A guerra no Afeganistão está a ser perdida

Se a OTAN não está a perder a guerra no Afeganistão, como antes dela perderam guerras neste agreste país do Médio Oriente, o Império Britânico e a União Soviética, então não sei o que está a acontecer… Ainda que o discurso oficial diga o oposto, um estudo recente do “Center for Strategic and International Studies” reconhece que a situação no Afeganistão se tem vindo a deteriorar paulatinamente nos últimos cinco anos e que alcançou agora um “nível crítico” interditando grandes áreas do Afeganistão a qualquer atividade de reconstrução ou das ONGs internacionais e estendo-se a largos sectores do território paquistanês.
Uma recente decisão da Administração Bush pode vir a revelar-se decisiva para alterar o rumo da guerra, ainda que introduzindo na equação um perigoso imponderável: a decisão de atacar os redutos fronteiriços, já em pleno território paquistanês que têm servido de abrigo aos combatentes talibã que penetram no Afeganistão e se refugiam, abastecem e onde recrutam novos militantes. Recentemente, um raid de “Navy Seals” bem dentro do território paquistanês deixou aqui vários civis mortos e uma imensa ira entre os militares paquistaneses. O problema está em que os mais de 130 mil homens destacados pelo Paquistão para estas zonas tribais não estão a conseguir desmantelar estas bases dos talibãs e da Al-Qaeda. Além do mais, a sua ação está a ser violentamente anulada tendo sofrido pesadas baixas com mais de 1400 mortos e 4000 soldados paquistaneses feridos. Do outro lado da fronteira, os mais de 71 mil homens da NATO (entre os quais se contam unidades da FAP e comandos do exército) estão a revelar-se insuficientes para travar o avanço talibã.
O relatório do CSIS indica que por detrás do sucesso dos Talibãs está o aumento do cultivo de papoila no Afeganistão e o financiamento que assim obtêm e a existência de numerosos santuários em território paquistanês. O relatório acrescenta ainda que “o próximo presidente dos EUA terá que enfrentar um desafio crítico numa guerra que provavelmente está a ser perdida no nível político e estratégico, e que não está também a ser vencida do ponto de vista táctico”. Os comandantes no terreno pedem mais tropas à já muito tempo. A vitória de Obama e a sua promessa de aumentar o foco da “guerra ao terrorismo” para o Afeganistão, afastando-o do Iraque onde a situação está a melhorar bastante deste o “surge”. O CSIS recomenda o mesmo: a deslocação de tropas do Iraque para o Afeganistão.

Na verdade, trava-se aqui uma guerra ainda mais importante: a guerra pela defesa de um Paquistão não-radical e liberto da influência dos talibãs. A maioria da população paquistanesa não parece alinhada com as posições mais radicais destes, dando algumas sondagens uma percentagem de apenas 15% aos apoiantes dos islamitas radiciais. Isto a nível nacional, mas a nível local, nestas regiões semi-independentes, os números são diametralmente opostos. O arsenal nuclear paquistanês parece seguro. Pelo menos tão seguro como na Rússia ou em Israel, já que o exército se tem sabido manter longe dos radicalismos fundamentalistas desta minoria da população. O mesmo contudo não é verdade para os serviços de informação paquistaneses que durante a Guerra do Afeganistão com os soviéticos construiram uma densa teia de cumplicidades com os combatentes afegãos que parece ainda demasiado viva, para os libertar de cumplicidades perigosas com os radicais muçulmanos. Os EUA não confiam no ISI (os serviços de informação do Paquistão) e suspeitam que estes apoiam ou pelo menos não combatem os talibãs nas zonas tribais ou que então entregam dados sobre as operações do exército paquistanês aos talibãs, reduzindo assim a sua eficiência.

Fonte Principal:
Anúncios
Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: | 17 comentários

Navegação de artigos

17 thoughts on “A guerra no Afeganistão está a ser perdida

  1. A guerra dos ianks travadas p/nato, enquanto ñ vencerem a guerra nas mentes e melhorias na qualidade de vida dos afegões, vai ser esse atoleiro…só derrotas e guerrilhas.

  2. aqui discordamos, Carlos… está guerra é de todos nós, mesmo daqueles países que não estão lá… se o Afeganistão cair nas mãos dos islamitas, cedo cairá com ele o Paquistão e a sua Bomba nuclear… e depois, o Iraque, que se tornará satélite dos Ayatollashs… o que virá a seguir?
    Ninguém ficará a salvo, nem o Brasil…

  3. Tá , tem lógica e bases no seu pensamento, está guerra tem de ser travada tbm p/conkistar as mentes dos afegões, e passa pela ,com certeza, pela melhoria da qualidade de vida de todos eles, e td e qualquer crime de guerra tem ter punições ;p/ deixar claro a eles q n/ leis e eles são importantes p/ nós..se assim ñ for..é mais nem td os islamitas são radicais, vide a R.Turca q é laica, existe até cristões radicais.. e neste meio tempo, o atoleiro.

  4. sem dúvida. estas guerras ganham-se sempre nos corações dos povos que apoiam ou não os insurgentes.
    é aqui que tudo tem falhado mais… o governo de kabul é corrupto e incompetente e reside aqui muito da presente ascensão dos talibãs…

  5. Fenix

    Não sou afavor de guerras,sou pela paz entre todos os povos.Acho esta guerra apenas e so uma guerra para controlar o opiu o terrorismo é secundario.

  6. atualmente, nem isso se consegue fazer!
    a produção de ópio no afeganistão disparou e é atualmente o maior recurso dos talibãs!

  7. Pegasus

    Nao ha como freiar a evolução de estados islamicos, sua provavel aquisição de armas nucleares. Como foi discutido acima, afinal, o que querem os paises invasores, qual a receita, por mais que se invada, o custo de manter é absurdo, e manter invadido a que proposito.
    As atitudes militares no mundo estão se tornando ainda mais sem sentido, os americanos invadiram o Afeganistão mas não ganharan a guerra, não conseguem sem controlar a produção de opio num pais desertico que qualquer coisa verde se ve ate do espaço.
    Guerras produzidas para manter industrias belicas funcionando e produzindo bilhões, dando milhões de empregos no mundo todo, a paz não é rentavel e causa desemprego.
    Afinal, o que ha com a raça humana???

  8. Afinal o q está acontecendo co o “ser humano”?Estamos no últimos estágios da evolução ou regressão?Pobres afegões..q Ála os ajude, e a eu tbm.

  9. sim claro. é uma questão de tempo até termos uma arma nuclear nas mãos de radicais islâmicos… e quando isso acontecer podem ter a certeza de que a usarão…
    os EUA não conseguem controlar o ópio e é pena, porque é precisamente aí que radica a solução do problema afegão! sem a heroína os talbãs não se financiariam e a sua guerra pouco duraria…
    aí e na China que lhes vende por canais mais ou menos secretos o armamento ligeiro de que dispóem em abundância.

  10. Curioso

    Atenção! Hoax?

    Forças norte-americanas se preparam para mobilização geral?

    A maior mobilização da historia das forças militares norte-americanas está prestes a ocorrer. A mobilização americana antecede a falência oficial dos EUA, que provavelmente vai ocorrer em torno do dia 30 de janeiro de 2009, o dia X. O dólar entrará em colapso. Os números não mentem.

    http://www.fourwinds10.com/siterun_data/peace_freedom/patriots_and_protesters/news.php?q=1227216154

  11. O Pakistão já tem… israel já possui umas 273 bombas e misseis capazes de tranportalas…e no grau de devastação q se encontra o Afeganistaão , só sobrou mesmo as papoulas..se eles mal tem lavoura de subssistência..q se faça um programa social de ajuda em dinheiropa cada mulher afegã p terem condições de alimentar seus filhos, dêem a les escolas ,hospitais, ruas calças ,luz e esgoto sanitário tratados…em menos de seis meses os talibãs serem varridos p/próprios afegões.Façam tratados limitadores e q dignifike a vida dos nativos..Ála vai ficar feliz e eles tbm.

  12. Fenix

    Alguem tem duvidas que os atentados em “bombaim” na india foram para provucar uma guerra nuclear entre pakistão e india.

  13. eu tenho… haveria formas mais claras de o fazer…
    por exemplo, atacar instalações nucleares indianas
    penso que foram “apenas” golpes de radicais islâmicos, talvez coordenados pela al qaeda.

  14. CARLOS JL

    PELO QUE EU POÇO PERCEBE A QUERRA NO AFEGANISTAO ESTA LONGE DE CHEGAR AO FIM E UMA GUERRA DE FASES UM COMBATI QUE DEVE SER DIFICIL AO EXTREMO ONDE O FOCO PRINCIPAL DEVERIA SER NAO SOMENTE A DESTRUIÇÃO DO TALIBA EA ALQUAEDA E SIM A RESTRUTURAÇÃO DO PAIS TROCA A AGRICULTURA DA PAPOULA POR UMA AGRICULTURA FAMILIAR E PRECISO IMPLANTAR SIATEMAS QUE POSSIBILITEM O DESENVOLVIMENTO ECONOMICO DA REGIAO ISSO E DA MAS DO QUE ESPERANÇA PARA A POPULAÇÃO.!

  15. Sr. Carlos é isso aíh…dar esperanças, e sem os nefastos telebans…é +, essa guerra é dos ianks…é como tem havido mortes de outros da UE..se ñ trazer os afegões p / assumir essa luta tbm, e causa p durar um longo e sangrento tempo.

  16. telebans= talibans

  17. os talibans consegiram recentemente retomar o controlhe de 75% do territorio afegao entao, acho que essa é mesmo um guerra já há muinto perdida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: