Contra a cultura lusófona no Brasil

Não se pode ignorar a campanha contra a cultura lusófona que está a ser levada a cabo por alguns italo-brasileiros, utilizando meios subliminares para desvalorizar a cultura portuguesa e a importância dos luso-descendentes que são a grande maioria do povo brasileiro.
Uma reflexão sobre o assunto, foi provocada pelo vídeo ” A História da aviação”, um vídeo interessante pelo tema, trágico pelos efeitos da bomba atómica que mostra e lamentável por ignorar a viagem de Gago Coutinho e Sacadura Cabral.

Ver vídeo e ler texto completo em
http://rosadosventos2.blogspot.com

Categories: Brasil | 101 comentários

Navegação de artigos

101 thoughts on “Contra a cultura lusófona no Brasil

  1. Riquepqd

    Essa campanha subliminar é real, a cultura italiana é super valorizada na maior rede de televisão do Brasil, a Rede Globo, realmente são incontáveis as telenovelas e mini-séries contando a saga dos imigrantes italianos, seus costumes e modo de vida de seus descendentes. Isto se deve a grande maioria dos diretores do núcleo de teledramaturgia serem descendentes de italianos, assim como muitos atores consagrados desta emissora, os que normalmente são convocados para fazer parte do elenco destas obras.

    Há única obra de que me lembro que valorizasse a bonita cultura lusa, e muito mais importante para a maioria dos brasileiros do que a italiana, foi a mini-série “A Muralha”, de resto, pelo contrário, geralmente quando aparece algum personagem português, é ridicularizado em um estereotipo falso.

    Outros exemplos também são claros nesta emissora, nos programas de culinária, incontáveis as receitas italianas e raras as portuguesas, no principal telejornal, o Jornal Nacional, no mínimo uma vez por semana há alguma notícia da Itália, já de Portugal, somente quando acontece algo extraordinário, e por aí vai…

    O texto e comentários agora estão aqui:

    http://rosadosventos2.blogspot.com/2009/03/contra-cultura-lusofona-no-brasil_05.html

    E o vídeo aqui:

    http://rosadosventos2.blogspot.com/2009/03/contra-cultura-lusofona-no-brasil.html

    • Sim, de facto segui a “muralha” (coisa rara, porque admito, nao sigo habitualmente novelas). Era uma boa novela… Muito a contraciclo desse italianismo que carateriza certos meios no Brasil.

  2. Odin

    Clavis Prophetarum,
    A Itália não conseguiu ter ao menos uma colônia na América. Tal como os alemães, os italianos não tiveram competência para se libertar do Feudalismo e formar um Estado-Nação antes do século XIX, quando a maior parte do Novo Mundo já estava independente. Mas a Espanha egoísta bem que podia ter deixado a região que hoje é a Argentina para Veneza, ou Gênova, ou Toscana. 😀
    Talvez seja esse o complexo dos descendentes de italianos nas Américas. Não ter uma ex-colônia italiana neste continente 🙂
    Mas tem muitos, muitos descendentes de italianos completamente desligados da Itália, nem sequer se interessam em aprender italiano.
    Peço desculpas ao Riquepqd, mas “A Muralha” não é uma novela, e sim uma minissérie. As minisséries da Globo ainda são boas. Já as novelas são umas porcarias.
    “A Muralha” foi excelente, uma das melhores produções da Globo. Só que podia ter feito uma parceria com a SIC e colocado atores portugueses, uma vez que a estória se passa na cidade de São Paulo do século XVII, no período da união ibérica, e é sobre os bandeirantes, a inquisição oprimindo cristãos-novos, etc.

    “A casa das sete mulheres” foi outra minissérie fenomenal, espetacular, sobre a revolução farroupilha do Rio Grande do Sul.

    “Os Maias”, baseado no romance de Eça de Queiroz.

    “Aquarela do Brasil” sobre os dias da 2ª Guerra Mundial

    “Mad Maria” sobre a compra do Acre e o boom da borracha na Amazônia.

    E “JK” sobre Juscelino Kubitschek de Oliveira e a construção de Brasília

    Há filmes épicos sobre o Brasil também, que são bons.
    “Gaijin 2 – Ama-me como sou” sobre a imigração japonesa para o Brasil e de nipo-descendentes para o Japão também, e casamento interracial.

    “Olga” sobre a esposa judia alemã de Luís Carlos Prestes, o líder esquerdista inimigo de Getúlio Vargas.

    São produções assim que o Brasil tem que exportar, e não as porcarias das novelas.

  3. Riquepqd

    Odin, eu não escrevi que “A Muralha” era uma novela, escrevi que era uma mini-série, ;

    Concordo contigo, as novelas brasileiras salvo raras exceções são porcarias, já as mini-séries de época são espetaculares, levam o telespectador de fato ao passado, a minha preferida foi “A Casa das Sete Mulheres”.

    “Mad Maria” também foi ótima ao levar ao conhecimento do público em geral um fato esquecido, a Revolução Acriana, guerra travada por brasileiros comandados por Plácido de Castro, contra militares bolivianos, que envolveu interesses estadunidenses, bolivianos e peruanos de um lado, e brasileiro de outro.

    E quanto aos descendentes de italianos, que tanto se gabam disso, se esquecem de um pequeno detalhe, quase que 100% de todos os brasileiros que tem um sobrenome italiano, também tem um sobrenome português, são vários Tocci dos Santos, Pereira Brichi, da Silva Nuzzi, Impieri de Souza… E por aí vai, então quando desdenham do Brasil luso, desdenham de si mesmos…

    • Mad Maria? Nao, dessa seria nem sinais por aqui. Quanto ‘a heranca italiana, mal esta o povo que renega parte do seu legado… Portugal e os portugueses nao tem – felizmente – esse problema. Mas tambem como temos tanto sangue cruzado (e tao antigo) torna-se quase impossivel saner quem vem de onde… No Brasil ‘e mais facil, porque as raizes etnicas sao muito mais recentes (quase sempre do seculo xix)

  4. Riquepqd

    Onde escrevi “Mad Maria”, leia-se “Amazônia, de Galvez a Chico Mendes” 😉

    Odin, explica esta história onde a Espanha poderia ter deixado a Argentina pra Itália?

  5. Odin

    Odin, explica esta história onde a Espanha poderia ter deixado a Argentina pra Itália?

    É ironia minha! 😉

    • Riquepqd

      A imigração italiana na Argentina parece que foi superior à no Brasil, e aquela sua história de que os argentinos são italianos que falam espanhol e pensam que são ingleses? 😉

      Deve ser porque em maioria descendem de italianos, ao invés de espanhois, mas falam castelhano, e acham que tem um rei na barriga, assim como os ingleses. 🙂

      • Ahaha, essa vossa rivalidade com os argentinos… Imaginem agora se tivessem passado a vossa Historia sendo invadidos, como connosco com Espanha!

      • Odin

        Sabe o que eu acho divertido? Na Argentina e no Uruguai, eles se referem aos espanhóis como “gallegos”, porque a grande maioria dos imigrantes espanhóis nesses países eram galegos. E os espanhóis ficam furiosos por causa disso. 😀
        Se os espanhóis se sentem insultados por serem chamados de “gallegos”, cedam a Galiza à Portugal então! 😀
        E se os argentinos e uruguaios são descendentes de galegos (o que significa que têm alma lusófona) e italianos, o Brasil também tem uma enorme comunidade ítalo-descendente nas proximidades da Argentina e Uruguai. Então a Argentina e o Uruguai podiam ser anexados ao Brasil. 😀

        PS: Vou esperar o Otus Scops vir me contestar para depois dizer à ele que é apenas uma piada! 😀 Eu gosto que ele me conteste, e insista em me contestar. 😉

        • Odin

          cá em Portugal por vezes diz-se assim de alguém que parece que adivinha pensamentos ou acontecimentos: “tu és bruxo”!!! 😀

          à 3 dias atrás passei o com uma família muito minha amiga que está emigrada no Brasil (Rio de Janeiro) à mais de 60 anos. vem praticamente todos os anos a Portugal, desde os bisvós (felizmente ainda vivos e de boa saúde) até aos bisnetos.

          o bisavô, o meu grande amigo, contou-me então que na sua juventude deu uma tareia num qualquer carioca (estamos a falar da década de 50) por lhe chamar repetidamente “galego”. isto vem a propósito do acinte e xenofobia (não muito acentuados, diga-se) que existia no Brasil sobre a imigração portuguesa dessa altura, onde eram gozados pelos locais.

          mas apesar deste venerável senhor meu amigo ser um Alto-Minhoto, nascido apenas a 25km a sul do Rio Minho ele NÃO se considerava (nem considera) galego, ele e todos os outros!!!

          o que quero dizer com isto é que para vós brasileiros, para alguns portugueses que pouco conhecem o Norte (como o Clavis Prophetarum) e alguns nortenhos mais escolarizados que defendem sem pudor por motivos suspeitos e por inveja o seu ódio a Lisboa e advogam uma irredenta Galécia e INVENTAM uma união com a Galiza, na prática isso não existe, sobretudo na zona raiana.

          todos sabemos que o Norte de Portugal e a Galiza tem muitas coisas em comum, que tivemos uma ligação no passado, que os contactos são fáceis e naturais mas isso não faz com que um Minhoto queira ser confundido com um Galego! essa consciência deixa-me orgulhoso da minha portugalidade, do Minho ao Algarve, dos Açores a Madeira!!!

          agora outro assunto diferente, os restantes sul-americanos (a sua maioria ou classes lideres) são descendentes de… espanhóis!!! entre alguns serão galegos, concerteza, pois fazem parte do Reino de Espanha.
          entre eles haverá bascos, astures, catalães, castelhanos, andaluzes, valencianos, canarinos, navarros, estremenhos (os mais violentos, os conquistadores sanguinários saíram quase todos desta zona contígua de Portugal), dizer que “argentinos e uruguaios são descendentes de galegos” penso não ser correcto.

          “Então a Argentina e o Uruguai podiam ser anexados ao Brasil.” brinca, brinca, mas esse ditadorzinho que há em cada um de nós está a revelar-se… 😀

          pronto, não te contestei muito, mas espero ter ido de encontro à expectativa!!!
          😉

          • Pessoalmente, nao defendo a pura e simples anexacao da Galiza: isso seria ridiculo. Mas acredito que os galegos têm o direito de manter a sua identidade nacional e que esta so pode existir pela lingua, e que esta é, essencialmente, portugues. Ainda ontem estive a falar bastante tempo com dois amigos do MIL da Galiza em puro, escorreito e muito compreensivel… Portugues, sem nenhum espanholismo.

            PS: ao que sei no Brasil, o termo “galego” ‘e usado para pessoas de pele clara, olhos azuis e cabelo claro (um genotipo comum no Minho). Nao seria o caso dessa familia?

            • fada do bosque

              É verdade… sou minhota e a minha família tem muitos membros de olhos verdes ou azuis e pele muito clara… já dos tempos dos meus avós e bisavós. Não sei, mas dá a impressão que somos descendentes de celtas. Tenho uma tia que está neste momento, penso eu, na Torre do Tombo a estudar a genealogia da família, vamos ver o que sai quando acabar esse trabalho…
              De qualquer forma, já dizia o meu avô, que de Espanha nem bom vento nem bom casamento! O que se veio a verificar! Um tio casou com uma basca e outro, com uma valenciana… realmente nota-se tudo menos harmonia entre eles… eles
              casais, claro! 🙂
              E eu detesto o vento leste!!! 🙂

          • Otus scops

            CP

            (não tinha reparado na resposta)
            nessa família são morenos, todos.
            os brasieliros não são melhores nem piores que ninguém, também tem racistas, xenófobos e pessoas que combatem essas preconceitos tão errados.
            basta ver agora ao ponto que se chegou no Brasil que chamar “preto” a alguém pode dar grandes dissabores. além de mais a população negra ou mestiça está a ser discriminada positivamente e segundo esses meus amigos, os “brancos” pobres estão condenados a serem autênticos párias na sociedade brasileira devido à discriminação que é exercida sobre eles. segundo os meus amigos isso é um legado explosivo que Lula da Silva deixou.
            aliás, nunca apreciei os comentários dele do tipo “os loiros de olhos azuis do norte”. sabes que no que diz respeito a racismo eu sou alérgico, pois está contido EM TODOS os povos, em maior ou menos grau.

            quanto a tu falares em português escorreito estás a falar com os teus amigos Reintegracionistas (que tu sabes que conheço de ginjeira) que são eruditos da língua, escolarizados e que gostam de inventar a semelhança do galego com o português, coisa que é música celestial para os teus ouvidos, além de acérrimos defensores do (des)AO90.
            a maioria da população não fala português escorreito, apesar de compreender com maior ou menor dificuldade.
            estes tipos são uma minoria exígua que NÃO representa a mediana da população galega.

            • Nao “inventam” nada… Eles “sao”. Acreditas mesmo que sao todos uns mentirosos inveterados que inventam uma lingua que nao ‘e a deles?
              A maioria da populacao nao fala HOJE galego devido ‘a repressao cultural e linguistica da tua querida Madrid.
              Nota bem: cada apoio ‘a Galiza ‘e um pontape na boca de Madrid, e desses daria sempre tantos quanto puder.

              • Otus scops

                eu apoio quem merece: Bascos e Catalães.

                dá-me jeito que a Galiza continue na Espanha…

                😈

                • Os galegos nao merecem ser apoiados? Ora essa! Conheces todos, um por um, para saber que nenhum merece esse apoio!?
                  Isso ainda ‘e por causa do fundamentalismo anti-AO?!!!!
                  Bem, dito isto reitero: podes falar ‘a vontade do AO. Eu nao volto a esse assunto.

                • Otus scops

                  CP

                  zangaste-te??? 😀

                  foi uma boa desculpa “podes falar ‘a vontade do AO. Eu nao volto a esse assunto.”
                  à que tempos que nunca mais falaste do (des)AO90!!!
                  achas que é uma coisa boa para Portugal (via Lusofonia) e aderiste sabendo em consciência que é profundamente errado.
                  boa desculpa!!!

                  mas pelos vistos tu conheces mais galegos do que eu e sabes quantos são para merecerem o teu apoio!!!
                  quantos são os da AGLP que conheces, diz lá??? 😀

                  diz-me, que conhecemos nós de “luta de libertação” da Galiza???
                  quantos são???
                  quantos estão interessados nisso???
                  estes Reintegracionistas representam quem e quantos na sociedade galega???
                  e querem o quê, falara a língua galega de que altura, a actual, a de à 5 séculos ou de à 10 séculos atrás???
                  e o druidismo, também vai ser a religião oficial também???

                  eu não sou fundamentalista do (des)AO90, apenas sou frontalmente contra, nunca bati em ninguém, nunca me zanguei com ninguém (o contrário é que já não sei), nunca me fiz explodir, etc… 😀

                • a questão da Galiza é patriótica é resume-se a:
                  1. Convém a Portugal que Espanha enfraqueça? Sim.
                  2. A saída da Galiza (Catalunha e País Basco), enfraqueceria Espanha? Sim.
                  3. A saída da Galiza favoreceria a devolução dos territórios ocupados de Olivença? Sim
                  4. O apoio à independência da Galiza salda uma dívida moral histórica de Portugal com os independentistas galegos? Sim
                  Quatro razões para apoiar a causa galega PORQUE TAL É CONFORME AOS INTERESSES DE PORTUGAL, em primeiro lugar. E aos da Galiza, coincidentemente e depois PORQUE SOU PORTUGUÊS.

              • Otus scops

                esqueci-me de te dizer:
                inventam sim senhor.

                o que eles andam a inventar é que o galego que se fala hoje em dia e escreve pouco tem a ver com o galego de à 5 séculos atrás, esse sim, era parecido ou quase igual ao português de antanho. ou vice-versa…
                a situação actual não tem nada a ver!

                desafio-te a ti e a qualquer um que me lê aqui no Quintus que prove o contrário.

                pega numa página da Wikipedia em português e outra em galego e diz-me se são a mesma língua.

                para não falar em jornais on-line e em sites galegos…

                • Sim, se entendes o texto sem recorreres a dicionarios, sim, ‘e a mesma lingua. Se ouves e entendes cada palavra e frase, sim, ‘e a mesma lingua.
                  Mas essa questao da “mesma lingua” nao ‘e abstrata ou opinativa, mas muito cientifica e tem a ver com a percentagem de vocabulos comuns. Escusado sera dizer que a percentagem entre a lingua portuguesa da galiza e o portugues ‘e diminuta.
                  Devemos ter cuidado na defesa dos opressores espanholistas e dos seus interesses na Galiza. Amanha seremos nos. E defender os interesses de Madrid nunca foi defender Portugal.

                • Otus scops

                  CP

                  não percebi os argumentos…

                  também entendo o espanhol e até algo o italiano escrito, sem nunca ter estudado ambos.

                  no entanto não fizeste nada do que te pedi, fugiste mais uma vez.

                  parece que os brasileiros é que falam outra língua, pelos vistos não entendiam o português de Portugal (o original) e tiveram que impor o (des)AO90.

                  essa de “Amanha seremos nos.” provavelmente acontece por tibiesa e fraqueza moral dos portugueses. veja-se o que está a acontecer com o “dito cujo”.

                • Nao fugo, simplesmente guardo a minha energia para debates que sejam uteis. Nos, nesta questao do ao, ja andamos em circulos ha muito tempo.

  6. riquepqd

    Seu que é uma brincadeira sua, mas falando sério, anexar a Argentina é impossivel pelo seu tamanho e pelo patriotismo argentino, e o Uruguai somente continua independente porque existe o Brasil, se o Brasil se fragmentasse em um monte republiquetas à semelhança da América hispânica, a Argentina já teria abocanhado o Uruguai há muito tempo, o que acho ser um desejo mútuo.

    Percebo que uruguaios e argentinos são extremamente ligados culturalmente, até “dividem” a paternidade do tango, e há em ambos os países uma grande comunidade imigrante do outro, além de que seus sotaques são os mais semelhantes entre os países falantes do castelhano, suas bandeiras são semelhantes, seus povos etnicamente muito parecidos e por aí vai…

    E o Brasil, através do acordo assinado por ocasião da independencia do Uruguai, segue sendo um impecilho para a reunião destes povos que penso serem um só, na verdade, o uruguaios em geral não queriam a independencia, mas o Brasil não aceitava de maneira nenhuma devolver o Uruguai à Argentina, por isso, a solução foi a independencia, era isto, ou continuar sob jugo brasileiro.

    E usando as palavras do mediador inglês, na ocasião da Independencia uruguaia, “foi colocado um pequeno algodão entre dois grandes cristais”, é acho que foi mais ou menos isso.

  7. li este postal e comentários durante as férias e fiquei muito contente:

    até que enfim, Clavis Prophetarum, que admites o anti-lusitanismo que existe no Brasil!!!
    eu algures no passado (não me lembro onde) disse-o aqui com todas as letras que desconfiava de certos brasileiros não descendentes de portugueses que tem tentado (e conseguido) afastar o Brasil de Portugal e reescrever a História sem nunca ter lido este teu estupendo artigo.

    este (des)AO90 é mais um passo para tal, tu e todos os que o apoiam e o usam estão a realizar a obra dessa gente, são coniventes com esses lusófobos.

    achei piada ao Riquepqd quando escreve “…quase que 100% de todos os brasileiros que tem um sobrenome italiano, também tem um sobrenome português…” 😀
    agora comecei a reparar nisso e acho que ele tem toda a razão!!!

    “Espanha egoísta bem que podia ter deixado a região que hoje é a Argentina para Veneza, ou Gênova, ou Toscana.” 😀 😀 😀 😀 😀 😀 😀 😀 😀 😀 😀 😀 😀
    grande Deus Nórdico!!! fizeste-me rir a valer!!! 😀 😀 😀 😀 😀 😀

  8. Odin

    “Espanha egoísta bem que podia ter deixado a região que hoje é a Argentina para Veneza, ou Gênova, ou Toscana.” grande Deus Nórdico!!! fizeste-me rir a valer!!!

    Mas é esse mesmo o objetivo. Foi pra fazer alguém rir. 😉

  9. Odin

    Otus scops :Odin
    cá em Portugal por vezes diz-se assim de alguém que parece que adivinha pensamentos ou acontecimentos: “tu és bruxo”!!!

    Bruxo é o Gargamel. 🙂

    E apesar de bruxo, é um caso psiquiátrico também. 😀

    Odin é o deus da magia e dos segredos. Conhecido entre os gregos pelo nome de Hermes, pelos romanos pelo nome de Mercúrio, pelos gauleses pelo nome de Teutates pelos gauleses, Lugh pelos antigos irlandeses, e Lugo pelos antigos galaicos. 😉

  10. Odin

    Agora consegui mais tempo para responder o restante do comentário do Otus Scops, dos comentários da Fada do Bosque e do Clavis Prophetarum.

    Otus scops :
    à 3 dias atrás passei o com uma família muito minha amiga que está emigrada no Brasil (Rio de Janeiro) à mais de 60 anos. Vem praticamente todos os anos a Portugal, desde os bisvós (felizmente ainda vivos e de boa saúde) até aos bisnetos.
    o bisavô, o meu grande amigo, contou-me então que na sua juventude deu uma tareia num qualquer carioca (estamos a falar da década de 50) por lhe chamar repetidamente “galego”. Isto vem a propósito do acinte e xenofobia (não muito acentuados, diga-se) que existia no Brasil sobre a imigração portuguesa dessa altura, onde eram gozados pelos locais.
    mas apesar deste venerável senhor meu amigo ser um Alto-Minhoto, nascido apenas a 25km a sul do Rio Minho ele NÃO se considerava (nem considera) galego, ele e todos os outros!!!

    Observação: Leitores brasileiros que não conhecem a expressão “dar uma tareia”. Significa dar uma surra, encher alguém de porradas, de pancadas.
    Mas não vejo razão para os minhotos se irritarem tanto quando são chamados de “galegos”. Não ao ponto de dar uma tareia no carioca lá.

    o que quero dizer com isto é que para vós brasileiros, para alguns portugueses que pouco conhecem o Norte (como o Clavis Prophetarum) e alguns nortenhos mais escolarizados que defendem sem pudor por motivos suspeitos e por inveja o seu ódio a Lisboa e advogam uma irredenta Galécia e INVENTAM uma união com a Galiza, na prática isso não existe, sobretudo na zona raiana.
    todos sabemos que o Norte de Portugal e a Galiza tem muitas coisas em comum, que tivemos uma ligação no passado, que os contactos são fáceis e naturais mas isso não faz com que um Minhoto queira ser confundido com um Galego! essa consciência deixa-me orgulhoso da minha portugalidade, do Minho ao Algarve, dos Açores a Madeira!!!

    Quanto ao ódio de alguns dos nortenhos por Lisboa, outra semelhança com o Brasil. Mas aqui são alguns dos sulistas e dos paulistas que odeiam Brasília por viver as custas do resto do Brasil. A semelhança dos minhotos com os galegos lembra a dos gaúchos com os argentinos. Como os portugueses e os brasileiros são parecidos!!! 🙂

    agora outro assunto diferente, os restantes sul-americanos (a sua maioria ou classes lideres) são descendentes de… espanhóis!!! entre alguns serão galegos, concerteza, pois fazem parte do Reino de Espanha.
    entre eles haverá bascos, astures, catalães, castelhanos, andaluzes, valencianos, canarinos, navarros, estremenhos (os mais violentos, os conquistadores sanguinários saíram quase todos desta zona contígua de Portugal), dizer que “argentinos e uruguaios são descendentes de galegos” penso não ser correcto.
    “Então a Argentina e o Uruguai podiam ser anexados ao Brasil.” brinca, brinca, mas esse ditadorzinho que há em cada um de nós está a revelar-se…
    pronto, não te contestei muito, mas espero ter ido de encontro à expectativa!!!

    Eu não disse que argentinos e uruguaios são descendentes só de galegos, mas que a maioria dos imigrantes espanhóis são originários da Galiza. Até o Brasil recebeu imigrantes de diversas regiões da Espanha.
    Foi de encontro à expectativa sim.

    Clavis Prophetarum :
    Pessoalmente, nao defendo a pura e simples anexacao da Galiza: isso seria ridiculo. Mas acredito que os galegos têm o direito de manter a sua identidade nacional e que esta so pode existir pela lingua, e que esta é, essencialmente, portugues. Ainda ontem estive a falar bastante tempo com dois amigos do MIL da Galiza em puro, escorreito e muito compreensivel… Portugues, sem nenhum espanholismo.
    PS: ao que sei no Brasil, o termo “galego” ‘e usado para pessoas de pele clara, olhos azuis e cabelo claro (um genotipo comum no Minho). Nao seria o caso dessa familia?

    Pessoal, eu não nego que desejo ver a Galiza ou independente ou incorporada a Portugal. Por ser uma continuidade natural, tanto geográfica quanto étnica. Mas o que vale é a vontade da maioria dos galegos. Se eles querem ser espanhóis, respeito a decisão deles! E não os julgo como errados por causa disto.

    fada do bosque :
    É verdade… sou minhota e a minha família tem muitos membros de olhos verdes ou azuis e pele muito clara… já dos tempos dos meus avós e bisavós. Não sei, mas dá a impressão que somos descendentes de celtas. Tenho uma tia que está neste momento, penso eu, na Torre do Tombo a estudar a genealogia da família, vamos ver o que sai quando acabar esse trabalho…
    De qualquer forma, já dizia o meu avô, que de Espanha nem bom vento nem bom casamento!

    Outra minhota? Já tínhamos uma sábia coruja do Minho. Agora temos também uma sábia Fada do Minho. E como Fada, tem poderes mágicos. 😀 Vamos nos iluminar com muito conhecimento minhoto. 😉
    Possivelmente é descendente dos celtas galaicos, e dos suevos ou dos visigodos. 😉
    Essa frase é um dos mais famosos provérbios portugueses.

    Otus scops :
    os brasieliros não são melhores nem piores que ninguém, também tem racistas, xenófobos e pessoas que combatem essas preconceitos tão errados.

    Rapaz, os brasileiros são talvez um dos povos mais preconceituosos do mundo. Por exemplo, os portugueses e os outros europeus são muito mais tolerantes aos homossexuais do que os brasileiros, por exemplo.

    • fada do bosque

      Querido e omnisciente deus nórdico, sou apenas uma filha de Nabia e de Bandua a quem os druidas se “esqueceram” de iluminar… deixaram esse trabalho para o deus viking, deus que apareceu por artes de magia para me ensinar! É uma honra ser sua “protegida” e a minha companheira de sempre a sábia coruja, faz já um trabalho titânico, para ajudar a desbravar esta mente, carente de conhecimento. 🙂 e a brincar se vai aprendendo muito! 🙂 🙂 🙂
      Bravo Odin! esse comentário foi muito perspicaz! 🙂 Sim outra minhota!… Mas não tenho nada contra o sul, embora goste muito mais dos bosques do Minho 😉
      Um beijão 🙂

      • Odin

        Um trabalho prazeroso que os deuses da região e os druidas me deixaram. A honra é toda minha! 😉
        Outro beijão! 🙂

      • Otus scops

        olá conterrânea!!!

        😀

        sou da bacia hidrográfica do Rio Lima!!!

        (e mais não digo aqui por motivos de privacidade).

        “Mas não tenho nada contra o sul, embora goste muito mais dos bosques do Minho ”
        tal e qual como eu, apesar de tudo acrescento, tenho tudo a favor do Sul, mas os nossos bosques, montanhas, rios e eterno verde são imprescindíveis na minha vida!!!
        tal como as rias galegas.

        • O Lima nao era o Ledes onde quem passava perdia a memoria?…

          • Otus scops

            CP

            era. foi o General Décimo Junio Bruto que atravessou com a VIIª Gémina e trouxe o Latim e “o kernel” da língua que hoje falamos e que os brasileiros teimam em desvirtuar…

            hihihihihihihihi
            😀 😀 😀

            • Os brasileiros sao a prazo – num pais de demografia descendente – o maior seguro de vida da lingua portuguesa…
              Sabias isso de cor, ‘o malando, ou foste (ou devo dizer “phoste”) ‘a cabula?

              • Otus scops

                CP

                os problemas de Portugal não podem ser resolvidos por ninguém senão pelos portugueses:
                quando o Brasil atingir os níveis de riqueza e de IDH de Portugal irá abrandar o crescimento demográfico, logo nem para isso serve.

                “Os brasileiros sao a prazo – num pais de demografia descendente – o maior seguro de vida da lingua portuguesa…”
                perante isto não posso dizer grande coisa…
                como eu gostava de ser dinamarques, finlandes, sueco, hungaro, grego, bulgaro, romeno,holandês, islandes, noruegues, polaco, servo-croata, romanche, mirandês, gaélico, coreano, etíope, etc, etc, etc,…
                esses não temem nem entregam a língua deles a gigantes em expansão demográfica.

                • Ninguem entregou ou entrega coisa nenhuma a ninguem. A lingua nao ‘e minha ou tua ou de outrem, ‘e de quem a fala. E sendo viva, contempla e enriquece-se com cada variacao, seja a galega, brasileira, coimbra ou alfacinha…

          • fada do bosque

            Já passei muitas vezes e não me considero amnésica, Clavis! 😉 eheheheheheh!! Há cada história mais gira! 🙂

        • fada do bosque

          Eu sou do Vale do Ave, V.N.F.! Só conheço gente fixe aí nessa bacia! 😉

    • Otus scops

      Odin

      meu querido Rei de Asgard, entendo que não vejas razão para “…os minhotos se irritarem tanto quando são chamados de “galegos”. pois não és Minhoto, se o fosses irias entender… 😀
      além de mais É também (ou ERA naqueles tempos) uma provocação dos brasileiros ao aos imigrantes portugueses (no Brasil).

      “Mas aqui são alguns dos sulistas e dos paulistas que odeiam Brasília por viver as custas do resto do Brasil.”
      esse é outro mito, Lisboa tem economia, vive sem ser “às custas” dos outros. é uma metáfora muito mal aplicada apenas porque o poder reside na capital e vira as populações umas contra as outras.
      “A semelhança dos minhotos com os galegos lembra a dos gaúchos com os argentinos.”
      não conheço a história aí das pampas, mas os galegos e os minhotos estão separados à 9 séculos, tendo inclusive conflitos e guerras de fronteira.
      já não são “a mesma coisa” à muito tempo, se é que o foram verdadeiramente alguma vez, apesar de partilharmos coisas em comum.

      “Como os portugueses e os brasileiros são parecidos!!!”
      para o bem e para o mal…
      😀

  11. Riquepqd

    Estava refletindo melhor sobre este post, aproveitei para ler os comentários feitos no blog Rosa dos Ventos sobre este assunto e…

    Pode ser que eu esteja errado, mas acho que não existe uma campanha para acabar com a cultura lusófona no Brasil, o que acontece na verdade é que cada um puxa a brasa para seu lado.

    Os ítalo-brasileiros procuram valorizar a cultura de sua ascendência, assim como os teuto-brasileiros, nipo-brasileiros e assim por diante, eu mesmo, sempre que posso defendo minha longínqua ancestralidade portuguesa, holandesa e potiguara.

    Não desmereço nenhum brasileiro que não divida comigo as mesmas origens, por isso pra mim é indiferente, nem melhor ou pior a cultura dos descendentes das maiores colônias estrangeiras no Brasil, os italianos, alemães, japoneses, poloneses e ucranianos.

    Mas se um destes brasileiros que não descendem de portugueses, quiserem valorizar sua origem tentando desdenhar da cultura lusófona (o que é comum), vão arrumar um problema sério comigo, porque não aceito que menosprezem a cultura portuguesa, por ser parte de minha origem.

    Mas o problema é que pessoas como eu, que defendem a cultura lusófona são minoria, apesar de os luso-brasileiros serem a maioria dos brasileiros, eles não se enxergam como tal, talvez pela longínqua ancestralidade os luso-brasileiros se vêem apenas como brasileiros, e por isso em geral são indiferentes à cultura lusófona, ao contrário dos demais, que talvez pela ascendência estrangeira ser mais recente, se identificam e valorizam isso.

    • Sim, eu sei que a identificacao com a causa de uma “comunhao lusofona” no Brasil ‘e tao minoritaria como a causa reintegracionista na Galiza ou a unionista em Portugal. Nao ‘e o facto de defender uma tese minoritaria que nos deve desanimar. Pelo contrario, como dizia Agostinho da Silva: “a grandeza da obra é quase sempre devida à dificuldade que se encontra nos meios a empregar, à indiferença que cerra os ouvidos do povo, e aos mil braços que logo se levantam”.

      • Riquepqd

        Falou tudo CP,

        E acrescento outro dado curioso, a favor da cultura lusófona, nunca vi nada, mas recentemente, coisa de uns cinco anos, se levantou no Brasil por parte do governo e da sociedade, uma nobre e grande campanha de valorização da cultura afro-brasileira.

        Artistas negros famosos apareciam em tele comerciais incentivando os afro-brasileiros a se valorizar, a valorizar sua cultura e ter orgulho de suas origens.

        Assim como se declararem negros quando forem entrevistados pelo censo, porque se suspeitava que boa parte dos negros se declaravam como pardos ao invés de negros, o que deturpava os resultados do censo.

        Além disso, no mesmo período surgiram várias leis e projetos de lei para beneficiar esta importante parcela da população, como as aprovadas e em vigor cotas raciais para ingressar em universidades públicas, e algumas outras propondo cotas para artistas negros e pardos em produções artísticas e para modelos das mesmas etnias em desfiles de moda.

        Como os africanos ao desembarcar no Brasil eram batizados com nomes cristãos pelos portugueses, não se pode saber com certeza de qual etnia um afro-brasileiro descende, por isso a idéia desta campanha é valorizar a África como um todo, inclusive se estuda incluir no currículo escolar a História da África, que hoje é contada apenas em parte, nas escolas brasileiras se privilegia o estudo da História da Europa.

        Eu particularmente sou a favor que se valorizem os afro-brasileiros, historicamente tão sofridos e vitimas de preconceito, mas não concordo de maneira alguma com as cotas raciais para ingressar nas universidades públicas, no lugar delas, sou totalmente a favor das cotas sociais, isto é, se reservar cotas para pobres de todas as etnias, e não apenas para negros e pardos.

        Porque desta forma, as universidades públicas são freqüentadas por alunos ricos e de classe média de todas as etnias, e por negros e pardos pobres, mas aonde entram os brancos pobres nesta história? Por isso eu acho que este sistema é desigual e acaba gerando em setores políticos e da sociedade, uma certa disputa étnica e conseqüente preconceito racial, afim de discutir se o melhor são as cotas raciais ou sociais.

        Eu acho que a embaixada portuguesa deveria trabalhar no Brasil da mesma forma que algumas embaixadas atuam e ir além, tentando implementar uma grande campanha midiática de valorização lusófona no Brasil, conscientizar a massa de suas origens e não apenas isto, dos grandes feitos históricos portugueses, para que os luso-brasileiros se orgulhem de seus antepassados.

        Por exemplo a embaixada holandesa financia estudos históricos, arqueológicos e genéticos afim de comprovar à ascendência holandesa de boa parte dos brasileiros do nordeste setentrional.

        A embaixada italiana antes da crise entre os países era um exemplo, era a mais atuante neste sentido e apoiava a criação de núcleos regionais da cultura italiana em vários municípios brasileiros que foram colonizados por imigrantes italianos, também faz parcerias para apoiar clubes esportivos fundados por italianos, afim de manter viva na memória dos ítalo-brasileiros as sua origens, além de apoiar intercâmbios entre estudantes de ambos os países e cursos de língua italiana.

        As embaixadas alemã, japonesa e polonesa não são tão atuantes como era a italiana, mas também tem em menor escala os mesmos projetos.

        Agora a embaixada portuguesa nada, nadinha de nada, pelo menos não do meu conhecimento, assim fica difícil valorizar a cultura lusófona no Brasil, se este interesse não partir de Portugal.

        • Otus scops

          “Eu acho que a embaixada portuguesa deveria trabalhar no Brasil da mesma forma que algumas embaixadas atuam e ir além,…”

          obrigado Riquepqd, este depoimento deita por terra a ladainha de que a UE impede Portugal de fazer o que quer que seja…

          • Nao uso esse argumento. A europa segue e defende os interesses de quem manda nela: os grandes paises do norte. A nos compete defender os nossos, o que digo ‘e que os nossos governantes nao o tem feito com o brio e empenho de um pais milenar.
            Em suma: os principais responsaveis desta europa nos estar a asfixiar somos NOS. Os europeus do norte fazem apenas aquilo que sempre fizeram bem: explorar e rentabilizar os recursos alheios. Pensar que a europa age apenas em prol do nosso proprio bem ‘e pensar ingenuamente…

  12. Riquepqd

    Concordo contigo e com o Agostinho quanto maior é a difilcudade, maiores serão os louros da vitória.

    E acrescento outro dado curioso, a favor da cultura lusófona, nunca vi nada, mas recentemente, coisa de uns cinco anos, se levantou no Brasil por parte do governo e da sociedade, uma nobre e grande campanha de valorização da cultura afro-brasileira.

    Artistas negros famosos apareciam em tele comerciais incentivando os afro-brasileiros a se valorizar, a valorizar sua cultura e ter orgulho de suas origens.

    Assim como se declararem negros quando forem entrevistados pelo censo, porque se suspeitava que boa parte dos negros se declaravam como pardos ao invés de negros, o que deturpava os resultados do censo.

    Além disso, no mesmo período surgiram várias leis e projetos de lei para beneficiar esta importante parcela da população, como as aprovadas e em vigor cotas raciais para ingressar em universidades públicas, e algumas outras propondo cotas para artistas negros e pardos em produções artísticas e para modelos das mesmas etnias em desfiles de moda.

    Como os africanos ao desembarcar no Brasil eram batizados com nomes cristãos pelos portugueses, não se pode saber com certeza de qual etnia um afro-brasileiro descende, por isso a idéia desta campanha é valorizar a África como um todo, inclusive se estuda incluir no currículo escolar a História da África, que hoje é contada apenas em parte, nas escolas brasileiras se privilegia o estudo da História da Europa.

    Eu particularmente sou a favor que se valorizem os afro-brasileiros, historicamente tão sofridos e vitimas de preconceito, mas não concordo de maneira alguma com as cotas raciais para ingressar nas universidades públicas, no lugar delas, sou totalmente a favor das cotas sociais, isto é, se reservar cotas para pobres de todas as etnias, e não apenas para negros e pardos.

    Porque desta forma, as universidades públicas são freqüentadas por alunos ricos e de classe média de todas as etnias, e por negros e pardos pobres, mas aonde entram os brancos pobres nesta história? Por isso eu acho que este sistema é desigual e acaba gerando em setores políticos e da sociedade, uma certa disputa étnica e conseqüente preconceito racial, afim de discutir se o melhor são as cotas raciais ou sociais.

    Eu acho que a embaixada portuguesa deveria trabalhar no Brasil da mesma forma que algumas embaixadas atuam e ir além, tentando implementar uma grande campanha midiática de valorização lusófona no Brasil, conscientizar a massa de suas origens e não apenas isto, dos grandes feitos históricos portugueses, para que os luso-brasileiros se orgulhem de seus antepassados.

    Por exemplo a embaixada holandesa financia estudos históricos, arqueológicos e genéticos afim de comprovar à ascendência holandesa de boa parte dos brasileiros do nordeste setentrional.

    A embaixada italiana antes da crise entre os países era um exemplo, era a mais atuante neste sentido e apoiava a criação de núcleos regionais da cultura italiana em vários municípios brasileiros que foram colonizados por imigrantes italianos, também faz parcerias para apoiar clubes esportivos fundados por italianos, afim de manter viva na memória dos ítalo-brasileiros as sua origens, além de apoiar intercâmbios entre estudantes de ambos os países e cursos de língua italiana.

    As embaixadas alemã, japonesa e polonesa não são tão atuantes como era a italiana, mas também tem em menor escala os mesmos projetos.

    Agora a embaixada portuguesa nada, nadinha de nada, pelo menos não do meu conhecimento, assim fica difícil valorizar a cultura lusófona no Brasil.

    Se este interesse não partir de Portugal, acho que muito dificilmente partirá do Brasil..

  13. Riquepqd

    Foi mal CP, ficou em duplicidade sem querer querendo 😉

    É que houve um problema no computador e eu pensei que da primeria vez não havia sido enviado.

    • Nao ha problema. Quando deteto comentarios duplicados, geralmenta apago-os. Contudo, se o texto for exatamente igual penso que o proprio wordpress os impede.

      • Riquepqd

        E o que pensa sobre o que escrevi?

        • Podes ser mais concreto, Riquepqd?

          • Riquepqd

            Sobre a campanha governamental brasileira e da sociedade para valorização afro-brasileira, e o que Portugal pode tirar disto para tentar algo do tipo no Brasil.

            E sobre a timida atuação da embaixada portuguesa, em comparação com outras, no que concerne projetos e programas para valorizar a cultura lusa no Brasil.

            Conforme escrevi detalhes acima.

  14. Riquepqd

    CP, e ainda acrescento mais, no Brasil, até a embaixada da Espanha é mais atuante neste sentido do que a portuguesa.

    A maior parte dos imigrantes espanhois no Brasil são de galegos que foram pra Salvador, e é justamente lá que a embaixada instalou seu principal consulado, o consulado-geral, e acredite, lá eles finaciam qualquer empresário que queira instalar uma escola de idiomas focada no castelhano, e fazem uma campanha local para atrair os descendentes dos galegos para aprender o castelhano.

    É isso mesmo que você está lendo, Madrid patrocina até aqui no Brasil, o aculturamento castelhano dos galegos.

  15. Portugal é sub-valorizado no Brasil e na sua mídia por culpa dele mesmo e dos luso-descendentes que não estudam e não valorizam suas origens, diferentemente dos italianos e alemães.

    A impressão geral é que os portugueses não tiveram importância nenhuma por aqui, e isto é reforçado pela mídia. Outro dia ouví na CBN o Carlos Heitor Cony (portugueses, lembrem este nome se ele aparecer por aí tal e qual a Maitê Proença, a vender livrinhos…) dizendo que a imigração portuguesa não fez muita diferença, ao contrário da imigração italiana, responsável pela industrialização no Brasil (não sabia que o Barão de Mauá descendia de italianos…).

    Ademais, os ítalos-descendentes estudam mais, se posicionam melhor na sociedade, se tornam formadores de opinião que tendem a levar para a mídia suas tradições, as quais valorizam.

    Isso é a verdade. Não adianta choramingar: Portugal já perdeu o Brasil faz tempo, tanto territorialmente como culturalmente (espiritualmente).

    • fada do bosque

      Foi mesmo muito triste ler isso… Renato, até porque eu tenho uma simppatia imensa pelos brasileirinhos que são todos bens dispostos, simpáticos e com muita alegria de viver, em contraste com os sisudos portugueses na sua generalidade. Vocês comentadores do Quintus são bem o exemplo do que acabei de falar! 😦

    • Otus scops

      este depoimento do Renato R. Silva é potente!

  16. riquepqd

    CP, eu não falei…

  17. riquepqd

    Otus,

    “…não temem nem entregam a língua deles a gigantes em expansão demográfica.”

    Acho que não são os brasileiros descendentes de outras nacionalidades os que tramam contra a lusofonia no Brasil, mas é você que é “Contra a Cultura Lusófona no Brasil” 😉

    “…quando o Brasil atingir os níveis de riqueza e de IDH de Portugal irá abrandar o crescimento demográfico, logo nem para isso serve…”

    Poxa, não servimos pra nada à Portugal, que pena, mas acho que se tiver a mesma boa vontade que tem para com a Europa, vai enchergar as possibilidades de que temos, principalmente para Portugal, mas a tua lusofonofobia não deixa! 😉

    Quanto as riquezas, depende do ponto de vista, em uns aspectos somos melhores e em outros piores, e em alguns, iguais, por isso, você está falando de que tipo de riquezas? De PIB bruto, per capita, econômia em geral ou de outras riquezas como as culturais, naturais, agrícolas, cientificas, marinhas, industriais ou o que???…

    Quanto ao IDH, até 2020 ou um pouco mais nós chegaremos ao atual patamar português, não estamos tão atrás assim, o Brasil não é mais o país de barbaros incultos e coberto de selva que tu deve pensar… Sabia que existe civilização fora da Europa? 🙂

    Isto, mesmo sendo um país territorialmente muito maior que Portugal, o que cria grandes dificuldades de desenvolve-lo por completo, Estados tão desenvolvidos ou até mais que Portugal, nós temos vários, mas também temos outros vários menos desenvolvidos, infelizmente, em nossa federação nem todos andam na mesma velocidade, principalmente em um país federal de proporções continentais, mal comparando, é quase como uma UE, alguns fazem o dever de casa, outros não…

    Fora as condições ambientais que são pouco propicias ao desenvolvimento, como a selva amazônica e o semi-árido nordestino.

    Também sei que até 2020 o IDH português também será maior, superior ao brasileiro, não precisa responder isto… 🙂

    Agora vamos ao teu calcanhar de aquiles, o que vou escrever agora, será música para teus ouvidos:

    1º Não sou totalmente favoravel ao AO de 1990, na verdade, a única coisa que me agrada nele é a possibilidade de aumentar a relações culturais entre a CPLP.

    2º Se brasileiros e restantes cidadãos da CPLP falam de maneiras tão diferentes, é fato que haverá problemas para se escrever de maneira igual, logo, uma opção seria manter do jeito que estava, e daqui há uns 15, 20 ou no máximo 30 anos, não haveria mais língua portuguesa no Brasil, se transformaria em um galego sul-americano, português mesmo somente em Portugal e no restante da CPLP.

    Será que é isso que realmente os portugueses, incluindo você, queriam? Eu acho que os mais prejudicados com isto seriam os portugueses.

    3º Se os brasileiros são 80% dos lusófonos, por questão de democrácia, é uma consequencia que o dicionário brasileiro sofra menos alterações que o do restante da CPLP, é uma questão lógica, quanto menos pessoas para se adaptarem ao acordo, melhor.

    4º Por ser as terras de Portugal a origem do idioma da CPLP, é fato que os portugueses se achem no direito, e com toda a razão, de impor o seu modo de falar e escrever aos demais, e achem que qualquer norma que não venha de Portugal seja um homícidio da língua.

    Mas por outro lado, a língua é viva e evolui (ou na sua opinião, neste caso pode retrogredir), e seus donos não são mais apenas os portugueses, mas todos os falantes do português na CPLP, e por isso não haveria a mínima possibilidade de fazer com que os 180 milhões de brasileiros retornassem na História e voltassem a falar e escrever como portugueses.

    Por isso houve um acordo, que mesmo com todos os defeitos para ambos os lados, é um ponto de partida para que possa ser aperfeiçoado depois, e mesmo com os problemas (ambos os lados), na minha humilde opinião é melhor para todos escrevem de maneira igual do que cada um ir pro seu lado.

    Obs: Eu por exemplo, não entendo como o trema pode ter desaparecido da língua portuguesa depois do acordo ortográfico, não sei se conseguirei me fazer claro aos portugueses, mas como brasileiro, escrever a mesma palavra das maneiras a seguir, representa sons totalmente diferentes:

    Lingüiça – Linguiça
    Cinqüenta – Cinquenta
    tranqüilo – tranquilo
    enxágüe – enxágue

    E a questionada pelos tugas omissão do “c” em algumas palavras gerou confusão, porque em algumas continuam, como aspecto e em outras não, neste ponto facilitou para os brasileiros, porque parece que as palavras em que os brasileiros falam este “c”, continuam com o “c”, já nas que os brasileiros não falam o “c”, foi omitida na escrita, e neste ponto dou razão aos tugas, porque ao que me parece, o único critério foi a forma de falar brasileira.

    Um abraço do Guerreiro Alado à Sábia Coruja do Minho, ao Deus de Asgard, a Fadinha Encantada dos Gélidos Bosques Europeus e ao CP, que aguenta a nós todos com uma paciência de Jó 😉

    • fada do bosque

      Riquepqd;
      Um exame exemplar para nos fazer ver que tem de haver compreensão de ambas as partes, pois ambas estão interessadas em ajudar-se mútuamente… pelo menos tentou e eu até entendo, eu que votei contra o AO numa petição… mas esta é a língua mãe e temos de ser sempre nós a fazer concessões… 😦

      • Riquepqd

        “…mas esta é a língua mãe e temos de ser sempre nós a fazer concessões…”

        Fadinha, compreendo a tua posição, se eu fosse português diria a mesma coisa… Mas como não sou, argumento que Portugal não pode impor um modo de falar ou escrever a um país indenpendente já há alguns séculos.

        Por isso tem de haver um AO onde os DOIS lados façam concessões, e não apenas a terra onde gerou-se o idioma.

        Mas que se fisesse um referendo em ambos os países, se a maioria dos portugueses e brasileiros escolhessem que o ideal seria que não houvesse concessão ao outro lado, então colocava-se um ponto final nesta história e seguiriamos com o Português na Europa, PALOPs e Timor e o “brasileiro” aqui no Brasil.

        Agora, no caso de escolherem o AO, então o que não pode acontecer é apenas um lado conceder, ambos tem que fazer isto.

  18. Otus scops

    Clavis Prophetarum :
    a questão da Galiza é patriótica é resume-se a:
    1. Convém a Portugal que Espanha enfraqueça? Sim.
    não sei, assim ficavamos sem objectivos para lutar, tipo Queda do Muro de Berlim…

    2. A saída da Galiza (Catalunha e País Basco), enfraqueceria Espanha? Sim.
    não. acabaria a Espanha e robusteceria Castela. ao ficar acantonada, central e no alto da Meseta Ibérica reforçar-se-ía, os restantes enfraqueceriam e depois aparecia ainda com mais força. é bom para Portugal que haja tensões internas, desgasta-os, distrai-os, dispersa-os.
    3. A saída da Galiza favoreceria a devolução dos territórios ocupados de Olivença? Sim
    Olivença não me incomoda porque os Oliventinos não demonstram vontade de regressar. e temos coisas muito mais importantes para nos dedicar.

    4. O apoio à independência da Galiza salda uma dívida moral histórica de Portugal com os independentistas galegos? Sim
    PORTUGAL NÃO TEM DÍVIDAS COM NINGUÉM. pagou e paga amargamente este complexo liliputiano de grandeza que nos tolhe como povo e nos impede de prosseguir com toda a categoria e excelência!!!
    livrou-se deles, como rito iniciático, foi a primeira medida, em boa hora.
    “POR SÃO JORGE, POR PORTUGAL!”

    Quatro razões para apoiar a causa galega PORQUE TAL É CONFORME AOS INTERESSES DE PORTUGAL, em primeiro lugar. E aos da Galiza, coincidentemente e depois PORQUE SOU PORTUGUÊS.
    realmente até para contar és fraco a matemática… 😀

    alguma vez Portugal tem interesses coincidentes com a Galiza??? onde???

    gostas de ser português??? eu também!!! e já agora, o que é isso ser português??? 😈

    • Uma Espanha forte sempre foi e sera perigosa para Portugal. Podia dar aqui inumeros exemplos, mas recordo apenas que foram durante os anos de prosperidade (suposta) de Espanha, depois da integracao europeia, que mais se destruiu a industria, pesca e agricultura portuguesas e que os grandes protagonistas desta destruicao foram espanhois (com cumplices no bipartido portugues).

      • fada do bosque

        Das Bolsas nem vale a pena falar. Aliás, é esquisito que esta seja uma notícia tão realçada: uma nova recessão (a segunda parte da crise começada em 2008) está a chegar, seria esquisito para os mercados não pressentir isso.

        Como a Europa abranda (caso Alemanha, com crescimento zero), a América à procura dum milagre, as outras praças mundiais em fase de espera, o que podemos obter? Proibir o short é a solução? “Doutor, fui atropelada pelo comboio, perdi duas pernas, um braço e uma mão, socorro!” “Calma filha, tudo está controlado, tome uma aspirina”.

        A coisa melhor é estar preparados para um final de 2011 quente (bolha imobiliária na Europa, entre as outras coisas?).
        Pronto estraguei o “bate-papo”! 🙂 🙂

        • Otus scops

          fada do bosque

          nada está estragado, pelo contrário, está melhorado, bem-haja.

          “Como a Europa abranda (caso Alemanha, com crescimento zero), ”
          estou todo contente, só me chateia é porque está a demorar tanto tempo!
          isto como está – economia de casino, off-shores (que quase ninguém fala), deslocalização, querer tudo barato, economia do petróleo, crescimento da população – tem de terminar. é insustentável.

      • Otus scops

        blá, blá, blá.

        agora já nem respondes, pões a cassete e já está.
        não disseste nada.

  19. fada do bosque

    ahahahhahahah!!! Otus!!!! 🙂 🙂 Isso é que é uma oposição ferrenha! 😉 é mesmo nortenho!!! 🙂

  20. Riquepqd

    Ué Otus, está doente? Não respondeu ao meu comentário # 60 sobre seu assunto favorito, o acordo ortográfico, é deve estar doente mesmo. 😀

    • Sim, para falar desse tema o otus ‘e ate capaz de se levantar da tumba e caminhar feito zombie ate ao teclado mais proximo para cascar sobre “aquilo”.

    • Otus scops

      Riquepqd

      de repente o Quintus ficou com uma dinâmica nunca vista: a fada do bosque revolucionou o blog!!! 😀
      são tantos os comentários que não dou conta.
      não se se o CP pode mudar a estrutura de organização, assim perdem-se respostas tal o fluxo de mensagens.

      assim sendo só agora é que vou esboçar uma resposta/comentário ao teu excelente comentário. (vou responder em maiúsculas para se perceber a minha resposta, ok?)

      2011/08/22 às 23:49 | #60

      Otus,

      “…não temem nem entregam a língua deles a gigantes em expansão demográfica.”
      Acho que não são os brasileiros descendentes de outras nacionalidades os que tramam contra a lusofonia no Brasil, mas é você que é “Contra a Cultura Lusófona no Brasil” 😉
      ESTE NÃO ENTENDI MUITO BEM, MAS NÃO SOU CONTRA NADA, SOU APENAS A FAVOR DA LÍNGUA PORTUGUESA MATRIZ. É QUE DE ACORDO ISTO NÃO TEM NADA, NEM DE ORTOGRÁFICO. SE TIVESSE ERA UM CASO A VER, ASSIM NÃO.

      “…quando o Brasil atingir os níveis de riqueza e de IDH de Portugal irá abrandar o crescimento demográfico, logo nem para isso serve…”
      Poxa, não servimos pra nada à Portugal, que pena, mas acho que se tiver a mesma boa vontade que tem para com a Europa, vai enchergar as possibilidades de que temos, principalmente para Portugal, mas a tua lusofonofobia não deixa! 😉
      QUAIS POSSIBILIDADES??? A UE É UMA IDEIA EXCELENTE, AS COISA HÃO-DE MELHORAR, TEMOS DE ESPERAR, MAS NUNCA FUI CONTRA A LUSOFONIA NEM CONTRA O BRASIL. JÁ PENSASTE PORQUE ESTOU AQUI NO QUINTUS??? É UM ASSUNTO QUE ME INTERESSA DE SOBREMANEIRA, NO ENTANTO HÁ QUESTÕES QUE AQUI SÃO COLOCADAS QUE NÃO CONCORDO (E POSSO ATÉ ESTAR ERRADO – ADMITO)

      Quanto as riquezas, depende do ponto de vista, em uns aspectos somos melhores e em outros piores, e em alguns, iguais, por isso, você está falando de que tipo de riquezas? De PIB bruto, per capita, econômia em geral ou de outras riquezas como as culturais, naturais, agrícolas, cientificas, marinhas, industriais ou o que???…
      HUMANAS PRIMEIRO QUE TUDO. ORGANIZACIONAIS, CULTURA ACUMULADA, TRADIÇÃO, CONHECIMENTO. É DISSO QUE FALO. EXPLORAR RECURSOS NÃO TEM NADA DE ESPECIAL, QUANDO ESGOTAREM KAPUT!!!

      Quanto ao IDH, até 2020 ou um pouco mais nós chegaremos ao atual patamar português, não estamos tão atrás assim, o Brasil não é mais o país de barbaros incultos e coberto de selva que tu deve pensar… Sabia que existe civilização fora da Europa? 🙂
      JÁ FALAMOS NISSO À MUITO TEMPO ATRÁS (ATÉ COLOQUEI LINKS PARA JUSTIFICAR), AS PROJECÇÕES NÃO INDICAM NADA DISSO, PORTUGAL MANTER-SE-HÁ À FRENTE. MAS PODE ACONTECER, O BRASIL PODE SER BEM MAIS RICO DO QUE É.
      CLARO QUE HÁ CIVILIZAÇÃO NO BRASIL, COMO HÁ TROGLODITAS NA ALEMANHA E NA SUÉCIA.

      Isto, mesmo sendo um país territorialmente muito maior que Portugal, o que cria grandes dificuldades de desenvolve-lo por completo, Estados tão desenvolvidos ou até mais que Portugal, nós temos vários, mas também temos outros vários menos desenvolvidos, infelizmente, em nossa federação nem todos andam na mesma velocidade, principalmente em um país federal de proporções continentais, mal comparando, é quase como uma UE, alguns fazem o dever de casa, outros não…
      SIM, CADA PAÍS TEM AS SUAS ESPECIFICIDADES. NA ALTURA QUE FALÁMOS ESTES ASSUNTOS NUNCA PROVASTE ESSA AFIRMAÇÃO DE “Estados tão desenvolvidos ou até mais que Portugal,”, MAS SE OS HÁ AINDA BEM, ESPERO QUE OS OUTROS SE POSSAM APROXIMAR. AS DESIGUALDADES É PROVAVELMENTE A COISA QUE MAIS ME REVOLTA A NÍVEL HUMANO, SEJA ONDE FOR. E PORTUGAL É O PAÍS MAIS DESIGUAL DA UE.

      Fora as condições ambientais que são pouco propicias ao desenvolvimento, como a selva amazônica e o semi-árido nordestino.
      NÃO ME ASSUSTES!!! ESSA VISÃO DE “DESENVOLVIMENTO” É TRÁGICA!!! NÃO QUEIRAS “DESENVOLVER” ESSAS ÁREAS NUNCA!!! O VERDADEIRO DESENVOLVIMENTO DESSAS REGIÕES TEM UM NOME: PRESERVAÇÃO/CONSERVAÇÃO!!!

      Também sei que até 2020 o IDH português também será maior, superior ao brasileiro, não precisa responder isto… 🙂
      Agora vamos ao teu calcanhar de aquiles, o que vou escrever agora, será música para teus ouvidos:
      NÃO É CALCANHAR DE AQUILES NENHUM, CONTINUO AMIGO DE TODA A GENTE… 😉

      1º Não sou totalmente favoravel ao AO de 1990, na verdade, a única coisa que me agrada nele é a possibilidade de aumentar a relações culturais entre a CPLP.
      COMO ASSIM??? SÓ VEIO FOI SEPARAR, POIS O QUE EXISTIA NUNCA CONSISTIU OBSTÁCULO PARA NADA. É UMA MISTIFICAÇÃO ESSA COISA DE SERMOS TODOS IGUAIS, SOBRETUDO NA VARIANTE BRASILEIRA. ISSO NÃO OBRIGADO. ALÉM DE MAIS O (DES)AO90 NÃO AUMENTOU EM NADA AS RELAÇÕES CULTURAIS, EU NÃO VEJO MUDANÇA EM NADA.

      2º Se brasileiros e restantes cidadãos da CPLP falam de maneiras tão diferentes, é fato que haverá problemas para se escrever de maneira igual, logo, uma opção seria manter do jeito que estava, e daqui há uns 15, 20 ou no máximo 30 anos, não haveria mais língua portuguesa no Brasil, se transformaria em um galego sul-americano, português mesmo somente em Portugal e no restante da CPLP.
      QUE TEORIA MIRABOLANTE, MAS PODE SER VERDADE. ENTÃO SE A LÍNGUA NO BRASIL TEM ESSA VOLATILIDADE, ESSA DISPLICÊNCIA PARA COM AS REGRAS E COM A ETIMOLOGIA, MAIS ME FAZES FICAR CONTRA O (DES)AO90. QUE RAIO DE COISA É ESSA DE “GALEGO SUL-AMERICANO”??? 🙂

      Será que é isso que realmente os portugueses, incluindo você, queriam? Eu acho que os mais prejudicados com isto seriam os portugueses.
      COMO ASSIM??? OS PORTUGUESES IAM FICAR PREJUDICADOS POR FALAREM A SUA LÍNGUA E NÃO SEGUIREM A VARIANTE DO BRASIL??? OS PORTUGUESES JÁ ESTÃO A SER PREJUDICADOS EM TODA A LINHA AO TEREM ADERIDO, QUER LINGUÍSTICAMENTE QUER POLITICAMENTE. OS BRASILEIROS SÃO OS VENCEDORES DESTA QUESTÃO QUE NOS PENALIZA FORTEMENTE, HONRA LHES SEJA FEITA.

      3º Se os brasileiros são 80% dos lusófonos, por questão de democrácia, é uma consequencia que o dicionário brasileiro sofra menos alterações que o do restante da CPLP, é uma questão lógica, quanto menos pessoas para se adaptarem ao acordo, melhor.
      NEM NADA. LÁ POR SEREM MUITOS USAM A LÍNGUA MUITO MAL, É UM ERRO AMPLIFICADO. ASSIM PASSAMOS TODOS A ESCREVER PIOR.
      E JÁ AGORA, PORQUE É QUE TODOS OS BRASILEIROS NÃO FALAM À MODA DE “SUM” PAULO??? É O ESTADO COM MAIS PESSOAS, LOGO DEVEM TODOS SEGUIR ESSA VARIANTE. OU ENTÃO VAMOS TODOS APRENDER MANDARIM. PERCEBESTE ONDE QUERO CHEGAR???

      4º Por ser as terras de Portugal a origem do idioma da CPLP, é fato que os portugueses se achem no direito, e com toda a razão, de impor o seu modo de falar e escrever aos demais, e achem que qualquer norma que não venha de Portugal seja um homícidio da língua.
      INFELIZMENTE A MAIORIA DAS PESSOAS NEM SE APERCEBE DO ALCANCE DISTO. MAS TAMBÉM HÁ MUITA GENTE QUE APROVA. O HOMICÍDIO É POLÍTICO (OU MELHOR SUICÍDIO, O BRASIL NÃO OBRIGOU NINGUÉM) ALÉM DE ALGUNS INTERESSES ECONÓMICOS MISTURADOS…

      Mas por outro lado, a língua é viva e evolui (ou na sua opinião, neste caso pode retrogredir), e seus donos não são mais apenas os portugueses, mas todos os falantes do português na CPLP, e por isso não haveria a mínima possibilidade de fazer com que os 180 milhões de brasileiros retornassem na História e voltassem a falar e escrever como portugueses.
      SIM, NÃO HÁ DONOS DA LÍNGUA, MAS PARECE QUE HÁ UM E ESSE NÃO SÃO OS PORTUGUESES…
      E PORQUE NÃO FAZER RETROCEDER (NALGUMAS COISAS), PERANTE TANTAS MALFEITORIAS QUE OS LINGUISTAS BRASILEIROS TEM FEITO À LÍNGUA??? A QUERELA SEMPRE FOI POLÍTICA, OS BRASILEIROS (ELITES NÃO O POVO EM GERAL) TEM FEITO ESTAS COISAS PARA CORTAREM COM PORTUGAL. É POR AFIRMAÇÃO NACIONALISTA APENAS.
      DIZES MUITO BEM, A LÍNGUA EVOLUI, É VIVA, MAS EM PORTUGAL NÃO EVOLUI COMO NO BRASIL, ESSE É OUTRO ASSUNTO. ESTE (DES)AO90 NÃO REFLECTE A EVOLUÇÃO CÁ DOS 10 MILHÕES…

      Por isso houve um acordo, que mesmo com todos os defeitos para ambos os lados, é um ponto de partida para que possa ser aperfeiçoado depois, e mesmo com os problemas (ambos os lados), na minha humilde opinião é melhor para todos escrevem de maneira igual do que cada um ir pro seu lado.
      O ACORDO DEMOROU CERCA DE 17 ANOS A SER DISCUTIDO, SÓ AGORA NO 2º PROTOCOLO RECTIFICATIVO SE CHEGOU AO FIM E SAIU ESTE ABORTO. NUNCA MAIS SE VAI ENDIREITAR, PELO MENOS PARA PORTUGAL.
      “é melhor para todos escrevem de maneira igual ” EU E MUITOS PORTUGUESES NÃO QUEREMOS ESCREVER IGUAL AOS BRASILEIROS, É DISSO QUE SE TRATA. EU ESCREVO ASSIM E TU ENTENDES TUDO, O CONTRÁRIO TAMBÉM É VERDADEIRO. LOGO NÃO HÁ NECESSIDADE DE “ACORDAR” NADA, MAS INSISTO, ISTO É POLÍTICO, O BRASIL QUER VERGAR A CPLP.

      Obs: Eu por exemplo, não entendo como o trema pode ter desaparecido da língua portuguesa depois do acordo ortográfico, não sei se conseguirei me fazer claro aos portugueses, mas como brasileiro, escrever a mesma palavra das maneiras a seguir, representa sons totalmente diferentes:
      O TREMA É UM SÍMBOLO ALEMÃO E SUECO, O QUE NÃO ENTENDO É COMO ELE ENTROU NA LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL. É POR ESTE TIPO DE COISAS QUE EU NÃO QUERO A VARIANTE BRASILEIRA DO PORTUGUÊS, ESTÁ DESCARACTERIZDA, É VOLÚVEL, NÃO RESPEITA A ETIMOLOGIA, TEM PENDOR FONÉTICO, COMO EU DIGO, ABASTARDA, PERDE A PUREZA…

      Lingüiça – Linguiça
      Cinqüenta – Cinquenta
      tranqüilo – tranquilo
      enxágüe – enxágue

      E a questionada pelos tugas omissão do “c” em algumas palavras gerou confusão, porque em algumas continuam, como aspecto e em outras não, neste ponto facilitou para os brasileiros, porque parece que as palavras em que os brasileiros falam este “c”, continuam com o “c”, já nas que os brasileiros não falam o “c”, foi omitida na escrita, e neste ponto dou razão aos tugas, porque ao que me parece, o único critério foi a forma de falar brasileira.
      POIS… DISSESTE TUDO. E ISSO É ACORDO???

      Um abraço do Guerreiro Alado à Sábia Coruja do Minho, ao Deus de Asgard, a Fadinha Encantada dos Gélidos Bosques Europeus e ao CP, que aguenta a nós todos com uma paciência de Jó 😉
      OUTRO ABRAÇÃO, DAQUELES TRANSATLÂNTICOS!!! ESSA DO CP ESTÁ BOA, TENS RAZÃO, É PRECISO PACIÊNCIA!!! 🙂

      P.S. – Riquepqd, o meu registo, o meu tom pode parecer insultuoso, acintoso ou algo rancoroso para com o Brasil ou com os brasileiros, nada disso, não tenho a mínima intenção. por deficiências de escrita e limitação da escrita não consigo dizer estas coisas de outra forma, portanto dá-me um desconto…
      colocando as coisas no seu devido lugar, este assunto nem é assim tão importante para as relações humanas entre nós aqui no Quintus ou entre outros portugueses e brasileiros.
      aliás o C.D. de Andrade, o G.Fryre, o J.Amado, o V. Morais, O.Bilac, C.Lispector, M.Assis (os que conheço e li) não são portugueses e levam a nossa língua comum ao mais alto nível, não precisando de pedir meças a ninguém.
      para não falar do Chico Buarque, o artista mais incrível doo Brasil – Tom Zé, Betênia, Ney Matogrosso, etc, levam a mesma língua aos píncaros também.

      P.P.S. – espero ter ido de encontra às tuas expectativas, obrigado pelo interesse na minha opinião, que representa apenas a minha pessoa… 🙂

      • Sim, ha muitos comentarios vossos que aparecem como “spam”. O mecanismo ‘e o padrao no wordpress e infelizmente está longe de ser perfeito…

        • fada do bosque

          No spam? uma coisa é certa, se o Clavis estiver a mandar comentários, aqueles meus com mais de três linhas, desaparecem e voltam quando lhes apetece. Está a ver no que dá a “quequice” de um blackberry?! ahhahahah!!!

          • Mas ‘e muito conveniente (e de qq modo, nao ‘e meu, mas do emprego, uma especie de 24/7 corporativo…) Mas sem ele eu nao podia seguir tao de perto os comentarios do Quintus!
            Uma coisa que bloqueia comentarios sei que sao os URLs…

      • Riquepqd

        Valeu Otus,

        Fiquei satisfeito com tua atenção direcionado a minha pessoa ao me responder com tamanha dedicação.

        Estou meio sem tempo de acessar a internet, e por isso, infelizmente não vou debater mais sobre este assunto neste momento com você, quem sabe em outro momento quando estiver mais livre, eu volte com o trema e as demais coisas que escreveu, já lhe peço desculpa, você merecia uma resposta digna da que me deu sobre isto, mas estou sem tempo, e além do que, esta é a sua seara (AO), eu tenho minha humilde opinião sobre o AO, que não é necessariamente igual a tua, e dificilmente eu conseguiria mudar a tua e vice-versa, mas ao que percebo, você é muito mais interessado neste assunto do que eu, e também corria o risco de eu levar neste assunto uma “surra” de ti. 😉 E pra te falar a verdade, a minha intenção era apenas te “provocar”, não sou muito interessado no AO. 😉

        Não me preocupo e nunca me preocupei com o AO, tu tem razão, há coisas mais importantes que ele, (apesar de as vezes tu pensar que não há outra coisa a ser debatida 😀 )

        Sobre a parte do IDH, “nunca ter provado”, me desculpe, mas segue alguma coisa:

        IDH Português – IDHs brasileiros (alguns que vi rapidamente na Wiki, não vi outros)

        0,795 – 0,833 SP 0,832 RJ 0,840 SC 0,832 RS 0,820 PR 0,844 DF

        Acredito que talvez tenham outros IDHs maiores que o de Portugal, e uma maioria que + ou – se equipara, ficando apenas um pouco abaixo, e uma boa quantidade é de IDHs inferiores aos de Portugal, quantidade certamente maior do que os que tem IDH superior ao de Portugal.

        E devo te dizer, já estava preocupado em não ter me respondido, afinal de contas, o que seria da situação (eu, Odin, Fred e CP) se não existisse a oposição (Tu e a Fada) ? 🙂

        E venho aqui reivindicar uma resposta que não me deu no post “A Holanda e a Finlândia andaram a pressionar a União Europeia para os países que recebem ajuda sejam obrigados a dar “ativos” como garantia aos países emprestadores”

        Ficou sem resposta o meu comentário #48, o que aconteceu, te convenci que as pessoas são mais importantes que as árvores? 😀

        E já te aviso de antemão, sobre o assunto soberania da Amazônia, eu nunca vou deixar de lutar… 😉

        Gostaria de avisar aos amigos do Quintus que a partir de sábado a tarde e nas próximas semanas a minha participação vai abrandar, talvez tenha tempo de fazer apenas um comentário em um dia inteiro, caso fique mais livre, vou tentar participar mais, e caso alguém fique sem resposta, por favor não me levem a mal, é porque não vi.

        Uma abraço a todos.

        • fada do bosque

          Querido Riquepqd
          … Nota-se ao longe ,que não liga nenhum ao AO… 🙂 🙂 🙂 Adoro lê-lo!!! Está a ver como as coisas estão bem como estão? 😉 Até essa diferença se torna algo de muito positivo!!! 🙂 🙂
          Não brinque Riquepqd… isto aqui sem o Riquepqd vai ficar mais triste… 😦
          Um beijão e um abraço para si e bem haja! .) 🙂

          Um presentinho de portugal: 🙂

          • Claro sem o Riquepqd isto perdia um pouco da sua alma…

            • Riquepqd

              Valeu Fadinha e CP, mas não se preocupem, não há como se livrar de um vício assim tão rapidamente, ainda mais quando não se quer perder este ótimo vício! 😀

              CP, teus artigos são muito bons e na grande maioria das vezes compartilho as tuas mesmas opiniões, os assuntos abordados por este blog são de meu interesse, fica tranquilo, o bom filho a casa torna. 😉

          • Riquepqd

            Fadinha, gostei muito do vídeo, teu toque feminino deixa este lugar muito mais interessante… :*

            • fada do bosque

              Obrigada Riquepqd… é um querido! 😉
              Esperemos então que vollte sempre que possa.
              Um beijão. 🙂

        • Riquepqd

          Otus, agora tirei um tempinho pra te responder sobre o AO,

          “…O TREMA É UM SÍMBOLO ALEMÃO E SUECO, O QUE NÃO ENTENDO É COMO ELE ENTROU NA LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL. É POR ESTE TIPO DE COISAS QUE EU NÃO QUERO A VARIANTE BRASILEIRA DO PORTUGUÊS, ESTÁ DESCARACTERIZDA, É VOLÚVEL, NÃO RESPEITA A ETIMOLOGIA, TEM PENDOR FONÉTICO, COMO EU DIGO, ABASTARDA, PERDE A PUREZA…

          Sobre a maior facilidade de se transformar na versão brasileira da língua, acredito ser devido ao tamanho geográfico e demográfico do Brasil, quanto mais pessoas falando o mesmo idioma e mais afastadas entre si, gera uma certa variação que não poderia ser possível em Portugal, além das influências de outros idiomas de ameríndios, africanos e de outros imigrantes europeus que tivemos.

          E quanto a parte da pureza, não queremos a pureza da língua falada em Portugal, porque não falamos igual aos portugueses, aqui tivemos como sabe, uma grande contribuição de outros idiomas, e isso é pra nós é que representa a pureza da variante brasileira da língua, parece contraditório, mas retirar esta contribuição é que seria, onde todos os povos que formaram esta nação tem sua parcela de contribuição no idioma que falamos do lado de cá do oceano.

          Sobre o trema, não sabia que sua origem era alemã e sueca, talvez seja um herança, um tempero adicionado ao português brasileiro pelos teuto-brasileiros, o que já justificaria o trema estar em nossa variante, mas acredito que não foi esse o principal motivo.

          Mas agora sem o trema em qualquer palavra, vamos imaginar que a palavra lingüiça fosse uma daquelas palavras que lemos uma vez na vida e outra na morte, ou seja, totalmente desconhecida, como o leitor comum poderia saber que nesta palavra se pronuncia o som da vogal “u”? E no caso da palavra guitarra, levando para o mesmo exemplo, como o leitor poderia saber que neste caso não se pronuncia a vogal “u”?

          Existe em Portugal uma maneira de grafar esta diferença fonética? Acho que não, então agora ficamos todos no achismo, sabemos que se pronuncia lingüiça apenas porque sempre se pronunciou assim, mas ficamos sem ter como diferenciar na escrita os sons de güi e gui e qui e qüi. Por isso eu acho que isto é um retrocesso, não ter como determinar claramente na escrita como é o som das palavras com estas silabas.

          E quanto a sua defesa que se mantivesse as escritas diferentes, eu por exemplo acho que a unificação é um forte fator para tornar a língua portuguesa mais internacionalizavel, e com isto mais conhecida no mundo, e já acho que é um motivo suficiente para o AO.

          Agora sobre você achar que este AO está impondo aos portugueses o modo de escrever brasileiro apenas por questões políticas, eu não concordo, acho primeiro que o AO está longe de ser o modo brasileiro de escrever, apesar de ser mais próximo a nós do que aos demais lusófonos, e que os “papas” da língua portuguesa no Brasil e em Portugal chegaram a este AO muito mais por questões relacionadas à língua, propriamente dita do que a qualquer outro fator econômico e político, seria leviano demais da parte dos negociadores portugueses aceitar tal coisa, em troca de quê?

          “…TANTAS MALFEITORIAS QUE OS LINGUISTAS BRASILEIROS TEM FEITO À LÍNGUA???…”

          Na sua opinião apenas, e talvez na de outros portugueses, mas não conheço qualquer brasileiro que ache que os nossos lingüistas fizeram algum mau a lingua falada aqui.
          “…HUMANAS PRIMEIRO QUE TUDO. ORGANIZACIONAIS, CULTURA ACUMULADA, TRADIÇÃO, CONHECIMENTO. É DISSO QUE FALO. EXPLORAR RECURSOS NÃO TEM NADA DE ESPECIAL, QUANDO ESGOTAREM KAPUT!!!…”
          Em IDH, já mostrei em meu comentário anterior 79 que o sul-sudeste brasileiro é mais desenvolvido que Portugal, ficando Portugal em 0,795 e estas regiões brasileiras acima de 0,8 e fração, então já cobre: “…HUMANAS PRIMEIRO QUE TUDO. ORGANIZACIONAIS…”.
          E quanto a “…CULTURA ACUMULADA, TRADIÇÃO…”
          Então devemos louvar a cultura chinesa também, mas quer saber, qual a cultura mais conhecida no mundo a dos EUA ou da Inglaterra? A do Brasil ou de Portugal? Qual destes países lucra mais com sua cultura, EUA e Brasil ou Inglaterra e Portugal?
          Então tempo de cultura acumulada e tradição não significam necessariamente maior riqueza cultural, seja no sentido meramente cultural ou até no financeiro, e além do que, mesmo que isto fosse verdade, então nós brasileiros seriamos herdeiros também da milenar cultura portuguesa, ou estou enganado? E ainda com a vantagem de ter tido contribuição cultural de muitos outros povos que sequer pisaram em Portugal.
          HIHIHI, admita Otus, ninguém aqui no Qvintvs te peita mais que eu, nossos duelos já são épicos, verdadeiros clássicos. 😉

          E digo mais, devido a termos chegado ao límite acima do respeitavel em nossa primeira discussão, agora ficamos nós dois cheio de cuidados um com o outro, para não dar margem a uma interpretação ofensiva, em outros palavras, como se estivessemos carregando ovos. 😀

          • Otus scops

            Riquepqd

            também tirei um tempinho para te responder.
            faço-o em resposta conjunta aos teus comentários #80 e #86, ok???

            Fiquei satisfeito com tua atenção direcionado a minha pessoa ao me responder com tamanha dedicação.
            INTEIRAMENTE MERECIDO, HÁ POR AQUI ALGUMAS PESSOAS QUE GOSTO MUITO, TU ÉS UMA DELAS, LOGO É MEU DEVER E HONRA.

            Estou meio sem tempo de acessar a internet, e por isso, infelizmente não vou debater mais sobre este assunto neste momento com você, quem sabe em outro momento quando estiver mais livre, eu volte com o trema e as demais coisas que escreveu, já lhe peço desculpa, você merecia uma resposta digna da que me deu sobre isto, mas estou sem tempo, e além do que, esta é a sua seara (AO), eu tenho minha humilde opinião sobre o AO, (…)
            OK. SÓ ESTANDO NA POSIÇÃO DE UM PORTUGUÊS É QUE SE PODE SENTIR O QUE MUITOS DE NÓS SENTEM.

            Não me preocupo e nunca me preocupei com o AO, tu tem razão, há coisas mais importantes que ele, (apesar de as vezes tu pensar que não há outra coisa a ser debatida 😀 )
            ISTO SÃO PROVOCAÇÕES MISTO ESTADOS DE ALMA.
            QUANTO A PENSARES QUE EU NÃO DEBATO MAIS NADA, SEM FALSAS MODÉSTIAS, EU E O ODIN SOMOS OS MAIS ECLÉCTICOS POSTADORES DO QUINTUS, FALAMOS DE PRATICAMENTE TUDO. AGORA ANDO MAIS MURCHO NA ECONOMIA PORQUE ENTRARAM AQUI 2 “GALIFÕES”, A FADA DO BOSQUE E O NICOLAU WURMOOD. NÃO OS CONSIGO ACOMPANHAR! 😀

            Sobre a parte do IDH, “nunca ter provado”, me desculpe, mas segue alguma coisa:
            IDH Português – IDHs brasileiros (alguns que vi rapidamente na Wiki, não vi outros)

            0,795 – 0,833 SP 0,832 RJ 0,840 SC 0,832 RS 0,820 PR 0,844 DF

            Acredito que talvez tenham outros IDHs maiores que o de Portugal, e uma maioria que + ou – se equipara, ficando apenas um pouco abaixo, e uma boa quantidade é de IDHs inferiores aos de Portugal, quantidade certamente maior do que os que tem IDH superior ao de Portugal.
            NÃO RIQUEPQD, OS VALORES QUE COLOCASTE FORAM ESTES http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_estados_do_Brasil_por_IDH QUE SE REFEREM A 2005. NESSA ALTURA PORTUGAL TINHA UM IDH DE 0,904 http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_pa%C3%ADses_por_%C3%8Dndice_de_Desenvolvimento_Humano_%282005%29, OU SEJA, SEMPRE À FRENTE DOS MELHORES ESTADOS DO BRASIL (curiosa a comparação entre Portugal e estados brasileiros…).
            MUITO HAVERIA PARA DIZER SOBRE ESTA QUESTÃO, É ESTRANHO QUE SÃO PAULO OU RIO DE JANEIRO TIVESSEM UM IDH SUPERIOR A PORTUGAL, COM TANTOS ASSALTOS, FAVELAS, POBREZA E DESIGUALDADES GRITANTES.
            TAMBÉM COLOQUEI AQUI NO QUINTUS ESTE LINK http://www.thedailybeast.com/newsweek/2010/08/15/interactive-infographic-of-the-worlds-best-countries.html QUE DÁ UMA IDEIA DA QUALIDADE DE VIDA DOS PAÍSES, PORTUGAL É O 24º E O BRASIL VEM NO DOBRO, 48º.
            O ÚNICO ÍNDICE EM QUE O BRASILE ESTÁ MUITO PERTO DE PORTUGAL É NO DINAMISMO ECONÓMICO. TOMARA, COM PRÉ-SAL E DEMAIS RIQUEZAS MINERAIS O MISTÉRIO É PORQUE NÃO É MAIS RICO.
            MAS É PRECISO TER CUIDADO COM AS ANÁLISES MESMO NO IDH (O MEU ÍNDICE FAVORITO POR SER O MAIS COMPLETO) POIS O GINI (DESIGUALDADE) MOSTRA UM BRASIL BRUTALMENTE DESIGUAL. http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_pa%C3%ADses_por_igualdade_de_riqueza
            É A TAL HISTÓRIA “EU TENHO 2 FRANGOS, TU NÃO TENS NENHUM, MAS A ESTATÍSTICA DIZ QUE TEMOS AMBOS 1…)
            CUIDADO COM AS FONTES E COM AS CONCLUSÕES.
            COMO GOSTAS DA WIKIPEDIA APROVEITO PARA MOSTRAR MAIS UMA PREVISÃO http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_future_Human_Development_Index_projections_of_the_United_Nations DE QUE O BRASIL NÃO ALCANÇA PORTUGAL.
            LEMBRO-ME TAMBÉM DE TER COLOCADO ESTE LINK http://hdr.undp.org/en/reports/global/hdr2010/papers/HDRP_2010_40.pdf (ATENÇÃO ÀS PAGS. 41 E 42 DO DOCUMENTO) À DISPOSIÇÃO QUE PROJECTA PORTUGAL COM VALORES SEMPRE SUPERIORES AO BRASIL.
            ESTE http://www.gapminder.org/world/#$majorMode=chart$is;shi=t;ly=2003;lb=f;il=t;fs=11;al=30;stl=t;st=t;nsl=t;se=t$wst;tts=C$ts;sp=5.59290322580644;ti=2010$zpv;v=0$inc_x;mmid=XCOORDS;iid=phAwcNAVuyj1jiMAkmq1iMg;by=ind$inc_y;mmid=YCOORDS;iid=tyadrylIpQ1K_iHP407374Q;by=ind$inc_s;uniValue=8.21;iid=phAwcNAVuyj0XOoBL_n5tAQ;by=ind$inc_c;uniValue=255;gid=CATID0;by=grp$map_x;scale=log;dataMin=194;dataMax=96846$map_y;scale=lin;dataMin=0.1401;dataMax=0.9376$map_s;sma=50;smi=2$cd;bd=0$inds= É APENAS PARA TODOS OS QUE ME LÊEM DIVERTIREM-SE UM POUCO.
            VEJAMOS O QUE O FUTURO NOS RESERVA, ESTA CRISE INTERNACIONAL VEIO BARALHAR AS COISAS.
            MAS OS BRIC ESCUSAM DE ESTAR UFANOS COM A RUINA DA UE OU DOS EUA, SÃO OS MAIORES E MELHORES MERCADOS DO MUNDO, SEM ELES A ECONOMIA MUNDIAL COLAPSA, FICAREMOS TODOS NA IDADE MÉDIA, CUIDADO COM AS INVEJAS!!! 😉

            E venho aqui reivindicar uma resposta que não me deu no post “A Holanda e a Finlândia andaram a pressionar a União Europeia para os países que recebem ajuda sejam obrigados a dar “ativos” como garantia aos países emprestadores”
            PREFIRO QUE ELES DÊEM A CARA E DIGAM EM ALTO E BOM SOM: “ANDAMOS A FINANCIAR ESSES LATINOS CORRUPTOS DO SUL DA EUROPA DURANTE UM QUARTO DE SÉCULO PARA AGORA ENTRAREM EM BANCAROTA??? NÃO, SE QUEREM MAIS DO NOSSO DINHEIRO TEMOS QUE NOS SEGURAR, POIS PRECISAM DELE UMA VEZ QUE A PRESIDENTE DO BRASIL EM COIMBRA AQUANDO DA ATRIBUIÇÃO DO DOUTORAMENTO HONORIS CAUSA AO LULA DISSE QUE NÃO ÍA COMPRAR DÍVIDA PÚBLICA DOS PORTUGUESES DEVIDO À CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA BRASILEIRA PROIBIR INVESTIMENTOS EM PAÍSES QUE AS AGÊNCIAS DE RATING NORTE-AMERICANAS ATRIBUEM MÁS CLASSIFICAÇÕES.”
            O CURIOSO DA HISTÓRIA É QUE A DILMA DISSE O MESMO QUE OS FINLANDESES E HOLANDESES “QUEREMOS GARANTIAS”!!! http://exame.abril.com.br/economia/brasil/noticias/dilma-brasil-pode-comprar-divida-portuguesa-mas-com-garantia
            RIQUEPQD, ACORDA, NÃO IRMANDADES NENHUMAS, HÁ INTERESSES!!! ESSA COISA DE “PARENTESCOS” É PARA ENTUSIASTAS BEM INTENCIONADOS, A REALIDADE É MUITO DIFERENTE…

            E já te aviso de antemão, sobre o assunto soberania da Amazônia, eu nunca vou deixar de lutar… 😉
            ESTOU AVISADO!!! 🙂

            Ficou sem resposta o meu comentário #48, o que aconteceu, te convenci que as pessoas são mais importantes que as árvores? 😀
            O #48 É MEU.

            Otus, agora tirei um tempinho pra te responder sobre o AO,

            “…O TREMA É UM SÍMBOLO ALEMÃO E SUECO, O QUE NÃO ENTENDO É COMO ELE ENTROU NA LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL. É POR ESTE TIPO DE COISAS QUE EU NÃO QUERO A VARIANTE BRASILEIRA DO PORTUGUÊS, ESTÁ DESCARACTERIZDA, É VOLÚVEL, NÃO RESPEITA A ETIMOLOGIA, TEM PENDOR FONÉTICO, COMO EU DIGO, ABASTARDA, PERDE A PUREZA…

            Sobre a maior facilidade de se transformar na versão brasileira da língua, acredito ser devido ao tamanho geográfico e demográfico do Brasil, quanto mais pessoas falando o mesmo idioma e mais afastadas entre si, gera uma certa variação que não poderia ser possível em Portugal, além das influências de outros idiomas de ameríndios, africanos e de outros imigrantes europeus que tivemos.

            E quanto a parte da pureza, não queremos a pureza da língua falada em Portugal, porque não falamos igual aos portugueses, aqui tivemos como sabe, uma grande contribuição de outros idiomas, e isso é pra nós é que representa a pureza da variante brasileira da língua, parece contraditório, mas retirar esta contribuição é que seria, onde todos os povos que formaram esta nação tem sua parcela de contribuição no idioma que falamos do lado de cá do oceano.
            CONFORME VÓS NÃO QUERERDES A PUREZA DA LÍNGUA FALADA EM PORTUGAL, NÓS TAMBÉM NÃO QUEREMOS A CONTAMINAÇÃO DA LÍNGUA FALADA NO BRASIL! 😉
            CONTUDO ISTO É SUPOSTAMENTE ORTOGRÁFICO, NÃO É A FALA MAS É DE ESCRITA QUE SE TRATA, HEIN???

            Sobre o trema, não sabia que sua origem era alemã e sueca, talvez seja um herança, um tempero adicionado ao português brasileiro pelos teuto-brasileiros, o que já justificaria o trema estar em nossa variante, mas acredito que não foi esse o principal motivo.

            Mas agora sem o trema em qualquer palavra, vamos imaginar que a palavra lingüiça fosse uma daquelas palavras que lemos uma vez na vida e outra na morte, ou seja, totalmente desconhecida, como o leitor comum poderia saber que nesta palavra se pronuncia o som da vogal “u”? E no caso da palavra guitarra, levando para o mesmo exemplo, como o leitor poderia saber que neste caso não se pronuncia a vogal “u”?

            Existe em Portugal uma maneira de grafar esta diferença fonética? Acho que não, então agora ficamos todos no achismo, sabemos que se pronuncia lingüiça apenas porque sempre se pronunciou assim, mas ficamos sem ter como diferenciar na escrita os sons de güi e gui e qui e qüi. Por isso eu acho que isto é um retrocesso, não ter como determinar claramente na escrita como é o som das palavras com estas silabas.

            E quanto a sua defesa que se mantivesse as escritas diferentes, eu por exemplo acho que a unificação é um forte fator para tornar a língua portuguesa mais internacionalizavel, e com isto mais conhecida no mundo, e já acho que é um motivo suficiente para o AO.
            QUANTO A TREMAS E LINGUIÇAS NÃO ME PRONUNCIO, NÃO SOU LINGUISTA NEM CONHECEDOR DA FONÉTICA-ORTOGRAFIA DO BRASIL PARA PROPOR O QUE QUER QUE SEJA.
            O PROBLEMA NÃO ESTÁ NUM ACORDO, ESTÁ NESTE (DES)ACORDO!!! É PAVOROSO E DESCARACTERIZADOR.
            MAS COMO DIZES E BEM, HÁ TEMPEROS A MAIS NA LÍNGUA DO BRASIL QUE NÃO SÃO DO PALADAR DOS PORTUGUESES E QUANTO A ISSO NADA A FAZER. ESSE ARGUMENTO NÃO COLHE PORQUE NÓS 2 ESCREVEMOS DE FORMA DIFERENTE E ISSO NUNCA FOI UM OBSTÁCULO PARA NOS FAZERMOS ENTENDER.

            Agora sobre você achar que este AO está impondo aos portugueses o modo de escrever brasileiro apenas por questões políticas, eu não concordo, acho primeiro que o AO está longe de ser o modo brasileiro de escrever, apesar de ser mais próximo a nós do que aos demais lusófonos, e que os “papas” da língua portuguesa no Brasil e em Portugal chegaram a este AO muito mais por questões relacionadas à língua, propriamente dita do que a qualquer outro fator econômico e político, seria leviano demais da parte dos negociadores portugueses aceitar tal coisa, em troca de quê?
            ORA AÍ É QUE ESTÁ: EM TROCA DE QUÊ???
            DE DINHEIRO, PREBENDAS, MAIS MERCADO. SÃO TODOS UNS MEDÍOCRES OBSCUROS, NUNCA NINGUÉM OUVIU FALAR DELES E AS EDITORAS ESFREGAM AS MÃOS DE CONTENTES COM O MERCADO DO BRASIL.
            “que este AO está impondo aos portugueses o modo de escrever brasileiro apenas por questões políticas, eu não concordo,” MAS EU CONCORDO POR ISTO:
            Os brasileiros tinham um problema desde que Portugal aderiu à Comunidade Europeia: passou a haver uma língua oficial da Comunidade Europeia chamada português e a matriz era Portugal. O Brasil, que aspira a ser uma grande potência, tinha um problema estratégico na sua língua e a solução que encontrou foi esta. Foi uma acção político-linguística, de quem tem uma dimensão que já não se compara com a nossa e que criava aos brasileiros um problema estratégico em termos de afirmação no mundo. No ONU, qual era a versão de português que se ia escrever? Era a de Portugal, porque coincidente com a da Europa! Como tinham esse problema, tentaram resolver com o acordo. (…)
            E JÁ AGORA QUE ACHAS DISTO:
            http://www.filologia.org.br/revista/artigo/5%2815%2958-67.html
            De qualquer maneira, procuramos revelar, a partir do percurso histórico da questão ortográfica no Brasil do século XX, a preponderância de um discurso de fundo nacionalista, o qual acabava por transformar toda discussão lingüística num embate tipicamente político, na medida em que buscou utilizar a ortografia da língua como instrumento de afirmação da nacionalidade brasileira, fato aliás já constatado por alguns estudiosos do assunto: “a querela ortográfica, que agitou quase toda a primeira metade do século, (foi também) reflexo direto do sentimento nacionalista dos brasileiros, em face de Portugal”.
            Assim, pode-se dizer que grande parte da discussão em torno da ortografia da língua portuguesa – como, de resto, em torno da própria língua – redunda na tentativa de afirmação nacionalista de uma vertente brasileira do idioma, em franca oposição à vertente lusitana.
            SÃO OS LINGUÍSTAS BRASILEIROS QUE ESCREVEM.
            AINDA “ACHAS” QUE EU NÃO TENHO RAZÃO OU NÃO???

            “…TANTAS MALFEITORIAS QUE OS LINGUISTAS BRASILEIROS TEM FEITO À LÍNGUA???…”
            Na sua opinião apenas, e talvez na de outros portugueses, mas não conheço qualquer brasileiro que ache que os nossos lingüistas fizeram algum mau a lingua falada aqui.
            ORA POIS… MAS NÓS ACHAMOS E PODEMOS PROVAR.
            MÍDIA É O QUÊ??? E ISTO http://animasentiens.com/images/stories/Desacordo_Ortogrfico.jpg, QUE ACHAS, FORAM BENFEITORIAS À LÍNGUA OU QUÊ???

            “…HUMANAS PRIMEIRO QUE TUDO. ORGANIZACIONAIS, CULTURA ACUMULADA, TRADIÇÃO, CONHECIMENTO. É DISSO QUE FALO. EXPLORAR RECURSOS NÃO TEM NADA DE ESPECIAL, QUANDO ESGOTAREM KAPUT!!!…”
            Em IDH, já mostrei em meu comentário anterior 79 que o sul-sudeste brasileiro é mais desenvolvido que Portugal, ficando Portugal em 0,795 e estas regiões brasileiras acima de 0,8 e fração, então já cobre: “…HUMANAS PRIMEIRO QUE TUDO. ORGANIZACIONAIS…”.
            JÁ RESPONDI EM CIMA.

            E quanto a “…CULTURA ACUMULADA, TRADIÇÃO…”
            Então devemos louvar a cultura chinesa também, mas quer saber, qual a cultura mais conhecida no mundo a dos EUA ou da Inglaterra? A do Brasil ou de Portugal? Qual destes países lucra mais com sua cultura, EUA e Brasil ou Inglaterra e Portugal?
            Então tempo de cultura acumulada e tradição não significam necessariamente maior riqueza cultural, seja no sentido meramente cultural ou até no financeiro, e além do que, mesmo que isto fosse verdade, então nós brasileiros seriamos herdeiros também da milenar cultura portuguesa, ou estou enganado? E ainda com a vantagem de ter tido contribuição cultural de muitos outros povos que sequer pisaram em Portugal.
            ISTO ESTÁ UM POUCO TIRADO FORA DO CONTEXTO, EU RESPONDI ASSIM A UMA QUESTÃO SOBRE RIQUEZA.
            MAS DEVEMOS RESPEITAR TODAS AS CULTURAS, NINGUÉM TEM O DIREITO DE DESTRUIR O QUE SEJA.
            QUANTO À CULTURA MAIS CONHECIDA NÃO SEI, SEI QUE A DOS EUA NÃO SE COMPARA COM A DOS INGLESES, GOSTO MUITO MAIS DA CULTURA BRITÂNICA.
            ESSE HIBRIDISMO AMERICANO NÃO ME ENTUSIASMA POR AÍ ALÉM. AS CULTURAS ANDINAS, AMAZÓNICAS, MEXICANAS, ETC, É QUE TEM PIADA. AGORA SAMBA, CANDOMBLÉ, GAÚCHOS, NÃO ME DIZEM MUITO SINCERAMENTE.
            GOSTO MAIS DA CULTURA URBANA BRASILEIRA DO QUE O FOLCLORE CAIPIRA E QUEJANDOS… MAS ISSO SOU EU.
            QUANTO A ESSA GRANDIOSIDADE INTERNACIONAL DOS EUA E DO BRASIL PARA MIM POUCO VALE E TERMINO ASSIM: FIAT TODA A GENTE TEM E CONHECE MAS BENTLEY SÃO MENOS OS CONHECEDORES E MUITO MENOS OS QUE PODEM TÊ-LOS. FIZ-ME ENTENDER??? 😉

            HIHIHI, admita Otus, ninguém aqui no Qvintvs te peita mais que eu, nossos duelos já são épicos, verdadeiros clássicos. 😉
            VASCO DA GAMA 5 – FLAMENGO 0 :EVIL:
            😀

            E digo mais, devido a termos chegado ao límite acima do respeitavel em nossa primeira discussão, agora ficamos nós dois cheio de cuidados um com o outro, para não dar margem a uma interpretação ofensiva, em outros palavras, como se estivessemos carregando ovos.
            QUAL PRIMEIRA DISCUSSÃO??? 😉

            • Riquepqd

              É Otus, eu te disse que sobre o AO tu me daria uma surra, mas confessa que ficou sem ter o que responder na questão do trema heim? 😀

              Quanto ao IDH, eu tenho certeza que na média o de Portugal é maior e as estimativas é que permaneçam assim, mas o que eu quero dizer é que não temos um IDH muito abaixo do português, a ONU até considera nosso IDH elevado, e o de Portugal muito elevado, não somos o norte da Europa, mas estamos muito mais distantes, a KMs de distância de ser uma África, acho que tu entendeu.

              “…VASCO DA GAMA 5 – FLAMENGO 0…”

              Respondo com:
              BRASIL 5 (mundiais) – Portugal 0 HIHIHIHI 😀

              “…QUAL PRIMEIRA DISCUSSÃO???…”

              Deixa pra lá, se tu já esqueceu, então já passou da hora de eu ter esquecido também. 😉

              Um abraço, sábia coruja do minho.

      • fada do bosque

        Eu?! Otus?! eheheheheh isto já era assim!
        Mas conhecem-me por guerreira, na web e não só… no bom sentido, claro ;)… de qualquer forma obrigada… 😳

  21. Riquepqd

    CP, assinei todas as petições propostas aí à direita, são nobres as suas intenções e por isso puderam contar com minha simbólica ajuda.

    A única que não consegui assinar foi a referente ao AO, porque o campo B.I. é obrigatório, e eu não sei o que significam estas siglas.

    Uma delas, fiquei meio pensativo antes de assinar, porque não concordo que pessoas imigrem ilegalmente, não gosto que bolivianos, paraguaios, colombianos, venezuelanos, surinamenhos, angolanos, guineenses e etc venham pra cá a margem da lei, por isso também não gosto que brasileiros vão para a Europa ilegalmente, mas como ela também apoiava um passaporte lusófono, então assinei.

    Vale uma observação que a grande maioria dos brasileiros que vão ilegalmente para a Europa, são do interior dos dois Estados onde há o maior número de miseráveis do Brasil, a Bahia e principalmente o Maranhão são os grandes importadores destes ilegais, já os ilegais do sul-sudeste são ínfima minoria neste grupo, pelo contrário, são em maioria turistas legais.

    Outra região onde tradicionalmente exporta muitos imigrantes ilegais para os EUA é a região do município mineiro de Governador Valadares e municípios vizinhos, mas neste caso parece ser uma questão cultural, porque esta região é razoavelmente desenvolvida, com um IDH de CP, assinei todas as petições propostas aí à direita, são nobres as suas intenções e por isso puderam contar com minha simbólica ajuda.

    A única que não consegui assinar foi a referente ao AO, porque o campo B.I. é obrigatório, e eu não sei o que significam estas siglas.

    Uma delas, fiquei meio pensativo antes de assinar, porque não concordo que pessoas imigrem ilegalmente, não gosto que bolivianos, paraguaios, colômbianos, venezuelanos, surinamenhos, angolanos, guineenses e etc venham pra cá a margem da lei, por isso também não gosto que brasileiros vão para a Europa ilegalmente, mas como ela também apoiava um passaporte lusófono, então assinei.

    Vale uma observação que a grande maioria dos brasileiros que vão ilegalmente para a Europa, são do interior dos Estados onde há o maior número de miseráveis do Brasil, a Bahia e principalmente o Maranhão são os grandes importadores destes ilegais, já os ilegais do sul-sudeste são ínfima minoria neste grupo, pelo contrário, são em maioria turistas legais.

    Outra região onde tradicionalmente exporta muitos imigrantes ilegais para os EUA é a região do município mineiro de Governador Valadares e redondezas, mas neste caso parece ser uma questão cultural, porque esta região é razoavelmente desenvolvida, com um IDH de 0,772.

  22. Odin

    “…Os brasileiros tinham um problema desde que Portugal aderiu à Comunidade Europeia: passou a haver uma língua oficial da Comunidade Europeia chamada português e a matriz era Portugal. O Brasil, que aspira a ser uma grande potência, tinha um problema estratégico na sua língua e a solução que encontrou foi esta…”
    >Eu entendo que a ambição de ser uma grande potência existiu no regime militar e a partir do governo Lula. O (des)AO não foi feito numa época em que brasileiros acreditassem que o Brasil vai ser uma potência. E o Brasil não tem condições de competir com a UE como um todo.
    “…MAS DEVEMOS RESPEITAR TODAS AS CULTURAS, NINGUÉM TEM O DIREITO DE DESTRUIR O QUE SEJA…”
    >Concordo plenamente. Independente de gostarmos ou não, devemos respeitar sim.
    “…porque não concordo que pessoas imigrem ilegalmente…”
    >Eu também não concordo! Mesmo que sejam brasileiros emigrando para outros países. Imigração/emigração ilegal é o mesmo que entrar na casa dos outros sem a autorização do dono.
    E para finalizar, o Otus Scops não tem que se preocupar com a Lusofonia anti-Europa. Portugal está na UE, e os senhores de Portugal são os europeus do norte, e não os brasileiros e angolanos. A Lusofonia é um sonho do CP e outros do MIL, mas a realidade é que Portugal será um estado dos futuros Estados Unidos da Europa. No fim das contas, os governantes portugueses não vão ter coragem de sair do Euro e da UE, vão preferir perder a independência e ceder as exigências franco-alemãs.

    • A Lusofonia ‘e um tema cada vez mais incontornavel em Portugal. A palavra ‘e referida de forma crescente nos Media e na Blogoesfera, indicando que nao se trata de uma questao de uns quantos “lunaticos”, mas um impulso em crescendo… Nao vejo lideres europeus com capacidade para tocar para a frente um projeto dessa envergadura (barroso?… Pois sim), na sua falta a desagregacao ‘e muito mais provavel que a federacao e a necessidade de Portugal buscar primeiro na autonomia e depois na lusofonia o seu futuro ‘e cada vez mais incontornavel.

      • Odin

        Meu pázão,
        longe de mim lhe chamar de “lunático”, pois você é mais inteligente do que eu. 🙂
        Os líderes europeus vão ser alemães e franceses mesmo, não vai ser o Barroso.
        Eu não sei quanto aos Palop e o Timor, mas quero sabe quem vai convencer o Brasil, os líderes e o povo brasileiros, a substituírem o Real pelo Escudo CPLP Padrão-Ouro?

        http://www.facebook.com/pages/Escudo-CPLP-Padr%C3%A3o-Ouro/208612185853511

        A primeira acusação dos muitos opositores brasileiros vai ser de “neocolonialismo por parte de Portugal”, só pelo nome da moeda ser ‘escudo’.
        Outra acusação será “se Portugal não foi capaz de suportar uma mesma moeda com os outros países da Europa, por que vai suportar ter uma moeda em comum conosco?”

        A esmagadora maioria dos brasileiros não têm a visão estratégica que eu tenho (embora eu não ache necessário uma moeda única para isto) e não enxergam o quanto Portugal (e a Galiza) é importante para o Brasil. Apesar de já não sermos mais aquela colônia do passado, já somos um país, temos muito para aprender com a Europa. Nisso, eu reconheço que tenho que ser humilde. Temos muito para aprender com as nações européia, até com a Grécia.
        Aprender com o progresso e com os erros dos europeus também. E Portugal é o país que tem o idioma mais parecido com o nosso, pelo menos ainda.

        Eu gostaria de ter intercâmbios direto com espanhóis, italianos, gregos, franceses, alemães, holandeses, suecos, finlandeses, dinamarqueses, noruegueses, islandeses, irlandeses, poloneses, checos, austríacos, húngaros, ucranianos, russos, turcos… mas o natural é começar pelos portugueses e em seguida, galegos. Como lusófono, vou querer conhecer muito a Alemanha sem saber sobre Portugal antes? Fica estranho… 🙄

        • Otus scops

          Odin

          “você é mais inteligente do que eu.” e depois ris-te??? que raio de coisa é é essa, hein??? “tá gozando co’ a minha cara, bicho???” 🙂

          “Os líderes europeus vão ser alemães e franceses mesmo, não vai ser o Barroso.”
          ora isso é uma boa notícia!!!

          “Eu não sei quanto aos Palop e o Timor, mas quero sabe quem vai convencer o Brasil, os líderes e o povo brasileiros, a substituírem o Real pelo Escudo CPLP Padrão-Ouro?”
          cada vez anda tudo mais doido…

          “A primeira acusação (…) Outra acusação …”
          começa bem a coisa… mas as perguntas tem pertinência.
          as circunstâncias e os protagonistas são outros, logo os resultados são diferentes, mas que interessa isso, não existe.

          “A esmagadora maioria dos brasileiros não têm a visão estratégica que eu tenho”
          não sei pois não conheco muitos brasileiros, mas que tens uma visão muito bem estruturada e com imensa qualidade, lá isso tens!!!

          “(embora eu não ache necessário uma moeda única para isto)”
          de início não não, mas depois talvez…

          e não enxergam o quanto Portugal (e a Galiza) é importante para o Brasil.
          Portugal sim (e vice-versa) mas a Galiza??? Odin, deixa-te das tretas lusofolclóricas do MIL, a Galiza não existe, agoniza e faz parte de Espanha. não são os Reintegracionistas que berram pelo MIL que vão resolver a coisa. o CP anda iludido, ele não conhece quase nada da realidade do terreno. e além de mais o PAV eo P.ASilva não falaram nada da Galiza… 😈

          “Apesar de já não sermos mais aquela colônia do passado, já somos um país,”
          com 200 anos!!! e venham mais 200!!!

          “temos muito para aprender com a Europa. Nisso, eu reconheço que tenho que ser humilde. Temos muito para aprender com as nações européia, até com a Grécia.”
          todos podem aprender com todos

          “Aprender com o progresso e com os erros dos europeus também.”
          este comentário é brilhante: inteligência e bom-senso

          “E Portugal é o país que tem o idioma mais parecido com o nosso, pelo menos ainda.”
          agora ainda vai ser mais, com o avassalador colonialismo brasileiro iremos todos ficar “igúazinho”…

          “espanhóis, italianos, gregos, franceses, alemães, holandeses, suecos, finlandeses, dinamarqueses, noruegueses, islandeses, irlandeses, poloneses, checos, austríacos, húngaros, ucranianos, russos, turcos”
          então e os ingleses, escoceses, galeses, suíços, austríacos, lituanos, letões, estónios, eslovacos, eslovenos, búlgaros, romenos (latinos), moldavos (latinos também), cipriotas, andorrenhos??? que discriminação, hein???

          “Como lusófono, vou querer conhecer muito a Alemanha sem saber sobre Portugal antes? Fica estranho…”
          muitoooo mesmo… 😀

          • Odin

            Eu não me ri. Eu sorri. Não estou a gozar-te. Na linguagem coloquial brasileira, é uma prática muito obscena. 😀
            Depois dos turcos, você percebeu um símbolo “…” ? Apenas não quis escrever todos os nomes dos países europeus, para não ficar extenso demais.

    • Otus scops

      Odin

      “O (des)AO não foi feito numa época em que brasileiros acreditassem que o Brasil vai ser uma potência.”
      não confundas elites que tem planos para décadas à frente dos próprios povos.
      além demais isto não tem nada a ver com “os povos”, são elites.
      mas o parágrafo está TOTALMENTE correcto, é imperialismo brasileiro. e jogaram muito bem, até estão de parabéns.

      “…porque não concordo que pessoas imigrem ilegalmente…”
      esta frase não é minha, contudo depende das circunstâncias e do comportamento geral que o grupo tem na sociedade para onde emigra.
      um exemplo, nos anos 60 e 70 os portugueses emigraram massivamente para a Europa por motivos económicos e políticos, para fugirem da pobreza e da Guerra Colonial e daq perseguição política. a maioria foi “de assalto” como se diz em Portugal, clandestina e salvo excepções regra geral foi um povo que se adaptou bem em todos os países e constituiu uma força de trabalho valorosa, útil, competitiva mas discreta que não causou problemas.

      “E para finalizar, o Otus Scops não tem que se preocupar com a Lusofonia anti-Europa. ”
      tenho, tenho. o que vejo são os portugueses “a mudarem de agulha” novamente e agora a fazerem o mesmo com brasileiros e angolanos, sem abrirem fábricas (excepção honrosa da Embraer) ou criarem riqueza estão a comprar os activos portugueses.
      não percebi ainda se a lusofonia é assim tão boa para o povo português, do ponto de vista do Padre António Vieira e do Prof. Agostinho da Silva parece que sim, do ponto de vista da realidade duvido pois ainda nada vi.
      aqui no Quintus vejo é dualidade de critérios, é europeu é mau, mas se é brasileiro (mascarado de lusófono) já é bom e bonito… vá-se lá entender.

      “os senhores de Portugal são os europeus do norte, e não os brasileiros e angolanos.”
      a coisa não é bem assim, mas parece que os únicos que JÁ NÃO SÃO DONOS DE NADA SEU são os portugueses!!!

      “vão preferir perder a independência e ceder as exigências franco-alemãs.”
      deixa-te de sensacionalismos. a Europa e o Mundo estão em mudança. os portugueses (entre outros) puseram-se “a jeito” para estarmos nesta situação que não é novidade, deixa-te de dramatismos. outras houve quiçá piores e passamos por elas.
      aqui no Quintus é só perdas, ninguém ganha nada. então se perdemos alguma coisa para os outros é porque ganhamos alguma coisa também deles, já pensaste nisso???
      não leves estas coisas para o lado afectivo, nas relações políticas e internacionais não há inocentes de um lado e culpados do outro, há interesses e não há amizades. não confundamos o nosso patamar pessoal, afectivo, subjectivo com os estados e as suas relações.
      não esqueças as lições da História: “Há nos confins da Ibéria um povo que nem se governa nem se deixa governar ( Caio Júlio César, político e general romano [ 100 a.C- 44 a.C] …”
      se eles pensam que mandam alguma coisa enganaram-se, aqui ninguém consegue mandar em ninguém, nem nós próprios!!! 😀

      • Odin

        “…deixa-te de sensacionalismos.”
        Não! Deixa tu os teus melindres! :mrgreen:
        “…a Europa e o Mundo estão em mudança. os portugueses (entre outros) puseram-se “a jeito” para estarmos nesta situação que não é novidade…”
        Sim, estão! Oxalá que seja para uma era pós-capitalismo.
        “…deixa-te de dramatismos…”
        És tu que estás com dramatismos, achando que a Lusofonia pode e vai mesmo tomar o lugar da Europa.
        “…então se perdemos alguma coisa para os outros é porque ganhamos alguma coisa também deles, já pensaste nisso???”
        Com cerveja… quero dizer, com certeza! Tu não fazes idéia de quantos Brasileiros seriam capazes de abrir mão da soberania do Brasil em troca da cidadania de países como a Alemanha, a Suíça, a França, a Inglaterra, os Estados Unidos… é claro que vós ganhareis muitos benefícios. Aí vai do que cada um de vós crê sero melhor.
        “…não leves estas coisas para o lado afectivo…”
        Vá bem! Vou esforçar-me! 😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: