O Acordo Ortográfico vai entrar em vigor em Portugal ainda durante o primeiro semestre de 2009

Segundo afirmou o ministro da Cultura, José António Pinto Ribeiro, o Acordo Ortográfico vai entrar em vigor em Portugal ainda durante o primeiro semestre de 2009.

Com esta entrada em vigor, que deverá traduzir-se numa primeira fase pela edição do Diário da Republica segundo as novas normas de ortografia, Portugal começa finalmente a honrar os seus compromissos assumidos no acordo assinado em 1990 e o Acordo, que consideramos ser uma importante ferramenta para aproximar a ortografia e logo a expressão cultural nos diversos países da Lusofonia, entra na primeira fase da sua aplicação. Odiado por muitos, desprezado por quase todos, o Acordo Ortográfico promete ser polémico e impopular pelo menos enquanto as primeiras gerações que saírem das Escolas não tomarem como naturais as suas disposições. Como Teixeira de Pascoaes, muitos intelectuais portugueses não o irão adoptar e no Brasil e em Angola também não faltam opositores aos seus termos… Não sendo um instrumento perfeito, é aquele de que agora dispomos para unificar (esquecendo por agora as duplas grafias) a escrita da língua portuguesa, travar possíveis divergências da língua e da sua forma escrita e manter a conformidade teórica entre o português do Brasil, que pela sua força económica e demográfica poderia sentir-se tentado a divergir num rumo isolado, atraindo os países afrolusófonos e deixando Portugal isolado neste canto extremo ocidental da Europa. O Acordo é a forma que Portugal pode participar no processo de ortografia da língua portuguesa, a partir de dentro e não de fora, como sucedeu em 1911 quando unilateralmente decidiu abandonar a norma ortográfica única que até então existia com o Brasil. Honrar os compromissos internacionais assinados pelo governo em 1990 é a única maneira de reparar esse acto isolado e autista de 1911 e assentar uma pedra essencial no caminho do aprofundamento da CPLP até à União Lusófona que é um dos pontos essenciais da declaração de princípios e objetivos do MIL.

Fonte:
Jornal SOL

Anúncios
Categories: Brasil, Educação, Movimento Internacional Lusófono, Nova Águia, Política Internacional, Política Nacional, Portugal, Sociedade Portuguesa | Etiquetas: | 9 comentários

Navegação de artigos

9 thoughts on “O Acordo Ortográfico vai entrar em vigor em Portugal ainda durante o primeiro semestre de 2009

  1. Necessáriamente ñ mudou quase nada, + ganhammos na unificação da ortografia e pronúncia, Agora o Português é uma só lingua em nove países. Bom para nós lusófonos.

  2. uma língua sempre foi… mas com variantes locais.
    e uma só grafia… ainda não completamente, porque faltou ambição e ainda há muiats duplas grafias.
    mas é um passo no sentido da aproximação da lusofonia e da CPLP. razão pela qual o defendo.

  3. Luís Fernando

    Apenas considerando minhas deficiências (rsrsrsrs), já não escrevo maravilhosamente dentro das normas gramaticais, com a mudança, juntei meus erros normais ao medo de errar com o que foi mudado (tipo assim:ainda é ou não é com o hífen?)
    rsrsrsrsrsrs.

    Mas que é um primeiro passo, e importante, isso é!

  4. Agrafia a ser seguida tem de ser a do BRASIL e ponto final. Até por ser o maior país lusófono.

  5. Fenix

    Acho que devia ser algo novo sem ser portugues nem portugues abrasileirado ou palop devia ser uma mistura que se devia chama-se ligua lusofuna. Para senhor carlosargus: Cada pais um voto seja ele pequeno ou grande como até aqui acontece na cplp já para não haver tangas dessas.Porque se assim não fore nunca havera uma união lusofuna.

  6. carlos:
    discordo… a união lusófona não poderá ser uma extensão do Brasil, mas um “novo Brasil” se quiser ser mesmo diferente no plano da organização das sociedades e no plano internacional…

  7. Tudo bem, + temos de ter um referencial, para começarmos..

  8. o referencial é a língua portuguesa e o esforço de aproximação da sua grafia, que só agora começou com este Acordo imperfeito, mas possível, de 1990…

  9. Otus scops

    referencial????
    algum português precisa de referencial para falar a sua língua???
    alguém por aqui ensandeceu, ou quê???

    isto chama-se o mundo ao contrário…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: