Enunciado de uma estratégia para combater a pirataria somali


Um pirata somali a bordo de um navio capturado em http://www.rnw.nl

A presente situação nas costas ao largo da Somália expõe uma verdade insofismável: os navios das marinhas modernas são demasiado grandes, pesados e complexos para este tipo de ameaça. Isto mesmo foi revelado pelo recente incidente com o Maersk Alabama. De um lado, temos Senhores da Guerra, mais ou menos ligados a grupos terroristas islamitas somalis e que a partir da segurança das suas bases na costa enviam pequenos grupos de piratas, armados de AK-47 e RPG-7 atacar e capturar cargueiros que passem ao largo da sua costa. Estes piratas, operando a partir de pequenas embarcações ou de barcos de pesca, obrigam à manutenção na região de uma grande força naval internacional, num custo que é tremendo e que ascende a vários milhões de dólares mensais (sem contar com o preço dos resgates e dos atrasos nas entregas de mercadorias). Contra estas pequenas embarcações, a Marinha dos EUA alinhou com um cruzador CGN 25 Bainbridge um navio de grandes dimensões, e por isso caro de manter e de construir, mas capaz de transportar vários pelotões de SEALs e de pequenas embarcações rápidas, para além de mini submarinos capazes de levar um grupo de SEALs na maior discrição até ao navio sequestrado e resgatar quaisqueres prisioneiros com baixas mínimas. Mas, na verdade tudo isso poderia ser assegurado por um cargueiro – apenas ligeiramente armado – mas rápido e provido de abundante equipamento de comunicações e deteção, uma espécie de navio especializado de combate a piratas, muito mais barato que estes pesados cruzadores concebidos na Guerra Fria e por isso mesmo, raros e insuficientes…

A única forma de realmente combater militarmente esta ameaça não é de a de enviar fragatas, destroyers e cruzadores atrás destes piratas que operam a partir de barcos de pesca ou de lanchas rápidas. É fazer com que todos os navios que cruzem estas águas naveguem em comboio, é colocar na região vários aviões de vigilância e colocar entre os comboios navios de guerra pequenos, rápidos e defendidos por pequenos grupos de fuzileiros. Manter uma tal estratégia ficará a apenas uma fração do custo atual de manter uma frota multinacional datada da Guerra Fria na região, com uma eficácia muito maior… já que tantos navios indianos, chineses, europeus e norte-americanos não conseguiram deter a captura de quase 30 cargueiros só nos primeiros três meses deste ano por parte dos piratas somalis.

E esta estratégia “ligeira” nem tem que ser necessariamente conduzida pelos governos nacionais… como quem em estado a suportar o essencial destes custos com resgates têm sido as Seguradoras, não deve faltar muito tempo até ver flotilhas de barcos ligeiros e rápidos, guarnecidos com mercenários pagos por estas empresas a patrulhar comboios como aquele que antevejo no capítulo anterior. E isto vai acontecer inevitavelmente quando o primeiro pirata perder a cabeça e disparar uma rajada de AK-47 ou um RPG sobre um petroleiro carregado e este… explodir causando um prejuízo de biliões de dólares à seguradora. Algo que – a este ritmo – irá acontecer dentro de muito pouco tempo. Até esse momento, as Seguradoras nada farão, e confiarão nos orçamentos de Defesa dos Estados para que estes continuem a fazer um trabalho que no essencial, lhes diz diretamente respeito. E aos nossos impostos, que financiam estas operações, claro.

Outra solução efetiva poderá passar pelo puro e simples bloqueio naval dos portos a partir de onde as flotilhas piratas operam… Bloquear o necessariamente limitado de portos a partir de onde os somalis podem operar iria exigir um número muito inferior de meios, especialmente quando comparado com os custos e a baixa eficácia demonstrada pela atual tática de patrulhar milhares de quilómetros quadrados de Oceano… Estes bloqueios poderiam depois ser complementados pela técnica dos comboios escoltados pelos navios ligeiros e equipas de fuzileiros apoiados por aviões e UAVs de vigilância naval indicados no parágrafo anterior.

Fontes:
http://www.defensetech.org/archives/004797.html
http://www.chinadaily.com.cn/china/2008-12/17/content_7311735.htm

Categories: DefenseNewsPt, Defesa Nacional, Política Internacional | Etiquetas: | 14 comentários

Navegação de artigos

14 thoughts on “Enunciado de uma estratégia para combater a pirataria somali

  1. pedronunesnomundo

    …ainda assim, parece-me muito mais plausível a defesa de combóios de transporte em águas internacionais que bloqueios a portos

    pensa no chinfrim que não era se – sobretudo – os malandros dos americanos bloqueassem acessos estrangeiros ao mar
    que “atentado” e que “ingerência” não seria… lol

  2. Usar fogo cvontra fogo, embarcações pequenas é rápidas , é bem armadas com as mesmas armas que usam e um pouco +, visando manter a “ordem” e o bom fluxo do comèrcio muindial; dando é restaurando a ordem, e predendendo esstes srs. da guerra tbm.E dando a eles um meio decente de sobreviver,,se ñ outros viram ,interminavemente.

  3. pedro:
    é muito mais caro… é que portos de mar somalis, dignos desse nome, há muito poucos.
    e não há um verdadeiro “governo somali”, apenas um grupo de tipos que em Mogadixio de afirma como tal. E não seriam os “malandros dos americanos”: russos, chineses, indianos e europeus estão em grandes números na região e o bloqueio iria envolver forças de todos esse países.

  4. Mais pode ser tetulados pela ONU..então p/ que serve essa bosta de organização? Por isso q os ianks ñ respeitaram as suas determinações..mt menos os israelenses , ontem é hoje.Temos de fazer parar essa atitude “CORSÁRIA” DOS SOMALIS, + dar-lhes alguma coisda p/ poderem ganhar o seu sustento.

  5. Pegasus

    Não acredito no vulto que essa discusão tomou, acho incrivel que não começaram a explodir esses carinhas com seus botes e barquinhos.
    Essa é a ação tomada pelas forças armadas que estão por la com rebeldes que dão bem menos trabalho que esses.
    É de estranhar o que esta acontecendo, ate parece que querem que aconteça uma desastre por la…não sou a favor de execuções pura e simplesmente, mesmo poque essa ação não depende de minha opinião aqui, a milhares de quilometros, mas se tomarmos em conta que quase sempre se resolve algo assim exterminando o problema e de se admirar que não o tenham feito ainda…e ca entre nós, voce iria piratear se soubesse que se uma patrulha o encontrasse, explodiriam seu barco com voce dentro, ainda mais sabendo que ja o fizeram com outros sem dó nem piedade, por isso que estou estranhando os rumos e a apatia das nações envolvidas.

  6. Eu sempre achei que os Chinese ,fôssem exterminar uns barcos somalis…+ está mt proximo disto acontecer; já está dando nos nervos de algumas autoridade no local, dos navios de guerra…esperemos. Mais é necessário dar a eles uma alternativa, senão…

  7. o problema está em que é impossível distinguir estes piratas de pescadores, pelas suas embarcações, bandeiras, roupas, etc antes de atacarem um navio… e mesmo depois há questões de legalidade, que levaram muitos destes piratas a serem detidos e soltos logo a seguir (os dinamarqueses fizeram isso várias vezes).
    A questão é complicada e exige um mandato especifico do CS da ONU autorizando o bloqueio dos portos somalis e o uso da força, assim como a detenção nos países afetados desta gente.
    E o combate aos bancos (essencialmente do Dubai) que estão a lucrar e a receber estas transferências…

  8. Todo país que só tem conta numerada, paraiso fiscal, tipo suiça..é o elemento catalisador dos lucros ilegais…eu disse todo e são muitos.Cadê a ONU é seu CS ? Quer saber, esse bankmoom ,pra eu ele é boneco de certos grupos q dominam o CS.Ñ manda , ñ apita é só diz sim senhor…um nada.

  9. E a burocracia tem minado qualquer acção… Acho que se podia fazer comboios de navios e nem era preciso ter por lá navios militares… Que tal o velho conceito de “navio mercante armado”?

    • também pensei nisso, mas quem usaria essas armas pesadas nos cargueiros? os marinheiros?…
      e a maior parte dos cargueiros não fazem sempre as mesmas rotas, pelo que teríamos rapidamente cargueiros armados a cruzarem todas as águas do mundo, mesmo aquelas sem piratas, o que também não seria bom…

  10. Pegasus

    Deixar de tomar um remedio com medo dos efeitos colaterais??? Ta ai um paradigma que eu queria ver resolvido.

  11. neste momento, a tomada é inevitável, tal é o sentimento de impunidade dessa gente…

  12. Pegasus

    Ta me parecendo uma otima oportunidade para a Blackwater se oferecer para fazer proteção, ai sim estariamos lascados.

  13. sempre seriam mais úteis e teriam uma conduta eticamente menos questionável, que no Iraque…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: