O Brasil vai construir 4 submarinos Marlin e 6 fragatas FREMM

//i33.photobucket.com)

(Submarino Marlin in http://i33.photobucket.com)

Está plenamente confirmada a encomenda à França de 4 submarinos “Marlin” pelo Brasil. Os navios não serão simplesmente comprados e construídos em França, como sucedeu infelizmente com os novos submarinos portugueses 209PM, construídos em Kiel, na Alemanha, mas serão montados num novo estaleiro que será construído na Baía de Sepetiba, mesmo ao lado de uma nova base de submarinos que será construída também aí, perto do Rio de Janeiro. Ou seja, o Brasil consegue transferir tecnologia, criar emprego e riqueza local e logra ainda recolher um vantajoso contrato que se estenderá também à prestação de “consultoria técnica” por parte dos franceses na difícil concepção do casco do novo submarino nuclear brasileiro, a última grande barreira que faltava vencer para construir o primeiro SNA deste país lusófono, já que a tecnologia do pequeno reactor nuclear já está domada, como prova o protótipo funcional existente em Aramar.

Os submarinos haviam sido propostos ao Brasil pela DCN francesa em Janeiro deste ano e embora na altura tivessem surgido referências de que se trataria do submarino franco-espanhol “Scorpéne” na verdade será o Marlin. O Marlin não é verdadeiramente um “novo” submarino, mas o produto da quebra de relações entre o estaleiro espanhol Navantia e a francesa DCN que conceberam e fabricavam os Scórpene em conjunto, uma ruptura que resultou de um abuso de confiança castelhano, quando a Navantia decidiu criar a sua própria versão do submarino, o S80 sem os sistemas de combate franceses e incorporando sistemas norte-americanos da Lockheed Martin. Em consequência, nasceu o Marlin, onde alegadamente a DCN estará a incorporar tecnologia utilizada na linha de submarinos nucleares franceses “Le Triomphant“, nomeadamente um redesenho hidrodinâmico.

Embora o Marlin com o seu deslocamento padrão de duas mil toneladas possam utilizar a propulsão MESMA-2, menos ruidoso e mais eficiente que o anterior sistema MESMA, o Brasil não optou por usar a propulsão AIP neste navios, que deverão ficar num total de 600 milhões de dólares, com um pagamento faseado em 20 anos.

De salientar ainda que a aquisição destes submarinos faz parte de um pacote mais amplo que inclui seis fragatas FREMM, que serão construídas no Brasil, nos estaleiros do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro. As fragatas FREMM são consideradas das melhores fragatas da atualidade sendo um projeto franco-italiano que incorpora alta furtividade ao radar e têm um custo total de 3 biliões de dólares. FREMM significa “FRégate Européenne Multi Missions” em francês, ou “Fregata Europea Multi-Missione” em italiano e resulta de uma bem sucedida parceria entre a DCNS francesa e a Fincantieri italiana para produzirem uma navio médio, multifunções, com capacidades de guerra aérea, antisubmarino e antinavio. As FREMM conseguem operar mísseis de cruzeiro Scalp da MBDA que em termos de características são idênticos aos Tomahawk norte-americanos.
Categories: Brasil, DefenseNewsPt, Política Internacional | 171 comentários

Navegação de artigos

171 thoughts on “O Brasil vai construir 4 submarinos Marlin e 6 fragatas FREMM

  1. São mt bonitos, espero q sejam furtivos e caçadores de primeira.agr , pq só 04 e ñ 10 ou + ?Quem tem dois tem um é assim vai… olho no francos eles tbm fazem gracinhas p/ nos verem chorar..olho neles…e q venham os subs ..p/ ontem.

  2. gaitero

    Na verdade Serão mais fragatas, e não se sabe ainda se serão FREMM,
    Uma coisa é certa, 4 marlim a partir de 2011 e inicio da produção local de fragatas a apartir de 2011.

    A idéia da MB é substiuir gradativamente todas as escoltas, Destoyers, corvetas e fragatas, por apenas um tipo de escolta de aproximadamente 6000T.

    Então, a expectativa é grande para que sejam quem sabe 16 Fragatas novas. A Partir de 2011.

  3. gaitero

    Obviamente, em compras fracionadas, de 4 em 4 ou 6 em 6. xD

  4. gaitero

    E só uma coisa.
    ”3 biliões de dólares. FREMM significa “FRégate Européenne Multi Missions” em francês, ou “Fregata Europea Multi-Missione”

    Na verdade este foi o preço estipulado, sabe-se que hoje ele chega muito proximo a 1 bilhão. E dependendo da quantidade a ser produzida, pode-se até baixar este preço.

  5. A base da MB no amazonas e da FAB no interior no norte , as fragatas Fremm , os subs e os rafales são mt importante p/ o BRASIL e sua soberania..considerando a transferência de conhecimentos sensível e a ajuda na cobtrução do casco do sub nuclear…sem eskecer do VLS + o satélite geoestacionário…p/ ontem .

  6. gaitero:
    economia de escala… algo que faz toda a diferença e explica também o baixo preço dos Sukhoi, p.ex…

  7. gaitero

    Sim.

  8. e que responde pelo fabuloso preço unitário do F-22A…
    137 milhões de USD por avião
    http://en.wikipedia.org/wiki/F-22_Raptor

    SU-30: 30 a 45 milhões…
    http://www.discovervancouver.com/forums/su-30%20unit%20cost/22-SU-30-PUT-MONEY-22-t185883/

  9. Pegaso

    Portugal vai laçar ao mar em 2050 e primeira geração fragatas da classe remos e a vela a lembrar outros tempos.Assim como porta aviões aterra moscas ,aviões tambem de ultima geração mosca i e ainda o primeiro submario a fajoes do mundo.E ainda o primeiro missil de longo alcance o mata longe.

  10. ..espero q esses subs ,SSK, sejam furtivos, coisa q os amur já os são..chaves com td esses entraves econômicos vai adikir “alguns” deles( 04 ), é vai dar cansaço em algumas marinhas ..digo +, esses Amur 1850 deveriam ser n/ prioridades em aquisição..são mt,mt bons..temos de olhar isso c/ mt atenção.E q venham logo esses subs…p/ontem.

  11. 2050?
    Se tudo continuar como está, daqui a 15 anos só teremos mesmo as 3 Meko (talvez…) e os 2 submarinos.
    isto num país marítimo!
    vergonha!
    e…

    porta aberta a quem quiser vir buscar os nossos recursos.

  12. gaitero

    O norte é meu ^^

    Carlos, os marlim são furtivos, com tecnologia avançada e ao contrário da Venezuela, estes submarinos virão com um ”Diferencial”, PRODUÇÃO NACIONAL.
    Quando quizermos fazer 1000 destes teremos condição. Eles ……………………… NÃO……………….

  13. gaitero

    DIRETORIA-GERAL DO MATERIAL DA MARINHA
    Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Saboia – Esta Diretoria-Geral participa que na última sexta-feira, dia 14 de novembro, foi assinado o Acordo de Venda (”Sales Agreement”) entre a Marinha do Brasil e o Ministério da Defesa do Reino Unido, visando a obtenção do Ex-RFA Sir Bedivere, futuro NDCC Almirante Saboia (G25). O navio deverá ser incorporado em maio de 2009 e sua atracação ao pier da BNRJ prevista para julho daquele ano.

  14. gaitero

    É o irmão do Garcia D’Avila……

  15. Samuel

    Ao que o Clavis citou acima….”porta aberta a quem quiser vir buscar os nossos recursos”…..então, BORA saquear Portugal, minha gente…é hora de dar o troco…é hora da ex-colonizadora virar colônia..e de quebra…vou saquear algumas portuguesas pra meu futuro harém…vamo aproveitar enquanto Portugal ainda está sem defesas! 😀

  16. Sr.gaitero. e bom saber q os subs francos tem essa caracteristica de “furtividade”…a tendência e SSK neste perfil.

  17. Samuel:
    Bem se não pudermos confiar nos nossos irmãos brasileiros para não colaborarem no saque aos nossos recursos marítimos que os europeus já fazem (liderados pela imensa frota pesqueira espanhola) então não sei em que devamos confiar…
    a sério: é um problema grave e não houve ainda nenhum político que enfrentasse esta questão de frente. Os recursos piscícolas e sobretudo os minerais, no leito oceânico, serão a prazo uma das raízes para a manutenção desta nossa industrial forma de vida… e Portugal, pela sua ZEE está particularmente bem posicionado neste campo…

  18. Pegaso

    Vamos é unificar os estados lusofunos constroir uma marinha comum um esercito unificado uma força area unificada com meios militares criados por nós lusofuno.Juntos podemos ser maiores do que sozinhos.

  19. começando por forças tarefa, capaz de p.ex. intervir conjuntamente contra os narcotraficantes na Guiné ou contra a pirataria na somalia…
    pequenos passos para uma sólida grande caminhada conjunta, é o que defendooo.

  20. gaitero

    Todos nos, ne clavis, todos nos xD

  21. Luís Fernando

    Do “Correio Brasiliense”:

    Correio Braziliense

    Coréia oferece navios

    O presidente da República da Coréia, Lee Myung-bak, chega ao Brasil trazendo na bagagem uma oferta para a Marinha. A Hyundai, que além de montar carros é um dos cinco maiores construtores mundiais de navios, quer construir no Rio de Janeiro quatro destróieres da classe KDX2 — embarcações extremamente bem armadas e equipadas, que deslocam 5.200t — ao custo unitário de US$ 420 milhões. Como atrativo extra, ofereceram a doação de 10 pequenas corvetas da classe Pohang, de 1.200t. São barcos empregados em missões de vigilância, que permitiriam ampliar imediatamente a capacidade nacional de fiscalização das águas territoriais. Os sul-coreanos também querem dar apoio tecnológico para a fabricação dos futuros navios-patrulha oceânicos (NaPaOc), que terão entre 1.200t e 2.000t. Há necessidade de 16 unidades com essas especificações.

    A Marinha do Brasil pretende, em 2011, começar os trabalhos de construção de três unidades de até 6 mil toneladas para substituir as seis fragatas da classe Niterói, construídas, com apoio dos estaleiros britânicos Vosper, entre o fim da década de 1970 e o início dos anos 1980. Em junho, uma comitiva da Hyundai visitou o Arsenal de Marinha e manteve conversas preliminares com a Empresa de Projetos Navais (Engepron), estatal encarregada do projeto e desenvolvimento dos navios de guerra brasileiros. Nas reuniões, o fabricante coreano mostrou interesse em assumir as instalações da Marinha para modernizá-las, ampliá-las e empregá-las na construção de petroleiros e plataformas de produção de petróleo em alto-mar.

    O Ministério da Defesa defende um projeto similar com a DCNS francesa, para fabricar três fragatas Fremm, de 6.500t, com custo unitário de US$ 600 milhões na configuração antiaérea. O projeto faz parte de um programa de intercâmbio tecnológico entre as autoridades militares de Brasília e Paris.

    O trabalho envolveria a recuperação e a modernização do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, que acaba de entregar a corveta Barroso, depois de 17 anos de trabalho — prazo extremamente longo para os padrões internacionais. A primeira unidade seria entregue em 2014, depois de três anos do início da montagem. A Espanha também jogou sua cartada, a fragata F-100, que, além de equipar a esquadra nacional, foi exportada para a Austrália e a Dinamarca. (PPR)

  22. Ronaldo

    Engraçado que não oferecem as KDX-III em lugar das KDX-II….. Porque será ??? Será que os EUA vetariam ???
    Sds.

  23. aegis?
    pois… muito provavelmente, sim, vetariam… o sistema aegis é muito valioso para os EUA e os coreanos devem ter assinado um contrato onde prometiam não o re-exportar…

    http://www.globalsecurity.org/military/world/rok/kdx-3.htm

    ao que sei, as KDX-II de facto não têm aegis, mas o gaitero (que anda mais nestas bandas) poderá esclarecer melhor…

  24. gaitero

    As KDX II utilizam o míssil Standard SM-2 Block III.
    Este míssil foi projetado especificamente para o Sistema de Combate Aegis, mas de fato, o sistema aégis só se encontra na KDX III.
    Na KDX II, foi feito um upgrade para poderem utilizar-lo sem o sistema aégis.

  25. Eu vivo dizendo..o ianks tem certa maldade com nós Brasucas, ñ autorizaram a revenda do aegis…+ 10 lanchas assim , de graça , “0800”…é serio mesmo? Então vamos fazer , assim um acordo de gaveta…e ficar c/ as 10 de gratís e transferência de tecnologia …p/ontem.

  26. Ronaldo

    Notícia quentinha…. do DefesaNet.

    Submarinos – Ministro Jobim acaba de anunciar no Encontro de Forte de Copacabana a assinatura de entendimentos, no dia 23 de Dezembro, com a França, para a aquisição de três submarinos convencionais e de um casco para a inserção de um reator nuclear
    Plano Estratégico de Defesa – Reunião no Planalto dia 27 Nov com o Pres. Lula, Min Dilma, Min Mangabeira Unger e Franklin Martins para apresentação do Plano. Após reunião com os presidentes da Câmara e Senado e até dia 8 Dez Reunião do Conselho de Defesa.

    Sds.

  27. Uma boa notícia, sr.Ronaldo,ótima informação;torço p/ q saeja um novo ínio p/ n/MB .E q venham logo esses subs dos francos..olho neles ,já trairam os platinos..

  28. gaitero

    xD
    Entrei aqui justamente para passar esta informação. ^^

    Notar que serão 3 submarinos e o cao para o nuclear, e não 4 como havia sido dito antes.

    E Até que enfim saiu o cronograma do PND ^^

    Estamos indo, de vagar, mas estamos indo.

  29. ..espero q sejam “os ” e ñ o casco..e já ñ é sem tempo, estamos mt atrasados…

  30. Essa furtividade dos subs dos francos, e “os ” cascos, esperoq seja + de um, já projetaram os dentes do tubarão (SMB) ?Alguém sabe?

  31. “..e bom o BRASIL se reequipar logo , o ianks já estão antevendo o seo “ocaso” como potencia mundial…logo um país propenso a atitudes locais de autoafirmação…Temos de agilizar n/projetos de reamamentos de n/FAs..p/ontem “.

  32. 3 é pouco, para um país das dimensões do brasil…
    mas enfim, suponho que as demais classes ficarão ainda disponíveis por uns bons anos, e que a prazo, se terá que construir pelo menos um segundo SNA…

  33. gaitero

    Sim o ultimo da classe tupi saiu da fábrica agora a 2 anos.

    E se serão 3, é porque na verdade eles queriam mesmo é comprar apenas 1, mas como para ceder o casco nuclear tem de se comprar outras coisas mais, então acho que eles conseguiram economizar 1, e comprar apenas 3 e não 4 como era esperado.

    O que eu considero positivo, 8 submarinos é um numero considerável, e abrirá espaço ao futuro de o Brasil poder desenvolver um sucessor 100% nacional.

    Além do mais, o que esta na moda agora é o SNB, que com certeza não ficará em apenas 1 unidade.

  34. “..sem eskecer dos novos(futuros ) Merlin/escopénes.” Afinal como será o sistema de defesas do SNBs(+ 03 ),alguém sabe.?

  35. gaitero

    Sobe para 30 o numero de PIRANHA IIIC 8×8

    Rio de Janeiro, Brasil – A General Dynamics European Land Systems firmou contrato com o Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil para 18 PIRANHA IIIC 8×8 viatura blindada de transporte de pessoal (armored personnel carrier -APC).

    O novo contrato prevê o fornecimento das viaturas em três configurações com capacidade anfíbia: : Armoured Personnel Carrier, Ambulância e Comando. Este contrato é a continuação de outros dois, 2006 e 2007, que totalizavam 12 viaturas (11 APC e uma viatura de recuperação). As entregas relacionadas a este contrato começarão a serem realizada em 2010 e estão voltadas para o emprego operacional dentro das obrigações geradas pela participação em Missões de Paz dos Fuzileiros Navais junto à ONU, no Haiti e também participarão em outras missões da ONU no futuro.

  36. samuel temos que saquear a espanha facista que basta ser uma superpotencia e ela já esta la pronta! pra servir de capacho.

  37. 18 é um número muito escasso… admira-me muito que seja economicamente rentável manter um parque tão escasso no imenso US Army…

  38. gaitero

    é clavis, de grão em grão, o que diria os comentadores de grandes fóruns quando eles compraram 12 unidades???

    E agora são mais 18, quem sabe amanha mais 24, e por ai vai, infelismente estamos falando de Brasil, assim como Portugal com seus 37 leopards, temos nós 30 piranha III ^^

    Eu acredito que haverá ainda mais encomendas, pelo menos até que se chegue a 60 unidades.

  39. a sério? vocês só têm 30 Piranha III?
    bem… sendo assim,já não digo nada… 18 passa a muitos…

  40. Srs. tenho o prazer de dizer-lhes q conheço um dos primeiro comandante de Sub Guppy americano a vir p/ o BRASIL, o Capitão de mar e guerra Luiz joaquim Campos Alhanati, um sr. guerreiro, uma pessoa altamente treinada p/ n/Marinha de Guerra. Um grande guerreiro.

  41. gaitero

    Poxa clavis, Brasileiro não desiste nunca ^^

  42. estou a ver!
    enfim, grão a grão…

  43. gaitero

    O planejamento da Marinha prevê construir, em estaleiros privados nacionais, 32 navios-patrulha até 2016 em um investimento estimado em R$ 2,97 bilhões.
    Das 32 unidades previstas, 27 são navios-patrulha de 500 toneladas de deslocamento, orçados em R$ 2,16 bilhões. As outras cinco embarcações, com investimentos previstos de R$ 815 milhões, correspondem a embarcações maiores, de 1.800 toneladas cada uma.
    Dois navios-patrulha de 500 toneladas cada estão em construção no estaleiro Indústria Naval do Ceará (Inace), em Fortaleza, e devem ser entregues em 2009 e 2010.

  44. Os srs. sabem alguma coisa sobre os armamantos do SNB e quantos cascos vão ser contruidos? (+ de tres ?)

  45. gaitero

    http://www.defesanet.com.br/md1/fr.htm

    Notar o trecho aonde esta escrito, ajudar o Brasil a contruir uma frota de submarinos nucleares.

  46. sim… muito importante, de facto:
    “A compra prevê o compromisso da França de ajudar o Brasil a formar uma frota de submarinos nucleares.”
    é a primeira vez que vejo fontes oficiais a falarem de mais de um submarino!

  47. gaitero

    Sim.
    passei só para deixar o discurso do Lula durante o almoço de confraternização com oficiais-generais das Forças Armadas.

    Achei interessante, pena somente ser muito longo.

    Mas para quem tiver tempo ^^
    http://www.defesanet.com.br/md1/lula_08dez08.htm

  48. afinal uma frota e composta de quantos Navios?Meia-dúzia?Cinco? Quem sabe?Fico mt feliz em saber q fianalmente vai sair o SNB..Já vão pensar duas a tres vezes antes de pensar em uma aventura…Existe esperança .E q venha os Escopénes /Merlin..pra ontem.

  49. “ós temos reserva de US$ 207 bilhões, coisa que nunca tivemos; nós temos quase 290 bilhões de compulsório, já colocamos mais de 100 no mercado, para irrigar o crédito, e vamos tomar outras medidas, se for necessário, para colocar mais dinheiro. Porque nós aprendemos, depois de vinte e poucos anos sem a economia crescer, aprendemos o gosto do crescimento, aprendemos o gosto da geração de empregos. Foram quase 11 milhões de empregos nesses seis anos de governo.”
    simplesmente notável.
    será que é desta que o “país do Futuro”, se torna mesmo no dito?
    estou plenamente convictyo qie sim.
    e de mais: que será dos BRIC o que melhor vai resistir á recessão mundial atual: pela independência dos combustíveis fósseis e pelo dinamismo do seyuu setor agrícola e exportador, se mais não houvesse.

  50. Tocante..é inspirador,,,., posso acreditar;+ deixe-me ter um pouco de péssimismo, certo?

  51. o péssimismo é saudável… porque tem um efeito de prevenção para futuras asneiras!

  52. O “R” dos Bric’s , a Rússia, está em vias de entrar em recessão…espero q ñ ocorra com o “B”;

  53. A Rússia já está em recessão; q merda..vem calote por aíh.E atraso no Pak-Fa -50 …

  54. Espero q os projetos de reekipamentos ñ sejam atingidos p/ essa recessão…esperamos mt por isso.O Brasil merece.

  55. o Brasil é um país exportador. Todos os países exportadores irão sofrer com o abrandamento da economia mundial, e sobretudo com o da europeia onde se estima hoje que vá ocorrer um recuo de pelo menos 10% dos níveis de consumo… é claro que exportando essencialmente o Brasil bens essenciais (alimentos e biocombustíveis) está provavelmente em melhor posição para resistir a esse abrandamento do que países como a Venezuela ou o Irão que exportam combustíveis, cujo consumo será reduzido em época de recessão ou a China, que exporta tecnologia e bens manufacturados…
    essa é a minha convicção.
    temos que esperar pelo primeiro trimestre de 2009 para confirmar esta minha tese, contudo…

  56. Edmar

    Se realmente o Brasil for construir esses submarinos aqui em nosso País, isso será espetacular, pois seria construido debaixo de nossos olhos e futuramente poderiamos construir submarinos com maior tecnologia e genuinamente brasileiros…
    Assim como no programa FX-2.

  57. Edmar

    E essas fragatas então em nossos mares, quem iria querer arrumar rolo com a gente…

    Então fica claro que o Brasil tem que realizar todos esses projetos.

  58. o Brasil tem que ter uma Armada á escala das suas riquezas e da extensão das suas águas territoriais… e uma estratégia de alianças que – na nossa (MIL) opinião – deve integrar-se num quadro lusófono (CPLP).

  59. O triste é q o “emblogio” econômico pode acabar e/ou atrasar em mt esses projetos…e preocupante; se considerarmos a pouca visão de nossos estrategistas, vide n/ quadro de penúria atual..

  60. os projetos de Defesa, se não forem simples “importações” e se implicarem construção e montagem local podem ser focos importantes de Emprego e Desenvolvimento…
    neste concreto brasileiro, este aspecto está a ser acautelado, pelo que não me parece que hajam cortes.
    sobretudo pela urgência dos mesmos… o atraso tecnológico em meios aéreos e navais no Brasil no continente estava a ser demasiado notório…

  61. Espero q “nossos amados” lideres tenham tbm essa opinião.

  62. têm que ter.
    ou então não merecem esse título.

  63. O acôrdo tem de versar q, metade dos subs merlin tem de ser contruidos no BRASIL. e os cascos do Snb (+ 2 )..aí sim é transferência de conhecimentos sensível.Tem mt água p/ correr, kem viver verá.

  64. dois SNA… sim, já se fala de plural.
    Espero que não construam mais…
    e que gastem esse dinheiro num NAE novo…

  65. Um NAE contruidos p/ nós ,BRASUCAS e o lançamento do Vls com o satélite geoestacionário ,…controle completo sobre o continente BRASILeiro.Mt bom , e o meu sonho…sem invasões noturnas na hiléia …dormir (quase) tranquilo ,; p/ ontem.

  66. Edmar

    Com o “Porta-Aviões SP” sendo modernizado, acho que daria ainda por alguns anos ele estar operando pela Marinha Brasileira, até chegar o futuro “Porta-Aviões” Brasileiro.
    Só que agora o “Porta-Aviões SP” depois de modernizado, teria que operar além dos aviões “AF1 A-4” que também serão modernizados, teria que operar alguns aviões que poderia ser o vencedor do programa FX-2, “Dassault Rafale” ou “Boing F-18 Super Hornet” versões embarcadas, para dar uma logistica maior para a “Marinha do Brasil”.

    Agora o que eu mais queria mesmo é ver o projeto dos novos “Submarinos” e das novas “Fragatas” sendo executado, ou seja, sendo posto em construção.
    Ai, sim, poderiamos ter uma Marinha mais respeitada la fora.

  67. gaitero

    Com certeza amigo.

    O principal objetivo da MB é submarinos, mas o sampa é um grande vetor, e é importantíssimo, agora que sua reforma esta prestes a ser finalizada, não tenho dúvida de que ele ainda tem uma vida longa, de pelo menos mais 15 anos na MB.

    Creio que seu maior problema está no comprimento das catapultas, que são bem inferiores as atuais, acho que é 57 metros, contra 75/90 dos novos PA.
    Este seria um problema, visto que os atuais caças não operam em catapultas que tenham menos de 20mil t.

    O são paulo tem 20 mil t, mas caças como rafale ou hornet, não vou nem colocar o sh, pois seria necessário uma alteração na estrutura do NAE, mas o rafale e o hornet, possuem capacidade de serem lançados do são paulo sem problemas para missões ar-ar.

    Desta forma podemos concluir que seria importante à MB antes de modernizar uma grande quantidade de A4. Adquerir algumas unidades, seja hornets C/D usados, ou alguns Rafales F2 novos, para fazer justamente o papel de defesa aérea, e deixar alguns A4 e os S-2T para ataque anti-navio, anti-submarino e ar-terra.

  68. Se o Brasil tem mesmo aspirações globais, e a ser um ator importante em missões de paz da ONU, pelo mundo fora (requisito de um lugar permanente no CS) então um NAE é muito mais importante que submarinos… alias, tirando as Malvinas (década de 80!) em que conflitos modernos foram eles usados? reconheço o seu papel como disuasores, mas nestes cenários atuais, fragatas, cruzadores ou NAE são plataformas muito mais úteis…

  69. gaitero

    Bom eu sempre fui daquela velha história,
    ”no mar existem 2 tipos de navios, os submarinos e os alvos” então…..

    ^^

  70. bem… eu lerei o que deu a guerra submarina nas duas grandes guerras… outros apostaram também ai todas as cartas e… perderam!

  71. Nas Malvinas o Cruzador Belgranos foi afundado por um Sub inglês…O negocio e subs , mt + de 15 SSKs, e o Vls , fragatas ; + tem q ter o ” inimigo oculto” os subs…p/ ontem.

  72. sim, foi.
    o único caso das últimas décadas, ao que me lembro…
    e quantos navios foram afundados por aviação embarcada, hem?… muitos mais…
    é por isso que defendo a primazia num bom NAE; com aviões capazes (e não me refiro aos vetustos A-7 nem a Rafale apenas com capacidade ar-ar)

  73. gaitero

    Mas, e quanto custa uma aviação embarcada comprarando-a a uma frota de submarinos em????

    ^^

  74. golpe baixo! 🙂
    sim, é muito mais cara, mas cumpre um leque muito mais alargado de missões…

  75. gaitero

    [009]

  76. Ronaldo

    Olá,
    Deixem-me lhes informar algo que, até agora, poucos sabem a respeito das mudanças que estão ocorrendo na MB.
    O REM de um novo PA da MB foi aprovado.
    Então, serão comprados novos caças para este novo Porta Aviões e não para o atual S.Paulo.
    Os A-4 poderão serão usados exclusivamente no atual PA, modernizados ou não.
    No cenário atual, a MB focará todos os seus esforços finaceiros para as novas escoltas a serem compradas.
    O novo PA não tem, ainda, data para ser incorporado, mas será construído no Brasil.

    Sds.

  77. Edmar

    A unica coisa que eu queria é que a modernização de todas as Forças do Brasil fossem o quanto mais rápido poder, pois nossos vizinhos estão se armando bem depressa e já tem estrangeiros cobiçando nossa Amazônia e nossos Mares.

  78. grandes notícias, essas do NAE… exatamente a abordagem que venho aqui defendendo à basto tempo… e uma séria dúvida sobre a racionalidade do investimento na atualização dos A-4 e do SP…

  79. Fred

    Levando em conta o fator tempo :), o investimento em atualização e modernização dos vetores e do próprio NAe aumentam sobremaneira a disponibilidade, o treinamento e reduzem o custo operacional.

    Entrando ainda o manejo tecnológico, as cadeias de logística e operacional e principalmente a introdução e adestramento dos ambientes em rede.

    Essas coisas não se ensinam, só se aprende por tentativa e erro, veja a diferença da fab de 1999 e a de hoje.

    O resultado do esquadrão agressor na última cruzex, que mesmo operando com limitação proposital, foi superior a força de coalizão é prova da escolha correta e correção dos erros encontrados durante a aplicação da estratégia escolhida.

  80. a ideia será então manter o SP operacional e com os A-4 enquanto se constrói e equipa um novo NAE?
    Mantendo a escola de especialidades dos NAE…
    Compreendo os argumentos a favor da manutenção de aviões mais ou menos vetustos como o F-5 e o A-4 numa força aérea moderna. Mas repara, Fred, como estes argumentos não vingaram na Venezuela ou no Chile…

  81. Fred

    Sim, mas a que custo? A hora voada dos SU, convenhamos, não é nada barata. A Venezuela não está tão bem assim, muita coisa é propaganda, no pior sentido da palavra.

    O chile tem uma situação privilegiada nesse teatro, um bom rendimento militar graças a lei do cobre e um bom desenvolvimento civil graças a pouca densidade demográfica.

    Lembra o cobertor curto? uma hora o pé está de fora outra hora a cabeça está. Isto também pesa na logistica, e como. A opção brasileira foi desenvolver a tecnologia localmente, bem como os padrões de manutenção e não compras puras de equipamentos.

    Sem falar que temos o problema, ou vantagem, das dimensões continentais do país. Então a compra de equipamentos para atender essa demanda seria astronômica. Sem falar do prazo de entrega de tantos equipamentos.

    Cabe aqui a curruptela do velho adágio, mais vale um na mão que dois no sutiã 🙂

  82. gaitero

    Pois é Ronaldo isto foi sacado no db pelo marino tambem ^^

  83. Edmar

    Se a Marinha do Brasil se coordenar certinho construindo os seus novos submarinos, suas novas fragatas e ainda continuar treinando e até usando o Porta-Aviões SP até chegar o novo, o Brasil vai ser mais respeitado e os agressores que quiserem invadir nossos mares terão que pensar melhor!!! Só, se a Marinha e o Governo Brasileiro trabalharem bem juntos e sem atrasos em seus projetos…

    Ah, e vale lembrar.: A Venezuela tem alguns SU-30 e vai obter muito mais SU-30 e SU-35, só que, para cada piloto treinar nestes aviões o Governo da Venesuela vai ter que pagar muito dinheiro, e será que eles tem?
    Não.
    E não adianta um país ter um monte de aviões de alta-tecnologia, mas não ter um bom treinamento.

  84. Edmar

    Mas eu fiquei muito contente com esses submarinos!!!!

  85. eu bem que procurei, mas se há problemas (neste momento) de manutenção com os SU-30 venezuelanos, não vejo sinais disso na Internet.
    Tudo parece bem, portanto.
    Veremos é se com a queda do preço do crude continua a haver dinheiro para financiar a manutenção e as horas de voo… o que era o que te referias, Fred.

    Edmar: tiveram para comprar… mas terão para manter? Veremos o quanto cai o preço do petróleo, a única exportação venezuelana.

  86. O caso e bater a quilha do Novo PA.. e termos caça supersonicos fabricados aki, nossos EMBRAER, uma plataforma Brasuca, dentro de nossas necessidades regionais e técnicas, uma questão de coragem e iniciativa. E q venham o Melim e/ou Escopénes.. ameaça fantansma. Para ontem.

  87. Fred

    Sim, sim, era isso.

    Todos previam um preço de crude, salvo engano, na ordem de 60 doletas o barril, Que na verdade era o preço dele mesmo. 😉 , sempre foi, o resto era especulação pura.

    Agora abaixo dos cinquentinha, quero ver sukhoi voando, quero ver sukhoi voar!

    O mesmo vale para o cobre, obvío que mantendo as devidas proporções.

    Os sukhoi, historicamente, tem uma manutenção simples, porém dispendiosa, os gastos realmente expressivos serão quando da substituição dos grandes componentes, como turbinas, elementos estruturais, hidráulicos, etc.

    Posso estar enganado mais o TBO dos AL-31F não deve ir muito mais que mil horas de vôo (FH), e oa vida útil (service life) não deve ser muito maior que 3000 horas de vôo. Dai o custo excessivo, e nas condições brasileiras proibitivo. A estimativa da FAB chegou a 20 mil doletas por hora voada.
    Mais caro que a hora de vôo do soluçante Merlin EH 101 🙂 e por falar nisso o que houve com eles?

  88. Os novos caças p/ a venezuela já era…o petróleo a U$60,00 e o valor do treinamento …é mt caro..Adeus treinamento .

  89. Edmar

    O que eu quero ver mesmo se for possível no futuro, o Brasil com seus novos submarinos e fragatas em atividade, e com os Rafales embarcados no Porta Aviões SP…

  90. Fred: eles hão de voar… mas baixinho e… pouco. pois! Do que me lembro têm que ter uma revisão completa em ciclos muito mais curtos que qualquer aparelho ocidental. Isso deve ter custos danados, também… quanto custa um tal ciclo de manutenção? CHavez contou com isto quando tomou esta decisão? Duvido…
    Quanto ao EH… Não se fala disso… Suponho que andam a usar os velhos mas fiáveis Puma à força toda enquanto esperam que o contrato com o fabricante produza frutos e repare os tais excelentes, mas caprichosos, EH101…

    Edmar: Valerá a pena? É que parece que os Rafale podem operar no SP, mas em missões de ar-ar (menor peso), é como ter tigres e tê-los com… as unhas e dentes cortados… snif.

  91. Os A4 devem ser repontencializados e os Rafales da MB p/ o novo PA que neste tempo ,09 anos, se constroi o mesmo; até a entregas do caças gauleses..

  92. hum. o que defendem? que o SP opere A-4 para missões ar-solo com uma esquadra de Rafale para missões ar-ar.
    Ok… Isso parece-me razoável.
    Especialmente porque os Rafele podiam transitar para o novo NAE.

  93. Fred

    Mas sabemos que novos vetores só para o novo NAe, No Sampa só A4 mesmo.

  94. é pena… acho um desperdício operar o SP apenas com os A-4 e sem poder de combate credivel Ar-Ar…

  95. Edmar

    Seria bom mesmo se no Porta-Aviões SP operacem pelo menos uns 6 Rafales para missão ar-ar…

  96. “Já que em 2008 a FAB vai selecionar seu novo caça no Programa FX-2, o Ministério da Defesa deveria olhar com carinho para o Rafale, que também pode ser usado pela Marinha.
    A FAB planeja adquirir 24 novos caças, num orçamento de cerca de US$ 2 bilhões.
    Se a MB comprasse mais 12 Rafales, acrescentar-se-ia mais um bilhão, embora 6 aviões já sejam suficientes para guarnecer o NAe São Paulo.”
    http://blog.naval.com.br/2007/11/22/rafale-operando-no-nae-sao-paulo/

    ou seja, 6, parece ser um número consensual.

    e adequado. Por exemplo, um projeto como o do Cavour (um model que vai muito além do de um NAE convencional) contempla apenas 8 aviões:
    http://www.naval-technology.com/projects/num/

  97. Fred

    1 bilhão a mais? só se for para olimpiadas……;)

    falta completa de prioridades, na minha modesta e inculta visão.

  98. Fred

    e saiu o Plano nacional de defesa, uma interessante leitura, recomendo!

  99. Fred

    https://www.defesa.gov.br/eventos_temporarios/2008/estrategia_defesa_nacional.pdf

    agora o link, esqueci de por no outro post, hehehe 🙂

  100. meio bilião, se fossem apenas 6, o que já seria muito adequado…

  101. gaitero

    Ufa enfim chegou.

    Texto, estratégia nacional de defesa, liberado a público.

    http://www.exercito.gov.br/05notic/paineis/2008/12dez/img/defesa.pdf

  102. Edmar

    Ou seja meus caros amigos…

    O Porta-Aviões SP modernizado, com seus 12 AF1 A-4 também modernizados.., imaginando 6 Rafales só para interceptação.., 3 aviões Vicking que está sendo modernizados e serão entregues a marinha dentro de algum tempo..e os 4 helicópteros que já possuem.., com esse arsenal acho que daria uma boa condição para o Porta Aviões SP.

    E imaginando também as novas Fragatas fazendo escolta, teriamos uma força rasoável em nossos mares.

  103. em termos de capacidade, o Foch tinha:

    • 15 × Super Étendard
    • 4 × Étendard IVP
    • 10 × F-8E (FN) Crusader
    • 6 × Alizé
    • 2 × Dauphin Pedro helicopters
    • 2 × Super Frelon helicopters
    http://en.wikipedia.org/wiki/FS_Foch

    caças (10), aviões de ataque (15) e de reconhecimento (10), mais 4 helis.

    assim, se na sua encarnação “SP” tivesse 12 A-4, mais 3 Viking, mais 6 Rafale, ainda ficaria “com espaço” disponível…

  104. Multiplicava essa forças tarefa por tres, é teriamos realmente uma marinha com real expressividade…sonho meu.

  105. bem se o SP fosse equipado com os tais aparelhos, no nº indicado já seria uma plataforma adequada de projeção de poder… e compatível com o seu uso no quadro de missões de paz da ONU. Imagine-se a diferença que tal NAE faria, p.ex. na identificação, combate e dissuasão à atividade pirata nas costas da Somália…

  106. Ontem (17/’12/08) o club naval convidou autoridades p/ a palestra sobre o SNB da MB…é o começo da coisa..acho q agr vai. termos o (s) n sub nuclear (s) ..p/ ontem.

  107. Edmar

    Olha gente na situação que as Forças Armadas estão com poucas verbas.., se nosso Porta Aviões SP Modernizado tiver 12 unidades de AF1 A-4 Modernizados.., 6 unidades de Rafale para interceptação.., 3 unidades de aviões Vicking e 4 unidades de helicópteros de algumas funções…, acho que já estaria muito bom.

  108. pois estaria, seria já um vetor muito interessante e a melhor plataforma de toda a América do Sul…

  109. gaitero

    No PND na parte da marinha esta escrito que o brasil irá desenvolver um novo porta aviões que funcionará nos moldes do LHD, este será equipado com um caça tambem nacional com capacidade multimissão.

    E ainda está escrito que será mais de uma unidade ^^

    http://www.exercito.gov.br/05notic/paineis/2008/12dez/img/defesa.pdf

    É só ver ^^ claro, é bom ver no indice e pular direto a parte que importa.

  110. gaitero

    Esta ai tambem explicito que teremos uma frota de submarinos convencionais e uma de nucleares, e eles serão juntamente com os meios aeronavais, e satélites geo estacionários a principal linha de defesa do mar ^^

  111. É mt bom p/ ser verdade…e quando comeceremos ?Chega de léro-léro…Estamos pagando pra ver. Já é.

  112. Ronaldo

    Clavis,
    O NAe S. Paulo não comporta a operação do Rafale-M, apenas realizou testes, mas não se pode pousar um nele e nem lança-lo a não ser com mínimo combustível e sem nenhum armamento e ainda por cima elevando ao máximo a capacidade da catapulta.
    A última vez que se forçou a catapulta, as tubulações explodiram… e bem já sabemos o que aconteceu.
    Sds.

  113. Edmar

    Mas agora na modernização que o “Porta Aviões SP” está passando, as tubulaçãoes foram todas trocadas e aumentaram um pouco a potência das catapultas, dando assim capacidade de lançar um “Rafale M” sim.., só que, equipado apenas com munissão ar-ar.

    Só que.., não sabemos exatamente depois da modernização do Porta Aviões SP quanto tempo de vida utíl ele tera…, uns dizem que ele poderia ir até 2015, outros dizem que ele poderia ir até 2020…, mas o certo ninguém sabe.

  114. Edmar

    O “Porta Aviões SP” está num processo de modernização…., sendo a última de sua vida utíl.

    Mas agora na modernização que o “Porta Aviões SP” está passando, as tubulaçãoes foram todas trocadas e aumentaram um pouco a potência das catapultas, dando assim capacidade de lançar um “Rafale M” sim.., só que, equipado apenas com munissão ar-ar.

    Só que.., não sabemos exatamente depois da modernização do Porta Aviões SP quanto tempo de vida utíl ele tera…, uns dizem que ele poderia ir até 2015, outros dizem que ele poderia ir até 2020…, mas o certo ninguém sabe.

    Agora pelos calculos que já fizemos, o “Porta Aviões SP” depois de sua modernização poderia sim, operar pelo menos.:
    – 12 unidades de AF1 A-4.
    – 6 unidades de Rafale para interceptação.
    – 3 unidades de aéronave Vicking.
    – 4 unidades de helicópteros de algumas funções.
    Dando assim uma rasoável força para a Marinha Brasileira.

  115. SIm, essa seria uma configuração ótima para o navio. Dar-lhe-ia capacidade ar-terra e uma defesa aérea formidável, além de notáveis capacidades de deteção (Vikings) e de apoio a operações terrestres (4 helis, havendo capacidade para mais, já que espaço de hangar ainda sobraria bastante, tendo em conta o arsenal que os franceses embarcavam).

    Quanto à vida útil:
    “The major reason certain ships were decommissioned before older vessels is the Service Life Extension Program (SLEP), which added 10 to 15 years to the life of a ship. A 30 year old carrier that has been modernized under SLEP has a 15 year service life remaining, while a 25 year old unmodernized carrier only has 5 years left (nominal lifetime without SLEP is 30 years). ”
    http://www.hazegray.org/faq/smn5.htm#E7

    extrapolando a partir daqui, temos que o Foch foi construído em 1957 + 30 anos = 2007 isto admitindo uma equivalência destas modernizações… ou seja… o SP já está muito perto do fim…

  116. Edmar

    Sim caro amigo Clavis, nós teríamos uma força rasoável para a Marinha do Brasil e para a defesa Brasileira…

  117. Fred

    Dai a manutenção tão extensa que o mesmo está sofrendo, a vida útil das catapultas e elevadores já está no fim, por isso não se utilizará nada mais que os Helis, vikings e A4.
    Lembrem que o SP foi comprado para os A4 e não vice versa, o futuro NAe deverá entrar em operação em no máximo 12 anos, ou seja, o novo deve começar a ser projetado e construido na próxima década.
    O Foch teve sua quilha batida em1957 e foi comissionado em 1963 + 30 =1993 e foi transferido em 97 para a reserva na França para ser utilizado quando das manutenções do Charles, e seria desativado definitivamente em 2012, o PRM da Marinha brasileira prevê sua utilização até 2020. Praticamente sua via útil foi extendida por volta de 10 a 12 anos.

  118. espero que a estrutura esteja em bom estado e que não haja fadiga do metal nas superestruturas… é que estas têm já umas boas décadas… E sim, isso exclui o Rafale do SP, penso eu. Ainda que teoricamente… Ele possa aí voar e fosse de facto uma boa ideia comprar já 6 deles e depois reutilizá-los no novo NAE.

  119. gaitero

    Ronaldo, ao contrário, o Rafale M pode realizar missões ar-ar no Nae São Paulo sem nenhuma restrição.. isto já foi largamente discutido, e provado, o peso do rafale para Ar-Ar é de 17,5 mil T, ambas as catapultas tem capacidade máxima de 20 mil T.

    O Rafale apenas não pode ser catapultado em sua capacidade máxima de 22 toneladas….

    Mas enfim, a previsão é aposenta-lo em 2020, quando substituido por novos NAE.
    O São Paulo se manterá apenas com 12 A4M, 4 SeaHawks e muito provávelmente 6 S-2T, 4 para missão anti submarino e patrulha e 2 para Missão de REVO.

    O novo Porta Aviões pode ser um estilo multimissão, com capacidade de transporte de tropas, carros de combate, helicópteros e aviões.

  120. ou seja, sem capacidade visivel ar-ar…

  121. gaitero

    Sim, mas creio que o A4-M receberá um novo radar grifo e capacidade BRV.
    Na verdade tambem não precisamos ainda de nada muito grande. Temos que ter calma, o PND vai andar a passos lentos, vai durar 20 anos, não é de um dia para o outro que se moderniza e contrói tudo novo, ainda mais se for produzido no Brasil.

  122. Fred

    Exatamente, Gaitero, exatamente.

  123. sim, mas o novo radar dará capacidade ar-ar credível ao A4M?
    Essa é que a questão.

  124. Edmar

    Clavis.., mas esta capacidade ar-ar que você fala no AF1 A-4…, pode no caso, interceptar um avião agressor…

  125. bem:

    “Armament

    * Guns: 2× 20 mm (0.787 in) Colt Mk 12 cannon, 100 rounds/gun
    * Missiles: 4× AIM-9 Sidewinder”
    http://en.wikipedia.org/wiki/A-4_Skyhawk

    se esta é a sua capacidade AA então é idêntica à do AMX… pouca portanto…

  126. Fred

    Sim, mas para a função que se destina, atende plenamente.

    O alerta aéreo antecipado dará a cobertura necessária para as missões e os derby em bvr a capacidade de defesa imediata. Como o A1M fará, assim reza a lenda. 😉

  127. hum… mas será possível utilizá-lo no A4M?

  128. gaitero

    Dada a instalação de um radar grifo, sim tudo é possivel ^^

  129. sim, compreendo.
    bem ok. se os F-5 se portaram bem com os Python III… Então e no cumprimento da minha velha tese de que “importa mais o míssil que o avião que o lança”, dou-me por satisfeito… Os A4M poderiam ser uma plataforma razoável AA, nesse contexto temporal limitado.

  130. gaitero

    Para 6 a 8 anos por assim dizer.

  131. poucos anos para tantos investimentos no SP e nos A4M…
    Mesmo que se comece hoje a desenhar um novo NAE nacional… nem daqui a 15 anos está no mar. O que dá uns 6-7 anos sem NAE e a perda certa da escola de especialistas que estes navios exigem… grave, grave…

  132. gaitero

    Depende né, existem alguns projetos prontos por ai…..

  133. projetos de NAE?
    hum… mas num país sem experiência de construção de um…
    os indianos também andam às voltas com o seu NAE nativo e têm tido diversos problemas… é uma coisa de grande escala e onde nada pode falhar…
    Por isso é que nestas coisas é sempre melhor procurar parcerias. Por exemplo com a França, que os constrói há já muito tempo.

  134. gaitero

    Diria que um LHD esta mais próximo do brasil……

  135. gaitero

    Quando digo projeto pronto, digo de outro país se é que me entende ^^

  136. sim, compreendo.
    faz todo o sentido, efetivamente.
    Eu olharia muito de perto para o conceito do Cavour italiano…

    “The ship is designed to combine fixed wing V/STOL and helicopter air operations, command and control operations and the transport of military or civil personnel and heavy vehicles. The 134 metre, 2,500 m² hangar space can double as a vehicle hold capable of holding up to 24 main battle tanks or many more lighter vehicles (50 Dardo IFV, 100+ Iveco LMV), and is fitted aft with access ramps rated to 70 tons, as well as two elevators rated up to 30 tons for aircraft. Cavour can also operate as Landing Platform Helicopter (LPH), accommodating heavy transport helicopters (EH 101 ASH) and ~325 marines.”

    “Air group: The ship hasn’t assigned a fixed air group but is fixed according to the mission, will be a mix of 20-24 short takeoff vertical landingHarrier AV-8B plus 2 (F35B when available) and helicopters EH-101 (including Mk.112 AEW/HEW, Mk.110 ASW/ASV, Mk.410 TTH/utility e Mk.413 ASH), NH-90 NFH or TTH and SH3D”
    http://digilander.libero.it/en_mezzi_militari/html/en_cavour.html

    que já navega, mas aparentemente sem corpo aéreo atribuído.

  137. gaitero

    Estava mais próximo do modelo espanhol diria ^^

  138. O “Principe de Asturias”?
    http://www.naval-technology.com/projects/asturias/

    não sou grande adepto do dito… para já só pode operar aviões de descolagem verticais e a sua adopção (do seu plano, digo eu) implicaria que… o F.35 seria o avião a embarcar aí…

    e depois é um NAE dedicado, não uma plataforma mulitpla (APC, MBT, infantaria, aviões, etc) de projeção de poder, como o Cavour…

  139. O modelo de NAE Rússo e mt melhor cruzador + Pa…mt superior,Julgo ser melhor p/ o BRASIL ..

  140. gaitero

    Não.
    Estava a me referir ao Juan Carlos I (L61) — a strategic projection vessel (Buque de Proyección Estratégica (BPE)), — is a multipurpose warship for the Spanish Navy (Armada Española), similar to American LHDs of the “Wasp” class. The concept was approved in September 2003 and Navantia (formerly part of the Izar shipyards in Ferrol) began construction of the 231-metre 27,000-ton V/STOL aircraft carrier and amphibious assault ship in 2005.

  141. gaitero

    Sobre o F-35.
    Ele ainda esta na lista lembra-se????

  142. gaitero

    Ultima sobre o NAE São Paulo, é de deixar o queixo aberto ^^

    Gaitero diz:
    Como anda o A-12??

    Mapinguari diz:

    O A12 vai bem, deverá receber o novo eixo em breve. A modernização inclui o SICONTA MK4 e revitalização/modernização das catapultas. A catapulta de proa deverá lançar aeronaves até 22,5 ton e a lateral até 20 t. Antes, era 20 e 15t, respectivamente. O navio deverá receber ainda um sistema de defesa AAé de ponto VLS (isso poderá ser feito com o navio fora do dique, obviamente, sem interromper a operacionalidade do navio por longo tempo, como no caso do atual PMG).
    Quanto aos Skyhawk, dezesseis aeronaves deverão sofrer modificações na motorização, sendo que 12 aviões serão modernizados para um padrão à la F-5M, a partir do qual poderão levar mísseis BVR Derby e Sidewinder/Piranha I/2 ou A-Darter (futuramente). Isso sem contar armas ar-superfície, incluindo LGBs.

  143. Isso e q é repontencialização, do NAE SP e dos caças Skyhawh, mt bom. Pelo menos vai dar uma sobrevida de uns 10 anos.

  144. Gaitero:
    “Estava a me referir ao Juan Carlos I (L61) — a strategic projection vessel (Buque de Proyección Estratégica (BPE)”
    -> Então é isso. É o mesmo conceito do Carvour italiano. Estamos de acordo, portanto.

    “Sobre o F-35. Ele ainda esta na lista lembra-se????”
    -> Está? Em que lista? Na do F-X2 não…

    “O A12 vai bem, deverá receber o novo eixo em breve. A modernização inclui o SICONTA MK4 e revitalização/modernização das catapultas. A catapulta de proa deverá lançar aeronaves até 22,5 ton e a lateral até 20 t. Antes, era 20 e 15t, respectivamente. O navio deverá receber ainda um sistema de defesa AAé de ponto VLS (isso poderá ser feito com o navio fora do dique, obviamente, sem interromper a operacionalidade do navio por longo tempo, como no caso do atual PMG).
    Quanto aos Skyhawk, dezesseis aeronaves deverão sofrer modificações na motorização, sendo que 12 aviões serão modernizados para um padrão à la F-5M, a partir do qual poderão levar mísseis BVR Derby e Sidewinder/Piranha I/2 ou A-Darter (futuramente). Isso sem contar armas ar-superfície, incluindo LGBs.”
    -> Ok… Temos plataforma por mais alguns anos…
    -> A potencia das catapultas não é superior ao que se pensava?

  145. Fred

    Sim, mais ainda inferior ao necessário para o Rafele ou F18 SH em plena capacidade.
    Mas daria para o Rafale na configuração supremacia aérea.
    Falta saber dos elevadores.
    Alguma notícia gaitero?

  146. bem, na equação atual, parece-me que podemos esquecer o Rafale no SP… vai ser só A4M, aposto a 98/100

  147. Fred

    sim com certeza! só dará A4 mesmo e o turbo tracker.

  148. pois é, pena…
    de qualquer talvez seja boa ideia comprar 6 Rafales navalizados e começar a usá-los preparando a futura construção de um novo NAE “tipo Cavour/LHD”…

  149. Bem , o acordo foi assinado hoje(23/12/2008-sábado ), então é só comerçarmos…Agr e só o futuro , os merlin e os cascos do Snb…kem viver os verá.

  150. é verdade, Carlos.
    Brevemente irei publicar sobre este acordo franco-brasileiro.

  151. Ótimo, espero os dados técnicos dos nossos subs(nossos , percebeu..)e dos SNB; as ameaças fantasma…mt bom. Nossa MB os merecem.

  152. gaitero

    Candidato numero 1 à preferencia do novo NAE da MB saiu….

    PA2, porta aviões francês, convencional, a ser desenvolvido em parceria com o novo CVF britanico.

  153. Onde se pode ver a origem destas infrormações…p/ o NAE dfa MB? OBGD.

  154. Hum…
    Pois.
    Não seria anda mau… parece ser um admirável NAE…
    mas
    http://movv.org/2007/06/02/os-dois-novos-porta-avioes-britanicos-e-do-miseravel-estado-actual-da-royal-navy/
    mas o preço…

  155. Uma pergunta;Vamos contruir um PA convencional ou nuclear? quem sabe os planos da nossa gloriosa MB?

  156. da uma olhada nisso sera que é uma boa escolha o frances?>http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI3577860-EI8142,00-Governo+da+Franca+confirma+choque+entre+submarinos+nucleares.html

  157. ” Nuclear submarines from Britain and France collided deep in the Atlantic Ocean this month, authorities said Monday in the first acknowledgment of a highly unusual accident that one expert called the gravest in nearly two decades.”
    http://www.nytimes.com/aponline/2009/02/16/world/AP-EU-Britain-Sub-Collision.html?partner=rss&emc=rss

    !!!

  158. (a DCN estará a incorporar tecnologia utilizada na linha de submarinos nucleares franceses “Le Triomphant“, nomeadamente um redesenho hidrodinâmico.0

    se o merlin tiver o mesmo sonar estamos perdidos!!!

  159. bem… a minha tese é que andavam a picar-se…
    quantas hipótese há mesmo de 2 submarinos colidirem em pleno mar alto???

  160. Luís Fernando

    Não se pode afirmar seja o sub francês o culpado e muito menos que os instrumentos não tenham correspondido, aliás, tudo indica que muito embora fossem SSBNs, estivessem envolvido num jogo de gato e rato.
    Como as avarias do sub francês foram na proa, há que se especular sobre uma possível manobra “crazy Ivan” por parte do sub inglês em razão da chamada zona escura de captação que existe na popa de todo submarino.

  161. gaitero

    Duas F-124 atracaram no início de março no Brasil, segundo explicado elas estavam de passagem para a Unitas Gold, mas o real interesse era mostrar a fragata a MB.

    Esta semana a fragata Forbin, classe horizon, chegou ao Rio, a Fragata participará de exercícios com um submarino e uma Fragata da MB, segundo afrimado, o interesse é mostrar a fragata e suas semelhanças com a FREMM, tambem candidata a ser a nova escolta da MB.

    Sds.

  162. andam todos a mostrar o inventário…
    sinal de que a decisão se avizinha, provavelmente…

  163. Que tomem logo está tão esperada e demorada ,(nhenhenhen)decisão, logo; o BRASIL agradeçe.

  164. e agora é o momento certo… com a recessão que afecta os países fornecedores (Eua, Suécia e França) estes estão mais desesperados do que nunca para exportar…

  165. Ai dos vencidos..e hora de escolher o melhor, o dinheiro é tudo…

  166. gaitero

    Chegaram as ultimas informações.

    O A-12 estará em breve voltando ao mar, as provas deverão ocorrer nos proximos meses e ele estará operacional aindo no final deste ano.

    A reforma foi completa, o navio não tem nada do que tinha quando chegou da França, todos os sistemas, fiações, tubulações, geradores de energia, foram substituidos, os sistemas de combate foram substituidos, as catapultas foram reformadas e revisadas, estão 0 bala. Em breve teremos notícias sobre um sistema antiaéreo para o Nae.

    12 A-4 deverão ser modernizados e o anuncio oficial deverá ocorrer ainda este ano, Os 6 S-2 adqueridos, serão 3 AEW ( deverão utilizar o radar do R-99) e 3 COD/REVO.
    Os SH-70 deverão chegar até 2010. E novas encomendas deverão ocorrer.

    Os EC-725 deverão ser 8 com capacidade anti navio. E 8 com capacidade SAR.

    Os 10 Rafale F1 são a novidade.
    Todos os que 10 estão estocados na França, na verdade foram reservados para a MB, esta apenas não fará a compra agora para não prejudicar o andamento do FX. Ou seja, se o vencedor for o rafale ou o gripen a MB formalizará a compra ainda este ano. Caso o vencedor seja o F-18 SH a compra deverá ser cancelada e o Brasil irá atraz de F-18 Hornets.

    Grande abraço.

  167. Espero que de refale, nada de sh 18,se bem que a boing está “procurando” parceiros no BRASIL, quer dar um fato consumado nos concorrentes..se acham espertos.Que dè franceses no FX 2.

  168. para defesa porta aviões são muito dispendiosos,o bom ceria submarinos pequenos varios com pouca tripulação e muita tecnologia,fragatas muitas com plataformas furtivas e pouca tripulação,pois abaixa o custo,miceis torpedos de alta tecnologia,elicopteros bem armados com miceis e torpedos anti navios e submarinos,caças com grande autonomia,pequenos aviões não tripulados para vigilancia 24horas,de que adianta gastar uma fortuna com grandes embarcações armada ate os dentes 2000 3000 tripulantes leva um torpedo ou um micel afunda um enorme prejuiso em dolares e vidas perdidas,ao meu ver grandes embarcações de guerra nos dias de hoje com as tecnologias existentes,é só para aparecer pura burrice,embarcações pequenas e medianas velozes furtivas ceria o melhor para o brasil,ja que é para defeza,e como ja dice caças com grande autonomia de voou pois somos um pais gigante com enorme fronteira e mares para vigiar,o valor gasto com fabricação e manutenção de um porta aviões da para encher o litoral brasileiro de fragatas e corvetas de ultima geração,se um porta aviões é atingido o tamanho do prejuizo com grana e vidas e para atingir varias fragatas e corvetas submarinos é muito mais dificel na minha opinião isto é que é defesa,agradeço a oportunidade,dhou.

  169. O Brasil escolheu um bom parceiro …. a França ! Mas eh bom saber que as forças armadas brasileiras não pretendem invadir país nenhum , mesmo porque mesmo adquirindo todos os armamentos convencionais, eles não passam de brinquedinhos ! Explico: As armas de defesa real são os armamentos atomicos e este armamento o Brasil não tem . Assim sendo são brinquedos caros , próprios para a defesa do país ! Os países que teem misseis atomicos de longa e curta distancia são : Coreia do Norte , Israel, Russia, Ucrania, China , India, Paquistão, França , Inglaterra , EUA e possivelmente daqui a uns anos o Irã ! Estes países dominam o cenário mundial de ataque e defesa ! O resto eh brincadeirinha de criança malvada !

  170. alex

    Desde que comecei a inveredar neste assunto de defesa, fico dizendo que deveríamos investir muito mais em sistemas de mísseis, foguetes e satélites, assim como em sistemas de armas para equiparmos nossas escoltas ou navios de apoio. Porque infelizmente o Brasil nao tem a cultura de desenvolver parques de tecnologia avançada. Vejam nosso “programa espacial”, se é que temos um. Mesmo assim acredito que seria mais barato do que investirmos em projetos, sozinhos, de novos navios e aviões e que custam, dezenas de bilhões de dólares. Não temos caixa para isso, enquanto nos sistemas de armas já há uma grande possibilidade. Mas isso não nos impede de realizarmos parcerias para saírmos da inércia de defesa na qual nos encontramos. Para o nosso Brasil, primeiramente deveríamos equipar e bem equipado o atual contigente de aproximadamente pouco mais de 300 mil profissionais entre marinha, exército e aeronáutica, talvez com uma dúzia de freems francesas, outras dúzia de type 26 e mais 12 corvetas barroso, remoduladas em estado de arte, stealth é claro. Nossos patrulhas oceânicos, embora não sejam navios de combate, deveríam no mínimo ter um canhão 76mm, outros 2 de 30mm antíaéreo, e uma carga mínima de 2 lançadores sextuplos de misseis de curto alcance antiaéreo além de cargas de profundidade. Afinal um navio de 1.800 ton só para carregar um canhãozinho de 30mm, cá pra nós! Somando-se a isso 2 NAes, tipo projeto posseidon, 4 anfibios multifunção, navios logísticos e demais embarcações, era o mínimo que este país necessita se é que ainda pretende fazer parte do conselho de segurança da ONU. Mas como se não dá segurança a sim mesmo? Que incoerência! Só politico brasileiro mesmo. Quanto a força aérea pelo menos 120 caças modernos, multifunção e ainda arriscaria na aquisição de pelo menos 24 unidades do F 35 dos gringos mesmo sem tranferencia de tecnologia. Precisamos de muito em muito pouco tempo. Dinheiro? Temos! O que não temos é vontade política e planejamento.

  171. patriota

    Estamos em agost de 2014,e até agora nem sub marlin e nem fragata freem. O que afinal de contas estamos fazendo? Aonde está indo todo o dinheiro do projeto?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: