Da vaga de “nacionalizações” da Banca em curso, alguns avisos para o futuro e o que se poderia fazer…

Já que parece estar a generalizar-se a solução “nacionalizadora” por parte dos Governos de praticamente todo o mundo sobre os bancos em dificuldades, talvez importe compreender se este será a acao correta a fazer neste momento… Sem duvida que a decisão cega de salvar qualquer instituição financeira em dificuldades seja perniciosa a longo prazo, já que salvarão entidades mortas e que a realidade económica teria morto, se lhe fosse permitido aplicar o seu papel.

Em termos económicos e de justiça social, os administradores, gestores e grandes acionistas destas instituições em dificuldades deviam ser punidos financeira ou penalmente, lançando especial foco sobre as abomináveis “clausulas de rescisão” que se tornaram usais para tantos gestores de topo de empresas em dificuldades. A nacionalização destes Bancos em dificuldades restaura a desconfiança dos investidores e – sobretudo – dos seus clientes e parceiros comerciais e refinancia o estagnado sistema de fluxos monetários interbancários cuja doença tem criado esta explosão da taxa Euribor.

Dada a generalização do problemas da toxicidade dos créditos provocada por décadas de erros de gestão, preocupadas apenas com critérios quantitativos de curto prazo, não ficaremos espantados se a nacionalização acabar por ser a fórmula generalizada para a solução da crise financeira global. Surge então a questão fundamental: onde irão os governos buscar estas imensas quantias de dinheiro? Na Europa, os limites impostos pelos eurocratas e pelo autista BCE não dão grande margem de manobra para intervenções estatais, resta assim o recurso ao crédito internacional, e nomeadamente ao FMI… A nacionalização total ou parcial dos Bancos tem entregue aos governos (como no caso britânico) ações preferenciais e assentos nos conselhos de administração. É vital que esta presença estatal seja mais do que meramente formal. Não queremos assistir a uma multiplicação de casos como os da AIG, onde após receberem 80 mil milhões de dólares dos contribuintes americanos, os seus diretores se apressaram a organizar uma faustosa comemoração nos EUA com gestores de todas as filiais do mundo. Não, a nacionalização deve ser atuante e monitorizar contra erros de gestão e desperdícios como o citado. A nacionalização deve também procurar favorecer a divisão destas grandes instituições em várias menores, focadas localmente e não globalmente, aproximando a gestão dos clientes e recusando novas fusões que além de sacrificarem sempre Emprego e receitas fiscais, virtualizam a relação cliente-Banco e que tanto contribuíram para estes excessos de endividamento que criaram a crise subprime onde radica hoje toda esta turbulência.

A curto prazo, a solução para a crise financeira tem que passar pela nacionalização total ou parcial de todas as instituições de retalho em dificuldades (as de investimento, como o Lehmans, devem morrer), como alias esta a ser feito, e a médio prazo, todos estes bancos devem ser divididos, relocalizados e entregues preferencialmente a entidades locais, sejam empresários, associações empresariais, municípios ou associações sem fins lucrativos, que recentrem a atividade bancária numa forma sustentada de desenvolvimento que desvie os Bancos de tentações globais ou especulativas e à escravização das suas atividades aos interesses de curto prazo de acionistas e especuladores.

Categories: Economia, Política Internacional | 24 comentários

Navegação de artigos

24 thoughts on “Da vaga de “nacionalizações” da Banca em curso, alguns avisos para o futuro e o que se poderia fazer…

  1. Fred

    Por aqui a única medida de peso por enquanto foi a diminuição do emprestimo compulsório dos bancos para o BC brasileiro, aumentando a liquidez da economia em R$ 100 Bilhões de Reais. Com isso o BC entende que a oferta de crédito interno será mantida, principalmente para as exportações!

    Para bancos mesmo, nada! Ainda bem :)!

  2. “Brasil é claro que é atingindo. Nós entramos num mundo globalizado. Mas é menos atingido por quê? Um setor financeiro sólido, nós temos um mercado interno que os outros não têm, e ele pode substituir o mercado externo, que vai encolher. Nós temos reservas de US$ 200 bilhões. Ter reserva nessa hora significa estar preparado para um ataque especulativo, um problema cambial.”
    http://jbonline.terra.com.br/extra/2008/10/13/e131022941.html

    o mercado interno… é a grande força do Brasil e a grande fraqueza da China, que certamente que sofrererá muito este abrandamento económico do mundo… o Brasil resistirá melhor, porque tem um poder de compra superior, mas também porque a maioria das suas exportações são alimentares e logo menos sucedâneas que as chinesas (bens de tecnologia baixa e intermédia e vestuário)

  3. Fred

    Com certeza, muitas medidas ainda serão necessárias, mas acredito que não haverá nacionalização de bancos ou ajuda financeira, apenas ajustes visando liquidez e para manter o crédito para agricultura e para exportações.
    Que com o dolar acima de 2 reais, já ajuda um bocado! 🙂

  4. gaitero

    ^^
    Perfeito.

  5. vamos ver, no que dá isto.
    se houver outra semana igual à passada (com perdas que alguns estimam serem já superiores às da crise de 1929) dificilmente algum país ficaria incólume. Felizmente, foram tomadas as medidas acertadas, na altura certa. E em teoria se restar alguma racionalidade aos Mercados (o que é duvidoso) o pior pode ter já passado… financeiramente falando, claro, que a recessão na economia real essa é… certa durante os próximos dois anos, pelo menos.

  6. gaitero

    Acertadas abre aspas ne clavis,

    Salvaram os especuladores, com dinheiro publico o que eu acho um absurdo, deveria é se constituir leis mais severas contra esta mafia especulativa, só assim reloveriam o problema, fazer o que, quando acordaram, viram o tamanho do rombo, e só com dinheiro do povo sendo quimado, é que salvaram a economia mundial ^^

    Foi relamente tenso, sorte que vendi meus dólares ontem, digamos que em 2 semandas lucrei mais que lucaria com 1 ano investido na poupança.

  7. Fred

    E você ainda reclama dos especuladores!
    Mas agora é hora de comprar ações, quem não precisa de liquidez pode fazer ótimos negocios a médio prazo!

    As ações cairam de mais, quem apostar na empresa certa vai ganhar muito dinheiro agora!

  8. cairam demais, mas sobem demais desde 2000 (pelo menos) e sem sustentação na economia real!
    teoricamente ainda deveriam cair (mas mais ligeiramente durante umas semanas) para depois estabilizarem em valores mais reais…
    na prática, ninguém sabe, já que o Mercado enlouqueceu completamente e manifesta assim uma flagrante necessidade de regulação e um fim imediato de short-sellings e outras anomalias derivadas… (tipo Futuros)

  9. Fred

    é mas algumas cairam mais do que possiveis valores reais, como a Vale, petrobras e algumas de logistica pro exemplo. E um nicho de mercado que pode render algum dindim no médio prazo!

  10. e nos EUA? AInda ontem /dados de sexta), nos rodapés da CNN só via descidas de bancos na ordem os 30-40%…

  11. gaitero

    Bom pelo menos hoje fecharam em alta, 10% aqui na bovespa.
    Claro, cresceram muito, só que como eu sempre falava, estes finaciamentos pague até a morte, acabaram com as imobiliarias norte americanas e começaram essa tsunami. Espero que agora, se estabilize, ou pelo menos não sofra mais estas graves variações que estão deixando os investidores loucos.

  12. gaitero

    Opa já está em 13%

  13. por cá também subiu… mas não tanto:
    http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=334886
    de qualquer modo, eu estou descansado… ações internacionais só tenho mesmo da Embraer e algo me diz… que para aí virão boas noticias dentro em pouco… 🙂

  14. gaitero

    xD este sabe investir……..
    A Embraer tambem está na minha Green List.

    Os computadores Positivo estão me dando um bom retorno….

  15. gaitero

    Agora empresa boa mesmo e a Copel

  16. e vou persistir… sem exagerar, claro…

  17. gaitero

    Sim, ademais tirar agora é bestiera o centro do tornado já passou, e todos sabem que depois da tempestade, sempre vem um dia de sol, claro, se não tiver destruido tudo, mas como vemos balancou balancou e ufa, não caiu.

  18. gaitero

    Dizia meu professor de economia que para se sair com uma pequena fortuna da bolsa de valores, só existe uma maneira, investir uma grande fortuna ^^

    Sabe que agora começo a concordar com ele.

    Mas de qualquer maneira, vamos ver até onde minhas rezervas vão.
    Por enquanto mais ganhei do que perdi, como não tenho pressa, espero conseguir o que desejo.
    O importante é ter calma e ser otimista.

  19. gaitero

    WoW

    Bovespa dispara 14,6%

  20. bem eu vou continuar trilhando o mesmo caminho… ações só em empresas que conheço minimante e cujo futuro posso antecipar (caso da Embraer) e o resto vai para Fundos, de risco o mais conservador possível, muito diversos e em vários bancos, para não colocar todos os ovos no mesmo cesto…
    mas porque a minha confiança neste Mercado é… muito pouca, as minhas poupanças andam mesmo a prazo…

  21. e como creio que esta crise ainda não deu o seu útimo fôlego (porque os preços continuam em patamares irracionalmente elevados e porque a recessão vem mesmo aí) recomendo a todos os que conheço que dispersem as suas poupanças, que as reforçem e… que transfiram o que puderem para contas a prazo.

  22. gaitero

    Claro.
    Corretissimo

  23. o problema é que a corrida à Bolsa já começou… não tarda nada os mesmos acionistas que agora entraram em pânico, estão a recomprar aos Estados as parcelas que estes apressadamente nacionalizaram, e cedo, cedo, voltará tudo ao mesmo…

  24. gaitero

    E quem vendeu por 100 compra por 50, para daqui 1 mes valer 100 novamente.
    Quem pagou o prejuizo?? Claro o povo que contruibui com os impostos injetados hoje na economia.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: