Daily Archives: 2008/10/27

Farmácia, Ordem dos Farmacêuticos e comercialização de produtos homeopáticos e “naturais”?

“Código Deontológico da Ordem dos Farmacêuticos

Artigo 3º
1. A ordem exercerá o poder disciplinar sempre que haja violação dos deveres fixados neste Código, no Estatuto e regulamentos da Ordem e na demais legislação aplicável.
2. A violação por parte dos farmacêuticos das disposições legais e das normas prescritas neste Código, determina a instauração de processo disciplinar pelos órgãos próprios da Ordem, sem prejuízo da responsabilidade civil, penal ou administrativa a que estiverem sujeitos.

Capitulo II
Deveres gerais dos farmacêuticos
Artigo 6º
1. A primeira e principal responsabilidade do farmacêutico é para com a saúde e o bem-estar do doente e da pessoa humana em geral, devendo por o bem dos indivíduos à frente dos seus interesses pessoais ou comerciais e promover o direito das pessoas a terem acesso a um tratamento com qualidade, eficácia e segurança.
Artigo 9º
1. Como agente de saúde, o farmacêutico tem a obrigação de colaborar activamente com os serviços públicos e privados nas iniciativas tendentes à protecção e preservação da saúde pública.

Artigo 12º
No exercício da sua actividade na farmácia de oficina ou hospitalar o farmacêutico deve:
a)      Colaborar com todos os profissionais de saúde promovendo junto deles e do doente a utilização segura, eficaz e racional dos medicamentos.
b)      Assegurar-se que, na dispensa do medicamento, o doente recebe informação correcta sobre a sua utilização;
c)      Dispensar ao doente o medicamento o em cumprimento da prescrição médica ou exercer a escolha a escolha que os seus conhecimentos permitem e que melhor satisfaça as relações beneficio/risco e beneficio/custo;

Artigo 15º
No exercício da sua profissão o farmacêutico deve pautar-se pelo estrito  respeito das normas deontológicas, sendo-lhe vedado designadamente:
e)      Dispensar produtos que não estejam cientifica e tecnicamente comprovados ou não registados nos serviços oficiais”

Mas se é assim, então como se explica que em praticamente todas as farmácias deste país se encontrem à venda – frequentemente nos expositores mais nobres do estabelecimento – produtos “homeopáticos” ou “naturais”, cientificamente incomprovados, ausentes de qualquer sustentação ou prova experimental e que agem nas pessoas fundamentalmente através do “efeito placebo“? Sabendo que muitos utentes compram produtos nas farmácias, apenas porque eles lá estão e presumem assim que se tratam de produtos cientificamente reconhecidos e validados, então estando estes “produtos naturais” carentes desta sustentação não deviam estar fora das nossas farmácias porque “não preservam a saúde pública” (art.6), “não oferecem uma boa relação benefício/custo” (art.12), “não são uma utilização eficaz dos medicamentos” (art.12), não informam o paciente da ineficácia cientificamente comprovada destes “medicamentos” (art.12), não contribuem em nada para a preservação da saúde pública” (art.9)?

E assim, sendo, e dando cumprimento ao Artigo 3 do código da Ordem, não deviam ser alvo de procedimentos disciplinares todos os associados que comercializassem e mantivessem propaganda a produtos homeopáticos ou “naturais” nos seus estabelecimentos, colocando o bruto lucro acima do dever de respeito ao utente que os busca e ao respeito pela ciência e pelo método experimental que sustenta o seu negócio?

Artigo 3:
“A violação por parte dos farmacêuticos das disposições legais e das normas prescritas neste Código, determina a instauração de processo disciplinar pelos órgãos próprios da Ordem, sem prejuízo da responsabilidade civil, penal ou administrativa a que estiverem sujeitos.”

Fontes:
http://ldf.planetaclix.pt/codigo_farm.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Placebo

Anúncios
Categories: Ciência e Tecnologia, Portugal, Saúde | Etiquetas: | Deixe um comentário

Quids S14: Que MBT é este?

Dificuldade: 3

1. Cada Quid valerá entre 1 a 5 pontos.

2. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no dia seguinte, depois das 24:00 do dia do lançamento do Quid. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.

3. Pode haver vários quids lançados entre as 12:30 e as 14:30, cada dia.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S14 | 16 comentários

Quids S14: Que palavras faltam aqui?

Dificuldade: 2

1. Cada Quid valerá entre 1 a 5 pontos.

2. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no dia seguinte, depois das 24:00 do dia do lançamento do Quid. Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, desde que pedidas por um (qualquer) dos participantes. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.

3. Pode haver vários quids lançados entre as 12:30 e as 14:30, cada dia.

4. Só há quids entre 2ª e 6ª (incluindo feriados). Salvo imprevisto…

5. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

6. É vivamente desencorajado o uso de vários nicknames para o mesmo concorrente, já que desvirtua o espírito do jogo. Lembrem-se que o IP tudo revela…

Categories: Quids S14 | 7 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade