Um relatório do SIPRI revala o declínio militar dos EUA e a ascensão da China como nova potencia global

J11B (Su-27SK)

Caça "chinês" J11B (Su-27SK) in http://i2.sinaimg.cn

Em 2007, os três países do mundo com maiores níveis de despesa em Defesa, foram, por ordem, os Estados Unidos (547 biliões de USDs), Reino Unido (59,7 biliões) e a China (58,3 biliões). Estes números constam do relatório anual do “Stockholm International Peace Research Institute” e reflectem um aumento de 6% desde 2006. Os EUA continuam a ser – de longe – o maior consumidor nesta área, com uns impressionantes 45% do total absoluto. Logo atrás da China, posicionam-se a França e o Japão, com níveis de entre 4 a 5% do total da despesa mundial.

Uma boa parte deste impressionante nível de despesa militar dos EUA resulta da manutenção de intensas operações de guerra em apenas dois cenários, o Afeganistão e o Iraque, sendo que ambos, juntos, representam quase metade desta percentagem, o que dá uma boa medida do peso e do esforço a que a “Guerra ao Terrorismo” tem criado no orçamento norte-americano… Atualmente, os níveis de despesa militar dos EUA são mais elevados do que eram no auge da Segunda Grande Guerra, embora devido ao forte crescimento do PIB e da economia dos EUA desde a década de 40, em termos relativos o esforço financeiro da Defesa dos EUA era já mais elevado do que no pico da Segunda Grande Guerra. É claro, que em termos absolutos, e como a economia norte-americana cresceu várias vezes acima do valor de 1941-45, o peso absoluto é consideravelmente menor, mas em período de economia em declínio, esta desproporção irá cada vez ser mais acentuada até ser demasiado flagrante que os EUA já não conseguem suportar financeiramente a carga de serem a única superpotencia mundial.

Outro fenómeno que se destaca neste relatório é a duplicação das despesas militares da China… O relatório anterior do SIPRI coocava o nível de despesa chinesa em apenas 20 biliões de dólares e um tal salto, implica uma aceleração do investimento em vários ramos e em diversos tipos de equipamentos modernos. Aparentemente, a China pretende completar com músculo, o domínio comercial e industrial que já exerce sobre a maioria do planeta. Apesar deste esforço intenso, as forças armadas chinesas são ainda relativamente obsoleta, especialmente para os padrões ocidentais e russos. As suas forças terrestres são muito numerosas,mas ainda estão equipadas principalmente com equipamento com mais de 20 anos, e os novos MBTs fabricados na China continuam muito abaixo em qualidade e capacidades de qualquer MBT ocidental ou russo. A força área continua a alinhar maioritariamente com versões locais de caças soviéticos da década de 50 e 60 e a Marinha – ainda que renovada com a chegada de navios russos – continua a ser insuficiente para as ambições de projeção de poder para o Índico e Pacífico anunciadas pelo Alto Comando.

Contudo, a tendência está clara… Os EUA serão cada vez menos uma potencia capaz de projetar o seu poder a qualquer ponto do globo e tenderão a ser cada vez mais uma mera potencia regional, como pontos de apoio ainda consideráveis nalguns cenários do mundo, mas longe já do seu apogeu da década de 80… E a China irá aparecer cada vez mais como uma potencia militar global, tendo ainda que vencer a batalha da modernização tecnológica e ultrapassar todas as barreiras de conhecimento que lhe faltam ainda através de parcerias com empresas ocidentais e russas ávidas de exportar tecnologia a todo o custo, sem terem em conta que daqui a 20 anos, os seus “parceiros” chineses já não irão precisar deles e começarão a fabricar e exportar… os aviões fabricados sob licença, como se queixou recentemente a Sukhoi a propósito de caças Su-SK, fabricados na China sob licença e que a China quer exportar para o Paquistão a uma fracção do preço dos caças russos.

Fontes:

http://www.spacewar.com/reports/China_Spending_Billions_To_Build_Up_Military_Capacity_Part_One_999.html
http://yearbook2008.sipri.org/05

Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: , | 13 comentários

Navegação de artigos

13 thoughts on “Um relatório do SIPRI revala o declínio militar dos EUA e a ascensão da China como nova potencia global

  1. Anónimo

    Quando isso ocorrer, os continentais estarão rezando para ALLAH, em direção à Meca… ou não, se “influenciados” pelos Mongóis comunistas…

  2. M4Jor

    A questão das trasnferências implica sempre a também incluída transferência das coisas más..
    Vai ser pequim a rebentar bombas daqui a uns tempos..

  3. sem dúvida… o pacote vem sempre todo junto…
    sendo que neste caso, não há nenhuma ideologia (o comunismo chinês não existe mais desde mao) nem religião a sustentar essa superpotencia ascendente: apenas um orgulho racial denso, perigoso e profundamente racista. Todos elementos muito ameaçadores para quem quer que… não seja chinês.

  4. M4Jor

    Estaremos cá quando isso acontecer, ou demorará mais de 70/80 anos?
    É possivel fazer-se uma estimativa, sendo q já é dado adquirido que a china vai ser nº1, seguindo-se de americanos, india, japao, EU e brasil..?

  5. começam a surgir indícios de que o crescimento económico e militar da China não poderá prosseguir ao mesmo ritmo nas próximas décadas…
    por isso começo a duvidar de que ela venha mesmo a ser a “superpotencia única”, como os EUA foram desde 1991 a 2007… acredito mesmo num mundo multipolar, mais caótico e desorganizado (e talvez mais perigoso), mas mais equilibrado e equitativo do que o atual… a menos que esteja enganado e a China se torne mesmo nessa superpotencia única, o que seria muito mau para nós todos, acredito eu…

  6. Ñ necessariamente, a China sempre foi potencia, só em uns 300 anos ficou fora do cenario mundial. se tentar retomar formosa vai estar certa…e china tbm, mt pior são os ianks , ñ se esqueçam de hiroshima e nagazaki, o japão já estava morto..foi um ato criminoso , q se vá . Pq eles ñ abrem mão das suas armas atômicas? Os outros ñ podem, eles podem? Srs. o perigo mora ao norte do BRASIL .

  7. Bem, a China foi durante qua toda a sua história uma potencia, mas uma potencia quase sempre virada sobre si e desinteressada de tudo o que ultrapassa-se as suas fronteiras imediatas… uma potencia regional, ainda que de uma grande região.
    eu não temeria os EUA… Estão completamente entrosados na sua guerra perdida contra o islão no seu solo. E logo que a resolverem, bem ou mal, terão que se recentrar na China, a sua verdadeira adversária a prazo no Pacífico, o dito eixo de desenvolvimento do mundo nos séculos vindouros, em substituição do papel que teve o Mediterrâneo na Antiguidade e o Atlântico na época Moderna e contemporânea.
    não quero dizer que o resto do mundo vai “desaparecer”, a Europa, a Rússia, o Brasil e talvez a Venezuela e certamente a Índia ainda terão um papel muito forte nesta nova geopolítica, mas não duvido que a prioridade dos EUA nas próximas décadas será mesmo o Golfo (Petróleo) e a Ásia (vigiando e contendo a ascensão da China)

  8. E nesse período , enquanto o ianks trava sua luta , e a otan,hein? seus filhos vão morrer pelos imperialistas ?A China cresce e fica + forte , em tds os sentidos…Assim como nós , os Brasucas , indianos Argentinos e venezuelanos..é o século dos países do 3 mundo…

  9. a OTAN são os EUA…
    A Europa não tem nem uma força de defesa coesa nem uma presença internacional única e não a terá jamais, acredito eu…
    quando os EUA deixarem a Europa (como já estão a deixar) em busca de outras prioridades, pode riscar a OTAN desse mapa…
    e todos esses países terão que saber lidar com o gigante chinês, de forma a impedir que ele se torne na grande ameaça para a ecologia, democracia e liberdade do mundo, essa será a sua grande missão histórica.

  10. J. guaresi

    A OTAN, A ONU, TODOS OS ORGANISMOS MILITARES INERNACIONAIS, todos tem um único objetivo de existir, defender os interesses Norte Americanos.

    Agora sem dúvida, os EUA estão muito mais focados no petróleo do Irã e no crescimento da China, do que na descoberta do campo tupi no Brasil ou na amazônia. Temos pela frente um longo período de paz, e creio que será assim por todo sempre, mas é claro não devemos baixar a guarda.

    O PaK-Fa ou FX-2 tem de ser concluido, o sub nuclear tem de ser concluido, novas fragatas e submarinos tem de ser comprados, mas temos que saber gastar, comprar o equipamento certo, se não for usar em guerra, que ele não tenha uma manutenção elevada, e que realize com qualidade a tarefa que ele tenha de executar.

  11. Anónimo

    Acho engraçado o quanto de envenenado se está pela ideologia. Teme-se o “bicho papão” Americano, que é ocidental, democratico, cristão, estado de direito,livre. Muitos (até chaceller de um certo pais…) estão fazendo o jogo dos “gookies”, esquecendo as profundas injustiças perpetradas por seus governos e culturas, tais como: falta de liberdade, castas imutáveis, repressão contra as mulheres etc…

  12. vicente biancardini

    chega a ser engraçado esse anonimo.quando diz teme-se o “bicho papão americano”.Claro que devemos teme-lo. Trata-se de um pais focado no interesse, imperialista e invasor. Quando sente os seus interesses economicos ou politicos ameaçados usa sua força belica para fazer valer o que lhe interessa apoiado incondicionadamente pelo reino unido.

  13. Ao sr.Vicenti biancardini…parabéns, sua palavras(escritos )tem embasamento nos fatos dos últimos 35 anos..No apoio aos isrelense q massacram e anexa terras Palestina, q ñ podem se defender,e passa a ser ato hediondo.O Irak invadido, e tendo sua população massacrada ( + 250.000 mortos e mutilados ) O sr está mt certo. Obgd por sua posição clara .

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: