Sobre a lusofonia em Timor-Leste

.
A primeira impressão de quem chega a Díli será a de que em Díli não se fala Português, mas tão somente vários dialectos de Tetum e o Bahasa Indonesia.

Em Timor-Leste falam Português sobretudo as pessoas mais velhas, que aprenderam o idioma durante o período colonial ou que viveram em Portugal durante a ocupação.

Verifica-se também que as crianças e adolescentes, que aprenderam as bases do Português com os professores portugueses, gostam de demonstrar os seus conhecimentos, mesmo que parcos.

Os jovens, porém, em geral, não falam Português nem parece querem aprender. É um idioma difícil e muitos aínda não descobriram a ligação cultural com o próprio idioma.

O facto é que existe o perigo dos jovens não conseguirem prestar o seu contributo ao país, por não se expressarem em Português.

O país adoptou o Português como idioma oficial, juntamente com o Tetum, e a documentação estadual mais relevante está a ser produzida em Português, pois o Tetum é uma forma de comunicação insuficiente para a produção de documentação técnica. Os jovens não estão a ter a participação que todos gostariam que tivessem.

Repare-se que para os falantes de Tetum ou Bahasa aprender o Português pode ser um pouco como para nós seria aprender o latim ou grego antigo. Não estaria apenas em causa o grau de dificuldade mas, desde logo, nos interrogariamos sobre a utilidade em dominar essas línguas.

Acreditamos que existe uma forma simples, exequível, para se contribuir para se motivarem as pessoas a aprender o Português: através da reprodução de telenovelas antigas (não tão ‘agressivas’ culturalmente) e jogos de futebol.

E quantos portugueses, em Portugal, não aperfeiçoaram o Português desta forma? Ou aprenderam a escrever o Português ao ler a ‘Bola’?

Talvez não convenha esquecer que as pequenas soluções práticas, simples mas eficazes, são tão relevantes quanto as opções mais estratégicas.

Acredita-se que estas soluções poderiam ser importantes para se auxiliar o trabalho dos professores nos distritos que, muitas vezes em circunstâncias adversas, estão a contribuir para a reintrodução da lusofonia neste arquipélago.

Pedro Brum

Categories: Lusofonia | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: