Daily Archives: 2008/10/30

Compreender e unir

Reservemos para nós a tarefa de compreender e unir; busquemos em cada homem e em cada povo e em cada crença não o que nela existe de adverso, para que se levantem as barreiras, mas o que existe de comum e de abordável, para que se lancem as estradas da paz; empreguemos toda a nossa energia em estabelecer um mútuo entendimento; ponhamos de lado todo o instinto de particularismo e de luta, alarguemos a todos a nossa simpatia.
Reflictamos em que são diferentes os caminhos que toma cada um para seguir em busca da verdade, em que muitas vezes só um antagonismo de nomes esconde um acordo real. […]
Não os queremos trazer ao nosso grémio nem ingressar no deles; apenas desejamos que da melhor compreensão entre uns e outros, do conhecimento das essências, se erga a morada de um Pai que não distingue entre os eleitos e a todos por igual protege e incita; cada um ficará em sua lei; só pretendemos que não tome os de leis diferentes por implacáveis inimigos ou por almas perversas e perdidas; são homens como nós e vão-se dirigindo ao mesmo fim; desde já os vejamos como futuros companheiros – Agostinho da Silva, “Por um fim de batalha”, Considerações [1944], in Textos e Ensaios Filosóficos I, p. 117.

Publico isto para me recordar quão indigno sou de prezar estas palavras que não pratico!…

Anúncios
Categories: Agostinho da Silva | Deixe um comentário

A Índia lançou a sua primeira missão lunar, a Chandrayaan 1

A Índia lançou com sucesso a sua primeira missão lunar. A sonda Chandrayaan 1 partiu para o Espaço do espaçoporto indiano no Estado de Andhra Pradesh, no sul do país, para uma missão com duração prevista de dois anos. Como a sonda chinesa, o objetivo da sonda será o de mapear a superfície lunar, criando um mapa tridimensional da mesma e localizando recursos minerais. A sonda vai recolocar a União Indiana na “Primeira Divisão” da exploração do Espaço, reunindo este pais ao Japão, EUA e China que têm neste momento orbitadores ativos na Lua.

A sonda pesa uma tonelada e meia e vai procurar localizar gelo de água na Lua e Helium 3, um isótopo raro na Terra, mas que se estima ser comum na Lua e que poderá ser um combustível de eleição para reatores de Fusão Nuclear.

A sonda é alimentada por um painel solar de 700 watts que fornecem energia a um grupo de cinco instrumentos indianos e outros seis construídos em Estados associados ao projeto, destes, um dos mais interessantes uma mini-sonda de 30 kg que será libertada da nave-mãe e que vai colidir com o solo lunar filmando cada momento da sua aproximação e medindo a composição da ténue atmosfera lunar.

O lançamento da Chandrayaan será a responsabilidade de um foguetão “Polar Satellite Launch Vehicle (PSLV)” que o colocará numa órbita alta dita de “transferência”, após o que uma série de pequenos impulsos dos propulsores da própria sonda a colocara a caminho da Lua, onde chegará depois de um percurso de cinco dias e meio.

O seu custo total é de 78 milhões de dólares, insignificante quando comparado com o da ESA, NASA ou mesmo a China, mas muito sensível num pais onde centenas de milhões passam ainda fome apesar da “revolução verde” da ultima década. A Fome tornou-se ultimamente um problema ainda maior com o agravamento dos preços dos alimentos na Índia e com a sua crónica dependência das importações e clássica expansão demográfica. A manutenção de um Programa Espacial de primeira linha pode assim ser questionável num pais imerso ainda em tão grandes e graves problemas de desenvolvimento. Por outro lado, este lançamento prova a capacidade da tecnologia espacial indiana… E o anterior recorde do PSLV com a colocação em órbita de 10 satélites em simultâneo confirma ainda mais a sua capacidade e… torna a Índia num seríssimo competidor no lucrativo mercado mundial de lançamento de satélites.

Mas recuar no que concerne à Exploração  Espacial é negar ao bilião e meio de indianos o seu lugar na Lua, quando começar a sua ocupação permanente, lá para meados deste século e, sobretudo, abandonar um domínio cientifico e tecnológico tão crucial para o desenvolvimento de um pais como o é o da ciência aeroespacial.

Fonte:
bbc.co.uk/news

http://en.wikipedia.org/wiki/Chandrayaan

Categories: Ciência e Tecnologia, SpaceNewsPt | Etiquetas: , | 3 comentários

Quids S15: Como se chamavam estes dois atores?

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S15 | 12 comentários

Novas Regras para Quids S15

1. Todos os quids valem um ponto.

2. Os Quids são lançados pela manhã. Entre as 6:00 e as 10:00 (Hora de Lisboa)

3. As pistas só serão dadas à hora de almoço (12:30-14:30). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S15 | 1 Comentário

Quids S14: Que sonda espacial é esta?

Dificuldade: 3

1. Cada Quid valerá entre 1 a 5 pontos.

2. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no dia seguinte, depois das 24:00 do dia do lançamento do Quid. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.

3. Pode haver vários quids lançados entre as 12:30 e as 14:30, cada dia.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S14 | 5 comentários

A “Allied Security Trust”: a última “arma secreta” das multinacionais de TI para destruir a inovação e dividirem entre si o mercado

A formação da “Allied Security Trust“sc, por parte de empresas como a Google, a Verizon, a Cisco, a Ericsson, a HP, e outras da mesma escala para a compra de patentes pode vir a revelar-se como um dos golpes mais violentos jamais realizados contra a inovação e a criatividade na área das tecnologias de informação. Assim, estes gigantes multinacionais vão dividir o mercado entre si, abafando qualquer pequena empresa que surja com um produto novo e revolucionário, mesmo antes deste chegar ao mercado.

Estas multinacionais (onde se destaca a Google que ainda tem como lema “do no evil”) vão assim dividir o mundo entre si, desenhando e implementado um verdadeiro “Tratado de Tordesilhas” que impedirá a chegada ao mercado de uma nova empresa, com um inovador produto. Os consumidores, a Economia e a Sociedade ficam evidentemente a perder e estas multinacionais a ganhar… Perante a passividade das autoridades europeias e norte-americanas, provavelmente demasiado ocupadas a contar as contribuições partidárias que estas empresas fazem para as campanhas eleitorais nos dois lados do Atlântico.

Este é o mundo do futuro que estas multinacionais – e outras noutros ramos de atividade – estão a forjar para nós: um mundo em que apenas elas podem sobreviver, construindo monopólios efetivos em todos os sectores, destruindo qualquer pequeno competidor que possa surgir, pela compra de patentes ou pela via aquisitiva – como ainda recentemente a Microsoft fez com a portuguesa Mobicomp – e controlando todos os mercados, destruindo as empresas locais e dividindo entre os si os despojos que são os seus consumidores: nós.

Fonte:
http://blog.tmcnet.com/blog/rich-tehrani/patent/allied-security-trust—-let-the-patent-wars-begin.html

Categories: Economia, Informática | 4 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade