Daily Archives: 2008/08/19

Sobre a proposta da semana de trabalho de 4 dias (e 10 horas diárias)

(Isto… mas apenas 4 vezes por semana in http://www.bl.uk)

Os problemas colocados às economias nacionais e familiares pelo aumento imparável e explosivo do preço dos combustíveis, a pressão que o aumento de produção de cereais para biocombustíveis contra o preço dos alimentos, e o próprio problema das emissões de CO2 e do seu impacto para o Aquecimento Global deviam estar a levar a uma reflexão global sobre aquilo que todos e cada um de nós poderia fazer para contribuir para a solução destes problemas.

Neste sentido, reduzir os nossos padrões de consumo não pode deixar de ser um passo incontornável e neste contexto, reduzir o consumo familiar de combustíveis fósseis. Nos Estados Unidos ganha força um movimento espontâneo para mudar a forma como funciona a economia americana… Algumas pequenas empresas estão a mudar a sua semana de trabalho para semanas de quatro dias e para dias de trabalho de dez horas cada. Desta forma, as empresas conseguem reduzir custos de funcionamento, os funcionários passam mais tempo com a família (fins de semana de três dias), patrões e empregados gastam menos dinheiro em combustíveis e tempo em filas de trânsito e o próprio país pode reduzir as importações de petróleo e os níveis de emissões de CO2 e de poluição atmosférica.

Este noção nasceu não agora, mas na década de 70, como resposta ao primeiro Choque Petrolífero. Na altura, a ideia chegou a ser adoptada por algumas empresas norte-americanas, mas hoje, com os preços do barril de crude a baterem até esses recordes de há 40 anos e com a urgência provocada pela emissões de CO2 no Aquecimento Global, a ideia torna a ganhar relevância e deve merecer a todos nós uma maior reflexão… Na Internet há hoje já várias petições que defendem uma semana de trabalho de quatro dias e algumas cidades do Nevada e da California começaram já a fazer os seus primeiros ensaios nesta direcção… A escala de poupança global potencialmente contida nesta proposta é notável: trabalhar 4 dias em vez de 5 implica uma redução de 20% das viagens de e para o trabalho, quer estas sejas feitas em transportes públicos saturados ou em veículos individuais. Há estimativas apontam para que esta medida possa cortar até 65 milhões de GALÕES de gasolina por cada dia… Ou seja, vários milhões de euros e muitos ziliões de dólares ao preço a que o câmbio euro-dólar está hoje…

A medida parece simples e razoável. Alguns poderão argumentar que um dia de trabalho de dez horas pode levar a uma maior taxa de erros – alguns dramáticos e fatais – especialmente quando o trabalhador de aproxima mais do fim desse período proposto de dez horas de trabalho diárias, mas esse problema pode ser controlado pelo estabelecimento de pausas frequentes ao longo dessas horas e evitando trabalhos e tarefas repetitivas… De qualquer forma, os ganhos potenciais desta adopção da semana de trabalho de 4 dias são tremendos: poupanças para as empresas, poupanças para os trabalhadores, aumento do tempo dedicado à família, redução das importações de petróleo e das emissões de poluentes e de CO2… Contudo, adoptar isoladamente uma tal jornada semanal de trabalho pode representar para a empresa adoptante algumas dificuldades. Desde logo, o quadro legal não é suficientemente flexível para o comportar, e além do mais as empresas que são parceiras ou clientes ou até os próprios clientes directos da empresa não estariam em necessária sintonia com esta alteração. Um e outro factor poderiam perturbar o bom curso da empresa que adoptasse o regime de 4 dias de trabalho e potencialmente poderiam produzir até uma quebra da sua actividade económica e do seu rendimento. A medida teria assim que ser aplicada com alguma moderação e contenção… mas se fosse adoptada por um município ou até a nível nacional, a maioria dessas potenciais desvantagens desapareceriam já que todos, nessa área geográfica, cumpririam as mesmas 10 horas, durante os mesmos 4 dias e obterse-iam todos os benefícios da medida, sem pagar por nenhum dos seus prejuízos. É pois, o tipo de medidas ideais para serem adoptadas a nível de uma autarquia, tivessem elas a autonomia bastante para as tomarem, que não têm, neste nosso Estado infelizmente tão centralista…

Fonte:

http://www.msnbc.msn.com/id/24355274/

Anúncios
Categories: Ecologia, Economia | Etiquetas: | 6 comentários

Quids S12-60: A que famoso caso de OVNI pertence esta fotografia?

Dificuldade:2

Regras:

1. Cada Quid valerá entre 1 a 3 pontos.
2. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.
3. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no período seguinte (12:30-14:30 do dia seguinte, juntamente com o lançamento do Quid seguinte). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, se pedidas.
4. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

Categories: Quids S12 | 11 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade