes paises formados e com bons conhecimentos tecnicos.Parem com a utilização baráta da palavra ” racismo “,já está gasta.
    Desculpem,sei que não sou politicamente correcto mas sou verdadeiro.
    Não quero ferir a susceptibilidade de ninguem,independentemente da raça,proveniencia ou relegião

  12. a verdade é que se há emprego para emigrantes não qualificados é porque esses empregos não são ocupados por portugueses.
    dir-me-ão que os salários médios em Portugal não são compatíveis com o nosso nível de vida “europeu” (especialmente após a introdução do Euro) e é verdade. Mas com a nossa demografia, com a existência de um mais elevado nível médio de qualificação que a média brasileira, isso não abre espaço a essa emigração não-qualificada? Penso que sim, e que as vantagens económicas são mútuas.

  13. A questão demográfica não é justificativa. Não houve uma queda demográfica, houve sim uma desacelaração no crescimento, mas ele ainda existe.

    Essa desacelaração devia ser resultado de uma mudança social e de mentalidade, em que se prefere criar “bem” um filho ou dois a ter seis, sete ou oito e depois dizer: tudo se cria. Isso foi o que aconteceu em alguns países do primeiro mundo. Aqui não é só isso que faz os casais terem menos filhos. Não! O que faz os casais terem menos filhos são os fracos rendimentos do trabalho, o elevado custo de vida ( relativamente ao que se ganha ), a incerteza no futuro, a falta de tempo ( quantos não trabalham muito além das 40 por semana? ) e até a falta de infraestruturas adequadas – creches, jardins de infância – ter um filho num jardim de infância pode “limpar” 1/3 de um ordenado!

    Mas não vamos resolver este problema “importando” pessoas! Não estamos a falar de cabeças de gado. Vamos criar condições para as familias residentes e, só então, pensaremos em abrir as portas do país, pois só assim poderemos dar condições condignas também a quem vem para cá.

    Será que o país pode absorver tanta gente?

    Tenho dúvidas! Isto não são os anos 50/60/70 da Europa Ocidental…

    Não me parece!

    Sabem quanto tem um estrangeiro de pagar ao SEF? Muito!

    O SEF deveria ser um crivo que filtrasse o que entra em Portugal, mas tudo o que faz é ser mais um balcão de pagamento de impostos.

    Devemos abrir as portas e dar condições a pessoas honestas e trabalhadoras, os criminosos, esses deviam ficar à porta. Porcaria já cá temos muita.

    A comparação com os portugueses que partiram para Brasil, França, Alemanha, etc, etc, é sempre uma faca de dois gumes… Aqueles eram tempos de expansão económica em que os países de acolhimento precisavam realmente de mão-de-obra. Mas os Audis, Mercedes, BM’s só enganam os incautos… Aquilo era duro e os portugueses iam fazer os trabalhos de merda ( às vezes literalmente… ) que os locais não queriam.

    Será que isso acontece agora? Amigos, quando abre uma vaga para o mais reles dos empregos cá em Portugal concorrem às centenas e metem cunhas e tudo!

    Nunca ouvi falar de gangs de portugueses, de máfias portuguesas… Se houvessem, defendia punição exemplar para eles e não teria cá problemas por serem portugueses. Criminoso é criminoso!

    A conjuntura é MUUUUITO diferente!

    E essa questão da qualificação… Sim temos qualificações… Em teoria, no papel…

    O que se vê é os coitados dos estrangeiros ( muitas vezes com altas qualificações ) a carregarem baldes de massa ou a fazerem grelhadinhos…

    Depois há os espertalhões que já aprenderam a viver do sistema, a usar o corpo ou quebrar as leis por sistema…

    Há que recompensar os honestos e punir os criminosos! É isso que tem faltado!

    Sim, no SEF ganham bem mais…

  14. esta questão é muito profunda e potencialmente polémica, especialmente em época de crise económica…
    O conceito de que devemos favorecer a imigração qualificada e rejeitar “maus elementos” é pacífico, assim como o esforço para a qualificação dos nacionais. Mas há outros pontos onde discordo, nomeadamente no campo da nossa demografia, do papel da imigração na mesma e no aspecto positivo que se reflete todas as sociedades de acolhimento (em desfavor daquelas que deixam sair a sua população ativa).

  15. Guga

    Para início de conversa sou brasileiro e vivo no Brasil. Acompanho com regularidade o blog e resolvi manifestar minha opinião no que percebo se tratar de uma ação arbitrária de um órgão do governo português.
    Reconheço que em um momento de crise econômica (talvez mais representativo para vocês do que para nós)uma medida xenofóbica como essa irá garantir muitos aplausos. Tenho amigos portugueses que vivem aqui no Brasil e um deles me confidenciou a marcante xenofobia existente em Portugal, notadamente com relação a brasileiros, sou neto de portugueses, arquiteto, pós-graduado em uma das mais renomadas universidades brasileiras, grande admirador de arquitetos portugueses como Fernando Távora, Eduardo Souto de Moura e Álvaro Siza (esse último filho de um brasileiro)e mesmo assim não me sinto a vontade de marcar uma visita ao vosso país, tenho receio de encontrar um país fechado a visitantes brasileiros, e gostaria de frisar a palavra VISITANTE.
    Sei que existem exceções à regra, este blog é uma delas, porém, penso que Portugal não se preocupa nem um pouco em mudar a forma como é visto por aqui, um país “irmão” deveria lembrar de todo vínculo histórico existente entre nossas nações, inclusive todo ouro extraído do Brasil pela então metrópole portuguesa, O acolhimento da família real portuguesa em 1808, a Casa de Orleans e Bragança laço histórico de ambas nações.
    A xenofobia portuguesa me deixa triste e acima de tudo bastante confuso.

  16. esses fenómenos ocorrem em todas as sociedades onde o fenómeno das migrações se começa a verificar com um dado volume. Portugal estava desabituado a acolher tantos imigrantes, e começou a fazê-lo a partir da década de 80. Isso criou tensões sociais naturais, mas muito minoritárias… o “nosso” partido de extrema direita, um tal de PNR tem menos de 1% dos votos e se existe é porque resulta de uma “tomada de poder” interna de um grupo de skins contra um partido previamente existente porque nem sequer conseguiram assinaturas bastantes para formar um partido…
    Xenofobia há em todo o lado. Até no Brasil, de onde de quando em vez tenho que apagar comentários muito insultuosos…
    É ignorar essa gente e seguir em frente no nosso propósito.
    Quanto à política externa portuguesa dar pouca prioridade à relação com o Brasil, é um facto. Facto que eu (e o MIL) tudo temos feito para combater.

  17. Sr. Clavis , és um destes que empunha a bandeira da tolerância..e desprezo a xenofobia..existe até nazistas no BRASIL..pais com maioria de descendentes negros , = a eu,eufemisticamente “Pardo”…queira desculpar so comentarios destes animais hidrofobos…e vamos tentar nos unir para formar um grande país lusofóno.Parabéns.

  18. essa é a ideia e o grande projeto do MIL, carlos…
    passando por cima de todos os xenófobos de todos os países.
    nomeadamente, os “carecas” do Brasil:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Skinhead

  19. “um país fechado a visitantes brasileiros”

    Onde? É claro que como em todos os países há uma minoria que não gosta de estrangeiros, mas dizer que Portugal é um país fechado a visitantes é não ter a miníma noção daquilo que Portugal é neste momento. Só falta mesmo dizer que o Algarve é uma região fachada a estrangeiros…

    “Tenho amigos portugueses que vivem aqui no Brasil e um deles me confidenciou a marcante xenofobia existente em Portugal”

    Ele não estaria a falar de outro país?… Eu não acreditaria muito no que esse amigo diz, se isso é representativo das suas outras “confissões”…

    “e mesmo assim não me sinto a vontade de marcar uma visita ao vosso país”

    Certamente medo de ver paradas SS a desfilar pelas ruas e a espancar estrangeiros e a dizer: Achtung Juden! Ou o Le Pen em S. Bento. Quer dizer… Esta frase só me deu vontade de rir…

    “todo ouro extraído do Brasil”

    Que pena não terem sido ingleses ou Holandeses a colonizar o Brasil… Essa boa gente honesta não teria certamente tocado numa só petita, no bom espirito de justeza e humanidade que sempre os caracterizou… LOL!!!!

    Estou neste momento a mostrar este comentário a um amigo do Rio, que vive cá em Portugal e ele também está a rir.

    Enfim… Espero que haja alguma racionalidade.

  20. Guga

    Ao Sr. Sa Morais,

    Acredito que houve algum mal entendido em minhas palavras, não tentei desmerecer a minha herança lusa nem associar Portugal a um estado fascista.

    Trabalhei com fatos e informações que me eram confiadas por pessoas com quem trabalhei e respeito.Porém, o Sr. deveria conferir as notícias de alguns de seus periódicos, quando procuramos a palavra “Brasil” em qualquer um de seus periódicos online encontramos dois tipos de notícia: Ou fala-se de futebol ou de violência. Isso é um fato! Ponto.

    Leia os comentários e o Sr. irá observar o quão tolerantes são seus conterrâneos quando fala-se em brasileiros morando em Portugal. Concordo, no entanto, que as matérias são visivelmente redigidas e direcionadas pra isso.

    Admiro e respeito a posição do MIL, porém, penso que posturas radicais e desrespeitosas com a do Sr. Sa Morais só corroboram com a intolerância e a falta de bom-senso que supostamente estão ausentes de portugueses para com brasileiros.

  21. Sejamos claros:
    A principal missão deste espaço é aproximar. Não separar.

    Sá Morais:
    “um país fechado a visitantes brasileiros”
    Onde? É claro que como em todos os países há uma minoria que não gosta de estrangeiros, mas dizer que Portugal é um país fechado a visitantes é não ter a miníma noção daquilo que Portugal é neste momento. Só falta mesmo dizer que o Algarve é uma região fachada a estrangeiros…”
    -> Concordo. Portugal continua a ser um dos países (se não o mais) aberto a estrangeiros, e sobretudo aqueles que para cá vem trabalhar. Veja-se por exemplo a perniciosa normativa do retorno: há países europeus que permitem a detenção de um emigrante ilegal por 3 anos, em Portugal esse valor é de “apenas” 60 dias (demasiado, para quem não cometeu nenhum crime, mas menos que no resto da Europa)

    ““Tenho amigos portugueses que vivem aqui no Brasil e um deles me confidenciou a marcante xenofobia existente em Portugal”
    Ele não estaria a falar de outro país?… Eu não acreditaria muito no que esse amigo diz, se isso é representativo das suas outras “confissões”…”
    -> Não nego que há casos de xenofobia. Mas conheço bem outros países europeus e assevero que a xenofobia é-o em muito menor escala que em quase todos eles. Prova disso é votação de partidos xenófobos em França e na Austria comparada com a de que têm em Portugal (bem menos de 1%…)
    -> A “marcante xenofobia” não existe.

    ““e mesmo assim não me sinto a vontade de marcar uma visita ao vosso país”
    Certamente medo de ver paradas SS a desfilar pelas ruas e a espancar estrangeiros e a dizer: Achtung Juden! Ou o Le Pen em S. Bento. Quer dizer… Esta frase só me deu vontade de rir…”
    -> Se o fizer será bem recebido.
    -> O que não quer dizer que não tenhamos por cá idiotas. Temos. Mas posso acrescentar que ao longo dos anos tenho apagado aqui no Quintus mais comentários a insultar portugueses do comentários escritos no sentido oposto. Infelizmente.

    ““todo ouro extraído do Brasil”
    Que pena não terem sido ingleses ou Holandeses a colonizar o Brasil… Essa boa gente honesta não teria certamente tocado numa só petita, no bom espirito de justeza e humanidade que sempre os caracterizou… LOL!!!!”
    -> Nenhuma outra nação transferiu para uma “colónia” a sua capital e o seu rei. Nenhuma outra nação europeia deixou no trono da “colónia” o seu próprio rei.
    -> Nessa época (do Ouro, dos Diamantes, do Pau Brasil, etc) não havia “portugueses” e “brasileiros”. Todos eram “portugueses”, não havia quem explorasse quem, isso seria verdade nos colonialismos europeus do século XIX e XX, mas não no mundo brasileiro do século XVI e XVII e XVIII.

    Guga:
    “Trabalhei com fatos e informações que me eram confiadas por pessoas com quem trabalhei e respeito.Porém, o Sr. deveria conferir as notícias de alguns de seus periódicos, quando procuramos a palavra “Brasil” em qualquer um de seus periódicos online encontramos dois tipos de notícia: Ou fala-se de futebol ou de violência. Isso é um fato! Ponto.”
    -> Isso não é bem assim. Fala-se de jogadores brasileiros a viver em Futebol, mas em Portugal há uma deriva irracional para temas do Futebol e fala-se infinitamente mais de Ronaldo atualmente do que qualquer outro jogador de futebol. Violência é referida, sim, quer no Brasil (onde este é ainda um enorme problema por resolver) e em Portugal (onde efetivamente nos últimos 1.-2 anos chegaram alguns elementos menos desejáveis que vieram afectar a imagem dos imigrantes brasileiros de vagas anteriores). Mas observo que em Portugal se fala muito mais do Brasil, do que vice-versa e que as notícias positivas batem largamente as negativas. Vá ao news.google.pt e veja você mesmo, Guga.

    “Admiro e respeito a posição do MIL, porém, penso que posturas radicais e desrespeitosas com a do Sr. Sa Morais só corroboram com a intolerância e a falta de bom-senso que supostamente estão ausentes de portugueses para com brasileiros.”
    -> Francamente não vejo “intolerância e falta de respeito” nas palavras do Sá Morais, Guga.
    -> Admito que há problemas na relação entre os dois países e estes existem sempre quando há movimentações migratórias. Mas Portugal é, ele próprio, um país de migrações (5 milhões de portugues no estrangeiro) e invulgarmente tolerante, pela sua História, Cultura e até pela matriz miscigenada do seu povo. Por isso, o racismo nunca terá grande expansão em Portugal. Haverá xenofobia, claro, mas não em números significativos e na resposta do Sá Morais, francamente não o reconheço.

  22. Nem poderia haver qualquer xenofobia… O que houve foi um total desconhecimento daquilo que é Portugal. TOTAL! Há por aí muitos mitos e “Adamastores” a contribuirem para um juizo totalmente errado!

    Acho que o Clavis já disse o que eu diria.

  23. sou brasileiro estou ca a 4 meses nao tenho nada contra os portugues sei que eles sao ate acolhedoris o q acontece e que aqui ta muito dificil ate para eles ja vi portugues pedindo esmola na rua reclamando de falta de servicos mais so que tem muitos trabalhos que eles nao querem fazer, preferindo assim ficar nos albergues comendo a custuta do governo que ja nao tem nada p oferecer assim que estao as coisas por aqui.

  24. parcialmente é verdade… se assim não fosse não continuaria havendo trabalho para muitos imigrantes sem qualificação de qualquer tipo, como sempre vai havendo… é assim, aliás, em todos os países da Europa Ocidental, devo dizer.

  25. Antonio Soares

    Vivo no Brasil há cinco anos e ainda continuo diáriamente a ser vítima de xenofobia e preconceito. Pago milhares de reais em impostos mensalmente e continuo a ser discriminado pelas entidades públicas de um modo surrealista. Várias pessoas me dizem para regressar ao meu País, se não estou feliz aqui, e eu respondo que se me devolverem o investimento que fiz saio na hora. Aí calam-se. São cobardes.

  26. celia

    Eu axo lindo o brasil a lingua e a alegria das pessoas! Vivo em Portugal e sei q mtos brasileiros as vezes sao escravizados,mas ah outros q estao bem em Portugal. E tudo uma questao de sorte**

    Felicidades a tdos os cidadaos brasileiros

  27. meu visto residencia venceu como renovarei estou no brasil trabalhando

  28. não faço ideia… o melhor mesmo é contatar a embaixada portuguesa, penso eu…

  29. Darth Kahaeldraan

    Ah, até que enfim, o Quintus abordou o tema mais espinhoso da lusofonia. 🙂
    É por esse motivo é que eu acredito que uma união entre Brasil e Portugal acabaria em desastre nesta época. Não estou aqui para ser juiz e nem promotor de justiça, para fazer acusações seja contra os portugueses ou brasileiros.
    A princípio, eu acho que não há nada de pecaminoso no fato de um brasileiro ir a Portugal e nem no fato de um português vir ao Brasil. Mas, se a imigração brasileira
    em Portugal provoca tanta discórdia, tanta rejeição, tantos problemas sociais, tantos conflitos… isso tinha que ser revisto. Primeiro, eu sei que as nações européias e o Japão estão a séculos e até milênios, culturalmente enraizados, e esses povos não têm facilidade para lidar com estrangeiros, que têm cultura e hábitos diferentes. Já EUA, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Argentina, Uruguai, Chile, Brasil, África do Sul, são países formados por imigrantes, e por antigos colonos. São nações mais recentes. Isso, eu levo em consideração. Eu já passei diversas vezes pela situação de ter a minha opinião consultada quanto a escolha de um país para onde algum brasileiro amigo meu ia se aventurar em busca de uma vida melhor. E pediam a minha opinião por eu ser mais conhecedor do que eles em História, Geografia, idiomas, etc… e por eu ter amigos e conhecidos vivendo no exterior. Para emigração ou trabalho temporário, eu não recomendava a nenhum deles escolher qualquer um país da Europa. Perguntava se sabiam Inglês, qual o nível de proficiência, e sempre “desenhava” o caminho para eles. As melhores opções são o Canadá, a Austrália e a Nova Zelândia, por serem países em formação, e têm milhares de imigrantes. São países formados por imigrantes e decendentes. Podem me perguntar se eu já estive num desses países. Eu respondo desde já, eu nunca pisei em terras desses países, mas tenho conhecidos e amigos brasileiros confáveis morando nesses países e me relatam o que acontece por lá. E fico curioso que nos EUA e Canadá, há casos de brasileiros e portugueses morando nos mesmos bairros. Dá pra ver como se odeiam!:D
    Sempre, sempre, ir para outro país, só LEGALMENTE.
    Agora, não sou dono da vida de ninguém, não posso impedir ninguém de fazer o que quer, não posso interferir, só opino para quem pede a minha opinião. Quem já se decidiu, eu o respeito. Quer ir ilegalmente, só posso sentir dó, porque vai comer o pão que o diabo amassou, vai sofrer muito. Teria sido melhor ter aceito um “não” do consulado numa boa, e ter tentado outra opção. Não adianta postar mensagens me insultando, porque, embora eu seja do Mal, do lado negro da Força, (;)), neste assunto eu digo essas coisas querendo poupar as pessoas de sofrerem lá na frente. Estão sabendo que lá existe rejeição, não vão! Querem ir, então vão em paz e espero que sejam felizes, que se realizem!
    Pessoal, não são todos os portugueses que odeiam todos os brasileiros e vice versa. Mais de uma vez, eu entrei em contato com a SIC, canal de televisão, pela internet, e fiz algo que a comunidade portuguesa no Brasil não gostou, mas não sabe que eu fui um dos responsáveis por isso. 🙂
    Eu disse que não concordava com o fato de só a RTP internacional ser transmitida como canal de TV a cabo no Brasil, e pedi a SIC que transmitisse para cá também a SIC internacional, para termos pelo menos dois canais portugueses. O cara que respondeu o meu e-mail me deu um atendimento de excelente qualidade, de uma gentileza polida, e a Sky trocou a RTP pela SIC. Hoje, temos a RTP e a SIC. Os tugas que assinam a Sky no Brasil não gostaram, até protestaram, mas… e mais adiante, vou ver se consigo trazer a TVI como canal a cabo pra cá também. 🙂
    Uma das melhores amigas da minha mãe visitou como turista Portugal e Espanha dias atrás, voltou “apaixonada” pelo povo português, pelas paisagens, não mencionou nada sobre maus tratos, nem do SEF. Anos atrás, eu já confrontei portugueses xenófobos na internet, sim, já li comentários ao ponto de chegar a achar que eles iam vir ao Brasil pra me matar. Mas eu tenho constantes contatos com portugueses pela internet, e dizer que nenhum deles gosta de brasileiros e do Brasil não é verdade! Mas não é mesmo! Generalizar não é o caminho. Mesmo se o Brasil se tornasse um país desenvolvido, sempre vai ter aquele grupo de portugueses que não gostam do Brasil e de brasileiros e sempre vai ter aquele grupo de brasileiros que não gostam de Portugal e nem dos portugueses. Isso é uma infelicidade inevitável. Se tem ingleses que não gostam nem de americanos, canadenses(canadianos) e australianos, não se sabe a razão, mas não gostam, e tem americanos que não gostam de europeus, porque o Brasil e os brasileiros vão ser 100% aceitos no mundo? Na verdade, os portugueses que rejeitam os brasileiros, a maioria só rejeita imigrantes, mas não tem nada contra os demais que estão fora de Portugal. Por exemplo, excluindo os débeis mentais, os brasileiros e portugueses que se encontrarem na África do Sul, um terceiro país que nem é lusófono, na copa, não vão brigar entre si. Vão até estabelecer amizades entre si, alguns deles.

    • Darth Kahaeldraan

      Relendo, agora que eu percebi. Este tópico é de 2009. Que gafe a minha! Vi o tópico de repente, achei que fosse novo.

      Enfim, não gosto da xenofobia lusa contra o Brasil e nem da xenofobia brasileira contra Portugal, pois considero improdutivo para ambos os países. Acho que não é um comportamento inteligente. Desejo que, caso o Brasil realmente prospere daqui para frente, cada vez menos brasileiros tenham que sair daqui, se afastar de seus familiares, amigos por falta de opções de trabalho. Só saiam aqueles que realmente querem, por gostar de outro país e que saiam em paz, sem atritos lá fora. E os que estão lá fora porque não tiveram oportunidade de trabalhar aqui mesmo, e estão sofrendo, que possam voltar. E os que estão bem lá fora, permaneçam bem. E os que foram para fora para fazer coisas erradas, que criem juízo e parem de fazer coisas erradas. Porque sei que existem aqueles que não respeitam princípios e que não são só de nacionalidade brasileira os que saem do seu país para fazer coisas erradas em outros países.

  30. estás perdoado, Darth! eu próprio me surpreendo frequentemente com a longevidade de certos posts no Quintus! 🙂

    é improdutiva e estúpida… e penso como tu: a raíz do desenvolvimento humano e económico só pode estar na Economia Local e nos países de origem, não na emigração e no deseraizamento. A emigração é uma solução de recurso, muito usada por Portugal no passado recente e novamente agora (para o RU e Angola) e nada é mais estúpido que ver um português tratar mal um migrante…

  31. Darth Kahaeldraan

    Bom, já que o tópico foi “reaberto”, então vou concluir as minhas opiniões. Até peço desculpas aos brasileiros que realmente não mereceram porém foram maltratados ou pelo SEF ou por patrões exploradores em Portugal, mas no geral, não posso apoiar retaliações generalizadas contra o povo português. Acho que o homo sapiens tem o péssimo defeito de desmerecer quem é menos afortunado financeiramente, e isso é em todo mundo. Pobres não são amados por quem está financeiramente melhor. E os incultos são também desmerecidos. Isso não é Portugal contra Brasil. Apenas que imigrantes pobres não são queridos e nem bem vindos.
    No passado, o Brasil recebeu muitos imigrantes de diversas nacionalidades, e se não fossem aqueles imigrantes, incluindo os imigrantes portugueses entre eles, o Brasil não teria expandido os setores secundário e terciário da economia. Até hoje seria só um agroexportador. Imigrantes como os japoneses, os sírios e libaneses, os judeus, os armênios, os poloneses e ucranianos, os alemães, os italianos, os espanhóis, os portugueses, entre outras nacionalidades, enriqueceram a gastronomia e a cultura brasileira de um modo geral. E todos os tipos de imigrantes sofreram discriminação e preconceito pela sociedade brasileira da época. Gente de todos os tipos de nacionalidade foram humilhados por muitos brasileiros natos da época. Se alguém duvida, que pesquise profundamente a História do Brasil! E o Brasil vai receber mais imigrantes em grande escala ainda, mesmo que ilegais. Imigrantes da América Latina mesmo, da China, da Coréia, da Índia, da África, e os brasileiros podem se acostumando com a idéia, e podem se preparar para o choque cultural, pois nem todos os imigrantes terão hábitos e costumes agradáveis. Vão ter muitos brasileiros falando bobagens como que o governo deve “proibir a imigração”, “mandar os imigrantes embora daqui”, “imigrantes vieram roubar os nossos empregos”, no século XXI.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: