Está a funcionar a primeira central de carvão CCS: que injecta CO2 no solo em vez de o emitir para a atmosfera…

Entrou em funcionamento na Alemanha uma central de energia a carvão que promete vir a revolucionar essa tecnologia e reduzir drasticamente as emissões de CO2 que geralmente estão associadas a este tipo de instalações. A unidade de produção de energia a partir do carvão foi construída pela empresa sueca Vattenfall e tem uma capacidade modesta – mas significativa para uma primeira instalação – de 30 megawatts.

A empresa encara o seu sistema CCS “Carbon Capture and Storage” como uma resposta revolucionária para o problema do Aquecimento Global que, nos próximos anos, será ainda mais importante do que a multiplicação de geradores eólicos que já começou a disparar em países como Portugal e a Alemanha. A instalação tem a capacidade única de recolher todo o carbono produzido durante a ignição de lenhite e guardá-lo, sem o emitir para a atmosfera, como fazem as centrais convencionais. A central não emite dióxido de carbono para uma chaminé, como é usal nestas instalações, sendo este canalizado, comprimido e enviado para rochas porosas, no subsolo. A central usa o método de queima Oxyfuel para queimar carvão com oxigénio puro e nitrogénio.

Por isso, a instalação de Schwarze Pumpe (ver AQUI) é  tão importante para a empresa, já que é a primeira CCS que entra em atividade em todo o mundo. A unidade custou mais de 70 milhões de euros e a sua viabilidade económica decorre fundamentalmente da adesão europeia ao Acordo de Quioto segundo o qual, cada empresa europeia que queira emitir carbono tem que comprar uma licença para tal. Cada tonelada custa entre 30 a 35 euros e esta poupança irá compensar rapidamente o maior custo de instalação desta central CCS. Além desta primeira instalação, a Vattenfall vai construir mais duas centrais de demonstração da tecnologia CCS, uma segunda na Alemanha, dez vezes maior do que esta e uma outra na Dinarmarca, ambas até 2015. A primeira instalação industrial deverá estar operacional até 2020.

O sistema não é, contudo, isento de defeitos… O transporte do carvão até à central, a sua exploração e o próprio processo de canalização e armazenamento consomem muita energia e como a maior parte desta ainda provém de fontes não-renováveis, o balanço energético final não é famoso. Desde logo, porque a sua forma de queima de carvão implica uma produção de energia 10% inferior aos métodos convencionais, e depois porque por causa do armazenamento e injeção em rochas, o custo operacional é muito mais elevado do que nas centrais normais. Apesar destas reservas, há planos para que a União Europeia apoie a construção de entre 10 a 12 centrais CCS na Europa, como parte da resposta europeia para reduzir as emissões de CO2 em 2020 até 20% menos dos valores de 1990.

Fontes:
http://www.dw-world.de/dw/article/0,2144,3628912,00.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Kraftwerk_Schwarze_Pumpe
http://euro-med.dk/?p=1711

Anúncios
Categories: Ecologia, Economia | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “Está a funcionar a primeira central de carvão CCS: que injecta CO2 no solo em vez de o emitir para a atmosfera…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: