Daily Archives: 2009/01/08

Do Proteccionismo como resposta à presente crise global

“Entre os especialistas resta apenas uma certeza comum: uma eventual onda de proteccionismo iria acentuar a crise atual.”

Os mesmos economistas que tão rotundamente falharam em antever esta crise e na fanática defesa da retirada do Estado do seu papel de regulador… Os mesmos que diziam que os mercados funcionavam melhor quando o Estado os deixava em roda livre. Os mesmos que defendiam a privatização de toda a Banca publica, etc, etc, etc

“(economista Miguel Aubyn), a atual crise económica tem levado os governos a tomar medidas proteccionistas de modo a tentar manter o emprego a curto prazo e, nalguns casos, a assegurar a permanência de certas atividades industriais nos seus países (como por exemplo a indústria automóvel)”

Diz Aubyn do alto da sua segura cátedra no ISEG, claro… Aliás, todos estes economistas falam do alto de cadeirões de professorado absolutamente seguros e impermeáveis a toda esta turbulência. É isto que lhes dá esta à vontade para defender o aumento do Desemprego em nome da suposta e improvada “eficiência económica”… Se a facilidade em despedir fosse sinónimo de crescimento haveria recessão nos EUA, o país do mundo onde é mais fácil despedir alguém???

“Para Vítor Bento (presidente da SIBS), a experiência no período entre guerras do século passado é um bom exemplo do resultado a que conduzem as medidas proteccionistas: “menor crescimento e mais desemprego”.

Boa tese, mas coxa… Confundindo o ovo com a galinha. A crise da década de trinta não começou por causa da instauração de medidas proteccionistas, que alias já preexistiam em muitos países. Ela começou por um excesso de oferta e pelo colapso do sistema financeiro nos EUA… O proteccionismo de então não foi uma causa, nem sequer uma consequência.

“É possível que venha a haver algum proteccionismo”, admite César das Neves, “mas será esparso e pouco influente”. Até porque o preço a pagar seria demasiado elevado, sustenta o economista, para quem uma reacção proteccionista global levaria ao colapso do comércio internacional, à queda drástica das exportações em todo o mundo e a uma depressão generalizada.”

Já bastas vezes escrevi agora sobre a minha defesa das Economias Locais e como nos devemos reorientar para consumir sobretudo produtos fabricados ou produzidos na nossa região de residência. As vantagens de reorientação “moral” dos padrões de consumo são tremendas e já as aprofundei noutros locais, recomendando sempre a leitura das obras do economista E.F.Schumacher a este propósito. Assim. A drástica redução do comércio mundial não seria necessariamente sinónimo de caos económico, se os países tivessem sólidos mercados internos (como é o caso do Brasil e não o é da China)

Fonte:
Ana Rita Faria
Público, de 29 de dezembro de 2008

Categories: Economia | Etiquetas: | 6 comentários

A Rússia oferece 10 MiG-29 ao Líbano

//www.sci.fi)

(MiG-29 in http://www.sci.fi)

A Rússia anunciou em finais de dezembro de 2008 que iria entregar à força aérea libanesa dez caças MiG-29 na forma de… “presente”. Para um país do tamanho do Líbano, estes aviões são uma importante alteração do equilíbrio regional e um incremento radical na capacidade aérea do Líbano.

É certo que estes dez aviões não irão tornar o Líbano capaz de enfrentar de forma paritária Israel ou mesmo a Síria… E sobretudo não se sabe que tipo de mísseis serão cedidos com estes aparelhos. Mas de qualquer forma qual será a intenção russa, por detrás desta oferta? A MiG enfrenta serias dificuldades financeiras, e esta poderá ser uma forma de a subsidiar, mas dez aviões dificilmente a salvarão… É mais provável que seja uma forma de irritar os americanos ainda a propósito da sua reacção aquando da Guerra na Geórgia, ou até de seduzir outros países árabes e de procurar cativar a sua atenção para a compra de armamento russo, através de uma tão generosa e desinteressada (?) oferta a um pequeno país da região…

Fonte:

http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI3398986-EI8142,00.html

Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: , , | 19 comentários

Quids S15: Que personagem é este?

1141

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S15 | 7 comentários

Um relatório da NASA sobre o desastre do Columbia revela falhas graves com os fatos e procedimentos da tripulação

//images.encarta.msn.com)

(O Columbia quando se desfazia in http://images.encarta.msn.com)

Um relatório da NASA sobre os últimos minutos do acidentado regresso à Terra do Shuttle em 1 de fevereiro de 2003 reconheceu a existência de problemas com os capacetes e fatos espaciais da tripulação do Shuttle Columbia que provocaram “traumas letais” à tripulação. A agencia disse também que ainda que tudo estivesse bem com os fatos espaciais, a tripulação não teria sobrevivido à destruição do Columbia. O relatório indica também um perigoso relaxamento dos procedimentos de segurança a bordo do aparelho: um astronauta não tinha o capacete, três não tinham as luvas do fato pressurizado e nenhum tinha os visores do capacete baixados no momento em Shuttle perdeu a pressão de cabine. Um astronauta, aliás, nem sequer estava sentado!

O mesmo relatório admite também que os astronautas souberam durante 40 segundos que tinham perdido o controlo do Shuttle antes deste se ter destruído e deles terem perdido a consciência. Pouco tempo para poderem reagir e fechar os seus fatos. O que talvez fosse uma sorte já que assim talvez tivessem sobrevivido durante alguns penosos minutos enquanto o Shuttle se ía desfazendo…

Fonte:
http://edition.cnn.com/2008/TECH/space/12/30/columbia.shuttle.disaster/index.html?eref=rss_tech

Categories: SpaceNewsPt | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy