Geórgia, NATO e as promessas vazias (e perigosas) da senhora Merkel

(Merkel na Geórgia in http://i1.turkishpress.com)

A chanceler alemã Angela Merkel exprimiu recentemente o seu desejo de permitir a adesão da Geórgia à NATO: “A Geórgia será um membro da NATO se o desejar ser – e ela quer ser“. Já no passado mês de Abril, na última cimeira da NATO em Bucareste, na Roménia os líderes da NATO tinham admitido que a Geórgia e a Ucrânia poderia juntar-se à NATO num futuro próximo e o excesso de confiança resultante desta declaração esteve na direta razão da tentativa do presidente georgiano de retomar o controlo sobre a região rebelde da Ossétia do Sul.

Na verdade, estas renovadas declarações de apoio continuam a exprimir uma grande falta de consciência por parte dos líderes da NATO. Desde logo, renovam o excesso de confiança georgiano que ao fim ao cabo esteve na direta razão deste conflito, e depois, garantem algo que não pode ser garantido! Pode Merkel ou Bush assegurar que todos os atuais membros da NATO vai concordar com esta polémica adesão? A Grécia bloqueia a adesão da Macedónia e a Turquia a de Chipre, nenhum membro atual da NATO tem objeções à entrada da Geórgia? Merkel pode falar com autoridade em nome deles todos? Certamente que não… E o que sucede ao famoso artigo 5º do Tratado fundador da NATO (ver AQUI)?

Artigo 5

As Partes concordam em que um ataque armado contra uma ou várias delas na Europa ou na América do Norte será considerado um ataque a todas, e, consequentemente, concordam em que, se um tal ataque armado se verificar, cada uma, no exercício do direito de legítima defesa, individual ou colectiva, reconhecido pelo artigo 51.° da Carta dias Nações Unidas, prestará assistência à Parte ou Partes assim atacadas, praticando sem demora, individualmente e de acordo com as restantes Partes, a acção que considerar necessária, inclusive o emprego da força armada, para restaurar e garantir a segurança na região do Atlântico Norte.
Qualquer ataque armado desta natureza e todas ais providências tomadas em consequência desse ataque são imediatamente comunicados ao Conselho de Segurança. Essas providências terminarão logo que o Conselho de Segurança tiver tomado as medidas necessárias para restaurar e manter a paz e a segurança internacionais.

Que meios tem atualmente o exército georgiano para resistir a nova ofensiva russa, especialmente agora após os russos terem passado boa parte desta semana a dinamitarem navios de guerra, aviões e blindados capturados neste conflito e – sobretudo – depois de todas as perdas sofridas pelos georgianos neste conflito? A Geórgia não terá nos próximos 10 ou 15 anos meios suficientes para alinhar um qualquer tipo de resposta minimamente credível a qualquer ataque russo e sendo assim, será totalmente dependente de meios externos (da NATO) para se defender. É isso que queremos? Um membro pleno indefeso que depende totalmente dos meios da Aliança? É que como pode a Geórgia cumprir com o Artigo 3 do Tratado:


Artigo 3
A fim de atingir mais eficazmente os fins deste Tratado, as Partes, tanto individualmente como em conjunto, manterão e desenvolverão, de maneira contínua e efectiva, pelos seus próprios meios e mediante mútuo auxílio, a sua capacidade individual e colectiva para resistir a um ataque armado.”

De qualquer forma, se novo país aderir à NATO esta tem que fazer cumprir o seu mais vital artigo, o 5º que indica claramente que um ataque contra um país membro é um ataque contra todos os demais (Portugal incluído). Se a ideia é não reagir imediatamente com todo o vigor, e não apenas com palavras vazias como aquelas que abundaram nestas últimas semanas.

Fonte:
http://www.tvi.iol.pt/informacao/noticia.php?id=982210

Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: , , , | 12 comentários

Navegação de artigos

12 thoughts on “Geórgia, NATO e as promessas vazias (e perigosas) da senhora Merkel

  1. Uma tentativa de intimaidar os Rússos…e se acontecer , da geórgia entrar na otan…srs. se preparem p/ guerrilhas e sabotagens , c/ o apoio de uma superpotência..Kem vai pagar p/ ver ?

  2. Moises

    Bom a Alemanha depende do Gas e petróleo da Rússia os interesses estão claros na região , sera que a NATO e seus menbros estarião dispostos a dar suas vidas em prol dos interesses de terceiros? Acho que não…. em quanto os malucos do EUA continuar com esta política de querer dominar o mundo não vejo possibilidade da Rússia colaborar com a UE, e se o tal escudo for também para Geórgia acredito que a Rússia vai atacar ela novamente.

  3. gaitero

    Bom NATO resumesse em EUA + outros.
    Mesmo os outros não apoiando as atitudes, os EUA mandam e fazem oque quizer, e os outros dizem sim senhor vamos lá.

  4. carlos:
    as sabotagens já começaram… porque colocaram os russois minas terrestres nas vias férreas georgianas? (e já agora: que incompetência, esta de reabrirem linhas férreas sem as examinarem minuciosamente…)

    moises:
    a Alemanha depende totalmente do gás russo. Nunca poderá apoiar qualquer tipo de sanções ou mesmo… apoiar no momento decisivoa a adesão da Geórgia à NATO. Tudo isto não passa de paleio inconsequente. Os russos sabem-no e por isso disseram “a montanha pariu um rato”.

    gaitero:
    sendo que os EUA continuam paralisados pela presença de quase todas as suas forças efetivas no Iraque e por uma guerra que começa a correr mesmo muito mal no Afeganistão… Foi assim no Kosovo, e o preço dessa decisão está agora a ser pago: os EUA manda e o rebanhio segue.

  5. Moises

    Clavis:
    a Alemanha depende totalmente do gás russo. Nunca poderá apoiar qualquer tipo de sanções ou mesmo… apoiar no momento decisivoa a adesão da Geórgia à NATO. Tudo isto não passa de paleio inconsequente. Os russos sabem-no e por isso disseram “a montanha pariu um rato”.

    Bom a Alemanha depende do gás da Rússia, mas não seria pela Geórgia que eles iriam transportar para Europa as maiores reservas de gás do mundo existentes no Afeganistão???
    Este motivo + o escudo anti-mísseis + o ataque ao Irão torna a Geórgia um local super cobiçado pelas potências.

  6. um tipica lider ocidental que acha que chineses e japoneses sao a mesma coisa, achavam isso nos seculos XV ao XX, ao que parece ainda creem o mesmo neste seculo XXI

    • O japao é – juntamente com a Índia – o melhor tampao que o Ocidente tem para travar os impulsos imperialistas de Pequim… Pessoalmente sou grande admirador da cultura japonesa (que alias, Portugal trouxe ao mundo) e confio muito nas suas capacidades para regenerar a sua sociedade e dar um exemplo de democracia e desenvolvimento à China.

  7. Bem que o http://movv.org poderia fazer um post sobre as lições aprendidas durante essa guerra seria uma boa.

    • Bem lembrado… é um conflito muitoo interessante a vários titulos.

      • Eu lembrei dessa guerra depois que eu li sobre esse filme “5 Dias de Guerra” eu tava pensando em assistir, mas quando eu vi que seria o habitual abuso de clichês e propaganda América eu mudei de ideia. Eu detestei “Esquadrão Classe A” (The A-Team) então não tinha porque repetir o mesmo erro.

        http://opiniaoenoticia.com.br/cultura/a-guerra-entre-russia-e-georgia-nas-telas/

        Espero por um post sobre as lições dessa guerra também vale um sobre a guerra das Malvinas, certa vez li sobre um plano dos argentinos para afundar um navio inglês enquanto ele ainda estava em Cádiz, mas o plano falho e eles foram presos tenho certeza que essa e outras histórias merecem um post aqui no Quintus, então quando puder publique.

Deixe uma Resposta para Fadrini Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: