Das petições online… Sobre a “Petição contra o pagamento de taxas em levantamentos Multibanco” e outras e de um novo conceito de cidadania

(http://library.uncg.edu)

“A imaginação não tem limites. A boa notícia é que o espaço «online» também não. Pedir não custa e os utilizadores da net não se inibem: se navegar pelo «site» www.PetitionOnline.com (um dos vários portais de petições que existem na Internet) tanto pode subscrever o texto dirigido ao Parlamento grego, que reclama medidas contra a destruição das florestas, como juntar-se ao coro de fãs portugueses dos Radiohead que suplicam a presença da banda britânica no próximo festival de Paredes de Coura. Há dois anos um canadiano lançou uma campanha (entretanto retirada) que solicitava à Nike que fabricasse os ténis usados pelo personagem Marty McFly no filme ‘Regresso ao Futuro 2’. No final da última época de futebol, alguém se lembrou de prometer comprar móveis em Paços de Ferreira se o clube local derrotasse o Porto e, por essa via, o Sporting fosse campeão – chegou a recolher quase 2500 assinaturas; pela mesma altura, houve quem acreditasse que poderia convencer Luís Figo a terminar a carreira no Sporting – mas só mobilizou 68 peticionários.”

“Os portugueses estão a revelar-se, de resto, dos mais criativos. Praticamente todos os dias nasce uma petição «online», E é ir aquele em que não há uma, duas ou mais petições de origem lusa no «top 25» das mais populares do PetitionOnline. A facilidade de ‘espalhar a palavra’ e assim arregimentar adeptos para uma causa defendida é a principal explicação para o ‘fenómeno’, saudado pelos politólogos”

“Em 2000, Rui Martins lançou uma petição contra as comissões sobre levantamentos por multibanco. Começou por divulgá-la a cerca de duas dezenas de contactos. Volvidos oito anos, já angariou mais de 209 mil assinaturas (e continua a conquistar novos apoiantes a uma média de 10 mil por semana). Pretende mantê-Ia «online» “enquanto continuar a crescer”: “Fechá-la agora não traria para a causa nenhum efeito concreto e impediria que ela continuasse a funcionar como uma forma de pressão contra as ditas taxas”, explica. Está convicto de que foi o impacto da petição que sensibilizou a banca para que, até agora pelo menos, tenha mantido os levantamentos no MB livres de taxas. · E sabe que foi a sua iniciativa que deu origem a uma proposta de lei do PCP que será brevemente submetida a votação na AR: “Só este detalhe indica que o mecanismo das petições tem impacto e é eficaz”.

“Nuno Fernandes é o mentor da petição contra o fim do ensino especializado da Música, colocada na net a 1 de Fevereiro. Já ‘coleccionou’ mais de 18.500 assinaturas: “Sem ser desta forma nunca o conseguiríamos .. , afirma, acreditando que “só terão credibilidade as petições em que o número de assinaturas for substancialmente elevado” e que “maior será o seu valor” se a causa chegar a ser defendida por altas individualidades. E este é o ponto em que toca o politólogo André Freire: “É preciso que as petições (que chegam ao poder político) tenham consequências ou o sistema político sai descredibilizado”.

CRISTINA FIGUEIREDO · Expresso, 1 de Março de 2008

Já não é a primeira vez que abordo esta questão das petições e por uma boa razão… a petição online mais votada de sempre foi promovida por mim, lá em 2002 é a “Petição contra o pagamento de taxas em levantamentos Multibanco” tem hoje perto de 240 mil assinaturas (mais 30 mil deste a data de publicação deste artigo no jornal Expresso) e muitas outras existem hoje em circulação como a “Por uma Força Lusófona de Manutenção de Paz” e a polémica “Por uma mais rápida aplicação do Acordo Ortográfico“. Mas estas petições são apenas parte de um universo de petições online sobre as mais diversas causas. Portugal é, aliás, dos países mais activos neste domínio, sobrepujando muitos outros países, supostamente mais “desenvolvidos” e com populações civicamente mais empenhadas.

De facto, a maioria das petições têm a ver com causas que de uma forma ou de outra afectam directamente a vida dos cidadãos e que deveriam ser satisfeitas pela classe política. A erupção e multiplicação deste fenómeno é um sinal claro de que o modelo actual de democracia parlamentar está esgotado. As pessoas não encontram forma de comunicar claramente com os seus representantes eleitos, não se revêm neles e percebem uma separação absoluta e hermética entre a classe política e o restante da sociedade. Estes sentimentos são, aliás, aqueles que estão na directa razão dos elevados níveis de abstenção que se verificam em Portugal, e no Ocidente em geral.

O modelo britânico dos círculos uninominais poderia reaproximar o eleito do eleitor. A atribuição clara e inequívoca do “seu deputado/representante” a cada cidadão responsabilizaria cada um destes por manter contacto e resposta aos seus eleitores e poderia repor esta ligação perdida. Contudo, o modelo – se aplicado cegamente – tem o grave defeito de fazer evaporar a representatividade dos pequenos partidos e minorias, contribuindo para o estabelecimento de sistemas bipartidários como o norte-americano, o que reduz muito a vitalidade e a capacidade regenerativa do sistema. Assim, este modelo uninominal não poderia ser aplicado na sua forma pura, talvez numa Segunda câmara (Senado), com poderes mais alargados do que sucede nos EUA e no Reino Unido (Lordes), mas ainda assim suficientes para re-ligar o eleito com o eleitor.

É que algo está efectivamente mal no nosso sistema parlamentar… A propósito da Petição contra as taxas de levantamento em Multibanco, enviei um mail a cada grupo parlamentar e destes, apenas o líder parlamentar do CDS/PP se dignou a responder (não dando contudo continuidade efectiva à resposta). Se o PCP prepara hoje uma proposta de Lei para impedir estas taxas, fá-lo apenas porque se apercebeu que a petição tinha mais de 200 mil assinaturas, não porque lhe tivesse dado importância quando surgiu… Hoje, em dia, se percorrermos a página de deputados do site da Assembleia da República, veremos que perto de 1/3 dos deputados nem sequer tem correio electrónico. E se enviarmos mails aos que têm (acreditem, já o fiz), estes – por regra – não se dignam a responder, nem sequer com uma mensagem-tipo. Os políticos estão em loop eterno e parecem incapazes de sair deste círculo de auto-adulação alimentado por Media servilistas e frequentemente perpetuadores da continuidade de “famílias” ou “gerações” de políticos que se revezam nos círculos de Poder Ad Aeternum. Urge portanto saber aproveitar esta energia latente que vive na sociedade portuguesa e que clama por novas formas de representatividade, por uma nova classe política, menos seráfica e menos barónica e mais próxima dos seus eleitores, não só na forma, no acto, como até no próprio acto concreto de exercer o poder e fabricar a Lei: aproximando pessoal e geograficamente o eleito do eleitor.

Publicado também em Nova Águia

ncab2.jpg

Anúncios
Categories: Informática, Movimento Internacional Lusófono, Nova Águia, Política Nacional, Portugal | 50 comentários

Navegação de artigos

50 thoughts on “Das petições online… Sobre a “Petição contra o pagamento de taxas em levantamentos Multibanco” e outras e de um novo conceito de cidadania

  1. Isabel Valido

    A minha assinatura é a favor da petição contra o desconto das taxas de levantamento nos multibanco

  2. maria joão

    Acho uma vergonha os bancos porem estas taxas. Já roubam tanto ainda querem roubar mais ao cidadão

  3. Carlos Pires

    A minha assinatura é para tentar melhorar este país, a favor da petição contra as taxas de levantamento nas caixas multibanco, e contra uma determinada classe que está cada vez mais rica à custa dos mesmos de sempre, que são obrigados a pagar tudo e mais alguma coisa.

  4. silvina brito

    Não ha duvida , tudo nos tiram …e ainda dizem que PORTUGAL é um jardim plantadoa beira mar…só se for para os ladroes ,vigaristas e corruptos começando pelo GOVERNO

  5. Maria Teresa

    Claro que assino a petição contra esse pagamento, é vergonhoso, os maiores ladrões são mesmo os autorizados pelo estado.

  6. Ana Oliveira

    acho um absurdo termos de pagar 1.50€ é quem mais rouba.. assim nao pode continuar… tou convosco

  7. Maria Celeste Gomes Pimenta

    Será que não precisam de nós para trabalhar para eles?
    Não entendo como pensam que aguentamos tudo isto!!!

  8. Elsa Maria Freitas Martinez Quedas

    Grandes Sacanas!!!

  9. Carla Isabel Carvalho Pereira

    Isto é a maior vergonha que alguem pode ter imaginado é mesmo maquiavélico…

  10. Maria de Fátima Amaral

    enquanto continuarmos a ser governados por parasitas como estes é assim. Morte aos parasitas e todos os seus amigos do capital financeiro

  11. luis barros

    É a cultura do ter deste planeta… ainda.
    Qualquer dia o trigo e o joio, vão ser separados…
    e aí vamos ter a cultura do ser. A VIDA não para.

  12. jorge silva

    Sem comentarios.

  13. Maria Correia

    Taxas? Ainda mais? Simplesmente imoral!

  14. maria luisa f.s.santos

    Que mais nos querem roubar !!!! governo só para capitalistas, estes é que são os verdadeiros Fascistas.Lamento quem neles acredita e os aplaudem, quando os vejo a dizer tantas mentiras na TV, odeio aqueles que acreditam e os defendem.Nunca mas, nunca isto esteve tão mau. Este paraiso á beira mar plantado deixou de o ser logo que estes chuspistas tomaram o governo deste pais. Viva o 24 de Abril !!!!! Prendam estes ladrões

  15. julia

    Os sinais da banca rota

  16. Nao,nao e nao,mais taxas nao.Nao estamos em tempos de simplificar?Entao para quê complicar? Pois se existir essa dita taxa ninguém irá usar o multibanco,vamos «invadir os bancos»,como antigamente para levantar o dinheiro todo.Pagamentos vamos faze-los aos correios.Resta saber se temos tempo para isso tudo,mas com o meu ordenado nao vao eles ficar.Os bancos deviam ter vergonha,quanto mais ganham,mais querem!

  17. Andreia

    Ladrões!!!!

  18. Fernanda Ventura

    Oa Portugueses cada vezes tão mais pobres não os ponham miseraveis

  19. Domingos Batista

    Vá lá não façam isso!!!

  20. Pedro

    Assim com este tipo de roubos por parte do nosso Governo rapidamente o abismo entre classes sociais ira disparar e para pais de 3 mundo caminhamos ! Socrates es uma verdadeira desgraça para todos , menos para ti ,corrupto ou sera que so estupido senhor primeiro ministro ? Corrupto certamente!!!!

  21. Valter António

    Este governo é o maior Ladrão……………………………….

  22. Conceiçao

    Sou contra a nova taxa. Mais taxas não.
    É tudo para eles e para nós nada…..

  23. Rita Moreira

    A minha posição é que a arrogância dos bancos é abominável até apetece começar a voltar a guardar o
    dinheiro debaixo do colchão. Roubam os portugueses descaradamente perante a indiferença do Governo.

  24. Patricia Branco

    Uma vergonha, temos de voltar ao antigamente e gurdar o dinheiro em casa. “Coitadinhos” já ganham tão pouco.

  25. Patricia Branco

    Taxas taxas taxas, onde vamos parar. Eu prefiro guardar o dinheiro no colchao do que andar a sustentar chulos que vivem á custa do zé povinho.
    È imoral, revoltante.

  26. nadia

    que vergonha, o pobre a pagar para os gulosos se divertirem, os assaltantes usam a cara tapada, estes não têm vergonha nenhuma é as vistas e as claras. qq dia não temos dinheiro pra comer e os xulos a comprar carros a preços de imóveis com o nosso dinheiro.

  27. Amilcar Sá

    Os bancos, as taxas e outras coisas mais … Já não há Homens em Portugal ! Ou estes chulos e o Governo da nossa desgraça já teriam sido condenados e esmagados. Enquanto isso, lambuzam-se com o dinheiro dos pobres e riem-se.
    Há Estado de Direito ou Organizações mafiosas?

  28. Rosalinda Santos

    Inadmissivel…
    grojetas a seviços que só benefeciam os bancos? mas é que nem pensar! vamos voltar aos cofres tradicionais. (em casa)

  29. cvieira

    È uma vergonha mas pera que possamos perceber tudo isto vejam o filme que está no site que vos envio com muita preocupação.

    Estamos todos dormentes. um abraço. copiem e colem numa janela do internet explorer

    http://video.google.com/videoplay?docid=-1437724226641382024

  30. CMauricio

    Só falta tirarem o pão que levamos à boca!…

  31. paula duarte

    Fim á roubalheira.

  32. NÃO CONCORDO COM O PAGAMENTO DE TAXAS EM LEVANTAMENTOS PÚBLICOS NO MULTIBANCO.

    Nós somos um País de precários e graças a isso existem caçadores (em cada esquina) de gente necessitada de crédito (grande parte dos Portugueses pedem-no para comprar essencialmente comida para alimentar a família, isto é, os Portugueses são uns grandes sobreviventes no meio desta desorganização convenientemente organizada), digamos que se não fosse assim o País já teria entrado numa guerra civil.
    Nós pedimos crédito e os bancos cobram juros e não o fazem de ânimo leve, isto é, não estão armados em bonzinhos (com sentimentos Humanistas) e todos sabem que ninguém dá nada a ninguém sem ter algo em troca (aos devedores que vivem com grandes dificuldades resta-lhes cumprir a pena pagar os elevados juros).

  33. Ana Sá

    Haverá maiores ladrões que os bancos, paga taxa por tudo e mais alguma coisa.
    Enfim, vamos ter que voltar á era dos nossos avós que é ter o dinheiro debaixo do colchão.

  34. Andreia Campos

    Não concordo com esta medida. Acho que temos direitos como cidadãos, por isso não podemos deixar que nos enganem.

  35. Nelson Dias Marques

    Os Bancos jé se esqueceram que, desde que instalaram as máquinas Multibanco, reduziram substancialmente o número de funcionários,e consequentemente os custos da actividade.

  36. Nelson Dias Marques

    OS BANCOS POR TUDO E POR NADA COBRAM-SE DE COMISSÕES, TAXAS E OUTRAS COISAS MAIS.
    JÁ SE ESQUECERAM QUE DESDE QUE INSTALARAM AS MÁQUINAS MULTIBANCO, REDUZIRAM SUBSTANCIALMENTE OS CUSTOS DA ACTIVIDADE COM DISPENSA E REDUÇÃO DO PESSOAL. É UMA VERGONHA.

  37. Alberto Silva

    Por mim é simples(dá um pouco de trabalho e perda de tempo), vou ao balcão do meu banco, pedir cheques, levantar média de dinheiro pra despesas e semanada, logico que é risco, mas não estou pra ser gozado.

  38. Joseph Smith

    Obviamente que é uma medida injusta! menos para os banqueiros!

    Contra medidas desta afronta e frieza a resposta é MATAR imediatamente, da forma mais criativa, TODOS OS QUE TOMAM TAIS DECISÕES. Lanço o desafio!
    JS

  39. Marco Braga

    Deviamos entregar os nossos cartões ao bancos e fechar as nossas contas, assim ficavama obrigados e não cobrar a taxa ou então a suportar eles essa taxa, pois são eles que lucram com o nosso dinheiro.

  40. carlos duarte

    Apliquem a taxa a quem ganha acima
    de 1000 € mensais.

  41. João Jorge

    Calma pessoal então isto é só mais um impostozinho,ou será que ainda não estão habituados, eu por mim já estava a estranhar, tanto tempo sem um imposto novo, olhem cada um só tem o que merece, não foi o que escolheram, como não vos chegou quatro anos de Sócrates toma lá mais quatro!!!!!! pois mantenham a calma que isto só pode piorar.

  42. Maria

    Nem me apetece comentar, estou indgnada!

    Completamente contra!!

  43. Ana Melro

    Nem tenho palavras.

  44. Adoro ser roubado

    Os portugueses tem o que merecem,todos sabemos que socrates e um grande corrupto e mentiroso,ninguem tem duvidas disso,e la esta mais 4 anos de governo,e como ja sabemos o governo tem um ciclo de vida de 8 anos,socrates sabe que sao os ultimos 4 anos a roubar e o poder volta ao PSD,achas que ele tem algum interesse deixar o pais bem ou deixar o PSD herdar uma bata quente para os tugas estarem ainda mais descontentes?Votem com inteligencia e pressiona-os…vao lhes a carteira e unica forma de lidar com eles, como eles lidam conosco.Bancos era simbolo de confianca,hoje em dia so vemos administradores roubarem proprios bancos.Mais taxas para roubarem nos? REVOLTEM E GRITEM SENAO UM DIA COMEM NOS VIVOS!!!

  45. Carlos Silva

    Isto e uma vergonha

  46. andreia queirós

    Só Faltava isso ! …

  47. Carla Oliveira

    Este país é uma vergonha, roubam até mais não a começar pelo GOVERNO QUE É O MAIOR LADRÂO QUE TEMOS e ninguém faz nada.

    ABAIXO O GOVERNO

    PEÇAM NOVAS ELEIÇÔES

    Carla Oliveira

  48. Maria Jose

    Não basta a crise?
    Querem roubar-nos?
    Só sabem meter mão no bolso! Onde estamos não sei

  49. filomena olga torres faria santos

    NA VERDADE CONTINUAMOS NA ESCRAVIDÃO QUEM PAGA OS IMPOSTOS
    CONTINUA A SER EXPLORADO! E NÃO TÊM VERGONHA DE PUBLICAREM
    OS LUCROS!QUANDO CHEGARÁ D.SEBASTIÃO ?……..

  50. Domingos Lemos

    Quem tiver dinheiro nos bancos portugueses deve levantá-lo e depositar em bancos estrngeiros pois assim tavez os nossos banqueiros tomassem juizo e deixassem de ser gananciosos. Para que serve a Assembleia da República se não fiscaliza nada. Depois queixam-se que os cidadãos se abstenham para qualquer acto eleitoral. Pobre País

Deixe uma Resposta para maria joão Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: