O “Projeto Guiana”: O plano nazi para estabelecer uma colónia no Amazonas

Segundo o livro “Das Guayana-Projekt” (“O Projeto Guiana”) da lavra do investigador Jens Glüsing (que vive no Brasil) a Alemanha Nazi teve entre 1935 e 1937 um plano para fundar uma colónia na Amazónia, mais especificamente no Suriname e na Guiana Francesa. O projeto nasceu de várias expedições “científicas” enviadas pela Alemanha e o objetivo supremo era o de fundar uma “área nazi” na América do Sul.

O plano passava por desembarcar forças na Amazónia brasileira, não sendo claro se contavam com o apoio do governo brasileiro da altura, ou se o ataque ao Brasil estava também nos seus planos. O maior mentor do projeto fora Otto Schulz-Kampfhenkel, que numa carta a Heinrich Himmler apresenta a ideia, que a acolheu de bom grado, já que tal base permitiria “reduzir a influência dos EUA na região”. O projeto, contudo, haveria de abortar sem chegar a produzir qualquer efeito concreto. Por um lado, porque em 1940, o governo pró-nazi de Vichy era quem controlava a Guiana Francesa e só a perderia para a “França Livre” em 1943 (ver AQUI), numa altura em que a Alemanha já tinha demasiadas forças comprometidas com campanhas mais importantes na Rússia e no Norte de África.

Estes antigos projetos alemães tornaram-se novamente atuais com a descoberta de um cemitério de antigos nazis no Brasil. A descoberta relaciona-se com algumas fotografias da época das expedições de 1930:

Nazi graveyard

(Fotografia de cruz funerária com índios, captada algures nas margens do rio Amazonas. A inscrição diz “Joseph Greiner morreu aqui em 2.1.1936. Uma morte por febre, ao serviço do serviço de investigação alemão”)

Nazi graveyard

(A mesma cruz funerária na atualidade)

As fotografias foram tiradas no rio Jayri, um afluente do Amazonas pelo investigador alemão Jens Gluessing e referem-se a um local a que os habitantes locais conhecem como “o cemitério nazi”. Este cemitério está precisamente no interior da região que os nazis queriam colonizar na América do Sul e talvez tenha sido escolhido precisamente como o primeiro de muitos estabelecimentos. O ” Joseph Greiner” da inscrição era um dos três cientistas enviados pelas SS como vanguarda de um futuro estabelecimento colonial. Estes três peritos deviam explorar a bacia do Amazonas, sobretudo as regiões entre a Guiana Francesa e o território brasileiro, assim como o interior das Guianas holandesa e britânicas em busca de locais adequados ao estabelecimento de colonos alemães.

Nazi graveyard

(Fotografia da expedição alemã no Amazonas)

A expedição alemã produziu um extenso relatório que foi entregue a Himmler por Schulz Kampfhenkel, um oficial da SS que comandou a expedição de 1935, constatando neste várias páginas sobre os locais mais adequados ao desembarque dos soldados alemães no território brasileiro da Amazónia assim como a interessante frase, bem reveladora das verdadeiras intenções “científicas” alemãs: “As duas maiores, mais escassamente povoadas mas ricas em recursos. aréas do mundo encontram-se na Sibéria e na América do Sul. Só elas poderiam oferecer grandes possibilidades para a emigração e estabelecimento de povosnórdicos “. O relatório acrescentava ainda que a existência de quase um milhão de emigrantes alemães no Brasil poderia ser usada como um sustentáculo a esta colonização. Felizmente, o curso da guerra, a partir de 1943 afastaria a Alemanha destes cenários… Caso contrário, hoje, bem que poderia haver uma colónia alemã encravada em pleno território brasileiro…

Fontes:

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1347673

http://www.dailymail.co.uk/news/worldnews/article-1080071/The-Boys-Brazil-Nazi-graveyard-discovered-deep-Amazon-rainforest.html

http://www.sidneyrezende.com/noticia/21507+nazistas+na+floresta+amazonica

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fran%C3%A7a_de_Vichy

Categories: Brasil, História | Etiquetas: , | 39 comentários

Navegação de artigos

39 thoughts on “O “Projeto Guiana”: O plano nazi para estabelecer uma colónia no Amazonas

  1. Espero q tenha orrido de verdade..menos um;logo aki nas terras Brasilis, ainda bem q acabou; é passado e q nos sirva de lição para protegermos o q e nosso, só nosso.

  2. passado, mas com testemunhos bem presentes, a ter em conta as fotografias das tumbas!

  3. Por motivos de alteração provisória de humor e de Fé este ano não dou votos a ninguém.
    Passa uns bons próximos dias e, já agora, bons próximos anos também.

  4. Fenix

    Se guina já devia ser independete da frança á muito.

  5. Pegasus

    Não é de hoje que a região da amazonia esta na mira de outras nações, tenho um livro que mostra a disposição do governo americano para dispor uma area da amazonia do Brasil, comprada ou a força de coação se necessario, ela seria usada para transferir os negros americanos libertos depois da guerra de secessão, mas o projeto não deu certo devido a uma forte resistencia brasileira na epoca e os americanos acabaram comprando um pedaço da africa e formando o que é a Liberia hoje, para os negros americanos desenvolverem sua propria nação, bem longe deles , claro, mas como o transporte mostrou-se muito dispendioso , ja que o numero de negros americanos era muito alto na epoca, o plano tambem fracassou em parte, mas os que ja tinham sido levados, desenvolveram com os habitantes locais o pais dentro do possivel que lhes foi deixado.
    A amazonia tem tudo que é necessario para uma população planejada se desenvolver la, pra começo, as arvores serviriam para construções e as demais para a venda em mercados avidos de madeira de lei, agua em abundancia e depois minerios, ouro , cobre, diamantes, manganes, tantalo…cara, voce fica louco so de pensar como aquela area é mau explorada.
    É claro que seus novos habitantes teriam que se acostumar com uma temperatura escaldante e doenças que ja varreram muita gente de la, a natureza tem seus proprios meios de lutar.

  6. Vão tomar mt tiros nas caraças deles…amazônia é terras Basilis.

  7. sabia das razões para a compra da Libéria, mas desconhecia esse plano para a Amazónia…
    Sim… Gostaria de ver se os alemães se conseguiriam adaptar a esse clima… na época da expansão portuguesa na Ásia, os locais gozavam com os holandeses chamando-lhes “lagostas” por causa da sua pele clara sempre escaldada… DOs portugueses (morenos) nunca ta disseram.

  8. Pegasus

    A autora é Nicia Vilela Luz e o titulo é ” A amazonia para os negros americanos”, os documentos relativos a essa tentativa americana foram pesquisados por ela nas bibliotecas de washington ena do proprio congresso americano.

  9. Pegasus

    este mesmo.

  10. Depois veio a libéria…e deu certo,i.e, só falta + democracia e evitar os novos golpes ; ora sendo getados. Espero que tal ñ + ocorra.

  11. esse é um ponto obscuro da segunda guerra mundial e a muito a ser revelado sobre esse acontecimente
    http://prasa.deviantart.com/art/Ominous-Gods-74439524

  12. Odin

    Os americanos tinham pretensões de tomar a Amazônia do Brasil, mas no século XIX, antes da guerra civil.

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/08/americanos-cogitaram-tomar-amazonia-no-seculo-xix-revela-livro.html

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/08/medo-de-intervencao-na-amazonia-e-paranoia-dizem-americanos.html

    Eu acho que hoje em dia, os EUA mesmo não têm a intenção de anexar a Amazônia mais. O problema são outras potências quererem. Não sabemos. Na dúvida, sou a favor de que o Brasil se arme sim e tenha uma indústria bélica nacional moderna. Só por prevenção, não é para incomodar quem está quieto e nem anexar novos territórios. Só para defender o que é nosso.

  13. ora essa! não sabia…
    “Doutrina Monroe 2.0″, antes da época”!
    É como tudo: um país desarmado, e rico em recursos, convida sempre à agressão. Como diziam os latinos: se queres a paz…

  14. Jades

    “Caso contrário, hoje, bem que poderia haver uma colónia alemã encravada em pleno território brasileiro…”

    há colonias alemãs em territorio brasileiro, no RS e PR e alguns locais de SP…

    o que quis dizer é “em plena floresta amazonica”

  15. sim, mas não falo de uma simples “colónia migratória”, mas de uma colónia literal… que naturalmente teria sido ocupada após a derrota de 45.

  16. riquepqd

    Há séculos os brasileiros, especialmente os militares aguardam e se preparam para uma invasão à Amazônia.

    Se tentarem, verão do que são capazes os guerreiros de selva do Brasil, os mais renomados do mundo, porque:

    A selva nos une;
    A Amazônia nos pertence;
    Selva!!!

    Se a Alemanha, os EUA, a Grã-Bretanha, a OTAN, a China, a Rússia, o raio que o parta ou quaisquer outros tentarem, vão perecer em Terras Brasilis, e serão expulsos, assim como foram holandeses e franceses.

    Será mais ou menos um novo Vietnam, só que de proporções gigantescas… Quantos Vietnans cabem no Brasil???

    Porque a selva não é do mais forte, mas do mais sóbrio, rústico e astuto, a selva é de quem é selva…

    Se algum invasor profanar o solo sagrado da Pátria Mãe Gentil, eu vou repudiar em minha vida qualquer segundo de paz e descanso, será a minha causa de vida a guerra de resistência, será parte de mim lutar até ver todos os invasores mortos ou expulsos.

    Nem que para isto eu tenha que regar com meu sangue a terra de minha pátria, e ser contemplado com honras e a glória de ter o privilégio de morrer lutando pela liberdade de meu povo e da minha nação.

    “Enquanto houver no céu a silhueta de um paraquedista,
    haverá sempre a esperança de vitoria”

    Gen. Acrísio – Brigada de Infantaria Paraquedista

    “…a existência de quase um milhão de emigrantes alemães no Brasil poderia ser usada como um sustentáculo a esta colonização…”

    Se algum germano-brasileiro resolver trair a pátria e se bandear para o lado de lá, maldito seja! Se não morrer em combate, tem que ser colocado no paredão para receber a pena que lhe cabe, aplicada pelo pelotão luso-brasileiro de fuzilamento.

    E o mesmo cabe aos ítalo-brasileiros ou quaisquer outros “qualquercoisa-brasileiros” que também traírem a nação.

    Oração do combatente paraquedista brasileiro:
    http://www.bdainfpqdt.eb.mil.br/ora.php

    “Dai-me, Senhor meu Deus, o que Vos resta;

    Aquilo que ninguém Vos pede.

    Não Vos peço o repouso nem a tranqüilidade,

    Nem da alma nem do corpo.

    Não Vos peço a riqueza nem o êxito nem a saúde;

    Tantos Vos pedem isso, meu Deus,

    Que já não Vos deve sobrar para dar.

    Dai-me, Senhor, o que Vos resta,

    Dai-me aquilo que todos recusam.

    Quero a insegurança e a inquietação,

    Quero a luta e a tormenta.

    Dai-me isso, meu Deus, definitivamente;

    Dai-me a certeza de que essa será a minha parte para sempre,

    Porque nem sempre terei a coragem de Vo-la pedir.

    Dai-me, Senhor, o que Vos resta,

    Dai-me aquilo que os outros não querem;

    Mas dai-me, também, a coragem, a força e a fé.”

    Esta oração foi encontrada no bolso de um paraquedista morto em ação.

    • Ainda estao muito longe de chegar a essa fase… A fase atual ‘e da pressao mediatica e cada noticia sobre desmatamento da amazonia, da-lhes força, razao pela qual o Brasil deve ter especial cuidado com o estado da Amazonia…

      • Riquepqd

        Os EUA e os países europeus não tem moral para cobrar sobre o desmatamento da Amazônia, porque ao que me consta, todos estes países já destruíram quase que 100% das suas florestas! E agora querem se preocupar com as florestas dos outros? É brincadeira!

        A Amazônia não é um parque ecológico para europeus e norte-americanos se deleitarem durante as férias, é melhor procurarem a Disney.

        Amazônia tem que ser preservada, mas desde que não impeça o desenvolvimento, não existem apenas brasileiros ameríndios lá, existem uns 15 milhões de brasileiros não índios que precisam de trabalho e desenvolvimento para sobreviver!

        Por isso, quem decide o destino da Amazônia brasileira são os brasileiros e não os estrangeiros!

        • Por isso mesmo ‘e que a defesa da floresta deve ser o argumento principal para demolir os argumentos de quem faz tais exigencias de “internacionalizacao” da Amazonia.

  17. Riquepqd

    O senador Cristovam Buarque é um dos maiores políticos que o Brasil já teve em todos os tempos, ganhou meu voto nas eleições presidenciais de 2006 devido à total prioridade de seu plano de governo ser a educação.

    Vejam a opinião deste sábio brasileiro que calou na ocasião os EUA sobre a internacionalização da Amazônia, em resposta a um universitário estadunidense da Universidade Pan-americana do Texas, que ao questioná-lo, pediu a resposta de um humanista, e não de um brasileiro, sua resposta entrou para a História como um dos cem melhores discursos de brasileiros no mundo:

    http://www.soulatinoamericano.com.br/o-dia-em-que-um-senador-brasileiro-silenciou-os-americanos/

  18. Riquepqd

    Odin e CP, já tinham ouvido falar sobre este discurso?

    • Odin

      Sim. Se um americano vier me propor internacionalizar a Amazônia, vou propor em resposta interacionalizar o Alasca. Se um chinês vier propor internacionalizar a Amazônia, vou propor a internacionalização do Tibete (como forma de forçar a independência e bloquear nova invasão chinesa). Se um francês falar em internacionalizar a Amazônia, vou lembrá-lo da Guiana Francesa, que também seria internacionalizada. O Cristovam Buarque argumentou muito bem.

    • Nao, de facto, nao…

  19. Odin

    Que coisa bizarra…

    • Riquepqd

      Odin,

      É um indício de que pôde ter existido uma civilização desenvolvida nos moldes de aztecas, maias e incas e com uma pitada de antigos egípcios no território que hoje se designa Brasil, no período pré-cabraliano.

  20. Riquepqd

    Se as pirâmides existem eu não tenho certeza,

    Mas certa vez vi em algum lugar que pesquisadores descobriram ruínas de uma grande e aparentemente sofisticada cidade na Amazônia brasileira.

    Estas ruínas estariam enterradas e com alguma coisa amostra sob as árvores, e não poderiam ser escavadas porque o local é de dificil acesso e de proteção ambiental.

    Outra vez também vi não lembro onde, uma reportagem que mostrava indícios de que os egípcios poderiam ter chegado primeiro à Pindorama do que os portugueses.

    Não lembro os demais indícios, mas o que lembro é que foi comprovado que o mosquito da espécie aedes egipt já existia no Brasil muito antes da chegada dos portugueses, como o mosquito é originário do Egito, somente pode ter chegado aqui através de alguma embarcação daquela civilização, e agora com estas supostas pirâmides, liguei os dois fatos.

    • Piramides nao sei… Ainda que existam as historias do coronel Fawcett tudo provavelmente nao passa de uma mistificacao (como Akakor, de resto). As cidades amazonicas, essas, contudo, sao outra historia: sao bem reais e conhecidas. Aparecem hoje como clareiras na selva e no seu apogeu podem ter chegado a ter mais de cem mil habitantes. Nao sao contudo, “cidades” no conceito europeu do termo, com edificios de pedra, ruas, monumentos, templos permanantes, etc, mas grande aglomeracoes de aldeias indias. Sao assim bem menos “romanticas” do que gostariamos mas nem por isso foram menos reais…

  21. Riquepqd

    Não sei se é real ou apenas uma tentativa de aumentar a auto-estima dos afro-descendentes.

    Mas alguns professores de História me disseram que há mais de quinze mil anos existiu um povo que dominava boa parte do litoral de Pindorama, e também áreas interiores na amazônia, chamado sambaquiero ou sambaqui, segundo eles, este povo não tinha a aparência asiática comum aos ameríndios, eram negros e tinham um nível de desenvolvimento muito superior aos demais ameríndios, inclusive com modernas embarcações para a época, onde os mesmos podiam pescar em alto-mar, caçavam até baleias, o que foi comprovado, coisa que nenhum outro povo ameríndio sonhou em fazer.

    Além disso, construiam curiosas formações com conchas e moluscos, chamadas de sambaquis, que serviam de moradia e também como cemitério, eles sabiam que a acidez das conchas e moluscos, aliado ao sal do mar, preservavam os mortos, que eles enterravam com seus pertences.

    Foram encontrados inclusive ossadas de baleias, répteis e mamíferos, e vários instrumentos, peças de decoração, pequenas esculturas e ferramentas de trabalho dentro dos sambaquis, objetos raramente encontrados com as demais tribos amerindias, como machados de pedra polida, ornamentos de conchas, instrumentos feitos de ossos de animais e zoólitos ou pequenas peças esculpidas em pedra representando animais.

    Alguns sambaquis chegaram a ter centenas de metros de extenção e até 25 metros de altura, e muitos existem até hoje.

    E segundo eles, este povo desapareceu antes da chagada dos portugueses, depois de guerras contra povos canibais e mais numerosos, provavelmente alguns povos do grande tronco tupi-guarani.

    • Ok, nao de facto, dos sambaquis nao sei nada em concreto, mas parece ser a mesma civilizacao dessas grandes cidades da selva abandonadas muito antes da chegada dos portugueses.

      • Riquepqd

        Acho que eles eram fisicamente diferentes dos demais ameríndios porque acredito eu, ao contrário dos demais que vieram da Ásia através do Estreito de Bering, acredito que os sambaquieros vieram da África através do oceano, graças a sua forte vocação naval.

        • Uma migracao em larga escala? Nao me parece possivel, para tal seriam precisas dezenas de grandes navios, um dominio da tecnologia naval e de navegacao astronomica que nao estava ao alcance de nenhuma das grandes civilizacoes africanas pre-europeias (imperio do mali, reino do benim ou zimbabue)

          • Riquepqd

            E quem sabe uma imigração em pequena escala, que com o passar de milhares de anos formou uma numerosa civilização?

            Eu acredito ser a única explicação para os esqueletos encontrados dos sambaquieros serem negroides, ao invés de características asiáticas.

            • Os craneios eram doliocefalos? Sabes que a ciencia antropologica moderna questiona muito esse tipo de medidas como indicadores de origem de um dado povo…

              • Riquepqd

                Se são crânios doliocefalos eu não sei, mas se este for o critério, então esta história dos sambaquieros serem negros é um engodo de algumas ONGs para tentar acariciar o ego afro-brasileiro.

                • Provavelmente… Ao que sei negroides no Brasil so mesmo depois da chegada dos europeus. ‘E bem possivel que tenham chegado ao continente navios fenicios ou romanos desgarrados, alguns, talvez, com escravos africanos, mas teriam sido absorvidos pelas populacoes amerindias e o seu numero (menos de cem) nao bastaria para deixar marcas fisiologicas ou geneticas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: