Não há (ainda) provas que existam vampiros… mas pelo menos há-as de que no Séc. XVI se acreditava neles

Parece ter sido encontrada a primeira prova de que… Houve vampiros. Ou melhor dizendo, que no passado alguém acreditou tanto que havia vampiros que executou num cadáver de uma mulher, em Veneza, um procedimento tradicional para matar um vampiro e que consistia na introdução de um tijolo na boca do cadáver, de forma a impedir que se pudesse alimentar das numerosas vitimas de Peste que eram enterradas no cemitério na época deste enterramento, o século XVI.

A descoberta teve lugar na pequena ilha de Lazzaretto Nuovo, na lagoa de Veneza e encontra as suas raízes na convicção popular que na época associava a Peste Negra aos vampiros. A descoberta macabra foi feita pelo professor Matteo Borrini, da Universidade de Florença e é a primeira prova arqueológica de um ritual de exorcismo de um vampiro. A ilha foi usada na época como um sanitário para vitimas de Peste e a inserção do tijolo pode resultar de uma exumação onde se descobriu que esse cadáver não apresentava os mesmos níveis de decomposição de outros (um fenómeno natural, mas raro) e da explicação encontrada como sendo o vampirismo da pessoa ali tumulada. Acreditava-se que esses vampiros espalhavam a Peste de forma a sugar a vida remanescente das vitimas de praga até obterem a energia suficiente para regressarem às ruas. Obviamente, todas estas tradições estiveram na base do clássico “Dracula” de Bram Stoker, em 1897, mas como demonstra este macabro e tão curioso achado, a realidade estava muito longe das praticas de cravamento de espetos que Hollywood popularizou a partir da narrativa de Bram Stoker.

Fonte:
Phakamisa Ndzamela
http://www.reuters.com/article/oddlyEnoughNews/idUSTRE52B4RU20090312?feedType=RSS&feedName=oddlyEnoughNews&rpc=69

Anúncios
Categories: História, Hoaxes e Mitos Urbanos, Sociedade | Etiquetas: | 10 comentários

Navegação de artigos

10 thoughts on “Não há (ainda) provas que existam vampiros… mas pelo menos há-as de que no Séc. XVI se acreditava neles

  1. e falando em historias estranhas e mitos sobre criaturas, de origem desconhecida que sao frutos da imaginação humana, ou não e em coisas que as pessoas acreditam

    achei isso na web espero que gostem

    http://medob.blogspot.com/2009/10/ja-sonhou-com-este-homem.html

  2. voto na tese do arquétipo…
    pessoalmente, sempre encontrei grande crédito nas teses de Jung:
    http://www.scribd.com/doc/2571790/Carl-Gustav-Jung-Os-Arquetipos-e-o-Inconsciente-Coletivo

  3. não sei cara, eu já achei um dente na rua mais grande do que o normal mais não sei se era de vampiro

  4. ..sim, são os arquétipos nossos , mêdos q insistimos em manter.

  5. medos… arquétipos!
    imersos na nossa memória coletiva, do tempo em que éramos mais caçados do que… caçadores!

  6. aqui mais uma história interessante que quero compartlhar com qualquer interessado vi isso há um tempo na web.

    lembra um pouco a o “brinquedo assassino” uma dos meus filmes de terror preferidos

    http://medob.blogspot.com/2008/08/robert-o-boneco-assombrado.html

  7. terror!?
    nem morto vejo o género!
    hehehehe
    sou mais para a FC…

  8. na moda, este tema…
    aqui, na TV, temos já duas séries nacionais sobre o tema…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: