Efeitos do SPAM no… Aquecimento Global

Segundo um relatório publicado pela McAfee, só no passado ano de 2008, o correio não-solicitado (spam) terá alcançado a astrónomica quantidade de… 62 triliões de mensagens de spam! Um tal volume tem muitas consequências, desde milhões de horas perdidas a ler estas mensagens, ao custo de sistemas de anti-spam para impedir a sua entrada até – sobretudo – a consequências mais ou menos imprevistas quanto ao Aquecimento Global. A empresa de segurança informática avalia que a energia despendida pelo envio destas mensagens seria suficiente para alimentar 2,4 milhões de residências durante o ano. Obviamente, esta energia está a enviar CO2 para a atmosfera, já que a maioria das fontes de energia elétrica do mundo emitem CO2.

A McAfee estima que cada mensagem de spam emite 0,3 gramas de gases com efeito de Estufa, pouco, é certo… mas há que multiplicar este valor por 62 triliões… algo que resulta assim na emissão de 17 milhões de toneladas métricas de CO2, ou seja, 0,2% de todas as emissões mundiais! A McAfee estima que 80% destas emissões sejam consumidas quando no computador que recebe o spam este é lido, identificado e apagado. Estas operações levam em média 3 segundos e assim ao multiplicarmos esse tempo por 62 triliões chegados ao tempo total despendido de mais de 180 triliões de segundos consumidos por ano, no mundo, a deitar fora spam! Felizmente, que na maioria das organizações começa a ser comum encontrar sistemas antispam, filtrando e rejeitando os 90% de correio eletrónico que se estima hoje serem spam, ainda assim, essa atitude é rara nos utilizadores particulares, razão pela qual o impacto do spam no Aquecimento Global é ainda tão sensível.

Fontes:

http://abcnews.go.com/Technology/GlobalWarming/Story?id=7343518&page=

http://www.carbonfund.org/

Categories: Ecologia, Informática | Etiquetas: , | 6 comentários

Navegação de artigos

6 thoughts on “Efeitos do SPAM no… Aquecimento Global

  1. ze_ninguem

    Mas qual aquecimento global? Desde 2002 que o planeta tem vindo a arrefecer. O que existe é um arrefecimento global.

  2. caro zé ninguém:
    diga isso aos gelos e glaciares da Groenlândia e da Patagónia…

  3. ze_ninguem

    As extensões de gelo vão concordar, pois estão acima da média dos últimos 30 anos:

    E as temperaturas a baixar:

    Não existe um aquecimento global, existe um arrefecimento global. Os media é que gostam de alarmismo e sensacionalismo

  4. de facto, o termo correto é “alterações climáticas”, mais do que Aquecimento Global. Nuns locais (pólos) reflete-se no desaparecimento dos glaciares (como os citados) e do gelo permanente (como no oceano glacial ártico), noutros, como arrefecimento (invernos mais rigosos na Europa ocidental).
    O clima está desiquilibrado, e a consequência deste desiquilibrio pode ser – de facto – uma glaciação antecipada pela ação do Homem sobre o clima.

  5. ze_ninguem

    O mito do aquecimento global é alimentado pelos media que vivem de sensacionalismo e alarmismo. Isso já é ensinado na escolas e já faz parte da cultura popular mas não tem base científica. O planeta pode estar mais quente que a média dos ultimos 50 ou 100 anos mas há vários anos que está a arrefecer. Estamos a viver o arrefecimento global.

  6. G.S.Junior

    É notório que segundo análise cientifica, as condições climáticas estão sendo modificadas e a temperatura do planeta tem se elevado. A grande questão é saber qual a influência ou o % de importancia desses fatores. Cientistas afirmar que o Sol possui ciclos de aquescimento gerado pelas explosões devido a fusão do Hidrogênio. Então o elevações de temperatura da Terra seria um fator natural? Talves, mas isso não isenta a humanidade de sua responsabilidade no uso consciente dos recursos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: