Daily Archives: 2008/08/11

Sobre o afundamento de um “navio lança-mísseis” georgiano e do andamento atual da guerra Rússia-Geórgia


(A corveta lança-mísseis “Tbilisi” da marinha georgiana in http://redbannernorthernfleet.blogspot.com)

Ontem os media foram inundados de referências a um afundamento de um “lança-mísseis” georgiano por parte da marinha russa. A notícia intrigou-me porque não é todos os dias que temos relatos de confrontos navais (são mesmo muito raros na história recente) e ainda mais por referirem o afundamento de um navio “lança-mísseis”, coisa que eu não me lembrava de ver no inventário desse país do Cáucaso… A notícia dos nossos media era muito lacónica, mas noutras fontes internacionais dizia-se que o afundamento tinha ocorrido perto da costa da região separatista da Abkhazia e depois de um grupo de navio georgianos ter por duas vezes tentado atacar navios russos, isto segundo um porta-voz do ministério da Defesa russo, claro: “os navios russos abriram fogo e como resultado um dos navios georgianos afundou-se”. Hum. Não vejo aqui referencia a “navio lança-mísseis”…

A marinha georgiana tem dimensões modestas, mesmo para a extensão de costa do país e efetivamente tem como unidades mais notáveis duas “corvetas lança-mísseis”, o Tbilisi e o Dioskuria. O resto dos navios combatentes é composta por pequenos patrulhas, armados com canhões, que não se enquadram nesta tipologia de “lança-mísseis”.

Segundo uma fonte iraniana, as forças russas envolvidas teriam pertencido à 41ª Brigada de Navios Lança-mísseis composta pelos navios:
966 Missile Boat R-44 Matka Mod 1978
955 Missile Boat R-60 Tarantul-III Mod 1985
962 Missile Boat R-71 Tarantul-II Mod 1985
952 Missile Boat R-109 Tarantul-III 1991
953 Missile Boat R-239 Tarantul-III 1991
954 Missile Boat Ivanovetc Tarantul-III 1988

Ou seja, por seis corvetas lança-mísseis de classe Matka e Tarantul II e III. Segundo algumas fontes, o navio georgiano teria atacado os navios russos com foguetes (ou mísseis? estes jornalistas confundem sempre…), falhado e recebido de volta uma salva que a teria afundado. Há a possibilidade de ter sido um encontro de curta distância e de este afundamento ter ocorrido por via de canhões, mas sendo os navios envolvidos lança-mísseis e sabendo que transportam apenas 1 AK-176 76.2mm/59cal DP e dois AK-630M gattl. AA (6 x 30 mm; r: 6’000 rds/m/mount) não me parece que tenham poder de fogo para afundar um navio de médias dimensões a tiro de canhão…

A citação do militar russo refere também um “grupo de navios”, o que quer dizer que além do navio afundado, outros participaram da ação e sairam ilesos… Ou danificados, mas não o suficiente para serem afundados, o que é improvável, dado que se tratam de pequenos navios e que os mísseis das Tarantul são os eficientes (e pesados) 4 x P-15 Termit/SS-N-2 Styx ou 4 x P-270 Moskit/SS-N-22 Sunburn ou 8 x Kh-35 Uran/SS-N-25 Switchblade. Na Rússia consta que o navio afundado teria sudo o Tbilisi, comprado à Ucrânia em 1999, mas a informação não foi ainda confirmada por fontes georgianas. Este navio é um antigo navio soviético (“project 206MR“), armado dois lançadores “Termite” e armado com mísseis SS-N-2C Styx. Ironicamente este navio antes de servir na armada georgiana chamava-se “U-150 Konotop” e servia na… frota russa do Mar Negro (até 1981). A outra corveta lança-mísseis georgiana é a “Dioskuria”, de origem francesa e da classe La Combattante II que a Grécia vendeu à Geórgia em 2004. Este navio está armado com 4 MM38 Exocet e é considerada o navio mais poderoso da pequena armada georgiana, mas não encontrei nenhuma referência ou rumor que a desse como o navio envolvido neste incidente… Por isso, o navio afundado deve mesmo ter sido a “Tbilisi”.

Por outro lado, a guerra está a correr mesmo mal para a Geórgia… A cidade de Gori foi tomada pelas forças russas e estas continuam a avançar bem dentro do território georgiano, aparentemente sem encontrarem oposição significativa. Colunas russas estão prestes a tomar várias cidades da Geórgia ocidental e segundo o próprio presidente deste país do Cáucaso, conseguiram já cortar o país em dois, tudo isto depois de um general russo ter declarado ontem que a Rússia não tencionava penetrar no território georgiano, apenas “libertar” a república separatista da Ossétia do Sul… Aparentemente o colapso da frente georgiana é tão profundo que as forças russas estão a explorar ao máximo a sua vantagem, e as forças blindadas georgianas (os perto de 130 T-72 que dispõe) ou já foram completamente batidos (têm sido vistas várias carcaças destes tanques) ou estão a ser guardados para um eventual avanço contra Tbilisi, a capital georgiana, algo que agora parece ser provável, especialmente depois de ontem, Putin ter declarado que “o problema era o presidente georgiano”… Terão assim, como objectivo depôr o presidente (eleito) da Geórgia, e assim, ocupar todo o país?

Fontes:
http://lenta.ru/news/2008/08/10/destroy1/index.htm http://www.turkishdailynews.com.tr/apdetailspage.php?id=d91c1f3c96da09395e2337e4c0e8620109ea5e9 http://uk.news.yahoo.com/itn/20080810/twl-russians-sink-georgian-boat-41f21e0.html
http://www.breakingnews.ie/world/mhqlmhkfojkf/rss2/ http://hosted.ap.org/dynamic/stories/G/GEORGIA_SOUTH_OSSETIA?SITE=CADIU&SECTION=HOME&TEMPLATE=DEFAULT http://redbannernorthernfleet.blogspot.com/2008/05/russian-mil-blogger-turns-his-gaze-on.html http://edition.cnn.com/2008/WORLD/europe/08/11/georgia.russia/index.html

Anúncios
Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: , | 14 comentários

Outsourcing para a Índia: Uma nova forma de cabular

Uma nova moda de cabulanço está a generalizar-se entre os estudantes britânicos de Informática… Aparentemente, e segundo o jornal The Guardian, por menos de cinco libras (6 euros) alunos universitários no Reino Unido acedem a “coding sites” alojados na Índia e na Roménia e fazem outsourcing dos seus trabalhos práticos para estudantes de TI e programadores indianos por preços tão baixos como o acima indicado.

Desde 2004, a Universidade de Birmingham detectou mais de mil dos seus estudantes acedendo a estes sites indianos que praticam o sistema de leilão. Basicamente, um estudante coloca os requisitos para o seu trabalho no site de leiloes, e recolhe ofertas, aceitando a mais baixa e credível. Tudo é vendido, desde trabalhos de cadeira, ate teses de doutoramento.

Este movimento de descerebração ocidental não esta evidentemente limitado ao Reino Unido e deve estar disseminado ate em Portugal… Resulta em primeiro lugar de uma sociedade facilitista e de um um sistema de ensino medíocre, pouco exigente e incapaz de encontrar sistemas de verificação eficientes. E encontra nos medíocres níveis de preparação em matemática que se registam um pouco por todo o mundo desenvolvido uma das razoes mais profundas…certamente que será impossível detectar cada caso, especialmente se os acessos forem feitos a partir de computadores pessoais, mas a curto prazo, tudo o que pode ser feito é melhorar os controlos e investir no ensino da matemática a mais longo prazo e esperar que os efeitos destas duas abordagens impeçam a continuação destas praticas, desleais para quem não recorre a elas e profundamente perigosas para a eficiência e qualidade dos profissionais de TI das economias ocidentais, e isto sabendo bem a importância deste sector tem para as economias ocidentais.

Fonte:

http://management.silicon.com/careers/0,39024671,39250909,00.htm

Categories: Ciência e Tecnologia, Economia, Educação, Informática, Política Internacional | Etiquetas: | 3 comentários

Quids S12-54: Como se chama este objecto? (nome exacto)

Dificuldade: 3

Regras:

1. Cada Quid valerá entre 1 a 3 pontos.
2. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.
3. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no período seguinte (12:30-14:30 do dia seguinte, juntamente com o lançamento do Quid seguinte). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, se pedidas.
4. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

Categories: Quids S12 | 4 comentários

Vídeo: Sobrelotação num comboio suburbano japonês

Enquanto que em Portugal os comboios suburbanos andam cada vez mais vazios e a Carris regista quedas dos números de passageiros transportados ano após ano, no Japão existem funcionários voluntariosos o suficiente para ajudar os passageiros a entrar em comboios sobrelotados. A sobrelotação do vídeo indica também que o sistema público de transportes suburbanos japonês funciona muito mal… demasiados passageiros para comboios a menos, algo particularmente incompreensível num país tão rico como o Japão e capaz de construir alguns dos melhores comboios de alta velocidade do mundo (ver AQUI).

Categories: Economia | Etiquetas: | 10 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade