Daily Archives: 2008/12/22

Trolls, Cyberbullying e algumas pistas sobre como identificar e reagir contra os ditos

http://communitiesonline.homestead.com

Quantas vezes já quis saber quem está por detrás de certo comentário deixado no seu Blog? Quantas vezes já recebeu uma mensagem de correio electrónico e quer saber quem de facto a enviou? E quem está por detrás de certo nickname num fórum?

Bastantes, aposto, tendo em conta a disseminação do fenómeno conhecido como Cyberbullying e multiplicação de Trolls registada nos últimos anos em resultado da expansão da blogoesfera e do anonimato que a Internet parece garantir. Ou não… Pelo menos não completamente.

Em primeiro lugar, um utilizador normal ou mesmo um “avançado” não pode determinar exatamente a residência a partir de onde um certo acesso à Internet é realizado. Isso está reservado às forças policiais munidas do devido mandato judicial. Dito isto, embora não seja possível descobrir o número de telefone, a morada exacta ou o nome de alguém que deixa aqui ou ali um dado comentário, é possível conhecer a cidade a partir de onde este navega e em certos casos… descobrir a partir daqui o seu nome exacto ou a sua residência. Ao longo destes cinco anos de blogging tal já aconteceu aqui duas ou três vezes, e em todas foi possível identificar ou a cidade de residência ou o nome do dito comentador, mas tal deveu-se ao simples facto deste ter uma “pegada cibernética” muito grande, isto é, de ser alguém que mantinha sites, blogues, comentários em blogues e fórums desde há longo tempo. Só nestes casos (que apesar de tudo ainda são excepcionais) é que é possível chegar ao troll. Que fique também aqui bem claro que não sou um “especialista em segurança” ou um “hacker“. Tudo aquilo que direi nas linhas seguintes é fruto da aplicação das mais básicas regras de senso comum e está ao alcance de qualquer utilizador de computadores de nível médio.

E que não se pense que estes casos de ciberbulying ou da ação de trolls são coisas menores que não merecem grande atenção. Não é assim. Um troll verdadeiramente motivado pode tornar a nossa vida num Inferno e não são raros os casos de suicídios provocados por ataques deste teor.

Como descobrir quem é o troll?

Contacte a polícia. Se foi violada alguma lei, se foi ameaçado de morte ou fisicamente, se o visaram com algum tipo de ameaças, tem bases para apresentar uma queixa na polícia e deixar o processo andar e (com sorte) assistir ao seu desfecho… A polícia pode pedir a um juiz a identificação desse IP e este, se lhe forem apresentados indícios suficiente pode obrigar o fornecedor de acesso à Internet (ISP) a fornecer o local exato a partir do qual um dado acesso à Internet foi feito a partir de uma data, hora e endereço tcp/ip. Assim, além dos detalhes sobre as ameaças ou crime deve também municiar-se destes elementos, dando a maior exactidão temporal já que como os endereços tcp/ip são rodados regularmente entre vários clientes, o mesmo endereço pode ser atribuído a outro utilizador no mesmo dia. É improvável, porque as leases de IPs duram geralmente entre 3 a 8 dias, mas é possível. Nessa queixa pode ainda acrescentar o nome do ISP ou da empresa ou instituição a partir da qual foi feito o acesso. Essa informação é de teor público (assim como o IP) e pode ser facilmente obtida usando uma ferramenta whois. Existem varias, como os “oficiais” arin.net (Estados Unidos) e o ripe.net (Europa), mas prefiro o geoiptool.com que condensa a informação dos sites oficiais de whois e que mostra também um mapa de localização do IP. É claro que não nos devemos fiar cegamente neste mapa… Se a fotografia de satélite expôr uma dada rua em Aveiro, não será porque o endereço IP estava nessa rua, mas porque essa rua está no centro geográfico dessa cidade…

Se o endereço IP pertencer a uma empresa ou instituição a identificação pode ser impossível… Se essa organização não tiver registo de alocação dos seus IPs internos (via Proxy corporativo, p.ex.) a informação exacta de quem fez um determinado acesso pode ser impossível. Por outro lado, se tiver, isso poderá trazer automaticamente bastantes problemas ao troll… Mesmo se este fôr inocente, já que a maior parte das organizações reagirão com uma negação automática do acesso deste à Internet… Se a organização fôr um cibercafé a identificação torna-se quase impossível… Alguns pedem uma identificação antes de cederem a um cliente um acesso e se a polícia cruzar essa informação com a data, a hora e esse BI podem chegar ate à identificação do troll, mas nem todos o fazem… E se se tratar de um hotspot wireless como aqueles disponibilizados gratuitamente em alguns bares e cafés ou em bibliotecas publicas, então a identificação torna-se mesmo quase impossível, já que nada identifica claramente o computador que usa essa rede… A identificação continua a poder ser feita, via mac address (um numero de série que identifica univocamente) cada placa de rede, mas esse dado só pode ser usado a posteriori, depois de identificado o seu utilizador…

Por vezes, o endereço de IP corresponde a um acesso feito num outro país… Aqui muito pouco há a fazer, já que as policias não têm alcance bastante neste tipo de casos. E é claro que isto não quer dizer que o troll está mesmo neste pais… Os mais sabedores usam mecanismos de proxying, como o  Toolnet.net , que permitem navegar em Portugal, com um IP – por exemplo – da Alemanha, o que anonimiza efectivamente a navegação e dificulta enormemente o trabalho das autoridades.

Por vezes existem duas formas de identificar um troll, com relativo grau de certeza e que ainda não abordamos aqui… Munidos do IP usado pelo dito, podemos inseri-lo numa busca no www.google.com e ver o que da… Por vezes aparecem comentários introduzidos na wikipedia por esse utilizador e se este tiver aqui uma pagina pessoal suficientemente informativa (e isso é comum na wikipedia, com o uso dos nomes verdadeiros, por exemplo) chegamos facilmente ate à identidade do troll. Outro método consiste em procurarmos se o IP de um dado troll anónimo foi usado na mesma época por um comentador conhecido e identificado… Se tiver sido, trata-se provávelmente da mesma pessoa.

Por fim, resta uma última possibilidade e abordagem… Se sabe qual é o ISP usado pelo troll, pode também contactar por mail ou telefone esse ISP e descrever-lhe a situação que considera ser abusiva. Os ISP têm geralmente um mail abuse@ISP para receberem estas queixas. Nem sempre o monitoram e respondem a estes mails, mas por vezes fazem-no e se a situação for suficientemente grave (pedofilia ou acções criminosas) podem reportar eles mesmos o caso as autoridades competentes.

Em conclusão, não podemos saber nem a morada exata (podemos saber a cidade e, por vezes a freguesia), nem o telefone, nem o nome completo de um troll, a menos que este tenha sido muito descuidado e que o tenha deixado algures num site onde o google.com foi capaz de chegar. Mas se a situação fôr realmente grave… Podemos recolher todos os dados possíveis, apresentar uma queixa numa esquadra de polícia e deixar que a Lei siga o seu lento trâmito…

Categories: Blogging, Blogs, Informática | 6 comentários

9. Parágrafos agostinianos de pensamento político em "Ir à Índia sem abandonar Portugal"

Fantasia portuguesa para orquestra de História e de Futuro

Página 120

“Começarei então por lançar que o Portugal bem marcado vem da Corunha e Ribadeo até uma oblíqua linha que vai de Sintra à fronteira pelo sul da Estrela – e me perdoe Orlando Ribeiro enganos geográficos. O primeiro desvio que ele sofreu de Espanha veio, vamos ser mais precisos – de Leão, e foi ele a fractura pelo Minho, rio de artificiais limites; pecado este só remissível quando toda a Península for uma Federação de Estados Autónomos e Portugal tiver pelo Norte seus autónomos vizinhos da Galiza, linha esta de costa que verá sempre no Sol que se afunda futuro que se levanta.”

Se nos termos restritos das atuais bandas fronteiras de Portugal a visão política de Portugal era a de um feixe de municípios republicanos, democráticos e unidos numa federação presidida por um monarca simultaneamente eletivo e hereditário, no plano externo, Agostinho da Silva, expõe aqui a outra grande vertente do seu pensamento político: a religação de Portugal com a Galiza. Perdida esta parte feminina de Portugal logo nos primeiros anos da fundação, o país seria sempre incompleto, uma incompletitude que se exibe ainda hoje quando encontramos o Portugal sistematicamente classificado nas posições inferiores das tabelas comparativas dos países mais desenvolvidos.

Mas a reunião com a Galiza não será o ponto culminante desta visão de uma futura Península Ibérica… Findo o pernicioso domínio imperialista de Madrid e Castela sobre todas as nações hispânicas e ao qual apenas Portugal soube resistir, as dinâmicas peninsulares poderiam finalmente ganhar liberdade e os seus povos desenvolverem-se na sua mais ampla plenitude. Neste sentido, a reaproximação entre Portugal e a Galiza não seria um fim em si, mas uma antecipação para a reunião de Galiza e Portugal, ao lado da Andaluzia, Extremadura, Catalunha, País Basco, Olivença, numa Federação ibérica, onde todos teriam idênticos direitos e capacidades autonómicas, desenhando a uma escala ibérica o mesmo tipo de administração política descentralizada, local e democrática que, decalcando dos modelos medievais, o Professor sonhava ser possível concretizar em Portugal.

Categories: Agostinho da Silva | Deixe um comentário

Sobre a revolta juvenil na Grécia e do seu potencial aspecto percursor

Após várias semanas de revolta estudantil na Grécia, e distúrbios semelhantes, mas em menor escala, na Espanha, eis que agora na Suécia, em Malmoe, a policia anti-motim local se envolve com estudantes locais que a enfrentam destruindo também bens públicos, lojas e estabelecimentos comerciais e atirando pedras, tijolos e cocktails molotov às forças policiais.

Se no caso grego, o catalisador para estes distúrbios foi a morte de um jovem por disparos da polícia, no caso sueco os distúrbios foram desencadeados pela ocupação pela policia de um “centro cultural” muçulmano. O local está situado num bairro de imigrantes e havia sido ocupado por alguns jovens, contra a vontade do proprietário e transformado numa mesquita com diversas instalações anexas.

Os casos gregos e suecos parecem muito diferentes à partida. Mas têm diversos e importantes aspectos comuns. Desde logo, encontram como principais protagonistas jovens. Jovens desempregados, sem perspectivas de futuro, imersos em sociedades onde os níveis de desemprego entre os jovens rondam os 30% e onde o emprego ganho é invariavelmente um emprego precário. É claro que no caso sueco a gravidade é acentuada pela religião, e pela manifesta incapacidade que as comunidades muçulmanas expressam em se integrar nas sociedades de alojamento. Aliás, em ambos casos, as comunidades imigrantes – que sofrem com a presente Recessão mais do que as comunidades nacionais – estão a jogar o seu papel…

Estaremos aqui perante o começo de uma “revolução social”, antevista aqui por estas duas crises, em lugares opostos do continente europeu? Os meios de comunicação – enfeudados aos interesses económicos – já classificaram estes jovens como “anarquistas” e comandados pela Extrema Esquerda (caso grego) ou por imãs radicais (caso sueco). Mas na verdade, reduzir os atuais acontecimentos a esta visão redutora e “orientada” é esquecer o seu principal aspecto: protestos juvenis contra sociedades e economias que fazem assentar o seu “sucesso” em deslocalizações e numa tercialização voraz das economias que expulsa os empregos nos sectores primário e secundário para fora dos seus países e os coloca em empregos de “vendedor porta-a-porta” e operadores de call centers” ou noutras tarefas eternamente provisórias. E como este não é um problema sueco ou grego, nem sequer alemão ou espanhol, mas constante em todos os países ocidentais não é difícil acreditar na profecia de Mário Soares e esperar algum tempo até ver reproduções destas mesmas perturbações urbanas entre nós…

Fonte:
Le Monde, 19 de Dezembro de 2008

Categories: Economia, Política Internacional | 7 comentários

Quids S15: Como se chama esta construção?

29

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S15 | 6 comentários

Como melhorar… o nosso cérebro!


(http://www.readersdigest.com.au)

Estudos recentes confirmam que a nossa alimentação tem muito a ver com a nossa inteligência… Segundo um estudo do MIT vários alimentos podem aumentar o número de sinapses no cérebro e, logo, aumentar a nossa inteligência. Estes trabalhos conduzidos pela equipa do professor Richard Wurtman concluíram que ratos de laboratório alimentados com colina (comum em ovos); monofosfato de uridina (comum na beterraba) e ácido docoashezonóico (óleos de peixes como o salmão) têm um efeito muito benéfico na atividade do cérebro a muito curto prazo. Quatro semanas de facto. Outros ratos, a quem foram negados alimentos desta lista não registaram nenhuma melhoria nos testes cognitivos a que foram submetidos, mas o mesmo não aconteceu ao primeiro grupo… As autópsias a estes ratos revelaram provas bioquímicas de uma atividade sináptica mais intensa que o normal, o que é consistente com o salto cognitivo reportado.

Já existem no mercado vários suplementos de colina, devido ao papel que o neurotransmissor acetilcolina desempenha em vários processos cognitivos no cérebro humano, desde a memória, à inteligência e até ao próprio comportamento humanos… E sendo a gema do ovo o alimento que maior quantidade de colina disponibiliza faz todo o sentido adicioná-lo a uma dieta racional, mais ainda do que o salmão, que tem menos colina (130 mg para a gema do ovo e 100 para 100 gramas de salmão), isso quer dizer que devemos introduzir a gema do ovo na nossa dieta diária para recolhermos os benefícios mencionados.

O “Omega 3” tão badalado ultimamente em múltiplas campanhas publicitárias é outro composto que deve merecer a nossa melhor atenção neste contexto. O “Omega 3” para além de aumentar a capacidade de aprendizagem (especialmente nas crianças) tem também um efeito muito benéfico na memória humana. Além do mais,  tem outros efeitos benéficos para o organismo, como a dminuição de triglicerídeos e de colesterol total, assim facilitar a forma como o corpo lida com inflamações e alergias. O “Omega 3” está presente em maiores concentrações em nozes, peixes gordos, assim como na rúcula e nos óleos vegetais.

Basear a alimentação no peixe pode ter outras vantagens na mente humana, além do aumento das capacidades de aprendizagem. Um estudo que comparava os países através da incidência de depressões nas suas populações colocava o Japão muito acima da maioria dos países ocidentais (os EUA, por exemplo, apareciam com uma taxa 24 vezes superior à japonesa) e localizava a explicação para esta diferença estrondosa precisamente no facto de que a dieta japonesa típica é basicamente baseada no consumo de peixe, e mais especificamente no consumo de peixe gordo, como o salmão.

O consumo de ginkgo biloba tem a reputação de proteger as células do corpo humano contra a ação degenerativa dos radicais livres, sendo assim um antioxidante que parece ser especialmente ativo a nível cerebral, aumentando o fluxo de sangue no cérebro e produzindo assim um incremento da memória e da capacidade de concentração.
A redução do consumo de açúcar parece também melhorar o desempenho das nossas capacidades cognitivas. Aliás, a ingestão de grandes quantidades de carbohidratos parece ter os mesmos efeitos…
Em suma… Se queremos ser mais inteligentes devemos focar a nossa inteligência em alimentos como:

1. Gema de ovos,
2. Beterraba
3. Peixes gordos, como o salmão
4. Nozes
5. Óleos vegetais
6. Ginkgo biloba

Ficam as dicas!

Fontes:
http://www.sciencedaily.com/releases/2008/07/080702150706.htm
http://www.womenrepublic.co.uk/diet_fitness/fish/

http://en.wikipedia.org/wiki/Docosahexaenoic_acid
http://pt.wikipedia.org/wiki/Acetilcolina
http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%94mega_3
http://www.IncreaseBrainPower.com
http://www.enetural.pt/detalhe_artigo.aspx?artigo=Lembre-se-com-Ginkgo-Biloba&ido=340

Categories: Ciência e Tecnologia, Saúde | 2 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade