Daily Archives: 2008/07/29

Um relatório do SIPRI revala o declínio militar dos EUA e a ascensão da China como nova potencia global

J11B (Su-27SK)

Caça "chinês" J11B (Su-27SK) in http://i2.sinaimg.cn

Em 2007, os três países do mundo com maiores níveis de despesa em Defesa, foram, por ordem, os Estados Unidos (547 biliões de USDs), Reino Unido (59,7 biliões) e a China (58,3 biliões). Estes números constam do relatório anual do “Stockholm International Peace Research Institute” e reflectem um aumento de 6% desde 2006. Os EUA continuam a ser – de longe – o maior consumidor nesta área, com uns impressionantes 45% do total absoluto. Logo atrás da China, posicionam-se a França e o Japão, com níveis de entre 4 a 5% do total da despesa mundial.

Uma boa parte deste impressionante nível de despesa militar dos EUA resulta da manutenção de intensas operações de guerra em apenas dois cenários, o Afeganistão e o Iraque, sendo que ambos, juntos, representam quase metade desta percentagem, o que dá uma boa medida do peso e do esforço a que a “Guerra ao Terrorismo” tem criado no orçamento norte-americano… Atualmente, os níveis de despesa militar dos EUA são mais elevados do que eram no auge da Segunda Grande Guerra, embora devido ao forte crescimento do PIB e da economia dos EUA desde a década de 40, em termos relativos o esforço financeiro da Defesa dos EUA era já mais elevado do que no pico da Segunda Grande Guerra. É claro, que em termos absolutos, e como a economia norte-americana cresceu várias vezes acima do valor de 1941-45, o peso absoluto é consideravelmente menor, mas em período de economia em declínio, esta desproporção irá cada vez ser mais acentuada até ser demasiado flagrante que os EUA já não conseguem suportar financeiramente a carga de serem a única superpotencia mundial.

Outro fenómeno que se destaca neste relatório é a duplicação das despesas militares da China… O relatório anterior do SIPRI coocava o nível de despesa chinesa em apenas 20 biliões de dólares e um tal salto, implica uma aceleração do investimento em vários ramos e em diversos tipos de equipamentos modernos. Aparentemente, a China pretende completar com músculo, o domínio comercial e industrial que já exerce sobre a maioria do planeta. Apesar deste esforço intenso, as forças armadas chinesas são ainda relativamente obsoleta, especialmente para os padrões ocidentais e russos. As suas forças terrestres são muito numerosas,mas ainda estão equipadas principalmente com equipamento com mais de 20 anos, e os novos MBTs fabricados na China continuam muito abaixo em qualidade e capacidades de qualquer MBT ocidental ou russo. A força área continua a alinhar maioritariamente com versões locais de caças soviéticos da década de 50 e 60 e a Marinha – ainda que renovada com a chegada de navios russos – continua a ser insuficiente para as ambições de projeção de poder para o Índico e Pacífico anunciadas pelo Alto Comando.

Contudo, a tendência está clara… Os EUA serão cada vez menos uma potencia capaz de projetar o seu poder a qualquer ponto do globo e tenderão a ser cada vez mais uma mera potencia regional, como pontos de apoio ainda consideráveis nalguns cenários do mundo, mas longe já do seu apogeu da década de 80… E a China irá aparecer cada vez mais como uma potencia militar global, tendo ainda que vencer a batalha da modernização tecnológica e ultrapassar todas as barreiras de conhecimento que lhe faltam ainda através de parcerias com empresas ocidentais e russas ávidas de exportar tecnologia a todo o custo, sem terem em conta que daqui a 20 anos, os seus “parceiros” chineses já não irão precisar deles e começarão a fabricar e exportar… os aviões fabricados sob licença, como se queixou recentemente a Sukhoi a propósito de caças Su-SK, fabricados na China sob licença e que a China quer exportar para o Paquistão a uma fracção do preço dos caças russos.

Fontes:

http://www.spacewar.com/reports/China_Spending_Billions_To_Build_Up_Military_Capacity_Part_One_999.html
http://yearbook2008.sipri.org/05

Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: , | 13 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade