A Guerra do Gás: um novo capítulo da Guerra da Geórgia?

Com o fecho das válvulas de gás das tubagens que atravessavam a Ucrânia a caminho da Bulgária, Grécia, Turquia e Macedónia, a Rússia abre um novo capítulo da… Guerra da Geórgia. Embora estes países da periferia da Europa sejam os mais afectados pela intransigencia russa – sempre pontilhada por acusações de que a Ucrânia estaria a desviar para si própria este gás – a verdade é que outros paises da Europa Central estão já a sofrer com o corte russo. Esse é o caso da Áustria, Alemanha, Itália, França, Eslovénia, Polónia, Croácia e Hungria. Uma lista que inclui os dois mais influentes e poderosos países da União. O grau de redução é variável, com países como a Eslovénia a perder 90% do seu gás e a Polónia

Fontes ucranianas (a empresa Naftogaz), a Rússia teria reduzido em dois terços os fornecimentos de gás com destino à Europa. O problema – recorrente – começou em 1 de janeiro quando a empresa russa Gazprom cortou o abastecimento de gás ao seu vizinho ucraniano depois de as negociações para o pagamento de uma dívida de 2 biliões de dólares. Supostamente, em 30 de dezembro, o governo ucraniano deu ordem para que a empresa nacional de gás obtivesse um empréstimo a partir de dois bancos estatais e com a garantia do banco central para que esse dinheiro fosse entregue à Gazprom, só que esta disse que… nunca viu a cor desse dinheiro. Mesmo que esse dinheiro apareça (o que é duvidoso), há ainda a questão do preço do gás, que a Ucrânia diz ser demasiado elevado.

Uma coisa é certa: a situação atual interessa à Ucrânia e à Rússia, simultaneamente. E não interesse à União Europeia, que se deixou enredar nesta trama nebulosa e que depende perigosamente de um fornecedor instável e caprichoso, exatamente como depende demasiado do petróleo produzido no Médio Oriente (os EUA e a China têm fornecedores de petróleo muito mais diversificados). A Ucrânia – ou melhor, os ucranianos – sofrem as agruras do Inverno, sem o gás para os aquecer, e as suas empresas têm que lidar com mais um problema, num dos países mais afectados pela crise global do mundo, mas o seu governo encontra no conflito uma justificação externa para o seu mau desempenho económico, reforça a crença popular no “perigo russo” e assim congrega apoios internos e… culpabiliza a Rússia e desvia parte do gás que precisa alegando que os russos não o estão a enviar e assim aumenta as suas ligações com a UE e reforça as suas hipóteses de aderir à NATO e à UE. A Rússia, por sua vez, “disciplina” os seus vizinhos ucranianos e pune-os pela sua vontade de aderir à NATO e pelo apoio que deram à Geórgia nesse conflito…

Felizmente, Portugal está isento de toda esta turbulência já que todo o nosso gás é de proveniência argelina.

Fontes:
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1355123&idCanal=11
http://www.euronews.net/en/article/07/01/2009/eu-gets-caught-up-in-gas-row-as-members-feel-chill/
http://www.reuters.com/article/marketsNews/idUSLU15776220081230
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1355211&idCanal=11

Categories: Política Internacional | Etiquetas: , , | 11 comentários

Navegação de artigos

11 thoughts on “A Guerra do Gás: um novo capítulo da Guerra da Geórgia?

  1. “Felizmente, Portugal está isento de toda esta turbulência já que todo o nosso gás é de proveniência argelina.”
    *******
    E se assim não fosse?
    Não te toca na sensibilidade o que estes povos estão a sofrer?
    Durão Barroso, não soube governal Portugal e é Presidente da UE…é trágico e não tem nada de cómico. o Homem deveria pedir a reforma antecipada!
    Bom ano 2009
    Ashera

  2. é claro que toca. Mas Portugal não está ligado a esta rede europeia, e essa é mais uma vantagem de sermos tão periféricos em relação aos “senhores da Europa” lá do norte.
    A sério, que sofre aqui são os desgraçados dos ucranianos que além de terem que vencer uma crise sem precedentes e um estado na bancarrota se vêm metidos entre a Rússia e o Ocidente e a passar um inverno rigososo sem aquecimento

    • Odin

      E feliz é Portugal por não depender dos recursos energéticos do leste europeu. A Rússia ama criar caso com os países da NATO.

  3. Eu acho que a Geórgia quer qualquer coisa , menos problemas com a “NOVA RÚSSIA”, bateu-levou…tá doido sr.

  4. Quem deve tem de pagar. Aí dos vencidos; dos que precisam ;tem de submeter-se..

  5. gaitero

    clavis, sem querer eu aperter algum botão de meu teclado, e a letra do site se alterou, tornando-a menor, sabes o que devo fazer para tornal-la igual ao que era antes, não sei se alterei a fonte ou o tamanho pode me esplicar como faço para ela voltar ao normal ???

  6. gaitero

    a já concertei abraço.

  7. depende do browser….
    no firefox faz control-O (reset da View)
    no IE, vê em Ver:Tamanho do texto se está em Médio. Se não, muda para tal.

  8. isso é puro lobby é pra mostrar a europa que a russia esta de olho na otan!

  9. algo que devia ter sido abordado pelo Quintus sobre essa guerra seria o interesse da população civil tanto da Ossétia do Sul quanto da Abecásia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: