Daily Archives: 2008/07/08

Mais de metade do preço atual do petróleo resulta da especulação nas Bolsas

(http://www.sonofthesouth.net)

O preço da gasolina podia ser reduzido em metade se fossem impostos limites, por Lei, em todos os países, à especulação nos mercados de Futuros. Isto mesmo foi reconhecido por Michael Masters da empresa britânica de investimentos “Masters Capital Management” e corrobado depois por outros especialistas à comissão de energia da Câmara dos Representantes dos EUA. Segundo Masters, o preço do barril de crude desceria dos 135 dólares (na altura da sua declaração) para entre 65 a 75 dólares. O estabelecimento destes limites à especulação poderiam apenas trinta dias a reflectir-se nos preços, já que os gestores de fundo manipulam as suas carteiras com grande fluidez e rapidez.

É conhecimento de toda a gente que a atual alta de preços dos combustíveis e a decorrente alta dos preços do alimentos decorrem em grande medida do mercado de acções e especialmente na sua variante de “Futuros”. Em termos de produção, já falámos de que esta está estável, tendo ocorrido em 2007 um ligeiro decréscimo inferior a 1%. Continua a haver uma pressão do lado do consumo, provocada pelo aumento do conumo na China e na Índia, mas esta é insuficiente para explicar esta explosão dos preços, estimando estes especialistas que o aumento da procura justifica apenas metade dos preços. John Dingell, membro da Câmara dos Representantes dos EUA declarou a este propósito que “Temos que avaliar um vasto leque de opções para contrariar esta especulação descontrolada”.

O problema reside na ação dos especuladores que não chegam nunca a tomar controlo físico dos bens, mas num dado momento do fluxo comercial detém a possa de armazéns, contentores ou depósitos apenas “no papel” e que depois o transaccionam a terceiros sem nunca os terem detido, efectivamente. Do ponto de vista legislativo, muito pode ser feito para conter a especulação neste mercado do petróleo e até quanto à especulação em torno de stocks “virtuais” de alimentos indo até ao extremo de proibir simplesmente o acesso a este mercao de fundos de investimento ou de bancos de investimento. Se os governos de todo o mundo têm hesitado em aplicar estas medidas, tal deve-se ao seu receio de que tais medidas de contenção venham a trazer ainda mais dificuldades para o sector financeiro que ainda está a tentar digerir as monstruosas perdas registadas em 2007 aquando do colapso do mercado subprime nos EUA… Muitos investidores transferiram os seus capitais para estes sectores do petróleo e dos alimentos em busca de paragens menos turbulentas e se agora os governos viessem afastá-los destes mercados não teriam outras paragens igualmente rentáveis e logo a crise financeira poderia agravar-se e muito…

Contudo, os riscos de não fazer nada podem ser ainda maiores. Ninguém duvida que se os preços do barril de crude ultrapassarem os 200 dólares (como alguns estimam que vai acontecer ainda em 2008) a Economia mundial será incapaz de absorver o choque e teremos então uma recessão mundial de escala nunca antes vista. Então, todos teremos dificuldades e mais do que todos, o sector financeiro global. É assim uma questão de limitar estragos, já que estes são inevitáveis e de agir agora e globalmente…. porque uma medida destas tomada isoladamente, nos EUA, ou na UE, apenas, vai apenas transferir em questões de segundos a acção destes especuladores para qualquer outro mercado de acções, algures no mundo…

Fonte:
http://onlinejournal.com/artman/publish/article_3443.shtml

Categories: Economia, Política Internacional | 2 comentários

Quids S12-42: Como se chama este robot?

Dificuldade:2

Regras:

1. Cada Quid valerá entre 1 a 3 pontos.
2. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.
3. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no período seguinte (12:30-14:30 do dia seguinte, juntamente com o lançamento do Quid seguinte). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, se pedidas.
4. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

Categories: Quids S12 | 13 comentários

Satélites movidos a… campo magnético terrestre

(O campo magnético da Terra)

Uma das abordagens mais radicais e inovadoras que estão hoje em estudo nos laboratórios da agência espacial norte-americana (NASA) é o uso do campo magnético terrestre como forma de propulsão para satélites em vez dos habituais, caros e… esgotáveis combustíveis químicos. Os primeiros testes, realizados no começo de Junho de 2008 num túnel de vento não foram contudo muito animadores, já que o satélite de teste explodiu e transformou-se numa nuvem de fragmentos de metal. Contudo, o conceito-base não foi questionado, e a NASA planeia prosseguir com as investigações nesta área que pode alterar radicalmente os custos e a duração útil de vida de um satélite, já que dispensa o transporte de foguetes e de reservatórios de combustível para manter as órbitas e compensar o inevitável decaimento das mesmas e a consequente perda do satélite.

Se a tecnologia se provar viável, assistiremos à erupção de uma série de microsatélites, muito baratos e não maiores do que uma caixa de cereais, mas funcionando em rede e logrando recolher desta ação conjunta as mesmas funcionalidades concentradas hoje num só complexo, pesado, caro e não-redundante grande satélite, os quais, frequentemente alcançam o tamanho de um pequeno automóvel ou mesmo – nos casos mais extremos – as dimensões de um pequeno autocarro.

A propulsão magnética que será o aspecto mais essencial destes microsatélites está a ser desenvolvida na Universidade Estatal do Michigan e é atualmente capaz de impulsionar um satélite a velocidades de até 4,5 milhas e meia por segundo. Dado que cada satélite terá um custo unitário muito baixo, poderão lançar-se até um milhão destes e se alguns se perderem, isso não vai afetar a missão final.

Fonte:
http://dsc.discovery.com/news/2008/06/05/satellites-magnetic-field.html

Categories: Ciência e Tecnologia, SpaceNewsPt | 7 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade