Sobre o afundamento de um “navio lança-mísseis” georgiano e do andamento atual da guerra Rússia-Geórgia


(A corveta lança-mísseis “Tbilisi” da marinha georgiana in http://redbannernorthernfleet.blogspot.com)

Ontem os media foram inundados de referências a um afundamento de um “lança-mísseis” georgiano por parte da marinha russa. A notícia intrigou-me porque não é todos os dias que temos relatos de confrontos navais (são mesmo muito raros na história recente) e ainda mais por referirem o afundamento de um navio “lança-mísseis”, coisa que eu não me lembrava de ver no inventário desse país do Cáucaso… A notícia dos nossos media era muito lacónica, mas noutras fontes internacionais dizia-se que o afundamento tinha ocorrido perto da costa da região separatista da Abkhazia e depois de um grupo de navio georgianos ter por duas vezes tentado atacar navios russos, isto segundo um porta-voz do ministério da Defesa russo, claro: “os navios russos abriram fogo e como resultado um dos navios georgianos afundou-se”. Hum. Não vejo aqui referencia a “navio lança-mísseis”…

A marinha georgiana tem dimensões modestas, mesmo para a extensão de costa do país e efetivamente tem como unidades mais notáveis duas “corvetas lança-mísseis”, o Tbilisi e o Dioskuria. O resto dos navios combatentes é composta por pequenos patrulhas, armados com canhões, que não se enquadram nesta tipologia de “lança-mísseis”.

Segundo uma fonte iraniana, as forças russas envolvidas teriam pertencido à 41ª Brigada de Navios Lança-mísseis composta pelos navios:
966 Missile Boat R-44 Matka Mod 1978
955 Missile Boat R-60 Tarantul-III Mod 1985
962 Missile Boat R-71 Tarantul-II Mod 1985
952 Missile Boat R-109 Tarantul-III 1991
953 Missile Boat R-239 Tarantul-III 1991
954 Missile Boat Ivanovetc Tarantul-III 1988

Ou seja, por seis corvetas lança-mísseis de classe Matka e Tarantul II e III. Segundo algumas fontes, o navio georgiano teria atacado os navios russos com foguetes (ou mísseis? estes jornalistas confundem sempre…), falhado e recebido de volta uma salva que a teria afundado. Há a possibilidade de ter sido um encontro de curta distância e de este afundamento ter ocorrido por via de canhões, mas sendo os navios envolvidos lança-mísseis e sabendo que transportam apenas 1 AK-176 76.2mm/59cal DP e dois AK-630M gattl. AA (6 x 30 mm; r: 6’000 rds/m/mount) não me parece que tenham poder de fogo para afundar um navio de médias dimensões a tiro de canhão…

A citação do militar russo refere também um “grupo de navios”, o que quer dizer que além do navio afundado, outros participaram da ação e sairam ilesos… Ou danificados, mas não o suficiente para serem afundados, o que é improvável, dado que se tratam de pequenos navios e que os mísseis das Tarantul são os eficientes (e pesados) 4 x P-15 Termit/SS-N-2 Styx ou 4 x P-270 Moskit/SS-N-22 Sunburn ou 8 x Kh-35 Uran/SS-N-25 Switchblade. Na Rússia consta que o navio afundado teria sudo o Tbilisi, comprado à Ucrânia em 1999, mas a informação não foi ainda confirmada por fontes georgianas. Este navio é um antigo navio soviético (“project 206MR“), armado dois lançadores “Termite” e armado com mísseis SS-N-2C Styx. Ironicamente este navio antes de servir na armada georgiana chamava-se “U-150 Konotop” e servia na… frota russa do Mar Negro (até 1981). A outra corveta lança-mísseis georgiana é a “Dioskuria”, de origem francesa e da classe La Combattante II que a Grécia vendeu à Geórgia em 2004. Este navio está armado com 4 MM38 Exocet e é considerada o navio mais poderoso da pequena armada georgiana, mas não encontrei nenhuma referência ou rumor que a desse como o navio envolvido neste incidente… Por isso, o navio afundado deve mesmo ter sido a “Tbilisi”.

Por outro lado, a guerra está a correr mesmo mal para a Geórgia… A cidade de Gori foi tomada pelas forças russas e estas continuam a avançar bem dentro do território georgiano, aparentemente sem encontrarem oposição significativa. Colunas russas estão prestes a tomar várias cidades da Geórgia ocidental e segundo o próprio presidente deste país do Cáucaso, conseguiram já cortar o país em dois, tudo isto depois de um general russo ter declarado ontem que a Rússia não tencionava penetrar no território georgiano, apenas “libertar” a república separatista da Ossétia do Sul… Aparentemente o colapso da frente georgiana é tão profundo que as forças russas estão a explorar ao máximo a sua vantagem, e as forças blindadas georgianas (os perto de 130 T-72 que dispõe) ou já foram completamente batidos (têm sido vistas várias carcaças destes tanques) ou estão a ser guardados para um eventual avanço contra Tbilisi, a capital georgiana, algo que agora parece ser provável, especialmente depois de ontem, Putin ter declarado que “o problema era o presidente georgiano”… Terão assim, como objectivo depôr o presidente (eleito) da Geórgia, e assim, ocupar todo o país?

Fontes:
http://lenta.ru/news/2008/08/10/destroy1/index.htm http://www.turkishdailynews.com.tr/apdetailspage.php?id=d91c1f3c96da09395e2337e4c0e8620109ea5e9 http://uk.news.yahoo.com/itn/20080810/twl-russians-sink-georgian-boat-41f21e0.html
http://www.breakingnews.ie/world/mhqlmhkfojkf/rss2/ http://hosted.ap.org/dynamic/stories/G/GEORGIA_SOUTH_OSSETIA?SITE=CADIU&SECTION=HOME&TEMPLATE=DEFAULT http://redbannernorthernfleet.blogspot.com/2008/05/russian-mil-blogger-turns-his-gaze-on.html http://edition.cnn.com/2008/WORLD/europe/08/11/georgia.russia/index.html

Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: , | 14 comentários

Navegação de artigos

14 thoughts on “Sobre o afundamento de um “navio lança-mísseis” georgiano e do andamento atual da guerra Rússia-Geórgia

  1. gaitero

    Essa corveta parece mais um rebocador de alto mar com canhão na frente, não parece não???

  2. Fred

    e parece que a Jeune École da Georgia também não está lá muito funcional ! infelizmente para eles!

  3. gaitero:
    feiosa, hem?
    mas aqueles SN-2 são muito letais, ainda que mais ou menos velhos…
    suspeito que eles lançaram todos de uma vez, mas a flotilha russa era mais numerosa e teve mais sorte… de qualquer forma, conseguiriam apenas afundar um navio russo, e isolados seriam postos ao fundo, cedo ou tarde. Se tivessem a francesa ao lado… talvez o desfecho fosse diferente.
    De qq forma, é curioso como os russos evitaram empenhar neste bloqueio navios mais pesados… palpita-me pq conheciam a capacidade dos mísseis de uma e de outra corveta e preferiram arriscar uma ou duas tarantul a uma fragata ou cruzador…

    fred:
    está inoperacional?
    mas em
    “April 7-25,
    2006
    Black Sea area: ports of Batumi (Georgia), Novorossiysk (Russia), Sevastopol (Ukraine).
    Task Group:
    Frigate „MARASESTI” (flagship, Romania); Mine sweeper „SHKVAL”; (Bulgarina); fast patrol boat „DIOSKURIA” (Georgia); Landing Ship „YAMAL” (Russia); Frigate “YILDIRIM” (Turkey), C2 Ship “SLAVUTYCH” (Ukraine).”
    http://www.mil.gov.ua/index.php?part=international_exercises&lang=en

    de facto, desde então não encontro mais nenhuma referência à sua atividade…
    o navio é de 1971…
    ela consta no inventário ativo da marinha georgiana:
    http://www.geoarmy.info/katerebi.htm

    e note-se que além destas duas, na lista de navio deste site, surge uma stenka:
    Stenka class patrol boats
    http://wikimapia.org/1907825/

    “Displacement: 245 tons full load
    Dimensions: 39.8 x 7.6 x 1.96 meters/130.6 x 24.9 x 6.4 feet
    Propulsion: 3 M-504 or M-520 diesels, 3 shafts, 15,000 bhp, 35 knots
    Crew: 32-34
    Sonar: Bronza hull mounted HF, HF dipping
    Armament: 2 dual 30 mm AA, 4 15.8 inch torpedo tubes, 2 DC racks ”
    http://www.hazegray.org/worldnav/russia/bord_grd.htm

    e se isto é o 3º melhor navio georgiano…
    Crew: 33″

  4. Fred

    logo….

  5. Nito

    Algumas noticias interessantes sobre o mesmo tema:

    http://blogs.publico.pt/darussia/

  6. fred:
    logo… vão levar na cabeça e violentamente, como de resto está a acontecer. se forem espertos, fazem como os argentinos e mantêm a restante frota nos portos até ao fim da guerra…

    nito:
    sim, respeito muito o milhazes e o evgéni, ambos excelentes correspondentes muito acima daquilo que (infelizmente) vamos vendo nas nossas TVs

  7. estou a ver…
    por momentos, parecia que queriam entrar em Tbilisi e depôr o presidente georgiano pela força… mas suponho que isso seria demais… mesmo para uma potencia nuclear!

  8. Nito

    Tirando a questão económica (oleodutos e gasodutos da região ), acho que a Rússia quis marcar posição (com força) e terminar rapidamente o problema, para não aguçar os problemas com os americanos (escudo de misseis ) nem com os seus parceiros europeus (França e Alemanha)

    http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1338673&idCanal=11
    Sinceramente, acho que estes estados / repúblicas independentistas não são mais do que pequenos estados onde ditadores locais controlam com mão de ferro toda a população e economia tornando os sonhos de independência numa ditadura “democrática” .
    Democrática aos olhos da dita comunidade internacional que vai apoiar essas mesmas pretensões de independência em troca de minério, energia, ou bases militares(ver Kosovo), ou tráfico de droga (ver Afeganistão)…enfim hipocrisias no seu melhor ..

  9. a rússia parece ter tido razões para intervir em força. parece haver provas de que ao retomarem o acesso na ossétia, pisaram vários limites e os russos agiram naturalmente, em resposta.
    duvido é que houvesse a convicção na liderança georgiana de que a resposta russa fosse tão rápida, forte e audaz e aí pagaram severamente o preço… eles e todos os desgraçados que pagaram pelo erro, e a pp geórgia que agora nunca mais vai tornar a ter soberania sobre estes territórios..
    duvido é que venham a ser reconhecidas, além da rússia… ao ocidente, a aliança com a geórgia (bases e oleoduto) é muito mais interessante do que irritar os russos…

  10. Fred

    Acho que os russo queriam a casa natal do Stalin em Gori! 😉

  11. Então srs. kem é o louco nesta história toda..tem gente kerendo ressuscitar os fantasmas da guerra fria…Os ianks já mandaram sua valorosa frota p/ às águas da geórgia…polvora e fogo…O europeus precisam mt + dos Rússos , os ianks tbm , irã, afeganistão..conselho de segurança…Os Rússos tem a faca e o queijo…e mt fome.Q Deus nos ajude.

  12. a frota que mandaram foi um cruzador isolado… muito inferior à frota russa do Mar Negro, no conjunto…
    o próprio envio desta “missão humanitária” da US Navy reflecte bem a timidez e a atual escassez de meios que afecta os EUA…

  13. afinal Clavis esse navio foi afundado ou nao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: