Porque é que o exército do Sri Lanka não cedeu às pressões ocidentais por um Cessar-Fogo?

“Face aos apelos do Ocidente para uma solução pacifica, Pequim é neste momento o maior aliado de Colombo, por motivos estratégicos. “A súbita construção de um grande porto chinês no Sri Lanka explica como é que o Exército está em vias de derrotar a guerrilha tamil, sem que os governos ocidentais consigam negociar um cessar-fogo”, sustenta o Times.

Perante uma situação militar de derrota certa, em que Tigres Tamil estavam reduzidos a rara faixa de praia com pouco mais de 4 quilómetros, o exército cingalês poderia ter ouvido os apelos de quem pelo mundo apelava a uma paragem das operações militares para que os civis – ainda em território Tamil – pudessem abandonar a zona de combate. Por outro lado, em desespero de causa, os Tigres Tamil também terão recrutado crianças de dez e onze anos, militarmente inúteis contra os soldados profissionais que o Sri Lanka coloca na linha de frente. Tudo apontava para a razoabilidade do estabelecimento de umas tréguas que levassem à assinatura de uma paz com o grupo tamil, alicerçando uma paz duradoura, sem deixar espaço para expressões terroristas e desesperadas como agora irão inevitavelmente surgir.

Contudo, o governo de Colombo – aconselhado pelos seus novos aliados chineses – optou pela via mais sangrenta e improdutiva a longo prazo do esmagamento militar da insurreição tamil. O interesse chinês na via militar é evidente: por um lado aumenta assim a sua influencia junto do governo do Sri Lanka e garante assim o seu apoio na construção de uma base naval, essencial para as suas ambições no Índico como reforço para as suas posições no Sudão e no Myanmar. Por outro lado, ao frustrar assim as pressões humanitárias do Ocidente, faz vingar a sua atitude mais calculista e interesseira que levou já a China a apoiar as ditaduras sangrentas do Myanmar e do Sudão.

A derrota Tamil é assim uma vitória chinesa e uma derrota a prazo para o Sri Lanka, o antigo Ceilão ou Taprobana dos navegadores portugueses que deixaram na Ilha uma viva lembrança ainda hoje bem presente nos antropónimos de muitos cingaleses e em bastos topónimos e palavras de uso corrente no Sri Lanka.

Fonte:
Jornal Sol de 9 de maio de 2009

Anúncios
Categories: China, DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: | 6 comentários

Navegação de artigos

6 thoughts on “Porque é que o exército do Sri Lanka não cedeu às pressões ocidentais por um Cessar-Fogo?

  1. Espero que se silenciem as armas é que falem a mentalidade de reconstrução , com olhar no futuro.Mas, q correu mt sangue ,ñ tenhamos dúvidas. Que os orgãos de investigações da ONU enteem em cena e puna quem praticou crimes de guerra. Ps.: Quando vão processar o bush/toniblair/cheine e mt outros ?Dois pesos é uma medidA?

  2. mais vale esperar sentado, Carlos…
    A História ensina-nos que os vencedores nunca se sentem nos bancos dos réus… apenas os vencidos!

  3. Pegasus

    Essa expansão dos chineses…sei la,sera que temos motivo pra preocupação?
    Acredito que essa influencia ja era esperada em paises do terceiro mundo na sua area de atuação.
    O que posso dizer é que o mundo pode ver uma disputa como a muito não se via na america do sul, reduto claramente americano, que agora ja senti a influencia Russa na Venezuela mas que todos estão é de olho na menina dos olhos da america do sul(trocadilho) que logicamente é o Brasil.
    A pressão sobre nossa politica ja deve estar adquirindo os parametros da guerra fria, onde os americanos não descuidaram nunca desse pais continental, cheio de interesses por todos os lados e fazendo uma pressão sem fim.
    É esperar pra ver ate onde vai dar tudo isso, a geopolitica esta mudando muito rapido.

  4. Desconhecia essa jogada… Se a derrota dos Tamil representa uma vitória da China, acho que me tornei Tigre honorário…

    Abraço!

  5. a expansão da China deve ser um motivo de ralação para todos nós: hoje o índico, amanhã, a Europa ou a América do Sul, estando já a África na sua lista de torpes “aliados” (Sudão, Zimbabwe, Congo, etc).

    E sim, apesar dos excessos e da existência de mutios lusodescendentes entre s cingaleses.

  6. Que façam o q quiserem..até se matem, o q é mt triste; + ñ mexam com o BRASIL.Como provocar o TPI p/ processar os causadores da Invasão do Irak? Isso é o q importa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: