Daily Archives: 2008/12/03

Israel fecha as portas aos falashas etíopes

//frysingerreunion.org)

(Sinagoga falasha, na Etiópia in http://frysingerreunion.org)

Quem tenha estado mais atento às reportagens televisivas sobre Israel pode já ter reparado na existência de militares e polícias israelitas que não são conformes à habitual imagem de um judeu, europeu e de pele mais ou menos clara. De facto, entre eles encontramos com alguma frequência indivíduos de origem etíope…

Desde o colapso do regime comunista na Etiópia que muitos etíopes – sobretudo da região de Gondar – que tinham ligações ancestrais com uma forma ancestral de judaísmo têm emigrado para Israel e conhecidos como “Falash Mura” ou “Falasha”. As primeiras migrações da Etiópia para Israel começaram na década de noventa. No começo todos eram imediatamente reconhecidos como judeus, ainda que a sua forma de judaísmo fosse entendida já na época não como sendo propriamente uma forma de Judaísmo, mas uma versão muito antiga de proto-cristianismo, introduzida em Gondar nos primeiros tempos da Evangalização cristã. Acreditavam os adversários desta tese que estes “cripto-judeus” se tinham convertido forçadamente ao cristianismo apenas no século XIX e que logo, eram Judeus…

Existiu em Israel um forte apoio popular pela aceitação destes falashas, e só muito recentemente é que começou a surgir uma corrente de oposição à admissão dos falashas na sociedade israelita. Curiosamente, este movimento começou não em Israel, mas entre a numerosa e influente comunidade judia norte-americana. Contudo, já mais de 40 mil falashas estavam já em Israel… muito mais esperam ainda hoje deixar a Etiópia – um país assolado com uma miséria e subdesenvolvimentos crónicos – e hoje, mais do que nunca, as sinagogas e os cultos religiosos hebraicos são mais populares do que nunca na região de Gondar. Contudo, o governo israelita já anunciou que o avião com novos migrantes do passado mês de Novembro seria o último a ser aceite em Israel dando assim fim efetivo a uma das derradeiras possibilidades de melhorar de vida que esses judeus da diáspora alimentavam e abrindo uma nova faceta da história de Israel: a rejeição de judeus na pátria do judaísmo, ou seja, violando o mandamento primeiro da fundação do Estado de Israel como o derradeiro refúgio dos judeus no mundo.

Fonte:
http://www.dailybreeze.com/religion/ci_10179978

Categories: Política Internacional | 30 comentários

Anna Lappe: Uma alimentação ecológica

É oficial: a produção de alimentos é má para o planeta. De facto, é até terrível. Dezoito por cento dos gases de efeito de estufa produzidos pelo Homem resultam somente da produção agropecuária. No conjunto, isso é mais do que toda a industria de transportes combinada. Estes números constam de um relatório da ONU e sublinham – talvez pela primeira vez – a importância do papel da produção de alimentos no problema do Aquecimento Global.

Nos Estados Unidos, uma pessoa muito versada na relação perniciosa entre a produção de alimentos e a mudança climática é a dinâmica Anna Lappe. Esta investigadora tornou-se reconhecida pelo seu trabalho no campa da sustentabilidade, da política alimentar, da globalização e da mudança social e foi incluída na lista de “Quem é quem” da revista Time.

Segundo a investigadora “Houve um grande incremento na atenção para a alteração climática, mas até agora, a alimentação foi apenas uma parte invisível do problema e da solução.” Segundo ela, as razões pelas quais o sistema de produção de alimentos cresceu e a forma como cresceu, cocomo usa o sistema de transportes, fazem com que as emissões de gases com efeito de estufa criadas pela produção de alimentos eja hoje de uns estimados 31% do total das emisssões.

Os dois maiores responsáveis desta elevada taxa são a produção de gado vivo e as quintas agrícolas de grande escala que dependem em grande medida de produtos químicos e de combustíveis fósseis para assegurarem os presentes níveis de produção. Os efeitos desta forma industrial de operação estão a repercutir-se em todo o mundo… Os primeiros alvos são os pequenos e médios agricultores que tentam criar o seu gado ou plantar os seus alimentos de uma forma mais sustentável e que estão a perder a suas quintas por causa dos efeitos do Aquecimento Global (secas, inundações, tempestades, furacões, etc). Atualmente, a produção industrial de alimentos é suficiente em termos de resposta às necessidades mundiais. O problema está em que esta produção não está a ser bem distribuída e existe um sério déficit alimentar, especialmente em África. Não há ainda uma “crise alimentar mundial”, o que enfrentamos é uma “crise financeira alimentar mundial”, já que é cada vez mais dificil a um número crescente de pessoas obter os alimentos que são essenciais à sua sobrevivência.

Anna Lappe recomenda que todos aqueles que têm a opção de mudar o seu estilo alimentar (ou seja, todos os habitantes do mundo desenvolvido) devem escolher as suas dietas baseando-se em quatro factores:
1. Não comprar produtos provenientes da agricultura industrial, desenvolvida em torno do consumo de elevadas quantidades de combustível fóssil
2. Comer muito menos carne, a carne ocupa um papel dominante nos regimes alimentares ocidentais e a quantidade de carne consumida implica geralmente o consumo de uma quantidade proporcional mas piramidalmente superior de produtos vegetais, de meios de transporte, de combustíveis, rações químicas, pesticidas para forragens, etc, incomparavelmente superior. A adopção de alguns dias por semana como “livres de carne” poderia reflectir-se numa notável redução da “pegada ecológica”
3. Evitar alimentos processados… Ou seja, em vez de optarmos por alimentos tratados em que grãos, fruta é tratada, partida e transformada em derivados como cereais, barras, etc. Consumir as frutas inteiras têm um impacto menor no Ambiente porque os processos industriais de tratamento, processamento e armazenagem se tornam desnecessários. A sua supressão irá reduzir significativamente a Pegada de Carbono até valores muito inferiores aos dos alimentos processados.
4. Evitar consumir produtos exóticos, oriundos de países distantes… Os custos ecológicos desse transporte e armazenamento são enormes, e dispensáveis se preferirmos produtos produzidos localmente ou, idealmente, na nossa vizinhança.

Fontes:

www.smallisbeautiful.org (Tradução livre)

www.etihadairways.com (Kathryn Clark)

Categories: Economia | 1 Comentário

Quids S15: Como se chama este ícone?

27

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S15 | 8 comentários

O mistério canadiano dos pés humanos dentro de sapatos de ténis

Um dos mistérios policiais mais intrigantes dos últimos anos está a ocorrer na província canadiana da Columbia Britânica: nos últimos quinze meses foram descobertos seis… pés humanos dentro de sapatos, perto da foz de rios dessa região. Todos os pés foram encontrados dentro de sapatos desportivos, num inusitado fenómeno que começou em Agosto de 2007. Uns são do pé direito, outros do pé esquerdo (como o mais recente). Uns são de homens, outros de mulheres (como o último). Entre todos – ao que pude apurar – apenas dois pertenciam à mesma pessoa, um homem, mas a polícia canadiana ainda não conseguiu identificar nenhuma das vítimas, presumindo-se que estejam todas… mortas.

Especialistas forenses determinaram que os pés parecem ter sido separados naturalmente (por desarticulação no processo de decomposição) dos corpos e não revelam marcas traumáticas, como poderiam surgir se estes estranhos casos estivessem relacionados com um assassinato ou com um acidente violento.

Os sapatos de ténis que são o ponto unificador neste caso foram fabricados entre 2003 e 2004, com uma única excepção, fabricado em 1999.

Eis uma lista dos casos até agora conhecidos, ordenada por data de descobrimento:

20 de agosto de 2007:
O primeiro pé humano é encontrado perto da ilha de Jedidiah. Tem o tamanho 12. O ténis terá sido fabricado em 2004 e distribuído primariamente na Índia.

26 de agosto de 2007:
O segundo pé humano é encontrado na ilha de Gabriola. Tem o mesmo tamanho 12 e é de marca Reebok. Foi fabricado em 2004 e distribuído globalmente, mas principalmente na América do Norte desde 1 Março de 2004.

2 de fevereiro de 2008:
O terceiro foi encontrado na Ilha Valdez. Tem o tamanho 11 e é da marca Nike. Fabricado em 2003 e vendido no Canadá e nos Estados Unidos a partir de 1 de fevereiro até 30 de junho de 2003.

22 de maio de 2008:
Encontrado na ilha Kirkland. Tem apenas o tamanho 7 e é da marca New Balance. Fabricado em 1999, foi distribuído no Canadá. Os testes de DNA determinaram que o pé pertencia a uma mulher.

16 de junho de 2008:
O quinto pé foi descoberto da ilha de Westham. É de marca Nike, como o de 2 de fevereiro, tendo os testes de DNA provado que pertencia ao mesmo homem.

O sexto pé… era um hoax. Feito por algum brincalhão que colocou ossos de animal dentro de um sapato de ténis e o deitou ao rio.

Até ao momento, desconhece-se o que se está realmente a passar… O facto de alguns dos sapatos só terem sido comercializados no Canadá indica que as vítimas são canadianas… O facto de todos terem este tipo de sapatos pode indicar que estavam numa qualquer atividade de exterior, talvez numa excursão ou num acampamento. Há também a possibilidade de se tratar de um vítimas de um naufrágio ou da queda de um pequeno avião, mas não existem acidentes – com desaparecidos – que possam ser ligados facilmente a estes macabros achados, o que aumenta este mistério… Alguém quer deixar na caixa de comentários a sua teoria?

Fonte:
http://www.cnn.com/2008/CRIME/11/12/canada.feet.mystery/index.html?eref=rss_latest

Categories: Política Internacional, Sociedade | 9 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade