As dificuldades do rover marciano europeu ExoMars

(O robot marciano ExoMars in http://www.esa.int)

O rover europeu ExoMars, especialmente concebido para encontrar vida em Marte sofreu um novo atraso. Depois de um anterior que o deslocou de 2011 para 2013,  agora, só deverá ser lançado em 2016… Este novo atraso, encontra no crónico subfinanciamento do projeto as suas motivações. O custo total do projeto é de 1,2 biliões de euros e este patamar – raro na história da exploração espacial europeia – está a causar algumas hesitações nos governos que fazem parte da ESA, especialmente agora quando se confirmam os receios de que em 2009 a maioria dos países desta agência espacial estarão em recessão.

Uma opção de recurso para salvar o ExoMars seria apelar à entrada no programa de russos ou norte-americanos. Só assim, o essencial das suas capacidades seriam preservadas e não sacrificadas para reduzir custos…

Dada a dimensão do robot, o ExoMars terá que ser colocado no Espaço por um lançador pesado, como o Ariane 5 europeu ou o Proton russo. A sua missão primária será a de encontrar sinais de vida em Marte. Como os anteriores rovers norte-americanos, o ExoMars, devido às suas grandes dimensões e peso terá que aterrar em Marte através de sacos insufláveis para amortecer a queda e recorrendo bem menos aos foguetes de aterragem, método que levou ao fiasco do Mars Polar Lander, mas que conseguiu colocar suavemente no pólo norte marciano, a agora defunta Phoenix.

O ExoMars vai transportar o conjunto instrumental “Pasteur”, assim como uma estação geofísica de 30 kg para monitorizar o clima marciano e a ocorrência de abalos sísmicos. O rover foi aprovado pelos ministros da tecnologia dos países que formam a agência espacial europeia, ESA, em 2005. Na época o âmbito do projeto era o de produzir um rover bem menos sofisticado, mas gradualmente o projeto foi ganhando em ambição e dimensões, tornando-o efetivamente superior aos dois rovers que a NASA continua a operar com tanto sucesso no Planeta Vermelho. Infelizmente, a este aumento de ambição, correspondeu também um aumento de custos o que levou à estimativa que o principal participante no projeto, a Thales Alenia Space, faz do ExoMars: os 1,2 biliões de euros que mencionámos mais acima… Daí as dificuldades presentes deste projeto. A Itália – a maior participante – já deixou claro que iria injetar mais recursos na missão, e mais ninguém se fez avançar disposto a compensar este aumento de custos. Enquanto este dinheiro não aparece, o prazo inicial de Novembro de 2013 torna-se irrealizável, já que os lançamentos para Marte ocorrem sempre nos momentos em que Terra e Marte se encontram em órbitas mais próximas e a seguir a Novembro de 2013, temos apenas a data de Janeiro/Fevereiro de 2016. Razão pela qual se fala agora de 2016… Não porque esteja assegurado o financiamento para esta data de lançamento, apenas porque se sabe já que não haverá dinheiro para um lançamento em 2013.

Esta não será a primeira vez que os europeus tentam colocar uma missão no solo marciano… Em 2003, a muito bem sucedida sonda orbital “Mars Express” largou a sonda britânica “Beagle 2”, sem sucesso, já que este deixou de comunicar com a nave-mãe ainda durante a descida. Na época, culpou-se do falhanço uma série de cortes orçamentais, falta de testes e de sistemas redundantes. A falta de ambição seria assim exposta como a principal causadora do falhanço do “Beagle 2”. Agora, o ExoMars, o ponto principal do programa europeu “Aurora” de exploração do Sistema Solar está também ameaçado e provavelmente será alvo de violentos cortes orçamentais, já que nesta conjuntura não é provável que os EUA, a Rússia ou outros potenciais parceiros (como a Índia e o Brasil) queira colaborar num projeto onde não estiveram desde o início (os EUA já têm dois instrumentos no ExoMars) e onde retirariam escassos benefícios mediáticos… Mas enfim, será melhor termos um mini-ExoMars, do que nenhum ExoMars, presumo…

Fonte:
http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/7677349.stm
http://www.esa.int/esaMI/Aurora/SEM1NVZKQAD_0.html

Categories: Ciência e Tecnologia, SpaceNewsPt | Etiquetas: , | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “As dificuldades do rover marciano europeu ExoMars

  1. Kero ver o BRASIL fazer isso. os outro é mole…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: