O concurso “Supergirls” e as portas que abre para a democracia na China


(http://www.smh.com.au)

Na China, apesar de todas as tentativas e da imensa energia e recursos colocados pelo governo do partido comunista chinês, na censura, na repressão e na manutenção da sua forma não-democrática de governação, o impulso para a democracia começa lentamente a permear toda a sociedade, mas especialmente os seus segmentos mais jovens e introduzindo-se pelas formas mais inesperadas e talvez por isso mesmo… as mais eficazes e difíceis de travar pelo regime. O fenómeno é conhecido localmente como o concurso das “Super Girls” da televisão por satélite “Hunan Satellite Television“. O concurso foi emitido entre 2004 e 2006 e portanto, já não está no ar. Tendo sido severamente criticado (naturalmente…) pelo governo como sendo “um veneno para a juventude”. Não propriamente porque era uma peça de telelixo como aqueles que por cá também temos em profusão (e por acaso, também era), mas porque as vencedoras eram selecionadas por votações conduzidas por mensagens SMS. Ora este mecanismo de votação deixou muito cidadão chinês a pensar e… muito governante a fazer contas… Se podemos votar num concurso porque não podemos também escolher os nossos governantes?

Se calhar isso explica as reticências do governo chinês em relação a este concurso, muito mais do que as apregoadas “dúvidas moralistas” alegadas…

O “muro autoritário” chinês começa a mostrar brechas… o arrefecimento da economia mundial e das importações do Ocidente já levou ao fecho de mais de 50 mil fábricas na China, nos últimos meses… Muitos empresários mantêm regimes de trabalho de meia-laboração, outros reduzem nos ordenados dos seus funcionários e pela primeira vez nos últimos vinte anos começa a registar-se um certo refluxo demográfico das cidades do sul para os campos… se a ditadura do PCC se manteve devido ao aumento generalizado do nível de vida das suas populações, agora que este começa a retroceder, que a Internet e se pequenas brechas e “exemplos de democracia” como os Supergirls ameaçam o monolito… será que este vai quebrar? E que será a China “quebrada”, um caos? uma divisão em Estados menores e caóticos ou… um gigante democrático, como a Índia?

Fontes:

Categories: China, Política Internacional, Sociedade | 4 comentários

Navegação de artigos

4 thoughts on “O concurso “Supergirls” e as portas que abre para a democracia na China

  1. Fenix

    Vai acontecer mais tarde ou mais cedo duvido é que a democracia na china mantenha .a china unida como a ditadura manteve a aqui.

  2. acredito que sim, que se pode manter… mas não nesta China centralista e unificada… numa China repartida, onde as nacionalistas vêm à superfície, como vieram após o colapso do comunismo na URSS…

  3. São esses “ares” q vai oxigênar a vida dos sinos..espero a

    Deus q seja logo.O mundo precisa disto.

  4. E sem fragmentação do país…exite mt loucos com bombas atômica a mão…i

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: