Da adopção do português na Argentina e da expansão da Lusofonia no mundo

“A língua portuguesa passou a constar obrigatoriamente no leque de disciplinas opcionais das escolas secundárias na Argentina. O plano será implementado por todo o país até 2016, mas a prioridade serão as regiões fronteiriças com o Brasil, nas quais a língua vai ser integrada nos currículos educativos a partir do ensino primário”

Vera Monteiro
Público, 23 de dezembro de 2008

Se dúvidas houvesse, eis mais uma demonstração do truísmo de que a língua portuguesa não é mais propriedade de Portugal. Não é também propriedade do Brasil, nem de outro país lusófono. É hoje algo que pertence a todos os que a falam. Na América do sul, o peso económico, demográfico e político do Brasil é inquestionável. Este verdadeiro país-continente apresenta hoje vários sinais de que poderá atravessar a presente crise financeira (prestes a transformar-se em depressão global) sem interromper o seu desenvolvimento económico e social. Será este peso dominante neste subcontinente que está a tornar o Brasil um pólo atrativo para a lusofonia na América do sul. Não é Portugal, é o Brasil.

Perante a constatação da crescente importância do Brasil na promoção e defesa da Lusofonia num mundo cada vez mais globalizado e anglófono, Portugal e os demais países lusófonos devem decidir se se mantém arreigados a lógicas neocoloniais anacrónicas ou se, pelo contrário, optam por refundar a perdida pátria lusófona e esquecemos a artificial barreira de fronteiras políticas, prezando mais as proximidades culturais, linguisticas e emocionais do que as distâncias geográficas e as esquadrias dos diplomatas e reconhecendo que qualquer expansão da lusofonia é a expansão de todos os lusófonos e o reconhecimento do óbvio papel de liderança que o Brasil tem no seu seio, assim como a irrelevância das fronteiras políticas quando a língua e a cultura que as atravessam são uma só e mesma… Pátria lusófona.

Anúncios
Categories: Brasil, Lusofonia | 2 comentários

Navegação de artigos

2 thoughts on “Da adopção do português na Argentina e da expansão da Lusofonia no mundo

  1. Odin

    http://www.alertatotal.net/2006/04/o-governo-lula-e-pt-querem-hispanizar.html

    Espanhol, ou Castelhano é e sempre será para mim, uma língua ESTRANGEIRA. Pode ser e concordo que venha a ser sim a língua ESTRANGEIRA mais aprendida, mais estudada, mais falada, superando o Inglês. É uma língua neolatina, é semelhante e inteligível, salvo algumas palavras e falsos cognatos, é língua irmã sim, concordo que os povos de língua espanhola ou castelhana são povos irmãos dos brasileiros sim. Se fosse comparar com pessoas, os países lusófonos são “irmãos filhos do mesmo pai e da mesma mãe” e os países hispanófonos são “irmãos filhos só do mesmo pai mas de mães diferentes, ou filho só da mesma mãe mas de pais diferentes”. Podem dizer que “países irmãos” seja um chavão oco, mas “irmãos” é no sentido de ter origens culturais em comum.
    É natural que o Brasil aprenda Espanhol ou Castelhano como língua ESTRANGEIRA e é natural que todos os países de língua espanhola ou castelhana na América aprenda o Português como língua ESTRANGEIRA. Até a Espanha deve “tomar vergonha na cara” e ensinar Português como língua “estrangeira” (sendo que há falantes, os galegos, então talvez não seja 100% estrangeira no contexto espanhol), nas escolas de lá sim. Castela tem que reconhecer, o Português é língua consolidada, isso inclui o dialeto do Brasil. Nós podíamos aprender Castelhano sim, não temos que nos envergonhar disso, é uma língua muito útil. ¡Pero es necesário a nuestros hermanos aprenderen el Portugués si! A quantos séculos Castela mantém povos que falam outros idiomas neolatinos, um deles nem é de origem latina, o Basco, numa união forçada, e não conseguiu fazer de toda a Espanha, só Castela? Desistam! Não vão conseguir matar outras culturas e idiomas. Não vão conseguir matar nem a língua e nem a cultura de Portugal. Nem o legado que Portugal deixou ao mundo. Não acho errado os hispanófonos quererem união com os lusófonos. Acho errado é quererem assimilação, proselitismo, se impor.

  2. Sim falom tanto no inglês mas nao vem pois ja ove muitos impérios como o rumando e cairom a lingua portuguesa esta andado com pés de jigante o Brasil e responsável na america latina pelo grande desenvolvimento da lingua portuguesa e todos na america latina erao aprendendo o portugues em africa os paises que falom o portugues irão fazer o seu trabalho na Ásia tambem temos os nosos trunfos a mais pontos do mundo onde a nossa lingua e falada. Pois eu vejo a portugues saltar para segunda lingua a nível mundial pois o inglês e o portugues irão ter uma disputa e o portugues esta a100 porcento lingua que e nossa temos que a defender ela e de todos que a falom espalhemos o nosso idioma com grande forca antonio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: