O Brasil no PAK-FA (T-50): Primeiro dentro, depois fora e agora… novamente dentro?

//www.palba.cz)

(PAK-FA (T-50) in http://www.palba.cz)

A notícia de que o Brasil estaria entre os países que desenvolvem conjuntamente o avião de 5ª geração russo, o PAK-FA surgiu na imprensa, mais especificamente no “Correio Braziliense” em 16 de abril de 2008. Na época, o ministro Roberto Mangabeira teria dito à imprensa que o Brasil teria aderido ao PAK-FA como resposta ao fim do programa F-X. O custo total do projeto – então estimado em 20 biliões de dólares – seria dividido entre os três parceiros: Rússia, Índia e Brasil. Ainda que fosse um valor elevado, a diluição por três reduziria em muito as pressões orçamentais e seria capaz de traduzir-se num concorrente do F-22 Raptor norte-americano, por cerca de metade do custo unitário de cada um desses aparelhos… A presença do Brasil no projeto decorria não de uma pressão brasileira, mas de uma oferta russa para a entrada no PAK-FA tornada pública em 15 de abril de 2007.

Em 23 de junho de 2007, o governo brasileiro assinaria um acordo para a construção do aparelho. Desta forma, o novo caça de 5a geração seria construído pela Sukhoi russa, Hindustan Aeronautics Limited indiana e pelas Embraer e Avibras brasileiras.

Segundo tudo o que é possível atualmente saber, oficialmente, o Brasil está fora do projeto russo-indiano PAK-FA (T-50). Na viagem do presidente russo Dmitri Medvedev de 25 de novembro de 2008, esperava-se que houvesse algum regresso brasileiro a este projeto, contudo nada foi assinado. Sabe-se que Medvedev trazia ainda a intenção de tentar recuperar a presença do SU-35 no F-X2, mas no acordo de cooperação militar assinado mencionava-se apenas cooperação tecnológica, protecção de propriedade intelectual e informações de Segurança. E nada específico ao PAK-FA T-50 ou ao SU-35 ficou então consagrado.

O afastamento do SU-35 do F-X2 pode bem ter ditado o afastamento definitivo do Brasil do PAK-FA, ainda que este possa ainda ter interesse neste. Desde logo, do lado brasileiro. É que um dos pontos que fez colapsar a proposta da Sukhoi foram precisamente as dificuldades (inesperadas) no capítulo da transferência de tecnologia e se esta não ocorreu no SU-35, um projeto de 4,5 geração, como esperar que esta fosse bem sucedida num projeto tão radical como o PAK-FA? Do lado russo, também ficaram ressentimentos, já que a venda frustada dos SU-35 tinha como alínea a inclusão do Brasil no PAK-FA. Formalmente, isso implicaria hoje que a Rússia negaria a participação do Brasil no desenvolvimento desse aparelho, precisamente por causa dessa exclusão.

Ainda que exista um estranho silencio nos meios de comunicação indianos e até russos sobre o andamento do PAK-FA, há notícias de que o primeiro protótipo voaria em meados de 2010.

O âmbito do projeto F-X2 é hoje menos ambicioso que o inicialmente previsto. Em lugar dos 120 aparelhos antecipados, apenas pouco menos de 40 serão afinal adquiridos. Isto significa que a compra será apenas para satisfazer necessidades urgentes e ser uma solução transitória. Como o “Plano Nacional de Defesa” apresentado em Dezembro de 2008 menciona o investimento num caça brasileiro de 5a geração, isso pode querer dizer que os restantes 80 aparelhos serão aviões deste tipo e que, sobretudo, serão construídos – ainda que parcialmente – localmente.

Em suma, existe uma forte vontade política para desenvolver localmente um caça de 5a geração. E parece também existir um número de aviões a adquirir, da ordem dos 80 aparelhos. A Rússia que conjuntamente com a Índia trabalham no PAK-FA, seriam os parceiros ideais… Mas o afastamento do SU-35, parece ter torpedeado a presença brasileira no projeto. Que opções há então para cumprir esta vontade política? Um desenvolvimento totalmente nacional está fora de equação, dada a ausência de domínio em muitas áreas criticas (radares AESA, materiais furtivos, motores vectoriais de ultima geração, etc). Resta assim a opção mais lógica que seria a adesão a um projeto já em andamento. Ora atualmente, no mundo, alem do projeto russo, há apenas a China, com o Shenyang J-XX, o Japão, com o Mitsubishi ATD-X,  e a Coreia do Sul, com o KFX e é claro… O polémico F-35 do EUA. Poderá o Brasil juntar-se a algum destes países? A China não é um parceiro fiável… O Japão parece ter “congelado” o seu projeto. O interessante projeto coreano devera voar apenas em 2020, mas não se afasta muito em características do Typhoon ou do Rafale, pelo que além da falta de tradição de parceiras entre o Brasil e a Coreia, esta poderá não ser uma boa opção.

Qual é o meu palpite? Bem… Com aquela que parece ser a inclinação para o Super Hornet, no programa F-X2 e tendo em conta que já há nove países no F-35 não descartaria a possibilidade na integração nesse avião multinacional. Existe muita pressão política, por parte dos EUA e a Boeing parece disposta a transferir tecnologia. É certo que o avião conhece vários problemas e que os seus custos dispararam, mas além de um possível (e lógico) regresso ao PAK-FA, a opção de aderir a este projeto multinacional parece-me muito provável. É claro que se me coubesse a mim tomar essa decisão… Eu ía para o UCAV europeu, o sucessor do demonstrador nEUROn, ou seja passava diretamente da 4ª geração atual dos Mirage 2000, saltava a 5ª do PAK-FA/F-22 e ía diretamente para a 6ª geração dos UCAVs nEUROn ou X-47.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Programa_russo_Pak-fa_T-50
http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u392530.shtml
http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL402866-5603,00-BRASIL+E+RUSSIA+ASSINAM+ACORDO+PARA+CONSTRUCAO+DE+FOGUETES+E+AVIOES.html
http://defesabr.com/blog/index.php/24/11/2008/fab-vacila-com-su-35-e-brasil-perde-pak-fa/
http://www.terra.com.br/istoedinheiro/edicoes/582/o-que-os-russos-querem-do-brasil-eles-tentam-vender-117144-1.htm
http://www.exercito.gov.br/05notic/paineis/2008/12dez/img/defesa.pdf
(obrigado ao Gaitero pela sugestão para este artigo!)

Anúncios
Categories: Brasil, DefenseNewsPt | Etiquetas: | 38 comentários

Navegação de artigos

38 thoughts on “O Brasil no PAK-FA (T-50): Primeiro dentro, depois fora e agora… novamente dentro?

  1. gaitero

    Vou até coloca-lo eu um debate aqui no Defesa brasil, com certeza terá este muita repercussão

  2. gaitero

    perfeito, sabia que unindo ao seu conhecimento, sairia uma coisa gigantemente maior do que simplesmente o que havia lhe enviado ^^

    Grande abraço.

  3. obrigado, mas não passo de um generalista, que sabe muito pouco de muito tudo…
    o artigo serviu também para eu arrumar ideias quanto a este algo confuso e tortuoso tema…

  4. gaitero

    Sobre o KFX da coréia, parece que a SAAB se ofereceu para participar do projeto, esta a se tornar interessante.

    Gripen NG + KFX?
    F-18 + F-35?
    Rafale + nEUROn?

    Possibilidade é que não faltam, mas pelo prazo do KFX 2020, o do F-35, 2018, e o do nEUROn 2025 para o demonstrador, creio que a briga pode ficar entre SAAB e Boeing.

  5. interessante, sim, especialmente tendo em conta que a Saab não tem nada em plano, além do NG, isto é, não tem nenhum plano de 5ª geração, o que é estranho…
    http://www.strategypage.com/militaryforums/6-49363.aspx

    Se vencer o SH, o F-35 é a resposta natural…
    Se vencer, o Rafale, dá para o nEUROn… Mas saltaria uma geração? O que é difícil…

    Hum. E a opção russa pode não estar tão morta como parece… quem sabe, em trocas das quotas alimentares, talvez os russos re-aceitem a parceria…

  6. gaitero

    Veremos em breve

  7. Espero q os rússos aceitem a parceria , só temos a ganhar…e encurta etapas.

  8. em Janeiro, não é?
    encurta, claro. Mas eu preferia a opção nEUROn… sejamos claros, uma adesão agora no PAK, era para entrar quando o projeto já está perto do fim, e pouco trabalho de desenvolvimento há a fazer… sem a garantir que os aviões de 6ª não estão já ao virar da esquiva (os UCAVs).
    Em termos estratégicos, a longo prazo, o nEUROn, era preferível.

  9. gaitero

    Olhe, saiu um relatorio do governo francês. Nele esta explicito a necessidade do governo em ampliar relações com o ” emergente” Brasil.
    É um texto longo, e que diz várias coisas, mas as mais importantes são a necessidade de vender 120 rafales, nem que para isto tenha que haver a tranferência total do caça ^^.

    Claro com outras palavras, mas esta claro que é questão de vida ou morte exportar pelo menos estes 120 caças. Além de uma parceira profunda para a modernização do EB, e da MB.
    Por isto não descrto ainda a possibilidade de se comprar o rafale e investir no nEUROn.

  10. 120? isso quer dizer que… não o vão conseguir, já que tal número está além do âmbito do F-X2, aparentemente…
    Mas é sinal do quão dispostos estão a ir para assegurarem a vitória no concurso… é aproveitar!
    nem eu. É a opção mais racional: Rafale + nEUROn.
    Mas a decisão é política… logo não necessariamente racionall.

  11. Pegasus

    E incrivel que apesar de todos os acordos na europa, a França ainda mantenha uma certa independencia em suas escolhas e ações, é o pais europeu com maior interesse comercial com o Brasil, em tecnologia de ponta, chega ser de se desconfiar

  12. por um triz… eles até estavam no projeto eurofighter, que daria no Typhoon, mas sairam:

    “In 1983 multiple nations gathered to develop a common concept, which eventually became the Eurofighter Typhoon. At this point Germany, UK, France and Spain initiated the Future European Fighter Aircraft program (FEFA). Because France reiterated its need of a carrier capable version and demanded to take a leading role, the UK, West Germany and Italy opted out and started a new EFA program. In 1985 Spain also joined the Eurofighter Typhoon project, in spite of the pressure from France. France decided to start its own project, which became the Dassault Rafale.”

    http://www.armedforces-int.com/projects/combat-aircraft/eurofighter-typhoon.asp

    ou seja, se o Typhoon fosse mais flexível, como queriam os franceses. Hoje não estaríamos a falar do Rafale…

  13. gaitero

    sim.
    E é por isto que eu sempre digo que o rafale é melhor que o typhoon.

  14. mas atenção: várias fontes indicam que o Typhoon é um melhor interceptor. Um avião menos flexível e menos generalista que o Rafale, mas ainda assim um interceptor magnífico, e se armado com os mísseis certos o único adversário com hipóteses de 1-1 frente a F-22 ou a SU-35.

  15. gaitero

    Confirmado, a nova espinha dorsal brasileira vai ser de 5 geração.

  16. gaitero

    Acabou de chegar de brasilia atravéz de um amigo.
    Como fiquei surpreso, pedi para um amigo que se possivel ele buscasse inforações a respeito do END, já que poderia haver uma interpretação errada do que significado ”5 geração.”
    Obtive a pouco a resposta:

    ”o texto da END não está errado no que diz respeito aos caças, o correto é mesmo 5ªG.”

  17. cá para mim… ainda vão levar com o F-35…
    Onde então alguém anda a negociar quotas na Rússia em troca da participação em certo programa multinacional…
    http://netmarinha.uol.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=8133:russia-reduz-linearmente-quotas-de-importacao-de-carne-de-frango&catid=15:outras&Itemid=7
    (entre outras exportações)

  18. gaitero

    Correio Braziliense

    ”……………………..Dois acordos já estão prontos e um encontra-se em fase final de redação. “Serão firmados com a Federação Russa”, revelou um diplomata. “O primeiro é sobre cooperação tecnológica-Militar. O segundo, também negociado, rege o tratamento de informações sigilosas. O último é bem mais complicado, porque trata de propriedade intelectual, que é vista na Rússia de maneira muito peculiar, mas estamos avançando no tema.”

    Além desses acordos, um memorando de entendimento foi assinado recentemente pelo ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, e pelo secretário do Conselho de Segurança da Federação Russa, Valentin Alekseevitch. O acordo-quadro lança uma ampla cooperação entre os dois países, inclusive em tecnologias de ponta, como um caça furtivo de 5ª geração, e abre mecanismos de troca de informações sensíveis entre os governos…………………”

  19. Afinal, está ou ñ o BRASIL no PAK-FA -T 50 ?Então pq do acordo com os francos ?Alguém sabe…?

  20. bem… é mais fumo para um cenário já muito enevoado…
    mas parece que…

    f-x2: Rafale ou SH
    pós-F-X2: PAK-FA ou seu sucessor?

  21. Tá ,mt manero..ñ entendi xongas…e sanscrito?

  22. gaitero

    Carlos, o END passou a controlar as redias na defesa do brasil.
    o problema é que quando o END entrou em atividade o FX-2 já estava em atividade, então por isto explica-se o objetivo principal do FX-2 ser transferencia de tecnologia, o que nos remete a data 2015 para a entrega das unidades.

    Ou seja, o FX-2 será alem de um tapa buracos até a chegada do novo 5 geração, um degrau a ser transpassado, para que as empresas nacionais possam absorver tecnologia necessária, ou para entrar no Pak-fa, o que é muito provavel, visto que estamos avançados no processo, ou para a contrução de um novo caça de 5 geração, que pode ser até com o vencedor do FX-2, seja com a suécia, França ou até mesmo EUA.

  23. Edmar

    O negócio e fazer um bom acordo com os Suécos num caça de 5 Geração.

    “Deixe os Russos com os Indianos”.

    O Governo Brasileiro deve usar a boa amizade que á entre Suécia e Brasil e esses dois paises desenvolverem um caça de 5 Geração.
    Agora para o FX2 pode ser usado o famoso tapa buraco e adquirir 36 unidades do Gripen NG e depois entrar no projeto de caça de 5 Geração.

    Imaginem uma parceria.:

    Saab-Embraer Gripen

    ou

    saab-Avibrás Gripen

  24. Edmar

    O negócio e fazer um bom acordo com os Suécos num caça de 5 Geração.

    “Deixe os Russos com os Indianos”.

    O Governo Brasileiro deve usar a boa amizade que á entre Suécia e Brasil e esses dois paises desenvolverem um caça de 5 Geração.
    Agora para o FX2 pode ser usado o famoso tapa buraco e adquirir 36 unidades do Gripen NG e depois entrar no projeto de caça de 5 Geração.

    Imaginem uma parceria.:

    Saab-Embraer Gripen

    ou

    Saab-Avibrás Gripen

    Já pensaram que bom que seria!!!

  25. entre franceses e suecos, eu preferia os primeiros… já que os segundos dependem no seu caça de tecnologia de motores e eletrónica made in usa… e logo passivel de ser vetada.

  26. gaitero

    Eu acredito ainda no Pak-Fa, mas vamos aguardar.

  27. eu não… não confio numa rússia que vende aparelhos de combate ao Sudão…

  28. Edmar

    Sou mais o que eu comentei no parágrafo acima.

  29. Fred

    Clavis, estou ouvindo na rede que o tal caça sueco de quinta é mais um hoax.

    A notícia do desenvolvimento saiu na UPI, eu mesmo conferí no site. Agoro estou na dúvida…

  30. Sr Edmar, o gripen NG se for de 5 geração ,+ sem turbinas ianks..td bem, + se não…nada feito…eles ñ permitiram a transferência de tecnológia deles..são uns pernosticos…E perigosos.

  31. Viu srs Edmar…um boato plantado por alguém espertalhão…p /travar incaltos em seus objetivos anti ianks, nesse caSo eu e o BRASIL…. Autentica contra informação..tem um agente duplo tentando nos secar…peguem ele.

  32. paulo fontes

    já está na altura de o brasil fazer uma parceria estrategica com a russia,china,india e ser desenvolvido um caça de ultima geração,o brasil teria muito a ganhar,o brasil é uma grande nação,chegou agora a hora de se assumir como uma grande potencia seja a nivel economico seja a nivel militar !!!!!

  33. Edmar

    Parece que vai ter Gripen de 5 Geração sim, mas os caras querem um parceiro.

  34. penso que sei do que falam. Não há hoje nenhum NG, tratando-se apenas de uma plataforma de “demonstração” de futuras possibilidade de evolução do atual Gripen, para um Gripen NG que, de facto, ainda não existe, mas que a Gripen já provou que poderia construir através do seu demonstrador funcional Gripen Demo:

  35. gaitero

    Como escrito no artigo deste post, o SAAB de 5 geração foi oferecido à Coréia do sul, que esta a estudar, mas é apenas um projeto no papel, pode custar muitos bilhões, eu não acredito que conseguiriamos realizar sozinhos esta empreitada, a não ser que nos unissemos com a coréia, caso ela aceite este projeto, mas eu ainda acredito no Pak-Fa.

    Abraço.

  36. + a coreia tem seu próprio projeto…ou ñ?eu se ñ me engano vi isso em , ou li em algum lugar, bom para td e fica + barato, sem componentes ianks…senão é aquilo..vetos é + vetos..

  37. gaitero

    Tem vários projetos, mas esta em faze de estudos ainda, um deles é da SAAB.

    Com certeza e se eu conheço a Coréia do Sul, vai ter muita coisa americana nele.

    Abraço.

  38. Pode até ser…fazemos engenharia reversa nos caças deste jointventure com a suécia e oa coreanos…só para ñ ter os vetos dos nazis ianks, + o gripen NG e o rafale são bem parecidos , o caso e q o rafale tem + velocidade e > raio de ação; o q ñ é o caso do gripen…até se parecem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: