A Embraer investirá 148 milhões de euros em Portugal (ou não…) e da hipótese de uma fábrica de aviões da Embraer

(O C390, o avião de transporte que a Embraer poderia construir em Portugal in http://www.blogdorogerio.com.br)

A empresa aeronáutica brasileira Embraer (o terceiro maior fabricante aeronáutico do mundo) vai investir em Portugal uma quantia que rondará os 148 milhões de euros na construção de duas fábricas de material aeronáutico. O anúncio foi feito conjuntamente pelo primeiro-ministro José Sócrates e pelo presidente brasileiro Lula da Silva, o que reflecte muito bem a importância estratégica que tal investimento tem para os dois países luśofonos, não somente para estreitar as relações luso-brasileiras, mas também para solidificar a presença da fabricante brasileira de aeronoves num dos mercados mundiais mais importantes do mundo: a Europa.

Uma das novas unidades fabris será dedicada à construção de estruturas metálicas usinadas e a segunda fabricará materiais compósitos. As duas fábricas serão construídas em Évora.

A escolha da cidade de Évora resultou de um estudo que a identificou como um dos clusters industriais mais interessantes do Sul da Europa para os anos vindouros. Desde logo porque a Universidade de Évora é uma das mais prestigiadas do país, mas também porque a fábrica do bimotor Skylander deverá estar terminada ainda este Verão, finanlizando assim um investimento de mais de 125 milhões de euros. O aparelho já tem 185 encomendas garantidas e na sua construção poderá utilizar equipamentos fabricados nestas duas fábricas da Embraer, em vez de os ter de importar do exterior. Assim, nos 1100 aviões que a GECI espera fabricar nos próximos 15 anos poderão estar muitos componentes fabricados nestas unidades fabris… Uma vez que os primeiros Skylander serão entregues a partir de 2010 e as fábricas da Embraer estão em plena atividade ainda em 2009, a tese de que se irão juntar às já conhecidas empresas portuguesas do Porto e de Setúbal como suas fornecedoras ganha consistência, pesando contra contudo o factor de que o aparelho poderá ser um concorrente directo de alguns modelos fabricados pela construtora brasileira, razão pela qual mantemos esta ligação na área das especulações e possibilidades… Para já, Frederico Curado, o presidente da empresa brasileira admitiu apenas que estes materiais seriam usados apenas por aviões da Embraer e poderão indiciar que a empresa poderá instalar também em Portugal, aproveitando talvez as instalações das OGMA (que juntamente com a EADS têm 65% do capital desta empresa portuguesa) ou as antigas instalações que a desertora Opel-GM deixou na Azambuja, como relatava em Fevereiro uma notícia do Expresso:

“OGMA quer fabricar aviões na Opel da Azambuja
A OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal está a posicionar-se para comprar as antigas instalações da fábrica da Opel, na Azambuja, com o objectivo de assegurar a expansão da sua área de fabricação de aeronaves. A empresa, participada pela brasileira Embraer, equaciona construir naquelas instalações parte de um novo avião de transporte militar táctico.
As negociações para a aquisição da fábrica da Opel já passaram pela Câmara Municipal da Azambuja, cujo presidente, Joaquim Ramos, foi convocado esta semana para uma reunião na API (Agência Portuguesa de Investimento). “Ainda não há dados concretos sobre a matéria, mas as negociações estão a decorrer”, frisou o autarca. O mesmo responsável confirmou estar em contacto permanente com a administração da Opel sobre o processo de desmantelamento da fábrica, que terá de estar concluído até ao dia 30 de Março.”

Sobre esta notícia mais nada transpirou… Mas tendo em conta que a OGMA é facto controlada pela Embraer (que tem desde 2004 99% das acções e o controlo de gestão) e que é cada vez mais provável que o transporte militar C-390 da Embraer se venha mesmo a concretizar, com a existência de clientes europeus para este transporte militar médio (com a mesma capacidade do mal afamado C-130J) e até com a necessidade de a médio prazo substituir os C-130H da FAP, a hipótese de construção de uma fábrica da Embraer em Portugal ganha novamente nova possibilidade… São as notícias da compra da Opel da Azambuja, as duas fábricas de material aeronáutico, o projeto C-390… E sabendo que a Embraer não tem na Europa mais nenhumas instalações industriais (além das da OGMA) faz todo o sentido que reforce essa presença (e poupe no transporte dos bens manufacturados) se a este investimento se suceder um outro na construção de uma fábrica de aviões propriamente dita.

A fábrica de estruturas metálicas vai representar para a Embraer um investimento de 100 milhões de euros, e a de materiais compósitos (a dita “Meca” da aviação do Futuro) mais de 48 milhões de euros. As duas unidades vão empregar 570 trabalhadores e até 3500 indirectos e serão decisivos para – juntamente com a fábrica da Skylander – alavancar a criação de um pólo tecnológico aeronáutica nesta bela cidade alentejana.

Contudo, notícias recentes dão conta de algumas hesitações quando ao bom andamento deste investimento, replicando um tanto receios passados com o projeto Skylander… No mesmo dia em que José Sócrates e Lula da Silva anunciavam no Centro Cultural de Belém este investimento, a construtora fazia distribuir uma “nota de imprensa” onde admitia que as estimativas para o projeto em Portugal poderiam não se concretizar… Aparentemente, e apesar do que consta ainda hoje no próprio site oficial da construtora as verbas não estão ainda reservadas para este projetos e estes podem ser cancelados por
“circunstâncias ou eventos ainda não acontecidos” não tendo ficado claro se aqui se questionava a construção das duas fábricas ou se a escala do investimento (como parece mais provável).

Se estes receios não se concretizarem e se pelo menos o essencial do projeto permanecer inatacado parece-nos inevitável que seja dado o próximo passo, que é o da construção de uma terceira fábrica, esta já não de componentes, mas de aviões. O próprio presidente da Embraer o admitiu ao referir essa possibilidade, mas com as devidas reservas: “muitas outras condições precisarão de ser tidas em conta para uma decisão dessas como os custos de uma operação de montagem e as economias de escala”. A decisão de avançar para esta fábrica é de certa forma inevitável se as duas primeiras forem construída… Dado que a Embraer não tem mais fábricas na Europa e que além da hipótese de ser fornecedora da Skylander não é crível que os componentes sejam transportados para o Brasil dado os custos e o aumento dos mesmos nos últimos meses em virtude do aumento do preço dos combustíveis. Esta terceira fábrica poderia usar as instalações da antiga Opel da Azambuja ou um terreno em Évora, junto do destas duas fábricas que a empresa parece já ter reservado para si,

Fontes:
http://www.embraer.com.br/portugues/content/imprensa/press_releases_detalhe.asp?id=2009
http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=971878
http://www.estadao.com.br/economia/not_eco212359,0.htm
http://portalexame.abril.com.br/ae/economia/m0164917.html
http://afp.google.com/article/ALeqM5hC48rfn7-oeK-W9JaIss-UtPY3uA
http://www.investidorinformado.com/2008/07/embraer-anuncia-fbrica-em-portugal.html
http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=325716
http://dn.sapo.pt/2007/05/28/economia/nova_fabrica_bimotor_evora_pronta_ve.html
http://www.geci.net/skylander/fr/

Categories: Brasil, DefenseNewsPt, Defesa Nacional, Economia, Portugal | Etiquetas: , | 8 comentários

Navegação de artigos

8 thoughts on “A Embraer investirá 148 milhões de euros em Portugal (ou não…) e da hipótese de uma fábrica de aviões da Embraer

  1. Anónimo

    Muito boa mais esta aproximação entre estes 2 países irmãos. Torcemos para que seja multiplicada emoutras diversas áreas e que seja estendida aos nossos irmãos de África. Seria possível ainda recuperar a lingua portuguesa em Goa e Macau? E claro, resistir na Galícia!

  2. Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa…

  3. Ronaldo

    A Colombia e Africa do Sul já confirmaram interesse em co-desenvolver o C-390.
    Sds.

  4. Brazilian

    Xi, vai começar a cair avião na Europa.

  5. gaitero

    ??
    até hoje não caiu nenhum avião da embraer.
    Nem quando estes colidiram no ar a 800 km por hora com outro avião.
    sds

  6. acidentes aéreos acontecem sempre, com qualquer avião… faz parte da coisa…
    ainda recentemente voei no MD-80, um dos aviões comercais com a folha mais negra do mundo.
    http://www.airsafe.com/events/models/douglas.htm
    e não caiu…
    desta vez!

    procurando aqui
    http://www.airsafe.com/events/accbymod.htm
    por model “embraer”
    aparecem uns quantos, mas nada de anormal, nem acima da média

  7. luis para Brazilian

    coitadinho, eu sou brasileiro e com muito orgulho e a apreciaçao dos embraer e a nivel mundial e altimissima , obviamente por merito , e ver um comentario postado como o seu so deve ser de um carioca invejoso das companhias paulistas serem de top, ou quem sabe de mais um ze ninguem que nao sabe o que escreve!!!!

  8. José

    Olá…

    O caças que equiparão a Força Aérea Brasileira são superiores aos caças da Força Aérea Portuguesa.

    No programa FX2 que são os concorrentes para ver o novo caça da Força Aérea Brasileira, dos três concorrentes todos eles são superiores a qualquer caça da Força Aérea Portuguesa.

    ‘Dassault Rafale F-3’ e os ‘Boeing F/A-18 E/F Super Hornet’ são duas poderosas aéronaves.
    Teoricamente o ‘Saab JAS/39 Gripen’ é o avião mais fraco dos três concorrentes, mas veja a qualidade do mais fraco:

    O Gripen é o mais leve dos caças de nova geração que estão entrando em operação nesse início de século, sendo projetado desde o início como uma plataforma totalmente multifuncional desde o primeiro risco no papel. Os caças atuais como o F-16, ou o F-18, também são multifuncionais, porém para cumprir uma missão de ataque com todo o potencial da aeronave, eles têm que colocar certos módulos específicos dos aviônicos de forma que um avião preparado para atacar alvos terrestres terá uma certa capacidade de combate aéreo, e vice versa. Com o Gripen isso não acontece porque tudo que você precisa está lá, voando com você, bastando apenas teclar certos botões para mudar de missão. Essa capacidade é sem precedentes e com certeza uma excelente vantagem tática e comercial, facilitando um melhor custo benefício dessa aeronave no mercado internacional.
    O Gripen está equipado com um motor Volvo RM-12 que, na verdade é uma versão do motor General Eléctric F-404 usado nos caças F/A-18 Hornet dos Estados Unidos. este motor proporciona um empuxo de 8050 kgf, sendo um pouco mais potente que a versão orginal norte americana. Este motor é extremamente confiavel e permite acelerações bruscas sem que apareçam problemas.
    O Gripen deverá receber um sensor IRST para designação e identificação passiva de longo alcance, permitindo um melhor aproveitamento dos novos mísseis off boresight que estão entrando no mercado atualmente. O Gripen é um caça que se usado corretamente, impõe uma forte dissuasão, inibindo potenciais inimigos a aventuras beligerantes contra sua nação.
    Outra grande vantagem do Gripen no mercado internacional é a capacidade de arma-lo com uma enorme variedade de armas de diversas origens. Assim você pode equipa-lo com mísseis Mica, se o governo americano vetarem a venda de mísseis Amraam para seu país, ou ainda mesmo, pode-se adapta-lo com mísseis R-77 russos. Essa capacidade é também única e o torna muito atraente no mercado de caças. A capacidade de manobra desse caça é muito boa também, sendo melhor que a do F-16, F/A-18 Hornet, Mirage F-2000, IAI Kfir C-2, SU-27, uns dos seus concorrentes direto no mercado de caças.
    Na verdade, a configuração aerodinâmica tipo delta canard encontrada nos caças europeus de nova geração é bem eficiente no campo de manobrabilidade e agilidade, deixando para traz muitos aviões de combate modernos. Ainda sobre o armamento do Gripen, pode-se mencionar o poderoso missil antinavio Bofors RBS-15F, que é transportado aos pares. Com um alcance de 200 km e uma ogiva de 200 kg pre-fragmentada, pode por a pique a maioria dos navios de guerra conhecidos com um só impacto. Para combate ar ar de curto alcance o missil IRIS-T, que está em fase final de homologação, deverá ser o principal missil desse tipo a ser usado pelo Gripen. Atualmente o missil de curto alcance usado é o, já
    classico, Raytheon AIM-9L Sidewinder. Internamente o Gripen usa um canhão Mauser BK-27 de calibre 27 mm e com uma cadência de 1700 tiros/min, permite eficiencia contra alvos aéreos e blindados leves.
    Do ponto de vista de aviônica, o Gripen dispõe de um radar multi-modo pulso-Doppler Ericsson PS-05/A, com look-down/shoot-down. O radar pode trabalhar em quatro modos ar-ar diferentes: a) track-while-search, rastreia e engaja múltiplos alvos aéreos; b) priority-target-tracking, maior precisão para alvos engajados, enquanto ainda rastreia outros alvos; c) single-target-tracking, modo ar-ar para uso do canhão, por exemplo e d) air-combat-mode, para detecção automática de alvos aéreos em combate. Em modo ar-terra, alvos tão pequenos quanto um automóvel podem ser rastreados a distâncias de 90 Km.
    A capacidade do PS-05 supera em três vezes a capacidade de procesamento do radar do seu antecessor, o PS-46,
    instalado no JAS-37 Viggen e com, apenas, 60% do volume deste.

    Mesmo esse radar sendo um bom equipamento, e com desempenho adequado, está em estudo a sua substituição, por um novo radar com varredura eletronica AESA, que aumentará, ainda mais, as capacidades de combate do Gripen.
    Mas as capacidades desse formidável avião não acabam ai. Ele dispõe do melhor sistema de transmissão e recepção de dados via data link existente no mundo. Através desse sistema, o Gripen pode operar com o radar desligado, apenas recebendo dados das posições inimigas dos outros caças, ou de terra, ou ainda de um avião AWACS. Assim ele se torna muito difícil de ser detectado pelo inimigo.

    Esse sistema foi copiado pelos americanos que instalaram um sistema similar no F-22 Raptor. O data link do gripen, permite que se abram novas possibilidades táticas para atacar ou interceptar um intruso, de forma que com as aeronaves atuais não é possível sem uma modernização.

    Vocês entendem agora!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: