Daily Archives: 2008/08/11

Sobre o afundamento de um “navio lança-mísseis” georgiano e do andamento atual da guerra Rússia-Geórgia


(A corveta lança-mísseis “Tbilisi” da marinha georgiana in http://redbannernorthernfleet.blogspot.com)

Ontem os media foram inundados de referências a um afundamento de um “lança-mísseis” georgiano por parte da marinha russa. A notícia intrigou-me porque não é todos os dias que temos relatos de confrontos navais (são mesmo muito raros na história recente) e ainda mais por referirem o afundamento de um navio “lança-mísseis”, coisa que eu não me lembrava de ver no inventário desse país do Cáucaso… A notícia dos nossos media era muito lacónica, mas noutras fontes internacionais dizia-se que o afundamento tinha ocorrido perto da costa da região separatista da Abkhazia e depois de um grupo de navio georgianos ter por duas vezes tentado atacar navios russos, isto segundo um porta-voz do ministério da Defesa russo, claro: “os navios russos abriram fogo e como resultado um dos navios georgianos afundou-se”. Hum. Não vejo aqui referencia a “navio lança-mísseis”…

A marinha georgiana tem dimensões modestas, mesmo para a extensão de costa do país e efetivamente tem como unidades mais notáveis duas “corvetas lança-mísseis”, o Tbilisi e o Dioskuria. O resto dos navios combatentes é composta por pequenos patrulhas, armados com canhões, que não se enquadram nesta tipologia de “lança-mísseis”.

Segundo uma fonte iraniana, as forças russas envolvidas teriam pertencido à 41ª Brigada de Navios Lança-mísseis composta pelos navios:
966 Missile Boat R-44 Matka Mod 1978
955 Missile Boat R-60 Tarantul-III Mod 1985
962 Missile Boat R-71 Tarantul-II Mod 1985
952 Missile Boat R-109 Tarantul-III 1991
953 Missile Boat R-239 Tarantul-III 1991
954 Missile Boat Ivanovetc Tarantul-III 1988

Ou seja, por seis corvetas lança-mísseis de classe Matka e Tarantul II e III. Segundo algumas fontes, o navio georgiano teria atacado os navios russos com foguetes (ou mísseis? estes jornalistas confundem sempre…), falhado e recebido de volta uma salva que a teria afundado. Há a possibilidade de ter sido um encontro de curta distância e de este afundamento ter ocorrido por via de canhões, mas sendo os navios envolvidos lança-mísseis e sabendo que transportam apenas 1 AK-176 76.2mm/59cal DP e dois AK-630M gattl. AA (6 x 30 mm; r: 6’000 rds/m/mount) não me parece que tenham poder de fogo para afundar um navio de médias dimensões a tiro de canhão…

A citação do militar russo refere também um “grupo de navios”, o que quer dizer que além do navio afundado, outros participaram da ação e sairam ilesos… Ou danificados, mas não o suficiente para serem afundados, o que é improvável, dado que se tratam de pequenos navios e que os mísseis das Tarantul são os eficientes (e pesados) 4 x P-15 Termit/SS-N-2 Styx ou 4 x P-270 Moskit/SS-N-22 Sunburn ou 8 x Kh-35 Uran/SS-N-25 Switchblade. Na Rússia consta que o navio afundado teria sudo o Tbilisi, comprado à Ucrânia em 1999, mas a informação não foi ainda confirmada por fontes georgianas. Este navio é um antigo navio soviético (“project 206MR“), armado dois lançadores “Termite” e armado com mísseis SS-N-2C Styx. Ironicamente este navio antes de servir na armada georgiana chamava-se “U-150 Konotop” e servia na… frota russa do Mar Negro (até 1981). A outra corveta lança-mísseis georgiana é a “Dioskuria”, de origem francesa e da classe La Combattante II que a Grécia vendeu à Geórgia em 2004. Este navio está armado com 4 MM38 Exocet e é considerada o navio mais poderoso da pequena armada georgiana, mas não encontrei nenhuma referência ou rumor que a desse como o navio envolvido neste incidente… Por isso, o navio afundado deve mesmo ter sido a “Tbilisi”.

Por outro lado, a guerra está a correr mesmo mal para a Geórgia… A cidade de Gori foi tomada pelas forças russas e estas continuam a avançar bem dentro do território georgiano, aparentemente sem encontrarem oposição significativa. Colunas russas estão prestes a tomar várias cidades da Geórgia ocidental e segundo o próprio presidente deste país do Cáucaso, conseguiram já cortar o país em dois, tudo isto depois de um general russo ter declarado ontem que a Rússia não tencionava penetrar no território georgiano, apenas “libertar” a república separatista da Ossétia do Sul… Aparentemente o colapso da frente georgiana é tão profundo que as forças russas estão a explorar ao máximo a sua vantagem, e as forças blindadas georgianas (os perto de 130 T-72 que dispõe) ou já foram completamente batidos (têm sido vistas várias carcaças destes tanques) ou estão a ser guardados para um eventual avanço contra Tbilisi, a capital georgiana, algo que agora parece ser provável, especialmente depois de ontem, Putin ter declarado que “o problema era o presidente georgiano”… Terão assim, como objectivo depôr o presidente (eleito) da Geórgia, e assim, ocupar todo o país?

Fontes:
http://lenta.ru/news/2008/08/10/destroy1/index.htm http://www.turkishdailynews.com.tr/apdetailspage.php?id=d91c1f3c96da09395e2337e4c0e8620109ea5e9 http://uk.news.yahoo.com/itn/20080810/twl-russians-sink-georgian-boat-41f21e0.html
http://www.breakingnews.ie/world/mhqlmhkfojkf/rss2/ http://hosted.ap.org/dynamic/stories/G/GEORGIA_SOUTH_OSSETIA?SITE=CADIU&SECTION=HOME&TEMPLATE=DEFAULT http://redbannernorthernfleet.blogspot.com/2008/05/russian-mil-blogger-turns-his-gaze-on.html http://edition.cnn.com/2008/WORLD/europe/08/11/georgia.russia/index.html

Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: , | 14 comentários

Outsourcing para a Índia: Uma nova forma de cabular

Uma nova moda de cabulanço está a generalizar-se entre os estudantes britânicos de Informática… Aparentemente, e segundo o jornal The Guardian, por menos de cinco libras (6 euros) alunos universitários no Reino Unido acedem a “coding sites” alojados na Índia e na Roménia e fazem outsourcing dos seus trabalhos práticos para estudantes de TI e programadores indianos por preços tão baixos como o acima indicado.

Desde 2004, a Universidade de Birmingham detectou mais de mil dos seus estudantes acedendo a estes sites indianos que praticam o sistema de leilão. Basicamente, um estudante coloca os requisitos para o seu trabalho no site de leiloes, e recolhe ofertas, aceitando a mais baixa e credível. Tudo é vendido, desde trabalhos de cadeira, ate teses de doutoramento.

Este movimento de descerebração ocidental não esta evidentemente limitado ao Reino Unido e deve estar disseminado ate em Portugal… Resulta em primeiro lugar de uma sociedade facilitista e de um um sistema de ensino medíocre, pouco exigente e incapaz de encontrar sistemas de verificação eficientes. E encontra nos medíocres níveis de preparação em matemática que se registam um pouco por todo o mundo desenvolvido uma das razoes mais profundas…certamente que será impossível detectar cada caso, especialmente se os acessos forem feitos a partir de computadores pessoais, mas a curto prazo, tudo o que pode ser feito é melhorar os controlos e investir no ensino da matemática a mais longo prazo e esperar que os efeitos destas duas abordagens impeçam a continuação destas praticas, desleais para quem não recorre a elas e profundamente perigosas para a eficiência e qualidade dos profissionais de TI das economias ocidentais, e isto sabendo bem a importância deste sector tem para as economias ocidentais.

Fonte:

http://management.silicon.com/careers/0,39024671,39250909,00.htm

Categories: Ciência e Tecnologia, Economia, Educação, Informática, Política Internacional | Etiquetas: | 3 comentários

Quids S12-54: Como se chama este objecto? (nome exacto)

Dificuldade: 3

Regras:

1. Cada Quid valerá entre 1 a 3 pontos.
2. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.
3. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no período seguinte (12:30-14:30 do dia seguinte, juntamente com o lançamento do Quid seguinte). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, se pedidas.
4. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

Categories: Quids S12 | 4 comentários

Vídeo: Sobrelotação num comboio suburbano japonês

Enquanto que em Portugal os comboios suburbanos andam cada vez mais vazios e a Carris regista quedas dos números de passageiros transportados ano após ano, no Japão existem funcionários voluntariosos o suficiente para ajudar os passageiros a entrar em comboios sobrelotados. A sobrelotação do vídeo indica também que o sistema público de transportes suburbanos japonês funciona muito mal… demasiados passageiros para comboios a menos, algo particularmente incompreensível num país tão rico como o Japão e capaz de construir alguns dos melhores comboios de alta velocidade do mundo (ver AQUI).

Categories: Economia | Etiquetas: | 10 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy