Brasil quer lugar permanente no Conselho de Segurança da ONU

.
A reivindicação brasileira a um lugar permanente no Conselho de Segurança da ONU deverá ser abordada no encontro dos Presidentes Lula da Silva e Barack Obama, no próximo sábado, mas não é previsível o anúncio do apoio concreto dos Estados Unidos.
Esta é a avaliação de especialistas em Relações Internacionais e diplomatas dos dois países contactados pela agência Lusa.

“Isso não está na agenda dos Estados Unidos, onde a grande prioridade agora é sair do buraco financeiro. Se os Estados Unidos não conseguirem sair da crise, será o caos, a moratória mundial”, afirmou o analista Leonardo Barreto.

Na avaliação deste professor da Universidade de Brasília (UnB), além da crise, a outra prioridade do Governo Obama é resolver os problemas deixados pelas guerras do Iraque e do Afeganistão.

“Não há interesse no Brasil, embora os biocombustíveis possam ser uma possibilidade de parceria concreta entre os dois países. A Alca (Área de Livre Comércio das Américas) explodiu com os acordos paralelos entre os Estados Unidos e alguns países da região”, referiu.

Para outro analista político, o norte-americano naturalizado brasileiro David Fleischer, da UnB, o interesse brasileiro no Conselho de Segurança da ONU deve ser abordado no encontro entre Lula e Obama, mas “a portas fechadas”.

“Provavelmente nada de concreto sairá sobre isto na declaração final, ainda que o documento deva reconhecer o peso do Brasil na América Latina e no mundo”, afirmou Fleischer à Lusa.

Em sua opinião, o caminho é a reforma da ONU, no que Obama “pode dar um empurrão”, mas não agora.

Fonte da embaixada norte-americana em Brasília, ainda liderada pelo embaixador Clifford Sobel, ex-dirigente do Partido Republicano e apontado com um importante doador da campanha de George W.Bush, também concorda que não deverá haver qualquer alusão ao tema no documento final do encontro dos dois presidentes.

“O tema é ainda muito espinhoso”, aludiu, lembrando que, além da Índia, o Japão e a Alemanha também reivindicam um assento permanente no órgão.

A diplomacia brasileira, entretanto, tem agido activamente e demonstrado o seu novo papel de “player global”.

Segundo o Itamaraty, o Governo Lula da Silva criou 35 novas embaixadas desde 2003, a maioria delas na África, o que revela um reforço de sua presença no cenário internacional.

O Brasil também lidera, desde 2004, a Missão de Estabilização da ONU para o Haiti, com um contingente de 1.300 militares.

O país colocou-se ainda na liderança dos países emergentes nas negociações no âmbito da Ronda de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC) e está a coordenar posições com outros países no âmbito do G-20 Financeiro (grupo de países mais desenvolvidos do mundo e os emergentes) para buscar soluções para a crise mundial.

O Brasil tornou-se até mesmo um doador para a reconstrução da Faixa de Gaza, sendo considerado como o único país da América Latina a ter peso suficiente para entrar nesta complexa questão do Médio Oriente.

Se a pretensão do Brasil de obter um lugar permanente no Conselho de Segurança era manifestada de forma discreta no Governo do ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, nesta administração, o desejo é claro e já tem o apoio de vários países, entre eles França e Portugal.

Actualmente, o Conselho de Segurança da ONU conta com 15 membros, dos quais apenas cinco são permanentes – China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia.

Tomar parte nesse conselho de forma permanente significa ter mais poder e participar das decisões mais relevantes no âmbito internacional.

Diário Digital / Lusa

Anúncios
Categories: Brasil | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: