Sobre a presença de sangue judeu nos portugueses modernos

(Rabi judeu nos Painéis de São Vicente in http://paineis.org)

Andava eu lendo o romance de José Rodrigues dos Santos, “A vida num sopro” (que não sendo genial é bastante legível) quando dei com a expressão “lefraim” (não, não se cansem, a palavra não consta do Google) que parece significar na variante dialectal do português usada em Bragança “judeu” ou “cristão-novo”, quando me lembrei da notícia que indicava que muitos portugueses tinham sangue judaico nas veias…

Sabe-se que depois das conversões forçadas de Dom Manuel, muitos judeus acabaram por converterem-se falsamente ao cristianismo (os criptojudeus) ou “verdadeiramente” tornando-se “cristãos-novos”. Sabe-se igualmente que muitos dos portugueses que hoje ostentam os nomes de família Amado, Lobo, Marinho, Caldeira, Caldas, Pereira, Navarro, Oliveira, entre outros. Mas agora, um grupo de cientistas trabalhando sobre o cromossoma masculino Y concluiram que a presença da herança judaica na Península Ibérica era ainda mais intensa do que se acreditava. Segundo o estudo, os habitantes da Península teriam em média 19,8% de genes judaicos e uns igualmente notáveis 10,6% norte-africanos. O mesmo estudo revelou que em certos locais do sul de Portugal, a herança judaica seria tão elevada como os 36,3%! O estudo indica que a presença judaica em Portugal e a sua sobrevivência nas populações atuais é muito maior do que se pensava e que apesar de séculos de repressão inquisitorial e de várias diásporas, os judeus conseguiram misturar-se nas populações locais. Indica também que provavelmente não haverá nenhum português vivo que não tenha algum sangue “lefraim”. Curiosa também é a presença de sangue norte-africano, algo a que aliás já tínhamos aludido nós próprios em 2006 (via estudos de Cavalli-Sforza e António Amorim) por aqui.

O estudo foi conduzido pelo professor Mark A. Jobling da Universidade de Leicester, no Reino Unido e publicado no “American Journal of Human Genetics” e procurou as mutações de genes no cromosssoma Y dos homens, comparando-as entre as descobertas nos habitantes de ambos os lados do estreito de Gibraltar e os os dos judeus do Médio Oriente.

Fontes:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u475560.shtml
http://pwp.netcabo.pt/soveral/mas/judeusecristaosnovos.htm
http://www.le.ac.uk/ge/maj4/project.html
http://www.cell.com/AJHG/home

Categories: Ciência e Tecnologia, Portugal, Sociedade Portuguesa | Etiquetas: | 163 comentários

Navegação de artigos

163 thoughts on “Sobre a presença de sangue judeu nos portugueses modernos

  1. M4Jor

    off topic: Já me ía esquecendo Sr Clavis, já vamos na 5ª season, ep 03 do lost ;))))

  2. ehehehee
    eu sei… vi o judghead ontem…
    estou já a forjar comentários sobre o S01 e S02…
    a sair brevemente!

  3. rui pinto

    pois,eu já comentei estes estudos,há qualquer coisa neste estudo que não bate certo,não traduz a realidade ,pois vejamos: se a maior parte dos portugueses do sul tem maior probabilidade de ter sangue judeu,porque é que esta presença se fez mais sentir no centro e no norte de portugal ?! Sabe-se que na primeira metade do seculo XX ainda havia a existencia de marranos no distrito de vila real,bragança,viseu,guarda enquanto no sul do pais essa presença não existia,aliás,as comunidades marranas existentes ainda nos dias de hoje em portugal encontram-se somente em belmonte (beira-baixa) e torre de moncorvo (trás-os-montes). O estudo refere que as pessoas do sul apresentam maior probabilidade de ter sange judaico,mas temos que ver a que zona do sul a que se refere o estudo,se for lisboa,então o estudo tem que ser reavaliado pois a maior parte da população lisboeta é de origem alentejana,beirã,e transmontana,e sem falar dos emigrantes dos PALOPS.Temos que saber a que norte se refere o estudo,pois,se for o porto,não nos podemos esqueçer que a maior parte dos portuenses de hoje têm origens minhotas,beira-litoral, regioes essas onde não existia uma forte presença judaica,essa presença fazia-se notar sim em tras-os-montes e alto douro.Não nos podemos tambem esqueçer que este estudo somente avaliou uma população de menos de mil e quinhentos individuos.
    e por ultimos,no norte e centro de portugal existem iguarias que se sabe que são de origem judaica, tais como: as alheiras de mirandela,o pão de azeite e algumas tadições culturais,esse legado curiosamente não encontramos no sul.Não digo que a presença judaica não esteja tambem nas gentes do sul do pais,mas acredito que as pessoas do norte do pais apresentem maior probabilidade de ter uma costela judaica em comparação com as pessoas do sul,dai eu afirmar que este estudo teria que ser novamente reavaliado pois acho que faltou o rigor necessario para se chegar a uma conclusão mais correta !!!

    • Maria

      Eu sou alentejana e ja estudei os judeus e ve-se nas tradições do alentejo muitas deixados pelos judeus. Por exemplo, o arrumar da casa à sexta-feira ainda hoje isso acontece, é uma pratica judaica, uma preparação para o Shabbat. Nós apesar de cristaos não somos tão relegiosos como as pessoas do norte. Entre outras coisas.

      • Neste respeito, remeto para a obra (do muito prolixo) Moisés Espírito Santo… que aponta muitas pistas semelhantes (sendo essa uma delas, ao que me lembro), pecando contudo por alguma “sobreinterpretação”.

    • lidia

      está a confundir cultura com genética…o facto de comunidades terem sobrevivido como “judeus de facto” mais a norte não quer dizer que que cristão-novos não existissem mais a sul…e é isso do que o estudo fala….ç atençao .

    • demonx

      Amazing display of typical Portuguese arrogant ignorance. If there are some genetic markers from a certain genotype (say 10%), it only means that 10% of that population carries some trace of that genotype. It maybe only 1%, which represents 0.001 of that population. GOT IT MORONS?

  4. mas isso significa que culturalmente essas comunidades se souberam manter mais apartadas das demais comunidades locais. Sendo minoritárias a norte, juntavam-se mais, enquanto que a sul, a sua mistrura com as populações locais, ao ponto de se tornarem indistintas destas.
    o estudo abordou a Península Ibérica apenas acessoriamente, já que o seu ãmbito era mais global. Muito há a fazer neste campo. A equipa de Cavalli Sforza na década de 80 abriu muitas portas, ao estabelecer laços entre a genética e a linguistica, e já ele observara traços judeus e norte-africanos em Portugal, especialmente, no sul, pelo que este estudo (diverso do primeiro) reforça assim as suas conclusões. Também o trabalho do professor Amorim (que contactei pessoalmente há alguns anos) vai no mesmo sentido, devo dizer…

  5. Um amigo nosso, disse=me que viana, vieira, rodrigues são nomes de judeus novoscristão..será ?

    • isso que viana , vieira e mentira existem cristão – novos e cristãos velhos com esses nomes você não sabe quem e quem não é meu avô tem sobrenome rodrigues não e judeu meu bisavô e tataravo também e não eram isso e mito !!!!

      • Rodrigues e nome de cristãos velhos dez da época medieval , acho provável ser cristão novos com esses sobrenomes >>> oliveira , carvalho , pinheiro >>>>>>> nomes de plantas animais mais nomes da época medieval e mais difícil pode ater sido pego alguns sobrenomes de cristãos velhos mais não tem nada a ver judeu e quem nasce do ventre judeu ou quem segue a religião mais ai tem que ter muito estudo em cima disso !

    • demonx

      GO BACK TO THE CAVE!

    • demonx

      Shocking idiot!. Many Indians have Visigothic names, Goncalves, Rodrigues, Mendes, etc. Do you know why, dimwit?

    • demonx

      Super Blockhead Cavedweller! No wonder Portugal was the last refuge of the Neanderthals!

  6. rui pinto

    No norte a população marrana tambem se misturou com os cristãos,o marrano, capitão barros bastos é um bom exemplo dessa mistura,mãe catolica,pai catolico,mas seu avô materno era judeu (marrano),muitos desses marranos a norte e centro eram batisdos,pois caso contrário quase seria impossivel se casarem e constituirem familia,em bragança havia muitas familias misturadas (marranas com catoloicos),o mesmo acontecia em vila real, o que refuta a tese em que as misturas eram mais a sul do que a norte.Este estudo verificou somente o cromossoma Y,sabe-se que muitas das tradições e legado judaico era passado das mães para os filhos,e não o contrario (do pai para o filho),muitos dos portugueses são de ascendencia judaica por via materna,seria muito interessante verificar tambem esse ponto.
    O avô do capitão barros bastos,marrano,recebeu a educação judaica através de sua mãe pois sabe-se que seu pai era catolico,o legado judaico de belmonte foi tambe passado e prepétuado por educação materna !!!!!

  7. rui pinto

    deixe-me referir tambem que aquando a construção da sinagoga do porto, por entermedio do marrano capitão barros bastos,foi com muita surpresa que foi verificada uma forte afluencia á mesma de muitas familias migrantes residentes no porto,na sua maioria vindas do distrito de bragança e vila real,foi então que o capitão barros bastos percebeu que na zona do interior do norte do pais havia uma forte comunidade marrana,a maior parte destes marranos que afluiam á sinagoga eram batisados pela religião catolica mas havia uma forte pertença por parte destes ao judaismo,muitas vezes a ligação era efectuada somente por um dos membros da familia (devido aos casamentos mistos),o capitão barros bastos chamava a essas familias de ” os escondidos”,e dai ele ter lançado uma grande campanha de “resgate” a esses “escondidos” aos católicos de aparencia, mas judeus de coração.O capitão barros bastos percorreu todo o distrito de vila real e bragança no sentido de contactar essas familias,esses tais catolicos de aparencia mas judeus de coração.Sua missão foi abruptamente interrompida por pressões superiores,devido ao clima de guerra que a europa vivia e por pressões de oliveira salazar.Pela logica das coisas,e sendo verdade que o estudo que afirma haver uma maior probabilidade das pessoas do sul terem mais probabilidades de ter ascendencia judaica que as gentes do norte, esse fenomeno dos “escondidos”deveria ter acontecido no sul e não no norte,mais uma razão que me leva a duvidar das conclusões desse mesmo estudo.
    Seria tambem interessante estudar as ligações judaicas dos ilheus,madeira e acores,pois não nos podemos esqueçer que a maior parte dos madeirenses e açorianos são de origem algarvia e alentejana.
    seria tambem interessante quantificar e comparar a maior incidencia,ou não, a norte e a sul,dos sobrenomes com fortes ligações aos judeus convertidos: cardoso,mendes,rodrigues,pinto,lopes,nunes,pereira,ferreira,seixas.Essas quetões não foram abordadas por esse estudo
    Há muitas questoes que esse estudo não responde,penso que poucas conclusões verdadeiras podemos retirar !!!

  8. Fenix

    Á uma pequena aldeia na beira baixa que chama Medelim e também comhecida como a aldeia dos balcoes.Nessa aldeia á uma rua que chama a rua da judiaria é uma rua apertada de casa pequena ticamente judaicas todas as casas eram ligadas entre si com passagem secretas. O meu avòs viveram numa dessa casa durante alguns anos no principio do seculo passdo.Mantém este nome pela sua origem ancestral de bairro exclusivamente habitado por famílias judias, que aqui viviam, conviviam e tinham o seu lugar de culto na sinagoga, respeitada sem reservas … até que uma desastrada intervenção urbanística a demoliu (anos 70 séc. XX)!
    A profusão de balcões mantém o ex-libris da terra, mas o que mais marca as casas é a sua ligação interior e secreta de umas para as outras (em parte ainda existente), para os habitantes, sem passarem pela rua, se encontrarem ou até fugirem. Consta que nas “costas” desta rua havia ligação com outro arruamento, que seria a “mouraria”. Ao contrário de tantas outras terras curioso é que a Rua da Judiaria se tenha mantido até aos nossos dias, a que não será estranho o espírito de sã convivência aqui vivido.

  9. magníficos relatos… a resiliência da presença judaica em Portugal nunca me deixará de espantar, depois de tantos e tão intensos progons, continuam a resistir… penso que isso diz basta da força e da extensão da implantação do judaísmo entre nós, em época romana e pré-romana… como admite Moisés do Espírito Santo (ele próprio judeu), ainda que exagerando aqui e ali…

  10. carlos cardosos

    deixem-me referir tambem que no conselho de santa marta de penaguião,aldeia de fontes,distrito de vila real tambem existia comunidades marranas.bem como no conselho de vinhais (distrito de bragança)

    • antonio jose franco ornelas

      sou de familias conhecidas como os ornelas e os francos de elvas e barreiro judeus e os cardosos de vizeu somos o povo de hachem e todos somos un povo nao importa de aonde venhas chema israel todah raba de jose franco

  11. carlos cardosos

    clavis prophetarum, Se contactar o professor Amorim novamente e se o mesmo tiver interesse em abordar um estudo sobre os marranos de trás-os-montes ,informe que nos conselho de santa marta de penaguião,aldeia de fontes,distrito de vila real tambem existiam comunidades marranas até meados da segunda decada do seculo XX,pertenciam ainda á minha familia, Barros,Pinto,Cardoso quase todos marranos.No conselho de vinhais (distrito de bragança) tambem existiam comunidades marranas embora essas não tivessem laços familiares com as minhas,com as (e)migrações,a morte das pessoas mais velhas essas tradições praticamente já se perderam !!!!

  12. o problema, carlos, é o que professor amorim parece sofrer da mesma doença que afecta tantos professores universitários portugueses: o “complexo académico”. Quando descobriu que era apenas um licenciado em História buscando respostas às minhas dúvidas, deixou de responder…

    • Tenzin Namdrol

      Clavis Prophetarum, Moro no Brasil e estou preparando uma viagem de 30 dias a Portugal. Sou monja budista e o Judaísmo e muito especialmente o cripto-judeu é um tema que me cala fundo. Dedico grande parte de minha leitura ao tema e cheguei a fazer um retiro espiritual por 5 dias em Auschwitz liderado por Roshi Glassman. Gostaria me corresponder com pessoas interessadas no assunto e, durante a estada em Portugal conhecer/visitar outras pessoas igualmente interessadas. Carinho, tenzin namdrol

  13. carlos cardoso

    Que pena,de qualquer forma fica aqui a informação para quem queira investigar a presença judaica marrana em tras-os-montes !!!!

  14. certo! e infelizmente a história das comunidades judaicas em Portugal ainda está – quase completamente – por escrever…

  15. francisco carvalho

    gostava de saber se existe ou existiu alguma comunidade judaica na aldeia de parada de cunhos, concelho de vila real, norte

  16. não, pelo menos naqueles locais que mais frequentemente surgem na literatura…

  17. vinicius

    ola
    voce podem informar-me se o sobrenome caldeira tambem é de origem judaica ?
    obrigado
    vinicius caldeira

  18. bem vinicius, não sei se leu o artigo que comentou (aparentemente, não)
    é lá já diz que sim… Caldeira é um apelido judaico.

  19. José Veríssimo

    olá, sou de uma aldeia transmontana (Lagoaça)com fortes tradições judias, Fragata ou Veríssimo são de origem judaica?
    Posso acrescentar algumas tradições da minha avó.

  20. do que sei, não… nenhum dos dois é comum em famílias cristãs-novas.

  21. carlos cardoso

    Srº josé verissimo,poderia-me dizer se na aldeia de lagoaça ainda existem comunidades marranas ? já agora,poderia-nos falar das tradições judaicas dos seus avós ?
    sou natural da aldeia de fontes,santa marta de penaguião,minha familia era marrana mas infelismente a pequena comunidade marrana que ainda existia na minha aldeia, ainda no sec XX, já desapareceu,pois a maior parte das pessoas emigraram,as pessoas mais velhas já faleceram e os mais novos já abandonaram essas tradições !!!

  22. José Veríssimo

    Srº Carlos Cardoso,infelizmente já não existem comunidades marranas nesta aldeia, porém é bem visivel a sua presença. A aldeia estava dividida em dois bairros,o de cima (judeu)e o de baixo (não judeu e chuços), divididos por um fontenário existente no meio da praça com duas bicas e rivais.Contava a minha avó que havia uma rua,agora com outro nome, a que chamavam a rua da escolha, por aí ser feita uma selecção dos que, por aí, poderiam passar em determinadas alturas e a comunidade judaica era constituida por dois tipos de judeus (marranos,chazaros)
    Era normal ela deixar uma candeia de azeite a arder na cozinha durante vários dias sempre que um familiar falecia, quando nascia um filho (em casa)os restos do parto eram atirados para a rua e dizia-se «vai-te à vida» com a intenção de que ele fosse desenrascado no comércio, se fosse uma filha era tudo enterrado em casa (na loja)para que ela fosse protegida e desse uma boa dona de casa, durante os velórios era costume a familia distribuir pão pelos presentes por uma moeda no bolso do defunto,Deixar a mesa posta, por farinha no chão. Havia umas orações que ela fazia quando se perdia qualquer coisa importante e se queria encontrar. Durante esta oração falava no «cão». Quando queria saber se algum familiar distante se encontrava bem, ou previsões para um possível assunto a tratar e importante, dizia uma outra e acaso se enganasse ao dizê-la, era um mau presságio. Jejuava no 2º domingo de Pascoa e na pascoa comiamos borrêgo.
    Segundo alguns familiares, no sitio onde agora existe uma capela (Sor da Santa cruz) construida sobre umas ruinas no século XIX, que teriam pertencido á familia, terá existido uma Sinagoga.??

  23. carlos cardoso

    SR Jose verissimo excelente relato.
    em algumas aldeias transmontanas conheci familias com umas tradições estranhas que penso estarem ligados aos judeus convertidos,eram familias que afirmavam não ser cristãos,não comomoravam o natal nem a pascoa cristã,evitavam entrar em igrejas, santos e cruzes jamais entravam em suas casas,mas pelo contrário todos eram batisados pois caso contrário era lhes dificil constituir familia, e os casamentos eram efectuados nas igrejas,a sociedade assim os obrigava,mas quando seus filhos nasciam jamais era permitido que tivessem catequese,embora como já referi fossem batisados,tinham tambem umas tradições estranhas tais como mergulhar os seus filhos em tenra idade nos lagares de vinho,ou então,mergulhavam somente os filhos varões em lagares de vinho e alguns pertences das meninas em tinas de agua,chamavam a esses costumes de ” o verdadeiro batisado” ritual esse que era sempre acompanhado por uma pequena festa de familia,acompanhada com musica e comida.
    Uma vez perguntei a um elemento de uma dessas familias,ainda hoje um grande amigo meu,a razão dos rituais do vinho,da agua,da não celebração do natal,da pascoa etc etc… onde na qual ele me respondeu que eram tradições familiares que passavam de geração para geração,eram tradições passadas oralamente pois a maior parte da sua familia era analfabeta,e que era tambem lhes ensinado que o nome de jesus não tinha nenhuma ligação a deus e como tal jamais deveriam fazer o sinal da cruz e celebrar o natal. Então quetionei-lhe se ele não achára que essas tradições não deveriam ter alguma ligação aos judeus convertidos? ele respondeu o seguinte ” todas as tradições têm uma razão de ser,agora quais são as origens das tradições da minha familia,eu desconheço,tudo o que me referiram em pequeno foi que as coisas tinham que ser assim ”
    Concluindo,em tras-dos-montes,principalmente distrito de vila real,pois é o distrito que eu conheço melhor,havia realmente muitas familias com essss tradições,penso que passados seculos de inquisição,casamentos mistos,aculturação etc etc.. muitas dessas tradições tiveram origem nesses judeus convertidos,processo pelo qual muitas tradições judaicas foram-se perdendo, á medida que as gerações iam avaçando no tempo algumas dessas tradições eram mantidas e outras detorpadas com o objectivo de fintar a igreja,um exemplo é o caso dos mergulhos dos filhos varões em lagares de vinho,já que não era permitido circuncisa~los então que se mergulha-se os filhos num lagar.
    Não sou sociologo nem antropologo, mas penso que o grande legado judaico encontra-se efectivamente nas gentes da região do distrito de vila real e bragança,seria interessante que alguem com conheçimento de causa se debroça-se melhor sobre essa questão pois iria enriqueçer ainda mais a nossa historia portuguesa !!!

  24. obrigado por deixarem aqui esses testemunhos tão fascinantes e reveladores da existência de camadas subterrâneas de uma religiosidade popular que tem muito pouco de “católica”.
    Recomendo a leitua das obras de Moisés do Espírito Santo
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Mois%C3%A9s_Esp%C3%ADrito_Santo
    que tem trabalhado muito nessa área.
    Pessoalmente, creio que ele exagera um tanto, vendo sinais judaizantes onde há também traços de religiões ainda mais antigas, como a greco-romana ou o Culto da Deusa ou das divindades tópicas pré-romanas, mas continua a ser nesse campo um autor incontornável e de referência.

  25. José Veríssimo

    Sr. Carlos Cardoso, existe uma aldeia do distrito de Bragança com tradições muito vivas, penso de que, ainda existe a possibilidade (in loco). É Vilarinho dos Galegos, concelho de Mogadouro.

  26. carlos cardoso

    Srº josé verissimo,sabe me dizer se essa comunidade é tão numerosa como a de belmonte? sabe-me tambem dizer se há jovens nessa aldeia que ainda vivem essas tradições ?

  27. Todos nós somos semitas , pelos 600 anos de presença Árabe na Ibéria…consequentemente..descendentes de IBRAIM/ABRAÃO…

  28. José Veríssimo

    Sr. Carlos Cardoso,como a de Belmonte creio que não, jovens tão pouco, alguns já idosos, porém, é tudo feito tão sijilosamente…
    Com um pouco de sorte talvez se consigam uns depoimentos interessantes de três ou quatro pessoas, mas…

  29. ANIBAL LUIS CARDOSO

    verifiquei as conssideracoes acima fiquei alegre pelas conclusoes da nossa tao rica mas tao pouco pesquisada historia sertamente tem muita a ser descoberta minha cidade SERTÃ bem no centro geodesico de portugal i nas aldeias adjacentes tem muitos decendentes do velho patiarca ABRÃÃO oqual saiu de UR DOS CALDEUS a mando de DEUS para a terra prometida e de la para o mundo atraves da diaspora.amigos sabem porque os velhos marranos sofreram tantas perssiguicoes na nossa velha terra foi exatamente pela desobediencia a DEUS nao seguirão os mandamentos estabelecidos nas tabuas escritas no monte sinai pelo dedo do proprio DEUS.querem conhecer a historia dos judeus em PORTUGAL indico um livro que por acaso encontrei num sebo escrito por MEYER KAYSERLING editora pioneira traduzido pela USP

  30. Sr. Anibal , p f, qual o nome do livro? Obgd.

  31. bisando: sr.Anibal, p f, pode dizer-me o nome do Livro do autor mencionado?. desee já mt obgd.Shalom.

  32. E possivel o nome do livro…obrigado.

  33. José Veríssimo

    Relativamente à introdução inicial de Clavis Prophetarum de 2009/01/31 «lefraim…»,posso acrescentar que na aldeia de Lagoaça,do mesmo distrito, è usada pelas pessoas mais velhas a palavra “lafrau”,que tem sentido pejurativo(manhoso,falso),bem como,”chusso”(medo)e “chussudo”(medroso);sem dúvida conotadas a cristãos novos.

  34. sem dúvida e… infelizmente.

  35. caro amigo carlosargus me perdoe a demora resposta nome do livro MOTIVO CIRURGIA MAS JA ESTA TUDO BEM ora bem o nome do livro e HISTORIA DOS JUDEUS EM PORTUGAL ESCRITO POR MEYER KAYSERLING[JUDEU ALEMAO] EDITORA PIONEIRA OBRA PUBLICADA PELA COMISSAO EDITORIAL DA UNIVERSSIDADE DE SAO PAULO[USPE]/ABRAÇOS E QUE DEUS TE ABENÇOE//ANIBAL//

  36. CARO CARLOSARGUS SHALOM NOME DO LIVRO HISTORIA DOS JUDEUS EM PORTUGAL EDITORA DA UNIVERSSIDADE DE SAO PAULO[PIONEIRA]ESCRITOR MEYER KAYSERLING E MUITO ESCLRACEDOR QUE WHAWHE TE ABENÇOE/ANIBAL//

  37. julio

    Acho que as tradições passam de pais para os filhos, se estes assim o entenderem, sobretudo porque são também ao mesmo tempo influenciados pelas várias mentalidades que coexistem na sociedade,incluindo a televisão, internet, escolas, faculdades,professores, ideologias, etc. A referência ao sangue acho que é uma coisa simbólica, porque o sangue apenas nos passa as características físicas e tem a ver com o clima, e, nesta sequencia do pensamento, só podemos diferenciar-nos como caucasiános, mediterrânicos, hispánicos, asiáticos, africanos e mistos. A sociedade portuguesa, penso eu, foi formada ao longo dos tempos com as características de todos esses genes mistos, temos assim pessoas claras, morenas, escuras, etc. Em relação aos judeus estes além de actual Portugal também passaram daqui desde o século XVI pelos territorios ultramarinos de expressão portuguesa…

  38. desde já agradeço pelo nome dolivro e q se retabelaça no menor espaço de tempo possível, shalom e q o inefável(YHWH)o abençoe..obrigado.

  39. ola Carlos, a historia dos judeus em portugal, remonta a tempos muito longinquos, vale apena pesquisar,ha vestigios muito antigos, da passagem desse povo do qual tenho convicçao,somos descendentes, ja na diaspora do cativeiro da babilonia, feita por nabucodonosor,teve diverssas familias judias que foram parar na peninsula iberica se diga portugal espanha, passando atraves do estreito de gibraltar, outro livro porreta he, atlas ilustrado da civilizaçao judaica,4000 anos de historia, desde que o patriarca abraao, quando saiu de ur dos caldeus, ate agora recentemente com a gestao de shimon peres, [dinalivro] comprei numa feira vai gostar tenho certeza, impresso em dubai nos emirados arabes shalom /anibal/

  40. vinicius caldeira

    ola !!
    gostaria de saber se as pessoas com descendencia judia podem pedir cidadania israelense.
    obrigado

  41. aqui tem a sua resposta:
    http://brazilia.mfa.gov.il/mfm/Web/main/Document.asp?SubjectID=7030&MissionID=8&LanguageID=211&StatusID=3&DocumentID=-1

    e se não é agora assim, era-o há uns anos, de facto…
    mas nada como ir diretamente à fonte.

  42. vinicius caldeira

    obrigado… agora começa um longo caminho atraves de documentos…..se puder informar-me sobre a disponibilidade deste serviço em portugal serei muito grato..

  43. é perguntar ao mail da embaixada em Portugal:
    info@lisbon.mfa.gov.il

  44. Rui Pinto

    Muito recentemente passou uma reportagem sobre a ” capital ” judaica em trás-dos-montes , o nome da terra é Carção . A reportagem passou no programa ” Regiões ” ás 18:00.
    A reportagem falava dos descendentes dos cristãos-novos , das suas tradições judaicas misturadas com o cristianismo e de , por incrivel que pareça , de algumas pessoas que ainda vivem naquele lugar transmontano , e que na qual , ainda têm consciencia da sua herança cultural e relegiosa judaica , foram entrivistadas pessoas destas comunidades que por ainda lá existem .

    • Vava

      Sera que existe dvd sobre isso ou o link ke se possa ver essa reportagem, tinha muito gosto em ver! Obrigada. Shalom

  45. não conhecia e tenho pena de não ter visto.
    de facto, a “capital judaica” mais conhecida é Belmonte, onde chegou até a haver um rabi enviado de Israel…

    • Sofia jerónimo

      Numa consulta à Net, deparei-me com alguns apontamentos de que gostei muito, visto eu ser de Bragança, mais concretamente de Carção, concelho de Vimioso.
      Efectivamente, os judeus fizeram parte da comunidade portuguesa, desde longa data.
      Não esquecer que os nossos Reis se serviram deste laborioso estrato social, quer aproveitando o seu saber, a sua agilidade e, sobretudo o seu poder económico.
      No que me diz respeito, ainda vivi algumas dessas tradições judaicas como, levar uma candeia de azeite a casa do falecido, e só ir buscá-la no dia seguinte, após o funeral; oferecer fatias de pão às pessoas que fossem ao funeral, e isso aconteceu no funeral da minha mãe em 1961, fazer alheiras, que ainda hoje as faço. Em termos sociais, a comunidade carçonense estava dividida em dois grupos: os judeus, ou oficiais, que se dedicavam ao comércio, negócio e ofícios; e os não judeus, lavradores ou “cabrões” sem conotação (perjurativa), que se dedicavam ao amanho da terra, ou trabalhavam à jeira para os primeiros . Todavia, apesar de se relacionarem em termos de trabalho e comércio, já o o mesmo não acontecia, nos casamentos entre eles. Cada qual casava com os do seu grupo. Os judeus moravam nas ruas principais da aldeia,e os outros nas restantes. A mocidade judia fazia serenatas até altas horas da noite, ao som da guitarra e violão, enquanto os outros se faziam acompanhar de realejo e ferrinhos, frequentando apenas as restantes ruas. Por vezes, havia desacatos, como melhor registo no meu sit, onde descrevo melhor o que era uma serenata, e se encontra uma canção alusiva.
      Se estiverem interessados leiam o meu livro, ” Carção um Pedacinho do Reino Maravilhoso”,ou “Carção,Capital o Marranismo”, de Fernada Guimarães e outro….onde encontram os muitos processos e condenações à fogueira, desde o sec. XVl até ao sec. XVlll, bem como a Revista Almocreve, Retrato das Gentes de Carção, que se encontram na Nete.
      Muito mais poderia escrever acerca deste martirizado grupo étnico, tão odiado, mas que actualmente, está a ocupar o seu lugar de relevo, como muito bem merece, numa sociedade, multicultural e democrática.

      Sofia Jerónimo

  46. rui pinto

    Para todos aqueles que querem vêr a reportagem que passou no noticiario dos descendentes judeus portugueses em carção
    está excelente , vale a pena vêr !!!

  47. só para acrescentar: alguns, como o sociológo Moisés Espírito Santo, acreditam que até 20% da população portuguesa tenha sangue judaico… por isso, a tese de que haveria aldeias inteiras de “cripto-judeus”, esquecidos das suas próprias origens é muito plausível.

  48. Adonai Eloha Shaddai

    Êste estudo é uma grande falcatrua!!!
    Alguns Portuguêses descendem de mouros, mas a maioria é descendente de Nórdicos!!!
    O que êsses pesquisadôres querem é que os narigudos parem de sêr perseguidos!!!
    É um tipo de estudo falso, bem similar ‘a letras da canção Olhos Coloridos da Sandra Sá, que diz que tôdo Brasileiro é descendente de nêgros. Que absurdo.

    • Raimundo Neto.

      nórdico? kkkkkkkkkkkkkkk

    • Lugo Belenus

      Nórdicos? Acho que você confundiu com celtas. Os lusitanos antigos eram um povo celta. Mas há bastantes descendentes de judeus e árabes (talvez mais berbéres) entre os portugueses. Há sim descendentes de godos e suevos também. Mas a maioria aparenta ser descendente de celtas.

  49. Paulo Escobar de Carvalho

    Nórdicos ? Definitivamente não !!

  50. Rui Martins

    Excelente reportagem, elaborada por uma Congregação Israelita ( Netivyah Bible Instruction Ministry ) onde demonstra claramente a existência de Judeus Messiânicos ( crentes em Yeshua ) em Portugal na idade média. Séculos após a inquisição , foi efectuada uma cerimonia judaica na sinagoga de tomar em honra a todos os judeus portugueses perseguidos pela inquisição bem como a todos aqueles Portugueses que nunca quiseram esquecer as suas tradições judaicas , uma cerimonia também dedicada a todos os Portugueses judeus ou de outras religiões amantes da paz e da tolerância entre os homens , afinal de contas , existindo D`us , somos todos irmãos

  51. Antonio Pereira

    Na minha aldeia transmontana onde vivia , distrito de vila real , havia um velho costume que incidia em mergulhar os filhos varões em lagares de vinho para que estes tivessem sorte na vida e fossem protegidos por Deus , chamavam aquele costume de ” o verdadeiro baptizado ” as pessoas mais antigas diziam que este ritual vinha dos judeus ou então dos ” da relegião sem a cruz ” , como as pessoas mais antigas preferiam lhes chamar , na minha aldeia muitas dessas famílias que praticavam este costume não celebravam o natal nem outra cerimonia religiosa cristã , as pessoas na aldeia não se destingiam pela religião , pois todos eram considerados católicos , mas destingiam-se sem duvida alguma pelas tradições familiares que nada tinham a ver com o catolicismo . Sei que outras aldeias transmontanas de Vila Real e Bragança possuíam costumes idênticos . Lembro-me de a minha avó dizer que seu pai lhe contava que na aldeia os ” antigos ” falavam de gente que trabalhava para a igreja e que se escondiam atrás das portas para vêr se essas faziam a “doutrina” , caso contrário estes fariam queixa ao padre e havia punições , essas pessoas eram chamadas de ” os linguareiros ” , penso que se estariam a referir á época da inquisição . Essas tradições e historia já morreram na minha aldeia com o desaparecimento das pessoas mais velhas , fica apenas o meu depoimento para ser registado na aldeia global chamado de ” internet ” .

    • Bem essa interessante tradicao parece-me mais ter raizes romanas ou pre-romanas que judaicas… Faz parte de uma tradicao cultural que se esta a perder, infelizmente! Fica aqui o registo, pelo menos.
      Recomendo a leitura das obras do sociologo moises do espirito santo, onde encontrara tradicoes semelhantes, ainda que de dessa em particular, nao tenha memoria.

  52. Caso Dreyfus português pode ser resolvido 70 anos depois com apoio de Marinho Pinto
    De Liliana Leandro (LUSA) – Há 1 dia
    Porto, 13 out (Lusa) – Mais de 70 anos depois, o caso do chamado Dreyfus português pode ser finalmente resolvido, agora que a família do capitão Barros Basto vai levar um requerimento à AR para a sua reintegração no exército a título póstumo.
    Para o efeito conta com o apoio de instâncias internacionais e do bastonário dos advogados, Marinho Pinto, que já exigiu a reabilitação do capitão cuja sentença considerou uma “ignomínia”.
    Foi em 1937 que o Conselho Superior de Disciplina do Exército decidiu pela “separação do serviço” o capitão Arthur Carlos Barros Basto por considerar que não possuía “capacidade moral para prestígio da sua função e decoro da sua farda”.

  53. Não seí porque as pessoas se preocupam tanto em saber de onde descendem racialmente. E se descobrem que descendem de judeus, ou de pretos ? Qual o problema haveria nisso ? Não teríamos aqui um substrato racista ?

    • Bem, ‘e a eterna busca das origens e do auto-conhecimento. Eu pessoalmente, sei que descendo de negros (dos chamados “negritos do sado”), embora fisicamente nao tenha nenhum traco dessas raizes. Suspeito tb que descendo de sefarditas/cristaos novos, como um quarto dos portugueses…
      E esse conhecimento, serve para aplacar qualquer impulso racista. Se todos os portugueses soubessem que descendem de negros (o algarve do seculo XVII tinha 20 por cento e lisboa do sec XIX dez por cento) que foram diluidos no nosso sangue ainda seriamos menos racistas do que somos hoje… E atencao, que na europa, os portugueses ja sao dos povos menos racistas do continente.

  54. Rui Pinto

    Mais um testemunho e uma prova de como o sangue do povo de Israel e Moises corre nas veias de muitos Portugueses . http://www.youtube.com/watch?v=3JX-5exB_KE

  55. Sem dúvida… A percentagem é (segundo alguns) de 25%… ou seja, um em cada quatro portugueses teve antepassados judeus.

  56. Riquepqd

    No Brasil se diz, e até há muita coisa sobre isto na net, que uma grande parcela dos nordestinos, principalmente do nordeste setentrional é descendente de cristãos novos, porque talvez pela distância da capital, os tentáculos da inquisição não alcançavam o nordeste brasileiro com a mesma voracidade que praticavam no sudeste, por isso os judeus fugiam pra lá.

    Além disso, já li que quase 100% dos primeiros portugueses (1500 a 1700) que pisaram em solo brasileiro, era de cristãos novos, fugindo da perseguição na Europa.

    Sem contar que uma grande parcela, se não for maioria, dos holandeses que invadiram o nordeste, era de judeus.

    Então uma grande parcela dos nordestinos tem sangue judeu, sem contar os vários costumes que os nordestinos do interior tem, e que muito se assemelham as tradições judaicas

    • é verdade, tambem li isso. Alem do Marrocos, da Turquia, de Inglaterra e dos Paises Baixos, o Brasil foi nessa epoca o destino de muitos judeus portugueses…

  57. Rui Pinto

    E que seja feita a devida justiça a este grande heroi Português , ele bem que merece , afinal de contas combateu os Alemães na primeira grande guerra , no lamaçal da Flandres aguentou o avanço das tropas Germanicas com uma bravura de um autentico guerreiro Lusitano , e para alem disso , foi o primeiro Português a astiar a bandeira da Republica na cidade do Porto . Foi um grande Português , ele como tantos outros , com sangue do povo de Moises que lhe corria nas veias .
    http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/parlamento-discute-caso-barros-basto

  58. jbarros@hotmail.com

    Como Tranmontano que sou , posso afirmar que muito da nossa gente tem sangue judeu que lhes corre nas veias , muitos ainda têm memória de seus pais , seus avós que mantinham tradições familiares Judaicas passadas de pais para filhos , mesmo sendo batisados pela relegião católica muitas familias insistiam em manter algumas das suas tradições Judaicas como forma de afirmação e desafio aquilo que a Santa-inquisição quis apagar , tenho pena que nos dias de hoje , devido á emigração , aculturação e outras razões essas tradições já tenham praticamente desaparecido . Sei quem sou e passarei estas memórias para os meus descendentes , mesmo não sendo Judeu mas sabendo que os meus antepassados o foram .

    • Muito se perdeu das nossas raizes… A desertificacao do interior, promovida por sucessivas pacs e por uma europa ansiosa em nos transformar num imenso club med estiveram na base. Mas neste processo que nos descaraterizou os nossos politicos (que elegemos ou deixámos eleger) tiveram a culpa principal… Sendo que o processo agora, sob a troika, se agrava ainda mais.

  59. Riquepqd

    No Brasil há muitos descendentes de judeus, principalmente no nordeste, e a maioria não sabe. Podemos encontrar na net farto material sobre isto.

    Há relatos de que a grande maioria dos portugueses que pisaram aqui ainda no século XVI eram judeus expulsos de Portugal. E um pouco depois, quando a inquisição apertou em Portugal, judeus vieram em massa para o Brasil, fugindo da fogueira.

    E por ocasião da invasão holandesa, é sabido que boa parte dos holandeses eram judeus, inclusive neste período fundaram a primeira sinagoga do Brasil.

    Muitos costumes do povo nordestino, principalmente do interior do nordeste setentrional, são muito semelhantes às tradições judaicas, apesar de a maioria desta população ser católica, nesta região ouve uma mistura que fundiu as religiões, principalmente para tentar enganar a inquisição.

    Mas o fato é que costumes judeus são praticados intuitivamente nesta região.

    • O que representa duas camadas sucessivas… Mas contudo, nao há muitos vestigios do judaismo na cultural popular brasileira, pelo menos aparentemente, certo?

  60. Riquepqd

    Não, porque de certa forma, a cultura popular brasileira mais divulgada nos meios de comunicação é a do sudeste, e mesmo das outras regiões, quando divulgadas, normalmente são das capitais.

    O interior do nordeste é muito pouco divulgado, exceto por estudiosos destes assuntos.

    • Tambem temos cá algum criptojudaismo, mas muito absorvido e descarateriza a um tal ponto que os seus proprios agentes ja nao reconhecem as suas raizes judaicas… Esse trabalho foi feito com muito merito (mas algum exagero) pelo professor Moises Espirito Santo.

    • duvido que o nordeste brasileiro tenha FORTE presença judaica, senão era a zona mais rica do Brasil.
      ao que sei é a mais pobre…

      • Enoque

        Não! O nordeste brasileiro tem forte presença de descendentes dos cristãos-novos, dos marranos, embora nem todo nordestino o seja. Na verdade, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, e mesmo o Sul do Brasil e a região da Amazônia, o Centro-Oeste, todas as regiões do Brasil têm muitos descendentes dos cristãos-novos daquela época, dos séculos XVI e XVII. Obviamente que, se tivessem conservado todos os hábitos de seus antepassados judeus, o nordeste seria hoje muito mais desenvolvido, muito mais próspero do que é. Mas os b’nei anussim (em hebraico, os filhos dos forçados) assimilaram outros hábitos de origem católica romana, e pagãs. Muitos indivíduos descendentes daqueles judeus convertidos à força hoje procuram restaurar suas raízes judaicas.
        http://www.anussim.org.br/
        http://www.brasilsefarad.com/joomla/
        Agora CP, veja que até o povo israelita é um dos elos que ligam Portugal e Brasil. Apesar de eu não aprovar todas as atitudes vinda de pessoas apenas por serem judias, inclusive do governo do Israel moderno, eu sou um filo-semita. Gostar, eu gosto do povo de Israel. Porém, não tenho nada contra os árabes em geral, que também têm culturas encantadoras.

        • Bem, eu embora nao tenha provas factuais suspeito que pertenco aqueles 20% de portugueses que tem sangue judeu nas veias… A percentagem deverá ser identica (ou ate superior) entre a populacao brasileira de origem portuguesa. Ou seja, nao me espantaria se viesse a saber se 20% da populacao brasileira atual tivesse tambem ascendencia judaica.

          • Enoque

            A expectativa é de que entre 20% e 25% da população brasileira é descendente dos
            cristãos-novos. Eu acredito que sou um dos tais.

            • Riquepqd

              Estes descendentes estão espalhados pelo Brasil inteiro, mas devido aos contextos históricos, certamente o nordeste, especialmente no interior, é que abrigam a maior parte destes descendentes.

              No norte de MG também há grande quantidade de descendentes destes cristãos novos. SP e RJ também abriga boa parcela, por serem durante décadas destinos de migrantes nordestinos.

              Quanto ao questionamento do Otus, certamente estes descendentes são minoria, mas mesmo assim são muito numerosos, e é injusto colocar o desenvolvimento de uma região seca e de solo pobre, na conta de uma minoria que teve que se esconder, omitir costumes, origens, nomes e se afastar dos grandes centros urbanos e comerciais.

              Se pudessem ter vivido livremente, certamente a região seria muito mais desenvolvida do que é hoje.

              • Riquepqd

              • A prazo, e na falta de uma verdadeira identidade comunitaria, os genes ir-se-ao diluindo ate um ponto em que se tornam irreconheciveis.

              • Enoque

                “certamente o nordeste, especialmente no interior, é que abrigam a maior parte destes descendentes. ”
                Sim. A maioria dos descendentes dos cristãos-novos estão no Nordeste.
                “por serem durante décadas destinos de migrantes nordestinos.”
                Não. Há famílias paulistas, mineiras, fluminenses e até paranaenses que têm descendência de cristãos novos também, vindos nos séculos XVI e XVII. O fundador da cidade do Rio de Janeiro foi Estácio de Sá, um cristão-novo, Martim Afonso de Souza era cristão-novo, Gaspar da Gama era cristão novo, não foi só o nordeste que foi povoado por cristãos-novos.

                • Riquepqd

                  Ok Enoque, realmente a presença de marranos no sudeste não é apenas por causa da migração nordestina.

                  Inclusive, os primeiros chegaram no sudeste, muitos exilados, e outros fugindo da inquisição em Portugal. Depois, com a inquisição apertando também no sudeste, muitos fugiram para os mais isolados recantos do país, principalmente no nordeste e até na Amazônia.

                  E a ocupação holandesa também foi um tempo de grande chegada de judeus no nordeste.

            • Otus scops

              Riquepqd

              sempre essa eterna desculpabilização. que raio de herança dos portugueses, irra!!! 😈
              “Se pudessem ter vivido livremente, certamente a região seria muito mais desenvolvida do que é hoje.”

              os judeus viveram durante 1900 anos sempre oprimidos, escondidos, em todas as latitudes e climas e regra geral prosperaram. para mim esse argumento não colhe.

            • é medir o tamanho do nariz… O meu encaixa do padrao semita! 🙂

              • Riquepqd

                🙂 Ainda bem que o meu nariz pequeno eu herdei do meu bisavô indígena.

                Porque tem uns na minha família que também se encaixam no padrão semita 🙂

                • O meu tambem nao é assim tao grande! 🙂 sendo certo que nao tenho sangue amerindio para moderar esse detalhe genetico, contudo! 😉

            • Enoque

              http://www.coisasjudaicas.com/2009/05/sobrenomes-usados-por-cristaos-novos.html
              Alguns historiadores afirmam que 35% da população brasileira descende dos cristãos novos.

      • Otus scops

        Enoque

        sabe quem fala, eu calo-me então.
        ou melhor, escreve quem sabe, então pouso o teclado…
        😉

  61. Riquepqd

    Inclusive, conforme abaixo, uma organização israelense está:

    “…convocando os nordestinos de origem judaica, que desejam pleitear o direito de imigrar para Israel e receber todos os direitos próprios dos cidadãos israelense de origem judaica…

    “…Essa iniciativa poderá beneficiar de 50 mil a 100 mil famílias nordestinas…”

    “…Com isso, pretende-se criar uma jurisprudência para que os judeus nordestinos possam migrar para Israel, desde que sejam comprovadas as caracterizações dos costumes judaicos portugueses…”

    “…seriam destinados para a região Sul de Israel, onde poderiam ser instalados novos Kibutz…”

    http://bneianussim.wordpress.com/2008/12/15/origem-judaica-cearenses-permanbucanos-alagoanos-mineiros-teshuvah/

    Minha família materna que é do interior do RN tem vários costumes que podem indicar que somos descendentes dos cristãos novos. Fui descobrir a pouquíssimo tempo, através da net, que estes costumes nos remontam ao povo judeu, de cristãos novos, fugitivos de Portugal e do sudeste do Brasil.

    • Otus scops

      Riquepqd

      podes enumerar (alguns) esses costumes???

      • Riquepqd

        São vários os costumes que dizem ser claros indícios de ascendencia dos cristãos novos.

        Eu lembro por exemplo que minha mãe, nordestina do interior do Rio Grande do Norte, dizia para que eu não apontasse para estrelas porque nasceria verrugas em minhas mãos.

        Li na net que pesquisadores dizem que essa é uma superstição dos marranos que se contava às crianças, para não serem vistas contando estrelas em público, e por isso denunciadas à Inquisição, pois o dia judaico começa no anoitecer do dia anterior, ao despontar das primeiras estrelas, dado necessário para identificar o início do Shabat e dos feriados judaicos.

        Muitos outros costumes estão neste site: http://www.brasilsefarad.com/joomla/

        • Enoque

          “dizia para que eu não apontasse para estrelas porque nasceria verrugas em minhas mãos.”
          A minha mãe não é nordestina, mas me disse uma vez que não era para eu apontar para as estrelas porque nasceria verrugas. Essa superstição existe na minha família também. O meu avô materno, que faleceu antes de eu nascer, era pernambucano. 🙂

        • Interessante… Nao conhecia essa supersticao, mas havendo-a (com a sua explicacao judaica) nao duvido que tal tradicao exista tambem algures em Portugal.

          • maria

            nasci na Beira Baixa, Portugal, e a minha familia é do centro do país e recordo-me dessa expressão desde criança

  62. Fred

    Só um complemento, cristão novo não é obrigatoriamente descendência judia, podendo e numa quantidade não desprezível ser muçulmana.

    Otus, um exemplo de costumes, as limpezas e faxinas gerais das casas sempre as sextas feiras, quando o normal seria aos sábados.

    abração

    Fred

    • Tens tecnicamente razao… Mas o termo em Portugal representa mesmo antigos judeus ou (quase sempre) criptojudeus. Essa leitura é contudo mais possivel em Espanha, especialmente na antiga Granada.

  63. Eu prefiria falar de como países hoje sobejamente conhecidos como a Holanda, Inglaterra e EUA, prosperaram e assentaram impérios comerciais e financeiros, à custa de um dos maiores erros históricos e económicos de Portugal ao longo da sua história, a expulsão dos judeus ricos, que eram a força da burguesia deste país e patrocinavam as expedições para localização de feitorias.
    Quando se fala na Companhia das índias, inicialmente criada pelos holandeses e que depois os ingleses tão bem rentabilizaram, foi a primeira causa/efeito, das deslocalização desses judeus para a Holanda, servindo-se desse país para retirar o protagonismo do comércio mundial a Portugal, promovendo guerras em todos os pontos comerciais de relevo, nomeadamente índia e Brasil.
    Quando se fala na praça financeira de Londres, chamada City, foi criada por judeus sefarditas portugueses, vindos da Holanda e alguns directamente de Portugal.
    Quando falamos de Wall Street, aquando Nova Yorque era chamada Nova Amesterdão, esse centro de capital financeiro mais uma vez foi criado por essa diáspora judaica sefardita portuguesa vinda de Londres.
    O comércio mundial nasce da ideia dos judeus sefarditas ricos portugueses e para o bem e para o mal ainda perdura neste mundo.
    Não deixa de ser irónico que Portugal hoje está sofrendo e de que maneira à custa de movimentos especulativos que tem a sua origem na City de Londres e Wall Street em Nova Yorque, parece-me talvez que os judeus ainda estão guardando algum rancor dessa expulsão.
    Talvez para espiar esse pecado capital da nossa economia o governo devesse publicamente e não por portas travessas e pouco divulgado, como foi o caso aquando da visita oficial de um presidente da república aos EUA, Jorge Sampaio, em se redimiu em nome do estado português à comunidade judaica internacional lá sediada.
    Quando se fala de sangue judeu nos portugueses, fala-se essencialmente naqueles judeus que não eram ricos e se converteram ao cristianismo, porque não tinham para onde ir senão ficar por cá, os outros que contavam de facto para a nossa economia se foram e ainda hoje estamos a ser cobrados por tamanho erro.

    • Fred

      Mais um complemento, a primeira sinagoga de Nova Amsterdam, (ainda hoje existe) foi formada por judeus pernambucanos, vindos da sinagoga Kahal Zur Israel, (a primeira sinagoga das americas) que após a expulsão dos holandeses, foram para outra colônia holandesa nas Americas, que se tornou New York.

      http://israelitas.com.br/estudos/estudosVer.php?id=27

      Abraço

      Fred

      • Portanto as perseguicoes portuguesas contra os judeus, nao so serviram para alimentar de Capital (e gente dinamica), a Holanda, a sua grande rival, como tambem contribuiram para a ascensao da futura grande potencia mundial: os EUA…

  64. Enoque

    Prezados, eu quero aproveitar o assunto para mencionar, caso vocês não saibam da existência, existe um grupo de pessoas que se definem como judeus messiânicos. Sabe-se que o Judaísmo tradicional não acredita em Jesus como o Messias prometido por Deus a Israel, os judeus ainda aguardam a vinda do Messias. Os judeus messiânicos são pessoas que afirmam ser judeus ( minha opinião pessoal, muitos deles realmente são judeus) que reconhecem Jesus como o Messias verdadeiro, mas não se consideram cristãos e não aceitam o título “cristão” por considerar pejorativo devido ao anti-semitismo promovido por algumas igrejas cristãs, em especial a Igreja Católica Romana, as Igrejas Ortodoxas do Leste-Europeu e alguns ramos do Protestantismo. Inclusive não se referem ao Messias pelo nome “Jesus”, preferem chamá-lo de “Yeshua” (Jesus em aramaico) e os mais ortodoxos de “Yehoshua” (Jesus ou Josué em hebraico; a letra “h” é pronunciada como em inglês). E se consideram como membros da religião judaica. O judeus tradicionais não reconhecem os judeus messiânicos como judeus, e sim como evangélicos disfarçados para converter os judeus ao Cristianismo, mesmo que haja indivíduos de origem hebraica entre os judeus messiânicos. A maioria das igrejas cristãs também não aceitam os judeus messiânicos, os consideram como “hereges judaizantes”. Alguns grupos evangélicos os aceitam. O fenômeno surgiu nos EUA ou na Grã-Bretanha, se não me engano, mas existe aqui no Brasil e lá em Israel também. Também já existe um grupo derivado deles chamado judeus nazarenos, que diferem por crerem na primazia da língua aramaica quanto aos livros do Novo Testamento em vez da língua grega. Acreditam que o NT foi escrito originalmente em aramaico em vez do grego, e outras diferenças que agora não me recordo. E são os judeus messiânicos os grandes defensores da restauração das raízes judaicas dos descendentes de cristãos novos.

  65. carmelo

    o teste genetico para busca ascendencia judaica é possivel ser realizado ?

  66. Riquepqd

    E por falar em brasileiros e judeus, a mais nova super produção lusófona, Rei Davi, da Rede Record.

    Que já é líder de audiência nos primeiros capítulos.

  67. Qualquer Português que faça o seu estudo genético para saber qual a sua origem , certamente irá verificar , em diferentes percentagens , a existência de muitos povos dentro de si , povos tais como : Celtas , Visigodos , Cartagineses , Suevos , Halanos , Mouros , Judeus , africanos entre outros . Não é por acaso , aquando vemos famílias Portuguesas muito numerosas , com muitos filhos (coisa muito rára nos dias de Hoje ) , notamos que entre irmãos , filhos dos mesmos pais , a existência de uma grande variedade de tons de pele , olhos e cor de cabelos , entre irmãos há uns que nascem muito morenos , outros louros , e até mesmo ruivos , de olhos claros ou a mistura de ambos , uns que nascem com o cabelo muito liso e outros com cabelo quase carapinha . Os Portugueses têm muitas gentes dentro de si , este é o legado da nossa historia universalista .

    • Bem dito. Nao há povo europeu mais mestiço e cruzado que o portugues. Por isso somos tolerantes, viajantes e universalistas como nenhum outro. Por isso, tambem, o nosso imperio foi o menos racista de todos e hoje a nossa extrema direita é tao insignificante, quando comparada com os “grandes” da Europa.

  68. Clavis Prophetarum , lá por sermos o povo mais mestiço e cruzado da Europa e sermos. tolerantes, viajantes e universalistas como nenhum outro não significa que tenhamos que receber todo o tipo de gente . Hoje verifica-se que a maior parte da criminalidade que ocorre em Portugal é efectuado por emigrantes , ou por Portugueses de segunda geração , e isso é intolerável . Penso que Portugal deveria adoptar um sistema mais restrito á emigração , talvez copiar o modelo Australiano , onde só é permitida a entrada do emigrantes no pais caso estes satisfaçam os requisitos que o pais procura , tais como : Dar prioridade aos emigrantes de qualificações elevadas nas áreas consideradas necessárias para o desenvolvimento do pais ( Medicina , engenheiras , entre outras qualificações académicas de nível superior ) , qualificações técnicas tais como : Electricistas , canalizadores , soldadores entre outras , registo criminal virgem , quem não obedecesse a estes critérios não entrava , todos aqueles que fossem aceites teriam que se comprometer a respeitar as leis do nosso pais , .ao mínimo acto . ilegal grave cometido pelo mesmo dava direito a expulsão imediata , lei esta que se aplicaria até á segunda geração . Não sou racista , acho que a emigração é um pau de dois bicos , quando é aplicada com critérios rigorosos é uma oportunidade de desenvolvimento e crescimento para o pais de acolhimento e uma optima oportunidade para o emigrante , caso contrário uma má politica de emigração pode ser uma sentença de morte para a nação de acolhimento . Na minha opinião muito do declinio europeu passa pela sua péssima politica de emigração em contraste com as politicas praticadas por países como Austrália , Canada ou nova-Zelândia que tem dado excelentes resultados .

    • Ainda que existam casos de criminalidade associados a determinadas nacionalidades e admita uma mao pesada para com esses casos, nao gosto de medidas que dissuadam a emigracao. De sublinhar que a demografia nacional é das mais negativas de toda a Europa e que apenas a imigracao ter combatido um fenomeno que agora que a emigracao se reacendeu em pleno é mais grave do que nunca.

  69. Riquepqd

    Hoje o Brasil recebe enormes camadas de imigrantes ilegais, chineses que trabalham em pastelarias ou vendendo eletrônicos contrabandeados em comércios populares, coreanos que vendem tênis falsificados e ou contrabandeados, peruanos que vendem roupas pelas calçadas, estes vem principalmente para RJ e SP.

    Bolivianos que são escravizados por outros bolivianos ou por coreanos em pequenas confecções de SP, haitianos que vem para o Acre e vivem em maioria em abrigos para desabrigados e dependendo de doações do governo, ou fazendo pequenos serviços, e muitos angolanos e outros africanos de países não lusófonos, que vem para o RJ e BA para trabalhar em qualquer tipo de serviço braçal ou em pequenas barbearias.

    Eu acho que deveria haver uma repressão maior a estes ilegais não lusófonos e todo este público poderia ser substituído pelos lusófonos, através do passaporte lusófono.

    • Coreanos? Sul coreanos? Mas a Coreia do Sul é um dos paises mais desenvolvidos do mundo! Compensa para eles emigrar para o Brasil?

      Quanto às migracoes: sou liberal. Desde que nao estejam associadas ao crime e que se controlem as admissoes dentro de limites suportaveis, acredito na abertura de fronteiras, por conceito. Especialmente em paises demograficamente deficitarios, como os europeus…

  70. Ana

    É com cada uma… E ainda se fala deste “estudo”? Já foi mais que contrariado! E pelos próprios autores…

    ” ” The Sephardic result is contradicted[35][45][48][49][50] or not replicated in the body of genetic studies done in Iberia and has been subsequently questioned by the authors[46][46][51][52] ”

    35. Flores, Carlos; Maca-Meyer, Nicole; González, Ana M; Oefner, Peter J; Shen, Peidong; Pérez, Jose A; Rojas, Antonio; Larruga, Jose M et al. (2004). “Reduced genetic structure of the Iberian peninsula revealed by Y-chromosome analysis: implications for population demography”. European Journal of Human Genetics 12 (10): 855. doi:10.1038/sj.ejhg.5201225. PMID 15280900.

    45. González, Ana M.; Brehm, Antonio; Pérez, José A.; Maca-Meyer, Nicole; Flores, Carlos; Cabrera, Vicente M. (2003). “Mitochondrial DNA affinities at the Atlantic fringe of Europe”. American Journal of Physical Anthropology 120 (4): 391. doi:10.1002/ajpa.10168. PMID 12627534.

    46. Adams, Susan M.; Bosch, Elena; Balaresque, Patricia L.; Ballereau, Stéphane J.; Lee, Andrew C.; Arroyo, Eduardo; López-Parra, Ana M.; Aler, Mercedes et al. (2008). “The Genetic Legacy of Religious Diversity and Intolerance: Paternal Lineages of Christians, Jews, and Muslims in the Iberian Peninsula”. The American Journal of Human Genetics 83 (6): 725.doi:10.1016/j.ajhg.2008.11.007. PMID 19061982. Lay summary – Science News (3 January 2009).

    48. Giacomo, F.; Luca, F.; Popa, L. O.; Akar, N.; Anagnou, N.; Banyko, J.; Brdicka, R.; Barbujani, G. et al. (2004). “Y chromosomal haplogroup J as a signature of the post-neolithic colonization of Europe”. Human Genetics 115 (5): 357. doi:10.1007/s00439-004-1168-9. PMID 15322918

    49. Sutton, Wesley K.; Knight, Alec; Underhill, Peter A.; Neulander, Judith S.; 
    Disotell, Todd R.; Mountain, Joanna L. (2006). “Toward resolution of the debate regarding purported crypto-Jews in a Spanish-American population: Evidence from the Y chromosome”. Annals of Human Biology 33 (1): 100. doi:10.1080/03014460500475870. PMID 16500815. 

    50. Zalloua, P; Platt, D; El Sibai, M; Khalife, J; Makhoul, N; Haber, M; Xue, Y; 
    Izaabel, H et al. (2008). “Identifying Genetic Traces of Historical Expansions: 
    Phoenician Footprints in the Mediterranean”. The American Journal of Human Genetics 83 (5): 633. doi:10.1016/j.ajhg.2008.10.012. PMID 18976729.”

  71. carlos

    Li todos os comentários e cheguei á seguinte conclusão.Os judeus de Israel,deveriam se orgulhar dos marranos ou cristãos novos portugueses pelo que fizeram por esse mundo afora e ainda pela herança da alma portuguesa que os identifica sui-generis.Ainda posso até dizer que outras raças também o fizeram,arabes,mouros,negros,estas mais atuais.Agora se formos a tempos remotos,suevos,celtas,fenincios,romanos,etc.Quando falo de alma,vocês perguntariam ,como é isso.Para reponder,vou citar uma frse de Fernando Pessoa .Tudo vale a pena se a alma não é pequena.(A Língua).A palavra da língua portuguesa é extensiva,abrangente,isso reflete muito na sencibilidade e dá uma força de inércia muito forte e ao mesmo tempo amorosa.`´E muito típico no português de Portugal e também no Brasil,acredito que nas nações lusófalas essa tedência irá se acentuar também.Com vossa licença,penso até que se o mundo falar portugês,será mais doce,humilde,amoroso,para que a paz chegasse mais depressa.Adotem essa língua como segunda opção e vamos ver.Nem sempre a riqueza está no dinheiro,mas sim na cultura,nos meios naturais e nas necessidades essenciais e acima de tudo no respeito,seja a qualquer raça.E olha que eu tenho tudo para ser um desses descendentes .Um dia a verdadeira religião será instaurada na Terra.até lá.Abraços a todas as raças e que o quinto império seja de muita luz ,paz,e amor.

    • Os seus votos, Carlos, são os meus: sem duvida que o traco milenarista que carateriza a mais profunda alma lusa busca a sua origem na predominancia dos carateres hebraicos no nosso ethnos.

  72. Tudo isso, a bem da verdade, só vem comprovar a universalidade do carater e espírito do português. Sua profunda reflexão, sobre a vida, o mundo, os homens, etc,,, Dirá alguem, em Portugal, não temos filósofos, tolo engano!Não são Camões, Pessoa, e tantos outros, nobres pensadores da existência humana?! Asseguro que o são em última análise, muito mais que filósofos, são na essência doutores da vida e da filosofia, basta para tanto meditar em suas determinações. Portugal, é hoje, sim, um pequeno país, porta de entrada, da Europa, e integrado à União Européia, todavia, este papel, que dirão alguns irrelevante, encobre, um passado, que sem demagogia alguma, nem saudosismos, desenhou o presente. Não é a toa, que disse o nobre homem das ciências sociais e antropológicas, brasileiro, Gilberto Freire – ” O mundo que o português inventou ” – eis aí, a quinta-essência lusa, e se queres ir alem, investiga a História e verás, que a configuração mundial de hoje, deve e muito ao Portugal de outrora. Lembremos. o dito do princípe – D.João II, de Avis, a casa forte, quando, Colombo, o “descobridor da América”, o interpelou dizendo,”El rei, descobrimos terras de Ásia(India), no além mar”; e o principe, retrucou; “Tivestes, foi no meu Senhorio da Guiné”, e estava certo o Monarca, o genoves tinha tocado, aquilo que já era português. Olhe, agora para os Açores, o que o separa de Lisboa?! Via mar, seriam l.500 ou talvez, 2000 quilometros. Sim, do Corvo(ilha), até a capital de todos os portugueses, são 2000 km, em média?! Quase isso?! Pouco, mais, pouco menos?! Quando chegaram lá?! 1425 ou 1429, se minhas aulas de história, no Sési, não me condenam!! Então, queres me dizer, que chegaram ao Corvo, na década de 20 do século XV, e não foram adiante?! Foram paralisados por Netuno?! Como diziam os pais, e ainda dizem, “Não confundam alhos com bugalhos”. Portugal descobriu a América. Isso é fato. Dizem, revolução inglesa… gloriosa, primeira revolução burguesa da história. Vá ler Fernão Lopes. Primeira revolução, é a de 1383 – 85, de D.João I, de Aviz, e mais se queres saber, ai está a passagem, da idade média, para a moderna. Não me espanto, judeus em Portugal. Sim, não só os israelitas, mas os mouros, romanos, gregos, fenícios, ibéros, celtas, etc… Essa é uma nação universal!!! É o princípio e o fim de toda a universalidade moderna. Veja, nosso caso, o Brasil. Despertou o gigante?! Despertou o gigante, herdeiro de tudo aquilo que os pais lusos plantaram no passado. A força, o dominio, a integração das culturas, o globo.

    • A questao de saber se ha nou “filosofia portuguesa” dá pano para manga… mas concordo: existem filósofos em Portugal e bem ferteis e inovadores, mas nao estão organizados em escolas ou academias, ao modo norte europeu (organizadinho e arrumadinho). Os nossos filosofos (a comecar pelos cronistas dos Descobrimentos) foram quase todos mais “homens de acao” onde os filosofos norte-europeus o foram de gabinete.

  73. Luís Teixeira Neves

    Falar em sangue (ou genes) judeu(s) (refiro-me à notícia no início) é claramente um abuso. Os genes não são judeus mas médio-orientais. Aqui está também a razão da discrepância que alguns atrás apontaram entre a aparição mais a sul do dito sangue judaico e a aparição a norte do cripto-judaísmo. Este, a norte, está em clara relação com a entrada em Portugal, em 1492, dos judeus espanhóis (que se realizou massivamente por Bragança, Miranda e Vilar Formoso).
    Há uma clara dissociação entre genes médio-orientais e judaísmo. Os judeus que em Portugal, em 1497, foram convertidos à força ao cristianismo (e de quem hoje nós todos portugueses temos descendência) tanto tinham genes médio-orientais como tinham genes norte-africanos como genes ibéricos (do paleolítico superior) porque sendo de religião judaica eram tão ibéricos como os demais ibéricos que eram cristãos. O judaísmo como o cristianismo e o islamismo difundiu-se desde o médio-oriente à custa do proselitismo. O contrário é (só) um mito.

    • Falando de cor, ao que me lembro os judeus chegaram a Portugal em tres grandes camadas migratorias: no periodo cartagines, aproveitando nucleos fenicios (como Gades),depois no periodo romano e posteriormente, durante a presença islamica.
      Populacoes de outros povos do Médio Oriente, so dispersas (por exemplo, os sirios eram dominantes nas elites islamicas de algumas taifas do sul do Tejo), mas demograficamente eram irrelevantes.
      Agora se falarmos em epocas pre-historicas… ai a neblina ja será bem mais densa…

  74. Luís Teixeira Neves

    O proselitismo judaico é menorizado ou mesmo negado pelos historiadores sionistas, mas ele é o grande responsável pela grande difusão do monoteísmo judaico no Mediterrâneo Oriental ainda a(ntes da) n(ossa) e(ra) durante o período helenístico. Shlomo Sand fala abundantemente sobre isso no seu livro (não traduzido para português) The invention of the Jewish people. Entretanto, na Península Ibérica continuamos a não ter notícia histórica ou arqueológica da presença da religião judaica a.n.e..

    • Mas nao existem sinais de sinagogas na Hispania muçulmana?
      E sim, claro, em tempos historicos, o judaismo nao era tao etnico, como hoje. Os falashas que o digam. ..

  75. Luís Teixeira Neves

    O que eu fui escrever… a.n.e. ( antes da nossa era) = a.C. (antes de Cristo).

  76. goncalo

    eu sou descendente de judeus, toda minha familia sabe, ninguem mais segue a lei de moises… eu pessoalmente acredito que a religfiao foi usada para meter o povo na ordem e terem costumes higienicos, relacionados com morte, comer carne de porco etc… de qualquer maneira portugal e judeus sao quase sinonimo, quase todos os grandes portugueses eram judeus ou misturados como caso pedro alvares cabral, a fernando pessoa…

    • Quase me atreveria a dizer que todos os portugueses com ascendentes têm alguma percentagem de sangue judaico… tantas foram as vagas, depois da mais importante de todas: a da tribo de Judá.

  77. marya

    Se em portugal existem regiões com 36% de marranos que dira no brasil porque quase todos esse vieram para cá pela proposta de ter uma vida melhor e mais liberdade religiosa oque nunca existiu devido a inquisição!Esses numeros no Brasil devem chegar aos 50 porcento.Sendo que 3 em cada 10 portugueses que aqui chegavam eram judeus imagina os numeros hoje devido a alta taxa de miscigenação que ocorreu desde então ?

  78. mdb

    Gostei muito de ler este artigo, e os comentários. Trata-se apenas de um palpite, mas penso que poderei ter alguns antepassados judaicos. A minha família materna, natural do Alentejo, tem o nome de Amendoeiras, nome bastante comum na Diáspora Judaica em outros países sob a forma alemã (“Mandelbaum”). Algumas pessoas da minha família têm a típica “aparência semítica” e a minha avó sempre me disse para não contar as estrelas porque cresceriam verrugas no nariz, embora ambos esses aspectos sejam muito comuns no Alentejo. Acredito, sim, que os genes judeus estejam fortemente presentes no nosso reservatório genético.

    • Ao que parece pelo menos um terço de nós, portugueses, tem esse património genético. No alentejo, penso que não haja das concentracoes mais alltas (as beiras, lisboa e o algarve têm das taxas de heranca judaica mais alta do pais), mas havia-os, decerto, como em todo o pais, aliás…

  79. The actual Places Music May take You

  80. Plate Network Promotions Is sure to offer Over $800 Inside Savings

  81. “A Estrela Oculta do Sertao”, documentário sobre os descendentes dos marranos no interior do nordeste brasileiro: http://www.youtube.com/watch?v=e2F8kCP1CtI

  82. SouzaPereira

    Pra Quem Tem Dúvida Se Descende De Judeu é Só Fazer Um Teste De DNA:
    Haplogrupo J1/J2 – Judeu
    Haplogrupo R1b- Celta

  83. Pedro

    Olá amigos,

    O sobrenome “Da Rocha” é judeu? Pois existe um mito em minha família que tivemos que mudar o sobrenome quando meus ancestrais vieram para o nordeste do Brasil. Mas não sabemos o porque da mudança, se seria uma tradução do sobrenome original…

    Outra coisa, os sobrenomes Pereira e Barbosa de origem portuense é judeu também?

    Grato.

Deixe uma Resposta para Fenix Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: